Dicas de Roteiro

10/04/2015

5 Dicas de Escrita de Tana French

Filed under: Escrita Literária — valeriaolivetti @ 13:00
Tags: , ,

Oi, pessoal! Depois de quase dois anos de afastamento, estou de volta! Infelizmente, não poderei publicar posts diariamente como antes, mas apenas um ou dois por semana. Entretanto, espero que esses poucos artigos sejam de alguma valia e que sirvam de inspiração.

Essas dicas da romancista Tana French foram tiradas do site Publishers Weekly (originalmente publicadas em 20/julho/2012):

Tana French

Eu ainda estou muito na fase aprendiz da escrita. Eu li em algum lugar que você precisa escrever um milhão de palavras antes que saiba o que está fazendo – então eu estou me dirigindo para lá, mas estou longe de chegar. Mas, se valem algo, aqui estão algumas das coisas que aprendi ao longo do caminho.

1. Está tudo bem em estragar tudo. Para mim, esta foi a grande revelação quando eu estava escrevendo o meu primeiro livro, No Bosque da Memória (In the Woods): Eu poderia fazê-lo errado quantas vezes eu precisasse. Eu vim do teatro, onde você precisa acertar todas as noites, porque aquele público provavelmente nunca vai ver o espetáculo de novo; levei um tempo para perceber que, até que o livro vá para a impressão, é ainda um ensaio, onde você pode tentar tudo o que você precisa experimentar. Se você reescrever um parágrafo cinquenta vezes e quarenta e nove delas são terríveis, tudo bem; você só precisa acertar uma vez.

2. Seu personagem tem sempre razão. Nenhuma pessoa de verdade acha que está sendo estúpida, ou equivocada, ou intolerante, ou má, ou simplesmente errada – então os seus personagens não podem achar isso, tampouco. Se você estiver escrevendo uma cena de um personagem com o qual você discorda em todos os sentidos, você ainda precisa mostrar como esse personagem está completamente justificado em sua própria mente, ou a cena vai dar a impressão de ser sobre as opiniões do autor, em vez de sobre o personagem. Você não pode fazer o julgamento de que seu personagem está errado; deixe os leitores fazerem isso por si mesmos.

3. Não há tal coisa como ‘homens’ ou ‘mulheres’. Há apenas o personagem individual que você está escrevendo. Um cara me mandou um email me perguntando como escrever mulheres, e eu não pude responder, porque eu não tinha ideia de que tipo de mulher que ele quis dizer: eu? Eleanor da Aquitânia? Lady Gaga? Se você está pensando em “homens” ou “mulheres” como um grupo monolítico definido principalmente por seu sexo, então você não está pensando deles como indivíduos; por isso, seu personagem não vai sair como um indivíduo, mas como uma coleção de estereótipos. Claro, existem diferenças entre homens e mulheres, em média – mas você está escrevendo um indivíduo, e não uma média. Se o seu personagem individual é tagarela ao telefone, ou se recusa a pedir informações de ruas, isso precisa ser por causa de quem ele ou ela é, e não por causa do que ele ou ela é. Escreva a pessoa, e não a genitália.

4. Mate a sequência de sonho. O meu marido, que é o meu primeiro leitor e que tem um olho demoníaco para desleixo, diz que uma sequência de sonho é quase sempre, ou uma repetição de algo que já foi feito dentro da ação, ou uma forma preguiçosa de fazer alguma coisa que deveria ser feita dentro da ação. Eu acho que ele me deixou escapar com um sonho em quatro livros. A essa altura, eu simplesmente nos poupo tempo e mato-os antes que ele chegue a eles. Você pode muito bem precisar escrever a sequência de sonho para ajudá-lo em direção a uma compreensão de algo no livro, mas é muito improvável que alguém precise ler.

5. Não tenha medo de ‘disse’. Os escritores às vezes vão à procura de alternativas, porque eles temem que ‘ele disse’ e ‘ela disse’ vai parecer repetitivo se forem usados ​​o tempo todo, mas eu juro, eles não vão. ‘Disse’ é o fechamento de um diálogo padrão; os leitores nem sequer notam-no, o olho apenas desliza sobre ele. Qualquer outra coisa, por outro lado, realmente se destaca. Eu li um livro onde os personagens nunca diziam nada; em vez disso, eles passaram todo o seu tempo grunhindo, e balindo, e silvando, e arrulhando, e rosnando, e chilreando e… Era como um zoológico lá dentro. Depois de um tempo, eu não estava nem assimilando o resto do livro, porque isso era tudo o que eu conseguia ver: os arremates dos diálogos. A menos que o seu personagem esteja realmente fazendo algo específico que se precise apontar – gritar a fala, digamos, ou sussurrá-la – é quase sempre uma boa ideia permanecer com ‘disse’.

No bosque da Memoria - Tana French  Dentro do espelho - Tana French  Porto Inseguro - Tana French  O Passado e um Lugar - Tana French

Observações da tradutora:

– Quanto à dica nº 5, considero-a válida, mas no Brasil costuma-se ensinar exatamente o oposto em livros e cursos de escrita criativa. Vários autores consideram pobre um texto com apenas “ele disse, ela disse” arrematando os diálogos. Creio que o segredo é não exagerar nem de um lado, nem de outro. Ultimamente, eu tenho feito uma experiência de leitura: eu ouço o audiolivro em inglês enquanto acompanho lendo o livro físico ou o ebook da mesma obra traduzida para o português. E acabei me surpreendendo com algumas coisas. O que mais se destacou foi exatamente esse aspecto dos fechamentos de diálogo. Nos livros clássicos, da chamada “Literatura” com L maiúsculo, os autores têm um vocabulário muito rico e variam muito nos verbos, e a tradução costuma ser bem fiel aos originais. Mas quanto aos recentes livros infanto-juvenis, e/ou para jovens adultos, os autores americanos costumam se ater demais ao “Fulano disse, Sicrano disse”, só que os tradutores brasileiros não seguem o original, eles mudam/adaptam os verbos de fechamento de diálogo da obra inteira. Exemplos de verbos utilizados no lugar de “dizer”: ironizar, explicar, sugerir, perguntar, sondar, instigar, contemporizar, interceder, complementar, interromper, apressar, exigir, criticar, se impressionar, se ofender, discordar, concordar, acrescentar, supor, implicar, provocar, entre tantos outros. Comparando os dois, eu acabei preferindo a adaptação brasileira, para mim o texto ficou mais rico e “colorido”. O estilo americano ganha pontos pela simplicidade, pois como a própria autora do artigo explicou, os excessos podem complicar a absorção do texto, mas eu achei que o estilo brasileiro envolve mais o leitor nas emoções dos personagens e no clima da cena em geral. É mais saboroso, se bem usado. Note que não coloquei nos exemplos acima nenhum verbo de reação física, pois a autora já tinha sugerido isso no texto: gritar, sussurrar, gemer, cantarolar, gaguejar, engasgar etc. Enfim, as possibilidades são múltiplas, e cada autor deve refletir bem na melhor solução para cada uma de suas obras.

Uma ótima escrita pra você hoje!

Anúncios

30 Comentários

  1. Boa notícia que você está de volta com as dicas!! Como descobri blog bem neste intervalo que estava parado, acredito que nem vou “sofrer” com a falta de posts diários, rsrs
    Aproveitando para dar os parabéns pelo blog e que você continue com ele, pois é de muita ajuda para os seus leitores.
    🙂

    Comentário por Marcinho Zachariadhes — 10/04/2015 @ 13:34

    • Oi, Marcinho, seja bem-vindo!
      Fico super feliz de poder ter contato com todos que conheceram o blog na minha ausência e espero que gostem do que vem pela frente.
      Obrigada pela força e pela visita, é sempre muito bom fazer novos amigos.
      Um abração e volte sempre! 🙂
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 10/04/2015 @ 21:21

  2. Nossa Valéria, quanto tempo mesmo!!! Volte e meio penso em você, o que houve? Independente de qualquer coisa, que bom que voltou, fico contente por ter voltado, sabia que você não nos abandonaria… Januária 🙂

    Comentário por Januária — 10/04/2015 @ 13:35

    • Oi, Januária, como vai querida? Eu realmente tentei voltar antes, mas não só a vida atrapalhou (com suas muitas tarefas e problemas), como acho que também estive com uma depressãozinha que me paralisou. Sabe como é, quando a gente não consegue focar em nada a não ser nos pepinos imediatos que tem que resolver e acaba desviando do caminho e ficando estafado demais no fim do dia pra pensar em qualquer outra coisa. E assim o tempo foi passando…
      Mas agora vou voltar devagarinho, de acordo com as minhas possibilidades, no mínimo com um texto por semana. Assim a pressão não é grande e posso garantir um bom ritmo.
      Estou super feliz de voltar a conversar contigo, amiga, estava morrendo de saudades! Obrigada por me receber de volta com seu carinho e apoio.
      Um beijo grande, amiga, um excelente fim de semana e até breve!
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 10/04/2015 @ 21:34

      • Graças a Deus vou muito bem! Sei bem o que você passou… se eu te contar o que houve comigo, você também vai se solidarizar. Mas não vamos aqui levar a conversa para esse ponto, de expôr lamúrias. O importante é que desejo a você de coração, que você aprenda a cada dia a lidar com essa pressão e adquira uma força dentro de você, força essa que eu acredito que você tem… É assim mesmo, você tem que respeitar o seu limite Valéria… Um grande beijo! 🙂

        Comentário por Januária — 15/04/2015 @ 06:28

        • Obrigada, querida! Eu imagino quanta coisa difícil todo mundo tem passado nesse tempo todo, eu até fico envergonhada de reclamar, as coisas sempre poderiam ser piores [batendo três vezes na madeira] e eu sei que tem gente que rala sem descanso, mesmo com problemas muito mais sérios que os meus. De qualquer forma, creio que as coisas serão diferentes daqui pra frente. Dizem que todo recomeço é como uma espécie de renascimento: nós nunca recomeçamos do mesmo jeito que éramos antes, já que somos pessoas diferentes agora, com outras experiências na bagagem, novos pontos de vista, novos objetivos. E eu espero que este recomeço seja mais proveitoso e melhor para todos nós.
          Eu agradeço demais o apoio e encorajamento que você me dá e sempre me deu, Januária, e eu é que digo que sei que você é uma pessoa muito forte e generosa. E quando não temos força o suficiente, o que fazemos? Nos apoiamos em quem tem. E eu me apoio em vocês, que nunca nunca me deixaram na mão. Eu nem tenho palavras para agradecer e descrever o quanto vocês são importantes pra mim. Só o meu coração sabe explicar.
          Obrigada novamente por tudo, Januária, e amanhã, se tudo correr bem, teremos um novo post no ar. Até lá! 🙂
          Valéria

          Comentário por valeriaolivetti — 16/04/2015 @ 21:02

        • 🙂

          Comentário por Januária — 16/04/2015 @ 21:40

  3. Nossa, Valéria! Que maravilha ter você de volta! Fico muito feliz que o blog está de volta. 🙂

    P.S.: Só agora vi que minha foto do avatar também tem quase dois anos. 😛

    Comentário por Fernando — 10/04/2015 @ 15:11

    • Oi, Fernando, que bom falar contigo, eu tava cheia de saudades! Eu nunca me esqueci da turma toda neste tempo de afastamento, volta e meia minha mente me levava de volta a vocês. Eu estou realmente pulando de alegria de poder conversar com meus queridos amigos de novo. Obrigadão pela mensagem de apoio e pela visita, fiquei muito muito feliz.
      Um abração, Fernando, um excelente fim de semana e até breve! 🙂
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 10/04/2015 @ 21:43

  4. \o/

    Glauber Gorski

    >

    Comentário por Glauber Gorski — 10/04/2015 @ 18:29

    • Rsrsrs! 😀
      Oi, Glauber! Seja bem-vindo! ^_^
      Obrigada pela recepção entusiástica! Um grande abraço e volte sempre! 🙂
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 10/04/2015 @ 21:48

  5. Valéria, o seu blog é super hiper necessário. Que bom que você voltou.

    Comentário por Elizabeth Magalhães — 11/04/2015 @ 17:54

    • Oi, Elizabeth, como vai?
      Muito obrigada por me receber de volta com tanto carinho, fico feliz de vê-la por aqui de novo! 🙂
      Espero que o blog volte a ser uma pequena inspiração para novos livros, roteiros, peças de teatro e contos que estão sendo e serão escritos e que emocionarão a todos nós num futuro próximo.
      Um beijo grande e uma ótima semana pra você! 🙂
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 12/04/2015 @ 07:45

  6. Minhas preces foram atendidas. Que bom que você voltou. Estava sentindo muito a sua falta. Sei que a vida está corrida, não só para você, mas para todos nós. Mas agora com o seu retorno ela pode ficar um pouco mais feliz.
    Beijos

    Comentário por Antunes — 13/04/2015 @ 00:57

    • Oi, Antunes, como vai? 🙂
      Feliz fiquei eu com a sua visita e, como eu disse pro Fernando, não esqueci de nenhum de vocês neste tempo todo de afastamento e espero que vocês saibam que são meus amigos do peito e nada, nem o tempo nem a distância, pode tirar vocês do meu coração.
      Um grande beijo e estou aguardando ansiosamente nossas bacanas trocas de ideias sobre temas de escrita. Até breve! 🙂
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 13/04/2015 @ 11:29

  7. Bem vinda de volta, Valeria. Já estava pensando em ter de contratar serviços de inteligencia para localizar e resgatar você pois a nota de sequestro não chegava nunca e não sabia que grupo havia lhe escondido tão bem! Pensei que pudesse ser casorio ou bebê…
    A depressão é algo que eu também tento debelar diariamente e não é fácil… não é fácil…
    Enquanto isto, eu abri um grupo no facebook chamado de “roteirista de cinema scriptdoctor” e todo dia tem aula de roteiro de cinema, e correção de textos dos “alunos”. Tem aspirante a roteirista de todo o Brasil e overseas, e vamos aos trancos e barrancos difundindo gratuitamente o conhecimento. O grupo é aberto e todos são bem vindos. Sou a Fessora-Mor e ensino (e aprendo) muito por lá.
    Não desapareça mais. Você faz uma falta imensa!!!
    Seu blog é muito, muito importante!
    Bjs e Abçs

    Comentário por Regia — 13/04/2015 @ 10:27

    • Rsrsrs!! 😀 😀
      Oi, Regia! Como vai? 🙂
      Pois é, nem sequestro, nem casório, nem bebê (nem ganhei dezenas de milhões na loteria acumulada, o que poderia ter sido uma boa quarta opção, mas infelizmente ainda não foi dessa vez…) 😦 ! Mas pelo menos tamos de volta ao ar sem nenhum pedacinho faltando (graças a Deus!). 😉
      Eu tô super feliz de saber que você tá firme e forte com seu trabalho e ajudando tanta gente, o Brasil precisa disso. Eu tentei entrar na sua página mas não consegui (não tenho Facebook) mas os primeiros links que o Google mostra levam a uma página que diz “Desculpe, esta página não está disponível. O link que você seguiu pode estar quebrado ou a página pode ter sido removida.” A sua página está aberta ao público ou é só pra quem tem Facebook? De qualquer forma, deixa o link aqui pro pessoal te encontrar mais fácil. É sempre bom divulgar o máximo possível esses trabalhos bacanas.
      Um grande beijo e até breve! (E prometo que não vou desaparecer mais! 🙂 )
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 13/04/2015 @ 11:43

      • Eu continuo não entendendo as novas tecnologias.

        Eu tive e parei de alimentar uma pagina de wordpress e tentei eliminar a minha pagina do facebook e perfis variados para permanecer só com o grupo ROTEIRISTA DE CINEMA SCRIPTDOCTOR. Eliminar tudo para deixar so um para as pessoas não se confundirem…

        Outro dia o Facebook obrigou-me a trocar o nome do perfil que eu usava de regia roteiristadecinema , e o resultado é que agora fiquei com dois perfis com meu nome verdadeiro (Regia Leila de Mendonca), e assim tem gente que confunde e pedi amizade ao perfil que eu só uso com a familia.

        A instrução é: abra o facebook (infelizmente para entrar voce tem de criar um perfil para si mesma) e pesquise ROTEIRISTA DE CINEMA SCRIPTDOCTOR. Encontre o GRUPO (ignore pagina, perfis, e outros) e abra… caso goste peça adesâo ou adicione a si mesmo (o grupo, sendo aberto, permite que qualquer um possa adicionar).

        No inicio as pessoas pediam amizade a meu perfil e depois eu adicionava manualmente os novos amigos ao grupo. Hoje depois de mais de cinco mil membros virou uma confusão então o ideal é que solicite adesão. Eu aprovo todos os pedidos (e como é aberto, qualquer um pode aprovar)

        Quando entra-se no grupo, tem ARQUIVOS onde ficam arquivados dezenas de tutoriais que ministrei. O arquivamento não é automático, então a maior parte do que rola nas aulas perde-se mas eu no meio do caos tento salvar muita coisa.

        Iniciei e aos poucos vou transferir o material puramente didatico para novo grupo SCRIPTDOCTOR BR mas vai levar tempo até eu ter transferido para lá material faxinado.

        Quando verificar meu perfil, verá que tem vários grupos de roteiristas que me adicionaram como membro, então voce pode acessar tais grupos, a maioria é grupo fechado, mas quando é fechado, basta solicitar adessão e esperar que eles te aceitem antes de poder visualizar o conteudo.

        O ROTEIRISTA DE CINEMA SCRIPTDOCTOR é aberto para facilitar que as pessoas entrem e saiam ao bel prazer!!!

        Espero voce. Não que eu incentivo ninguem a entrar no facebook, que se eu pudesse, processaria eles por abuso de poder, mas não dou murro em ponta de faca quando o assunto é rede social e já que não podemos vencer o inimigo ao menos usufruimos as facilidades disponibilizadas!

        Inté

        Comentário por Regia — 17/04/2015 @ 14:37

        • Oi, Regia, obrigada pela explicação detalhada, isso vai ajudar muita gente a te encontrar.
          Bjs,
          Valéria

          Comentário por valeriaolivetti — 17/04/2015 @ 16:52

  8. Que felicidade, Valéria, em vê-la de volta à ativa por aqui. Fiquei triste ao perder aquela rotina de ler seus textos. Você talvez não lembre de mim, mas eu era um leitor assíduo. Saiba que aprendi muito com você. Você é uma grande pessoa. A saudade estava grande. Voltei muitas vezes pra ver se você tinha voltado a postar. Pensei nas inúmeras coisas que poderiam ter acontecido. Fico feliz que você está bem. Minha vida também tá um turbilhão. Muitas vezes bate uma deprezinha. Neste exato momento, em que soube que você voltou, que vi seu post novo, saí repentinamente da última. É isso aí, Valéria! Bola pra frente. Não nos deixe mais órfãos. Grande beijo!!!!!

    Comentário por Paulo Henrique — 14/04/2015 @ 08:39

    • Oi, Paulo Henrique, como vai?
      É claro que me lembro de você, eu sempre gostei muito da sua companhia aqui no blog, dos seus comentários. Fico super feliz de poder conversar de novo contigo! 🙂
      Creio que a vida seja confusa pra todo mundo em um momento ou outro, mas vou dar o meu melhor pra continuar do ladinho de vocês toda semana, aconteça o que acontecer. Porque a vida pode até ficar ruim, porém ficará bem pior sem a alegria da convivência com os bons amigos, não é verdade? Ainda mais a gente sendo cercada por todo esse apoio e carinho, aí nem se fala! 🙂
      Muito, muito obrigada, Paulo Henrique, por tudo, especialmente pela calorosa recepção de volta. Espero corresponder à altura!
      Um beijo grande e até a próxima! 🙂
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 16/04/2015 @ 20:43

  9. Imensa alegria ver um novo post.
    Tenho visitado todo o mês o site e nem tinha mais esperanças de ler material novo. Foi uma grande noticia essa volta. O site é muito bom e estou sempre por aqui lendo e relendo o material antigo. É o site em português mais legal sobre criação de roteiros.

    Comentário por PR — 16/04/2015 @ 11:57

    • Oi, PR! 🙂
      Alegria imensa é a minha! Uma fidelidade assim não se vê todo dia, que bom que agora você poderá ler textos novos, tem muita coisa interessante na fila pra ser postado, espero que goste! Ah, e devo avisar que como há uma grande tendência, tanto no Brasil quanto no Exterior, de se fazer adaptações cinematográficas de romances, contos, peças de teatro e até de músicas (vide o filme Faroeste Caboclo), resolvi dar mais dicas de como escrever romances (no sentido de livros de ficção, não necessariamente do gênero romântico), já que a técnica é bem diferente (em certos casos, diametralmente oposta) da de escrita de roteiros, que deve sempre ser sucinta e direta. Quem escreve um livro pode querer depois adaptá-lo para roteiro e vice-versa, por isso precisamos de ambas as ferramentas em nossas mãos.
      É isso, PR, amanhã teremos novo post. Um grande abraço! 🙂
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 16/04/2015 @ 21:15

  10. Primeiramente, Olá! Eu acho que nunca comentei aqui antes, apesar de ler o blog há muito tempo (acho que há uns três ou quatro anos). Você vai me achar muito exagerada, mas você ter voltado foi uma das melhores coisas que aconteceu no meu ano. Estou muito feliz, pois além desse ser o meu blog favorito em toda a net, eu aprendi muito graças a ele e a você. Na verdade, esse blog somente alimentou a paixão que eu já tinha antes, tanto pela escrita quanto pelo roteiro. Graças a você minhas estórias se tornaram um pouco melhores e eu nunca tive nem um pouco de vontade de desistir. Sei que esse tipo de estudo e trabalho leva tempo, mas não tenho pressa. E graças a você, enfatizo isso novamente, sinto que não estou sozinha. Esse blog é um ótimo aliado no caminho de quem deseja ser roteirista e obrigado por não ter desistido dele.
    Sinceramente,
    Amanda.

    Comentário por Amanda — 16/04/2015 @ 16:53

    • Oi, Amanda, como vai?
      Em primeiro lugar, devo explicar que deixei ambos os comentários (mesmo sendo meio repetidos), pois não tive coragem de apagar um deles, os dois são tão fofos e carinhosos que tinham que ficar! 😀 🙂 E eu lembro bem de você, viu? Que felicidade poder conversar novamente contigo, querida! 🙂
      Muitíssimo obrigada pelo carinho, pela torcida para que eu voltasse e que nada de ruim tivesse acontecido, isso é muito importante pra mim, obrigada de coração. E fico feliz que agora você poderá continuar seus estudos com novas dicas e técnicas. Espero que sejam inspiradoras e incentivadoras para escrever sempre mais e melhor e deslanchar a carreira de forma brilhante. Continue assim, sempre firme e forte, amando o ofício e acreditando no seu talento. O resultado de tanto empenho não tardará a aparecer.
      Amanhã teremos mais um post, espero que goste! 🙂
      Muito obrigada por tudo, Amanda, beijos e até breve!
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 16/04/2015 @ 21:35

  11. Primeiramente Olá! Acho que é a primeira vez que comento, apesar de já ler o blog há uns três ou quatro anos. Tenho que dizer que já reli todos os posts mais de três ou quatro vezes também, são simplesmente maravilhosos e muito necessário a quem está começando e não faz ideia para onde ir e também há quem já tem o caminho, mas se perde algumas vezes ou procurar por novos horizontes. Acho que nunca encontrei um blog como o seu, tão completo e interessante. Você vai me achar exagerada, mas você ter voltado foi uma das melhores coisas que aconteceu no meu ano. Não sabe quantas vezes vim aqui reler os posts e me perguntava se um dia você voltaria novamente e torcia para que nada de ruim tivesse te acontecido. Sei que a falta de tempo é o inimigo nessas horas, mas apoio você e para mim o mais importante é que não tenha desistido do blog. Pois graças a ele eu tenho tornado minhas estórias melhores, pois você dá dicas e técnicas que são como tesouros. Gostaria de enfatizar o quanto estou feliz por você ter voltado! E espero comentar mais vezes. Acho você uma pessoa incrível por dividir o que sabe de uma forma tão nobre e enriquecedora.
    Ai estou tão feliz ~~ saltitando~~
    Obrigada por ter voltado sensei.
    Beijinhos :**

    Comentário por mandikutayuu — 16/04/2015 @ 16:59

  12. Que bom que voltou! Você faz falta = )

    Comentário por William — 19/04/2015 @ 23:26

    • Oi, William! 🙂

      Obrigada pelo carinho! Eu também estava sentindo muita falta do blog e desse contato bacana, essa troca de ideias. Obrigadão pela força, e volte sempre! 🙂
      Um grande abraço,
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 26/04/2015 @ 08:37

  13. Que bom que voltou! estava fazendo falta.

    Comentário por Fernando Barbosa — 27/04/2015 @ 14:44

    • Oi, Fernando, como vai? Quanto tempo! 🙂
      Muito obrigada por voltar ao blog, e pelo carinho e pela força! Espero que goste dos novos posts e que sejam inspiradores e informativos.
      Um beijão, volte sempre, e obrigada novamente pela visita ! 🙂
      Valéria

      Comentário por valeriaolivetti — 02/05/2015 @ 09:02


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: