Dicas de Roteiro

02/01/2013

Como Lidar Com o Lapso de Tempo no Seu Roteiro

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 07:00
Tags: , ,

O artigo de hoje é do blog Write, Write, Write do escritor e roteirista Daniel Martin Eckhart:

MementoPoster

Não comece tentando algo assim!

Para começar, como você lerá em qualquer outro lugar, uma vez que seja um escritor estabelecido, você pode fazer isso de qualquer maneira que bem entender. Até lá, atenha-se às formas testadas que são econômicas e profissionais.

No geral, um roteiro deve fluir de muitas maneiras – você deve criar uma tapeçaria vibrante e multi-facetada, vibrante nos personagens, nas voltas e reviravoltas, nas locações e cores. Você vai procurar variação em tudo o que escreve, você vai buscar a originalidade. Em cada cena, você vai fazer o que diabos puder para manter o leitor/espectador alerta. Você vai se certificar de que ele nunca saiba o que vai acontecer a seguir; ele vai querer, ele vai precisar, virar a página para descobrir.

Tudo isso acima significa que frequentemente você vai trocar de locações, vai intercalar cenas, vai saltar de uma interna tranquila para uma externa movimentada. Você vai verificar que muitos filmes nunca ficam na mesma locação por cenas consecutivas – em vez disso, pelo menos fazem um corte para alguma outra coisa, em prol de um pouco de variedade. Mas, às vezes, permanecer naquela única locação, pedindo ao público para ficar por ali, é na verdade muito poderoso. Isso pode ser uma declaração, para o filme, para o personagem. E às vezes é simplesmente a coisa mais econômica a se fazer. Conte a história, sem frescura, vá em frente.

Longa introdução fora do caminho – aqui estão algumas maneiras para você lidar com duas cenas consecutivas em uma mesma locação:

  • EXT. CAVERNA – DIA (MAIS TARDE) Este é o padrão e altamente econômico. Você usa um cabeçalho padrão e com o (MAIS TARDE) indica a passagem de tempo na mesma locação.
  • LAPSO DE TEMPO (CORTE DE TEMPO e MAIS TARDE) Não inteiramente profissional, mas eu já vi isso por aí. A primeira opção pode ser considerada mais profissional, mas eu gosto da clareza desta versão – se você simplesmente escrever estas palavras em vez de um cabeçalho, a passagem do elemento tempo realmente salta à vista do leitor. No parágrafo de ação você, então, indica algo como um relógio digital, de modo que isso faça sentido para o espectador.
  • DISSOLVER PARA: Você pode, é claro, construir uma passagem do elemento tempo dentro da cena. Por exemplo, seu personagem cai inconsciente e a última coisa que ele vê é o início de O Senhor dos Anéis na televisão. Dependendo do estilo que você prefira, use um corte ou dissolva para trazer o seu personagem de volta observando o final do filme.

É isso, eu diria. Quaisquer outras formas úteis, aceitas e econômicas, simplesmente inclua-as nos comentários e eu vou adicioná-las a esta lista um belo dia.

Atualização: Mais algumas opções surgiram no screenwriting subreddit (se você ainda não entrou lá, inscreva-se – há sempre um monte de coisa útil ali – e é uma comunidade que está disposta a se envolver, ajudar, apoiar e discutir sobre todas as coisas relacionadas a roteiros).

====================================================================================================

Boa escrita pra você hoje! =)

Anúncios

1 Comentário

  1. Estou trabalhando em uma história que se passa no mesmo ambiente. Não sabia deste detalhe. Achei muito interessante e importante.

    Adorei!! 😀

    Comentário por Marcia Fr. — 02/01/2013 @ 11:11


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: