Dicas de Roteiro

21/01/2012

Desenvolvimento do Personagem – O Diabo Está Nos Detalhes

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , ,

O artigo de hoje é de autoria de Patrick Kirkland e foi tirado do site The Script Lab:

daniel-craig-james-bond

"Vodca martíni. Agitado, não mexido".

Esse é um pedido de bebida daqueles. É isso aí. Eu peço bebidas o tempo todo. Mas nem uma vez alguém saiu por aí me citando com um sotaque sulista:

"Só água, por favor."

Então, por que, de todas as falas bregas que estão em todos os filmes de James Bond ("Agora o mundo inteiro vai saber que você morreu coçando as minhas bolas."), nós ficamos obcecados com esta: "Vodca martíni. Agitado, não mexido".

Porque nós, desta vez, tivemos um vislumbre de quem este gênio mulherengo, agente-zero-zero-super-secreto-ainda-que-bem-conhecido-carregado-de-gadgets é. É um pedido de bebida, e é um pequeno detalhe, e isso importa.

Imagine um homem que é uma máquina de matar. Ele tem as melhores armas e gadgets à sua disposição, tudo com uma finalidade: pegar o vilão. Esse cara é um franco-atirador. Um cara que consegue eliminar qualquer um, em qualquer lugar do mundo. Que tipo de bebida que você acha que esse cara pegaria? Bourbon? Cerveja? Algo forte e russo que queima ao descer? Não. Ao contrário, é um…

Martíni.

Agora, imagine-o numa festa, com os dedos em volta da pequena haste de um copo de martíni, franzindo os lábios para sorver da ampla e redonda taça. Imediatamente, a sua visão dele como um selvagem vira para a de um alto apostador europeu, culto e refinado. Para um copo que está constantemente associado a mulheres bebendo cosmos, você provavelmente pode assumir esse cara é bom com as mulheres. Um homem que está confortável, não com uniforme de guerra de guerrilha, mas num smoking. Um cara que provavelmente navega pelas multidões da classe alta, porque você simplesmente não pede um martíni em um bar de tequila de dois dólares. Além disso, é…

Vodca.

O martíni normal é suave, com o tempero sutil do gim. Um buquê de essências de ervas atinge o seu nariz. Mas este não é o seu martíni normal. Este é com vodca. Tipicamente sem sabor, e com uma ardência. O que significa que, nesta bebida, você está sentindo o gosto do vermute. Você pode virá-lo para dentro rapidamente. Talvez, em vez de desfrutar do seu drinque de doze dólares, você o tome pelo rápida intoxicação da vodca e pela queimação em sua garganta que mantém a sua letalidade aguda. E não podemos esquecer de que é…

Batido, não mexido.

Qual é a diferença, e por que isso importa para Bond? Com o martíni padrão, a bebida gela quando você mexe o gelo. Você não danifica o gim por mexê-lo. Mas, com vodca, você apenas a quer fria. Quanto mais fria a bebida, mais fácil ela desce. Este drinque parece de alta classe, mas beberica-se como um cavalo.

Mas por que isso importa?

Um drinque é realmente tão importante? Bem, me diga você. O drinque agora é famoso. Na verdade, descrever o que o drinque é parece bastante ridículo, a menos que você o avalie em comparação com quem o personagem de James Bond realmente é. Por anos, Bond foi um personagem raso, sempre as mesmas escolhas, sempre as mesmas falas. Mas o "Vodca martíni. Agitado, não mexido" é um detalhe que dá a ele algo extra, algo único, algo inesquecível. Então, claramente, o diabo realmente está nos…

Detalhes.

São os detalhes que tornam os personagens memoráveis.

Estes são os pequenos toques que permitem que o personagem na página venha à vida. O que o seu personagem faria? O que ele bebe? Vodca ou gim? Bourbon ou uísque? Cerveja inglesa ou Pilsner… ou suco de laranja? A diferença pode não estar no arco de sua história, mas no detalhamento de seu personagem, tanto na escrita quanto na vivência. Se ele é do tipo de pessoa que bebe um martíni, talvez seja o tipo de pessoa que veste um smoking. Para ir à festa. Para ficar com a garota. Até mesmo matar um homem. E fazer tudo isso como se fosse apenas mais um sábado à noite, mesmo que seja apenas terça-feira.

E para o público, este pode ser o tipo de personagem que você adora ou odeia. Um assassino que bebe martínis e vai para a cama com um monte de mulheres é muito diferente de um assassino que bebe tequila e não liga para mulheres. Essa não é apenas uma fala engraçadinha, ou um pedido de bebida charmoso; isso é personagem. Um personagem com um drinque – uma característica – de que nos lembramos. E Bond é legal pra caramba. Queremos lembrar do que ele faz, porque queremos ser ele. Queremos ir a um bar, virar para a garçonete e dizer, no nosso melhor sotaque de Sean Connery: "Vodca martíni. Agitado, não mexido".

JAMES BOND_Sean Connery James Bond_Roger Moore James Bond_Pierce Brosnan daniel-craig-quantum-solace

Boa escrita pra você hoje! =)

Anúncios

7 Comentários

  1. Mas é a pura verdade, não só um drinque, mas vários outros detalhes… Por exemplo dois personagens podem ser rejeitados pela familia, solitários, depressivos… Digamos que eles dois tenham exatamente a mesma história… Mas eles podem ser completamente diferentes, nesses pequenos detalhes, nas suas escolhas, por isso antes de eu escrever eu fiz uma ficha do meu personagem escrevendo como ele age nas situações cotdianas, tipo quando mente, é honesto, está com vergonha, com medo… Assim eu posso saber exatamente o que o personagem vai fazer em determinada situação, mesmo que ela seja uma situação estrondosa, um clímax, ele vai agir em cima da maneira que ele age, mas elevado para aquela situação… Isso facilita bastante até para deixar os pesonagens bem diferentes uns dos outros… Tem também as perguntas aparentemente banais, como o que ele prefere comer, de que maneira, o que prefere beber… Essas coisas… Que segundo o texto não são tão (quanto ão) banais assim…

    Comentário por Lucas Luciano — 21/01/2012 @ 17:57

    • É realmente uma boa ideia fazer perfis dos personagens com essas características pessoais, ainda mais se, como você disse, dois deles são muito parecidos, aí esses detalhes farão toda a diferença (em todos os sentidos!). 😀

      Comentário por valeriaolivetti — 22/01/2012 @ 07:32

    • Com certeza Lucas…..esses pequenos detalhes fazem a diferença.

      Comentário por Carlos — 22/01/2012 @ 22:43

  2. Nossa muito bom esse texto, nossa me deu novas perspectivas que as vezes nem percemos, parabéns ao site pela seleção dele.

    Comentário por Carlos — 22/01/2012 @ 22:41

    • Obrigada, Carlos! Fico feliz que tenha gostado do post e que ele tenha ajudado! Um grande abraço! =)

      Comentário por valeriaolivetti — 24/01/2012 @ 10:30

  3. Excelente texto! (aliás, como de costume, né!).
    Realmente, os detalhes fazem toda a diferença, e fazer fichas de personagem nos ajuda a conhecer mais nossos personagens e nossa história, e com isso nos ajuda a fazer os espectadores conhecê-los também.
    E o exemplo também não poderia ser melhor, os filmes do James Bond são fontes de várias análises interessantíssimas.

    Beijão, Valéria!!!

    Comentário por Paulo Henrique — 24/01/2012 @ 15:02

    • Que bom que gostou deste texto! Eu também gostei dele, principalmente porque não tinha ideia de que poderia haver tanta sutileza envolvendo um mero drinque. Detalhes assim realmente fazem a diferença. Seja nos livros ou nos filmes, os personagens saltam à vida quando são enriquecidos com estas características. O duro é inventá-las de forma convincente e natural, não é? 😐

      Um abração, Paulo Henrique!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 25/01/2012 @ 20:38


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: