Dicas de Roteiro

18/07/2013

Neil Gaiman – Discurso feito para os formandos da University of the Arts 2012

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 10:54
Tags: ,

Em  2012, o escritor Neil Gaiman recebeu o título de Doutor Honorário em Belas Artes na Universidade das Artes da Filadélfia (EUA), onde fez este discurso de paraninfo que se tornou um sucesso tão grande na internet que já virou livro. Assista o discurso com legendas em português:

FAÇA BOA ARTE

makegoodart_gaiman

[Clique na foto para comprar o livro na Amazon]

Uma ótima escrita pra você hoje! =)

20/05/2013

13 Citações de Stephen King sobre Escrever

Filed under: Livro,Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , , ,

O artigo de hoje é de Zachary Petit e foi tirado do site da Writer’s Digest:

StephenKingWD-213x300

Toda semana, eu cavuco nos arquivos da Writer’s Digest para encontrar os momentos mais sábios, engraçados, ou simplesmente estranhos de nossos 92 anos de publicação.

Hoje: Uma série de citações de Stephen King, autor de, err, bem, praticamente tudo, de O Iluminado e Carrie, a Estranha a On Writing, e às séries Torre Negra e Dança da Morte.

Eu sei, eu sei: o Stephen King polariza os escritores – ou você é um fã e adora (ou pelo menos respeita) o seu trabalho, ou acha que ele é exageradamente superestimado (e talvez você ainda não tenha superado aquela minissérie de TV, A Dança da Morte, com Rob Lowe) .

Diga o que quiser sobre os livros de King etc., mas eu acho que ele é brilhante. Que contador de histórias poderoso. Quando você olha a proliferação de seu trabalho pelas estantes de livros, TV, cinema, graphic novels etc., o seu impacto na cultura pop e na narrativa moderna é imensa.

Mas chega de divagar. Hora de algumas citações de Stephen King sobre escrita.

(Além disso… o que você acha do King?)

stephen-king

"Então, de onde as ideias – as ideias vendáveis – vêm? Vêm dos meus pesadelos. Não os da variedade noturna, como uma regra, mas os que se escondem logo além da porta que separa o consciente do inconsciente."

"Nas festas, as pessoas costumam se aproximar do escritor de ficção de terror com uma mistura de admiração e temor. …A maioria de nós, veja você, aparenta e parece (e É) perfeitamente normal. Nós não afogamos convidados na banheira, torturamos as crianças, ou sacrificamos o gato à meia-noite dentro de um pentagrama. Não há quartos trancados ou gritos vindos do porão. Robert Bloch, autor de Psicose, parece um vendedor de carros usados moderadamente bem sucedido. Ray Bradbury tem uma semelhança desconfortável com o Charles M. Schulz, criador de Peanuts."

"Quando a sua história estiver pronta para ser reescrita, corte-a até o osso. Livre-se de cada grama de gordura em excesso. Isso vai doer; revisar uma história até o essencial é sempre um pouco como assassinar crianças, mas isso deve ser feito."

Citações de Stephen King, "O Mercado do Escritor de Terror e os Dez Ursos", da edição da Writer’s Digest de novembro de 1973

*

"Eu não consigo fazer nada além disso. E, a cada dia, admira-me que eu possa ganhar dinheiro por fazer algo que aprecio tanto."

"Fazer as pessoas acreditarem no inacreditável não é nenhum truque, é trabalho. …A crença e o interesse do leitor surgem dos detalhes: Um triciclo derrubado na sarjeta de um bairro abandonado pode significar tudo. Ou um outdoor quebrado. Ou ervas daninhas crescendo nas rachaduras dos degraus de uma biblioteca. É claro que nada disto significa muito sem personagens com que o leitor se importe (e, às vezes, personagens – ‘bandidos’ – contra quem o leitor está torcendo)."

O escritor deve ter uma boa imaginação, para começar, mas a imaginação tem que ser muscular, o que significa que deve ser exercida de forma disciplinada, dia sim e dia também, escrevendo, falhando, tendo êxito e revisando".

"A batalha entre o bem e o mal é infinitamente fascinante porque nós somos participantes todo dia."

"Os escritores devem ser justos e lembrar que até mesmo os bandidos (a maioria deles, pelo menos) veem a si mesmos como bons – eles são os heróis de suas próprias vidas. Dar-lhes uma chance justa como personagens pode criar alguns tons interessantes de cinza – e tons de cinza também são parte da vida."

"Eu não tenho nenhum insight espiritual em particular, mas acho que todo escritor que faz isso diariamente tem um "canal alternativo" para o subconsciente, que pode ser acessado facilmente. O meu é largo e profundo. Eu nunca escrevo com segundas intenções, mas sinto fortemente que este mundo é de fato um lugar tênue, simplesmente um véu sobre uma verdade mais brilhante e mais surpreendente. Para mim, cada formiga, nuvem e estrela parece proclamar que há mais na existência do que sabemos. Acho que isso soa como naturismo e panteísmo, e até certo ponto é, mas eu também acredito em um poder maior do que eu. Se eu morrer, e isso acabar por estar errado, há essa vantagem: Eu nunca vou saber."

"Quem te deu a ideia de que eu odeio a maioria das adaptações para o cinema? Há pelo menos oito realmente boas, e a única que me lembro de odiar foi a fria adaptação de [Stanley] Kubrick de O Iluminado; passar três horas assistindo a uma fazenda de formigas seria mais emocionalmente edificante."

Citações de Stephen King, "A Writer’s Digest Entrevista: Stephen King & Jerry B. Jenkins", por Jessica Strawser, da edição da Writer’s Digest de Maio/Junho de 2009

*

"Não há nenhum esboço, nada desse tipo. Isso congela, pega o que para mim deveria ser uma coisa líquida, plástica e maleável e transforma-a em outra coisa. Ei, para mim essa é a diferença entre ir até uma tela e pintar um quadro e sair e comprar um kit de pintura-por-números da Craftmaster."

"O pior conselho? ‘Não dê ouvidos aos críticos.’ Eu acho que você realmente deveria ouvir os críticos, porque às vezes eles estão dizendo que algo está quebrado, que você pode corrigir.

"Não há nada realmente muito mágico quanto a isso. …Eu acho que o melhor truque é a experiência. "

Citações de Stephen King, de "Desenterrando Histórias com Stephen King", de W.C. Stroby, da edição da Writer’s Digest de março de 1992

Stephen King 126

Uma ótima escrita pra você hoje! =)

06/05/2013

Vídeos Bacanas

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , ,

Oi, pessoal! Existem muitos vídeos legais no site do TED Ed sobre escrita e filmes, e eu gostaria de compartilhar vários com vocês hoje. O primeiro vídeo abaixo foi indicado por nosso colega Joakim Antonio (Obrigada, Joakim! Gargalhando):

O que produz um herói? – Matthew Winkler

 

Três habilidades antissociais para melhorar a sua escrita – Nadia Kalman

 

Insultos de Shakespeare – April Gudenrath

 

Dentro do mundo de uma cartunista – Liza Donnelly

 

Um anti-herói de si próprio – Tim Adams

 

Como a ficção pode mudar a realidade – Jessica Wise

 

A arte da metáfora – Jane Hirshfield

 

O poder de uma ótima apresentação – Carolyn Mohr

 

Quem inventou a escrita? – Matthew Winkler

 

Desacelerando o tempo (na escrita & nos filmes) – Aaron Sitze

 

O que é ironia verbal? – Christopher Warner

 

Ironia Situacional: O oposto do que você pensa – Christopher Warner

 

Por dentro de um segredo? Isso é ironia dramática – Christopher Warner

 

Captando narrativas autênticas – Michele Weldon

[Este acima é legal para jornalistas e escritores de não-ficção]

Os vídeos abaixo ainda não possuem legendas em português, mas eles têm a opção do idioma espanhol, além do inglês:

Cuidado com as substantivações (ou seja, substantivos zumbis) – Helen Sword

 

Uma tropa de heróis – April Gudenrath

 

Torne-se um poeta de competição de poesia oral, em cinco passos – Gayle Danley

Também existem muitas palestras interessantes sobre cinema e a arte de contar histórias no TED, mas, infelizmente, muito poucos desses vídeos têm legendas em português. :/

Para terminar, alguns vídeos nacionais para rir um pouco:

Filme com a namorada

 

Spoiler

Uma ótima escrita pra você! =D

01/05/2013

A Qualidade Nº1 dos Escritores de Sucesso

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , ,

Oi, pessoal! Estamos de volta com o artigo do autor, palestrante e consultor de roteiros Michael Hauge, e tirado do site dele, Story Mastery:

Writing Screenplays That Sell

Clique na capa para comprar o livro

Todo roteirista ou romancista bem sucedido que eu conheço possui uma qualidade marcante: a tenacidade. A diferença entre os escritores que trabalham e os diletantes não é o talento, ou a idade, ou o gênero sexual, ou a geografia, ou as conexões, ou a indústria, ou a economia, ou as manchas solares, ou qualquer outra coisa que os escritores dizem a si mesmos para evitar enfrentar esta terrível verdade: escritores escrevem. Eles escrevem todos os dias, eles começaram seu livro ou roteiro atual logo que terminaram o último, eles pensam em termos de carreira e não de uma única venda, e eles olham para cada história não vendida como um passo necessário para melhorar seu ofício.

As características que estão por trás dessa qualidade essencial, incluem (em nenhuma ordem particular):

  • Permanecer aberto a ideias e críticas, enquanto defende os componentes essenciais de sua história e personagens
  • Ler muitos roteiros de sucesso recentes (para roteiristas) ou romances (para romancistas), e ver um monte de filmes (para ambos)
  • Considerar o potencial comercial de um conceito de história, e não apenas o seu apelo pessoal
  • Manter cada uma de suas histórias simples – fáceis de expressar em uma única frase, e aderir a uma linha narrativa única e forte, definida pelo desejo irresistível do personagem principal – sem um monte de personagens irrelevantes ou elementos de enredo tangenciais
  • Empregar conflito para provocar emoção, e tornar quase impossível para os heróis de suas histórias serem bem-sucedidos
  • Manter o seu estilo de escrita vivaz, mas simples o suficiente para garantir uma leitura rápida, fácil e agradável
  • Certificar-se de que tudo é profissional: o formato; a ortografia; a gramática, a pontuação – e o seu próprio comportamento

selling-your-story-in-60-seconds_medium

Clique na capa para comprar o livro

Uma ótima escrita pra você hoje! =)

21/01/2013

3 Chaves Para Ter Sucesso Como Escritor

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 11:00
Tags: , ,

Este artigo é de autoria do escritor, professor e consultor de roteiros Dave Trottier, e tirado do site Keep Writing:

Escritor trabalhando

ESCRITOR TRABALHANDO.

DE VERDADE.

Se você quiser ter sucesso como escritor, decida agora mesmo que vai agir para alcançar esse objetivo. As seguintes 3 chaves vão abrir a porta para esse objetivo – o seu sucesso em potencial. Apenas lembre-se, você tem que transpor essa porta, uma vez que ela esteja aberta.

1. Simplesmente diga não

Por que você não pensou nisso antes? Pare de assistir televisão, ou pelo menos reduza o seu tempo de TV pela metade. Pense em outras tarefas de fracos benefícios e que consomem tempo que possam ser reduzidas para dar lugar a mais tempo de escrita. Ao invés de esperar que grandes blocos de tempo apareçam magicamente, escreva quando breves momentos de tempo tornarem-se acessíveis. Não é isso o que você faz quando lê um romance emocionante? Você pega 15 minutos aqui e 30 minutos lá. Eu tenho um cliente que escreveu um roteiro inteiro em quatro meses, e nunca passou mais de 45 minutos numa sessão de escrita. Torne isto divertido! Afinal de contas, escrever é verdadeiramente a sua própria recompensa.

Estabeleça metas de escrita realistas no início de cada semana, e então arranje tempo para alcançá-las. Se a sua musa não desce voando de Parnaso, avance de qualquer maneira. Nas palavras de Stephen Crane, "Você não pode esperar pela inspiração; você tem que ir atrás dela com um tacape." Lembre-se, o sucesso vem uma página de cada vez. Decida agora atingir o seu potencial dado por Deus.

2. Dispense aquelas vozes negativas

Você sabe quais. "Você nunca vai ser nada na vida", e "Esta é a maior perda de tempo desde que Dole concorreu para presidente." Ignore aqueles comentários dos pais e dos amigos invejosos e substitua-os por "Eu vou escrever uma página de diálogos agora" ou alguma outra coisa que seja afirmativa. É verdade que você pode nunca ser William Goldman, mas ele também nunca será você. Avance através dos seus medos e veja-os se dissipar como a névoa da manhã antes do sol.

Dê a qualquer plano de perfeição um bom chute nas nádegas. O seu objetivo é a excelência, não a perfeição. Nenhum roteiro é perfeito. E se você não atingir o seu objetivo de escrita esta semana, não se preocupe. Você vai alcançar os objetivos da próxima semana.

3. Coloque à venda quando você estiver pronto

Não envie cartas de consulta antes que o roteiro esteja pronto. Eu recomendo que você faça o que os profissionais de outras áreas fazem – criam um plano de marketing. Você vai encontrar conselhos úteis e planilhas no livro The Screenwriter’s Bible. Prepare-se para alguma rejeição, mas seja agradavelmente persistente em seus esforços.

Mais importante ainda, limpe sua mente e se concentre. Aqueles que alcançam o sucesso, o fazem principalmente porque são persistentes. Sim, há um pouco de sorte (eu chamo isso de timing) envolvida, mas você não pode acertar um home run se estiver lá na toca assistindo dramas tristes na TV. Você tem que avançar até a base… e continuar balançando… er… escrevendo!

Baseball Bat Rollerball Pen

Boa escrita pra você hoje! =)

03/05/2012

1, 2, 7, 14

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , ,

Oi, galera! Me perdoem pelo sumiço. Hoje, eu volto com esse texto bacana do nosso querido Scott Myers, e tirado do site dele, Go Into The Story (GITS):

number-1-candle 2 number7 14

Eu sou um cara mais de palavras do que de matemática, mas essa ideia numérica que eu propus em 2011 é uma das coisas mais populares que já postei no GITS. É uma fórmula simples para fazer três coisas – Leia roteiros. Assista Filmes. Escreva Páginas. – que você precisa fazer para ampliar e aprofundar a sua compreensão do ofício de escrever roteiros.

4 números para você lembrar:

1, 2, 7, 14.

1: Leia 1 roteiro por semana.

Escolha seus filmes favoritos. Ou faça um estudo de gênero de vários roteiros em sequência, de um único gênero. Tente roteiros de gêneros que você particularmente não gosta, para experimentar tom e atmosfera diferentes. Mas, toda semana, leia pelo menos um roteiro de filme de longa-metragem.

2: Assista 2 filmes por semana.

Vá ao cinema e assista a um filme por puro entretenimento. Passe um tempo com uma aglomeração de gente de verdade, para lembrá-lo de seu público-alvo. Então, procure algo na Netflix ou coloque um DVD, e assista um filme a fim de estudá-lo. Observe os seus principais pontos de virada. Melhor ainda, faça uma análise cena por cena. Talvez um filme novo, um filme clássico. Mas a cada semana, assista a pelo menos 2 filmes de longa-metragem.

7: Escreva 7 páginas por semana.

Isso é uma página por dia. Você pode demorar dez minutos, pode levar uma hora, mas independentemente do tempo que levar, crie uma página por dia, de modo que a cada semana, você produza 7 páginas de roteiro.

14: Trabalhe 14 horas por semana preparando uma história.

É assim que você vai aprender a fina arte de empilhar projetos. Enquanto você está escrevendo uma história, está preparando outra. Pesquise. Faça brainstorm. Desenvolvimento do personagem. Escreva o enredo. Acorde cedo. Faça uma pausa prolongada para o almoço. Pegue algumas horas após o jantar. Fique acordado até tarde. O que for preciso, arranje duas horas por dia para preparar a história. Crie um arquivo no Word. Ou use um caderno de espiral. Coloque tudo o que você criar nesse arquivo. Você ficará espantado com quanto conteúdo você vai gerar em um mês. A maioria dos roteiristas profissionais equilibra vários projetos ao mesmo tempo. Eis como você pode começar a aprender esse conjunto de habilidades: Escrevendo um projeto, preparando outro. Duas horas por dia, de modo que a cada semana, você dedique 14 horas para a preparação.

1, 2, 7, 14.

Essas são metas simples e claras. Metas diárias, metas semanais.

Se você fizer isso, eis o que você terá feito no prazo de um ano:

Você terá lido 52 roteiros.

Você terá visto 104 filmes.

Você terá escrito 2 roteiros de longa-metragem.

Espalhe isso ao longo de 5 anos: 260 roteiros, 520 filmes, 10 roteiros originais.

Isso significa que você poderia ter lido cada um dos melhores 101 Roteiros votados pelo WGA, além de 159 mais.

Isso significa que você poderia ter visto cada um dos 250 Melhores Filmes do IMDB, além de 270 mais.

Isso significa que você poderia ter escrito o número exato de roteiros originais que Lawrence Kasdan (Corpos Ardentes, O Guarda-Costas, O Reencontro, Grand Canyon) escreveu antes de ter vendido o seu primeiro.

Tudo definindo estas metas simples: 1, 2, 7, 14.

scripts2

Boa escrita e (leitura!) pra você hoje! =)

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: