Dicas de Roteiro

02/05/2015

Ponto de Vista: Como os Escritores Podem Dominar Este Crucial Elemento da História

Filed under: Escrita Literária — valeriaolivetti @ 13:10
Tags:

O artigo a seguir, complemento dos nossos último e penúltimo posts, foi escrito por Amanda Warner e publicado originalmente no site The Write Life:

Ponto de Vista

Depois de decidir sobre o ponto de vista do seu livro — seja primeira ou terceira pessoa, onisciente ou limitado — a parte mais difícil vem a seguir: permanecer consistente.

Sair fora do ponto de vista (POV) selecionado pode interromper abruptamente a história. Os leitores já não se conectam com o personagem principal, e eles têm dificuldade de seguir o enredo.

Evite estas falhas fatais, mantendo um ponto de vista firme.

É melhor estar atento ao POV enquanto você escreve, porque corrigir erros requer vasculhar cada cena! É possível de se fazer, só que não muito divertido. E a maioria dos agentes literários não vai querer fazer isso por você.

Aqui estão seis dicas para garantir que você mantenha um POV constante em sua história:

1. Só inclua elementos de cenário que o seu personagem-POV notaria

Quando o seu personagem-POV entra pela primeira vez em um aposento, ele não vai notar todos os detalhes — a cor das cortinas, o formato da mesa, o tipo de ladrilho no chão. Embora você deseje descrever o cenário com precisão, você tem que manter em mente o POV. Talvez tudo o que o seu personagem vai notar é o delicioso aroma de comida sendo preparada na cozinha.

Uma das implicâncias dos agentes literários é quando os escritores vão além do que é necessário ao estabelecer a cena. Seja natural ao apresentar detalhes pertinentes, ou até mesmo faça um outro personagem, que está no aposento por algum tempo, apontá-los.

2. Não deixe os personagens descreverem a si mesmos

Seu personagem provavelmente não vai perceber quais expressões faciais está fazendo enquanto outro personagem conta a fofoca do dia. E ele provavelmente não vai notar a comida em seus dentes, a menos que alguém comente sobre isso ou olhe estranho para eles. Esteja consciente de como você descreve os personagens: O que eles realmente teriam notado?

3. Não inclua nada que o seu personagem-POV não teria sabido na época

A menos que este seja uma cartomante.

Mas esta regra se aplica ao conhecimento dos fatos do seu personagem-POV, e não apenas ao dos eventos futuros. Será que ele realmente sabe a marca específica de roupa que um amigo estava vestindo? Se sim, o modo como ele sabia disso deveria estar evidente para o leitor também.

4. Certifique-se de que os julgamentos dos personagens são baseados em sinais perceptíveis ao leitor

Se um personagem acredita que outro é um mentiroso de duas caras, esse julgamento também deve estar evidente para o leitor. Todos os sinais que o personagem viu para chegar a essa decisão, o leitor deve ter visto também.

5. Não pule de cabeça para cabeça

Cada capítulo ou seção deve ser do ponto de vista de um único personagem. Quando o POV muda, certifique-se de que está óbvio na primeira frase.

6. Elimine todo "ele pensou" e "ela viu"

Estas indicações soam destoantes quando os leitores já sentem que estão nos pensamentos do personagem-POV. As pessoas não pensam usando frases como "Eu estou vendo isto" ou "Eu estou pensando nisso". Essas são frases que usamos para expressar a alguém de fora da nossa mente o que nós pensamos ou experimentamos. Ao utilizar estas frases, você bane os leitores da cabeça do seu personagem.

Uma grande bandeira vermelha de alerta aparece quando essas indicações referem-se a outros personagens, já que o seu personagem-POV não seria capaz de saber o que outro personagem estava olhando ou sobre o que estava pensando.

Os leitores querem se perder em uma história. Eles querem pensar e sentir junto com o personagem principal. Quando você conta uma história do ponto de vista de um personagem, você tem o privilégio de escrever a partir de dentro da cabeça do personagem. O mais importante é que você entre em seu personagem principal — para pensar como ele, para ver como ela — e para contar a história como se você a estivesse vivendo.

Se o ponto de vista ainda parece uma imensa habilidade para dominar, consiga ajuda de outros escritores reunindo um grupo de escrita ou mesmo contratando um editor. Quanto mais consciente do ponto de vista você esteja, mais fácil será prevenir-se de sair fora dele.

Como você pode assegurar um POV consistente em sua escrita?

***

Observações da tradutora:

– É interessante notar que diferentes gêneros literários exigem diferentes tipos de ponto de vista. Os livros infantojuvenis e para jovens adultos que estão sendo publicados atualmente (sem falar em toda essa interminável safra de romances eróticos) são quase todos escritos em primeira pessoa [Harry Potter é uma exceção], enquanto histórias de mistério e suspense pedem terceira pessoa limitada (porque se fosse onisciente o leitor já saberia quem é o assassino na primeira página). Teremos outros posts mais completos sobre o assunto no futuro.

– Os textos citados neste artigo (tipos de pontos de vista, dicas de agentes, como conseguir agentes literários, como criar personagens, como criar grupos de escrita) estão na fila para futuras traduções.

Transando no armário em Hogwarts

Boa escrita pra você! (:

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: