Dicas de Roteiro

01/02/2013

Perguntas e Respostas (1)

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 11:20
Tags: ,

Oi, pessoal! Eu sei, sumi de novo aqui do Dicas, mas juro que não foi culpa minha! :/ E meu coração sofre de tristeza por ainda ter vários e-mails não respondidos na minha caixa de entrada. Como muitas vezes as perguntas se repetem, eu decidi respondê-las aqui no blog, quem sabe isso não ajuda as futuras dúvidas de vocês? Algumas eu até já respondi mas também vou publicar as respostas aqui porque acho que são importantes para todo mundo. Eu omiti os nomes dos remetentes e algumas vezes reescrevi as perguntas para ficarem mais amplas e genéricas. Por causa da minha crítica falta de tempo, vou respondê-las aos poucos, em vários posts, beleza? Eis a primeira:

Pergunta: Onde fica o escritor quando o personagem toma vida?

Resposta: Começo com uma questão extremamente interessante e desafiadora. O autor da pergunta quer saber como estar no controle ao escrever, pois se devemos deixar os nossos personagens falar por si mesmos, então como não perder o rumo e as rédeas da escrita quando eles realmente tomam vida própria (principalmente no caso dos vilões). Bem, em primeiro lugar devo avisar que, como não sou psicóloga, minha resposta está baseada apenas no que já li sobre o assunto, pois acredito que isso tenha mais a ver com nosso medo de ser “possuído”, por assim dizer, por nosso lado negro, do que com a escrita em si. Isso pode acontecer em qualquer campo de atuação humana, mas creio que os artistas sentem isso com mais clareza por estarem em contato diário com seu subconsciente, devido à própria natureza de seu trabalho. A solução que eu uso para este problema é trabalhar com a minha sombra, o meu lado obscuro, e não para ela. Deste modo eu estou sempre no controle, com a grande vantagem de que a nossa sombra é também o nosso lado mais criativo e de onde podemos tirar nossas melhores ideias. É com ela que nos divertimos escrevendo, ao invés de ficarmos bloqueados pensando nas críticas ou nas recompensas por aquilo que ainda nem começamos a escrever. Ou no nosso medo do fracasso. Ou do sucesso. Não devemos negar ou esconder nosso lado sombrio, devemos reconhecê-lo e respeitá-lo para que ele se manifeste sob a nossa direção. Quando não fazemos isso, quando tentamos esconder nossos defeitos e temores numa caixa preta dentro de nós por medo de crítica e rejeição, aí sim a sombra pode sair à força e tomar conta da gente e dominar nossa vida. É o pior dos cenários.

Eu sei que tudo isso está parecendo muito hermético e misterioso, por isso eu sugiro veementemente uma leitura que poderá não só lhe ajudar com sua escrita, como tem muitas chances de mudar sua vida se você colocar suas ferramentas em prática (e eu falo por experiência própria!). O livro se chama O Método – Para Transformar Sua Vida e Encontrar Força, Coragem e Confiança [clique no nome ou na imagem da capa para comprá-lo], de Phil Stultz e Barry Michels (Editora Fontanar). Eu já li muitos livros de auto-ajuda, mas este realmente cumpre o que promete. Desde que comecei a lê-lo e fazer o que ele sugere, minha vida mudou em muitos sentidos (inclusive em relação à escrita), e olha que faz pouco tempo que o li! (Ele foi originalmente publicado nos EUA – e traduzido e publicado aqui no Brasil – em 2012). Os autores são psicanalistas (juntos, têm sessenta anos de experiência na área) com residência em Los Angeles, e estão mais do que acostumados a lidar com roteiristas, diretores, atores e produtores de Hollywood. Ou seja, perfeito pra ‘nóis’!! :mrgreen: Na contracapa do livro, por exemplo, tem a seguinte frase:

“Tudo o que já escrevi e que teve algum poder ou mérito resultou do uso do Método que Barry me ensinou. (…) As ferramentas simplesmente mudaram minha vida.”Stephen Gaghan, roteirista ganhador do Oscar, autor de Traffic e autor/diretor de Syriana.

O Métodojpeg

E eu garanto que ele não estava exagerando! A resposta completa à sua pergunta está no capítulo 4, “Autoridade Interior”. Nele, além da ferramenta para trabalhar com sua sombra, tem até o exemplo de uma roteirista bloqueada depois de um grande sucesso inicial, e o que ela fez para superar essa paralisia.

Espero que este livro ajude vocês do mesma forma que tem me ajudado. Só pra vocês verem como eu o achei importante, eu comprei outros exemplares e os distribuí para a família, e quem o leu gostou também. Torço para que isso também aconteça com vocês.

Um grande abraço e uma ótima escrita para todos hoje! =)

Anúncios

7 Comentários

  1. Parabéns, a referencia à sombra está correta. Para aprofundar neste conceito, pode-se procurar textos de psicólogos Junguianos e pós-Junguianos. Discutem bem este lado “sombrio” nosso e são de grande ajuda ao escrevermos.

    Comentário por jardelstar — 01/02/2013 @ 13:09

  2. Valeu pela dica – eu tenho uma compulsão em comprar e dar de presente para amigos “O Livro Disso”, de Georg Groddeck. (http://www.editoraperspectiva.com.br/index.php?apg=cat&npr=608)
    Sigo na sua leitura. Abraço!

    Comentário por glauber gorski — 01/02/2013 @ 13:50

  3. Estes dias eu passei na Saraiva e vi este livro, cheguei a folhear, mas estava atrasado e não quis enfrentar a fila. Agora depois da tua dica eu cliquei no link e já comprei. Esta terceira ou quarta vez que compro um livro que você indicou e até agora não me arrependi. Sobre o tema, eu acredito muito no subconsciente, pode ser bobagem, mas estou trabalhando numa adaptação de um livro, daí eu reuni tudo o que tenho aqui, livros, filmes, matérias que tenham relação com o tema. E eu tinha um filme aqui que nem tirei o plástico e não sei o que me empurrou para assistí-lo já que eu estava vendo coisas completamente diferentes. E este filme que aparentemente não tinha nada haver com o tema que eu estou trabalhando acabou sendo de grande valia para o meu roteiro. É isso aí pessoal, vamos seguindo pela sombra. (risos)

    Comentário por Antunes — 01/02/2013 @ 14:37

  4. Pelo o que li e vi aqui, irei comentar o que acha no mais puro sentido da resposta dita pela valeriaolivetti. E claro, baseado pelo o que “sei” e um pouco de Jung e seus arquétipos e dilemas da alma e subconsciente. Também como roteirista e cinemista. Porque já existem “cineastas” demais por ai.

    O fato de sermos autores, nos trás uma percepção e analise muito complexa. E é justo às vezes não ter o controle do que nos vem a cabeça. Claro que só deixar o impulso da criatividade e da “sombra” fazer o trabalho não é justo. Temos que ter um certo controle – não racional e lógico, senão estaremos fadados ao fracasso da compreensão do inconsciente e de nos mesmo (self).
    Jung dizia que tudo quase o que produzimos também é fruto de experiência pessoal e autobiográfico. Não tem muito que escapar. E gosto desse pensamento. Ora, por mais que seja ficcional, foi criado por uma mente e por alguém.
    Enfim quero terminar esse comentário dizendo: “pra mim é normal toda essa complexidade. E quando a personagem toma essa vida, sinto que estou diante de um paralelismo sem igual e o texto esta com vida e bem próximo do que é. Mesmo fugindo da idéia inicial”.
    Mas repito, tudo depende do que queremos também, dar para ter um controle do personagem…

    Espero ter contribuído com meio comentário, sou novo e iniciante da arte de construir (pedreiro) roteiro.

    Comentário por jonathan nascimento — 02/02/2013 @ 00:36

  5. esse site é otimo, tem ajudo a mim e a muitos escritores, por favor não pare de escrever e postar seus artigos =)

    Comentário por mateus — 18/02/2013 @ 19:37

  6. por falta de disciplina e excesso de preguiça to em atraso com algumas respostas de alguns que me enviam por email solicitação de feedback de seus trabalhos práticos… so de vez enquanto “logo” para responder duvidas especificas como formataçao, etc. Tambem leio textos, faco notas e qualquer hora a resposta è encaminhada. Ai se eu tivesse mais coragem, determinacao, responsabilidade, e menos depressao… deixo aqui um mea culpa e nao prometo que vou melhorar, porque seria promessa em vao… sobra pedidos de desculpas e a expectativa de retomar com mais afinco meu hobby de ensinar roteiro a roteiristas iniciante… bjs

    Comentário por regia — 21/02/2013 @ 09:03

  7. to super frustrada… esta manha descobri que a Globosat abriu oficinas de roteiros… mas so para quem participou de um seminario deles em janeiro… nao tem como entrar mais… a gente aqui na roça nao fica sabendo de nada… ninguem divulga….bjs

    Comentário por regia — 23/02/2013 @ 09:04


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: