Dicas de Roteiro

01/01/2012

Mantendo as Suas Resoluções de Escrita

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , ,

Olá, pessoal! FELIZ ANO NOVO!! Abraço pela esquerdaAbraço pela direita Desejo a todos um ano de muita Paz, muito Coração vermelho e muito Dinheiro!! Sem esquecer de muita writing (2)[3]!

Estou de volta, como prometido! Eu aproveitei o descanso de dezembro para organizar calmamente minhas pastas de artigos e tomar algumas resoluções de ano novo em relação ao nosso Dicas de Roteiro. Decidi que as traduções dos artigos dos sites Wordplayer, Script Secrets, The British Comedy Guide, e da revista Written By serão semanais, já que eles carregam muita informação importante e pertinente. Nos outros três dias da semana publicaremos artigos variados, tentando abranger a maior gama de assuntos possível. Mensalmente, na primeira semana de cada mês, publicaremos uma série de artigos relacionados e/ou do mesmo autor. Ao fim da série, o esquema volta ao normal.

Os artigos individuais "conversarão" mais entre si, o que significa que, ao pular um artigo, pode-se ficar boiando em alguma coisa do(s) próximo(s) (tá legal, isto ocorrerá algumas vezes, nem sempre, mas não custa nada fazer um "terrorzinho" como incentivo pra vocês lerem todo dia, né? :mrgreen: 😉 ). E espero poder postar aqui com muito mais frequência do que jamais antes na história desse país. (Me desculpem por essa, eu não resisti!). Como as traduções dependem do meu limitado tempo disponível, se surgirem várias postagens curtas em sequência isso significa que um artigo maior está em andamento e sairá em breve. Tudo com o máximo carinho e cuidado na tradução, utilizando todos os meus parcos recursos e conhecimentos, lembrando sempre que sou uma tradutora (completamente) amadora.

Espero que gostem das novidades deste ano e que aproveitem tudo isso para escrever cada vez mais e melhor! (E diariamente, não esqueçam!). Um excelente Ano Novo para todos, e muita empolgação, energia e disciplina a fim de transformarem em realidade todas as suas resoluções em 2012.

Fiquem agora com o artigo de hoje, que é da ex-atriz/diretora, autora, roteirista, dramaturga, ghostwriter do The Penn Group de Manhattan, instrutora e consultora de roteiros Christina Hamlett, e tirado do site da Writers Store. Nota: Este artigo foi originalmente publicado na passagem entre 2008/2009, mas eu adaptei o texto para 2011/2012:

christina-hamlett_creator

Agora é o momento aceitável para estabelecer as suas boas resoluções anuais habituais. Na próxima semana você pode começar a pavimentar o inferno com elas, como de costume. – Mark Twain

Ah, janeiro! Um novo ano, um quadro em branco, um prado virtual de incólume branco de inverno que se estende por quilômetros à nossa frente. Onde, oh, onde vamos colocar a nossa primeira pegada ou fazer aquele primeiro anjo de neve bobo?

Se você for como a maioria das pessoas, este é o mês para lançar-se com gosto em um programa agressivo de auto-melhoramento envolvendo as palavras "dieta" e "exercício". Lembra-se de todos aqueles convites de festas glamorosas no mês passado para os quais você não pôde dizer ‘não’? Lembra-se da chegada constante de cestas de presente carregadas de chocolates de marca, nozes crocantes, queijos importados e vinhos famosos que acenavam através do celofane festivo? Lembra-se de todos os jantares do feriado onde você não precisou de persuasão para manter a filiação no Clube do Prato Limpo?

Falando de alimento para o pensamento, lembra-se de quando você prometeu a si mesmo nesta época do ano passado (ou foi no ano retrasado?) que realmente levaria a sério a sua escrita? Se a balança (ou as vendas) ainda não está tombando a seu favor, não há melhor momento do que o presente para podar as distrações que o estão distanciando do teclado, e estabelecer uma rotina rigorosa para compelir seus projetos a entrarem em forma.

Resolução nº 1: Encontre a 25ª Hora

Se você se reunisse com um contador para corrigir o seu orçamento, ele lhe diria para manter um registro corrente de suas despesas por um mês, para identificar aonde o seu dinheiro tem vazado. Se você consultasse um treinador ou uma nutricionista sobre como afinar a sua silhueta, você seria solicitado a dar conta de cada beliscada e mordiscada que passasse por seus lábios. Mas quem é o guardião de seu programa de escrita? Alguma vez você já se pegou dizendo: "Se eu apenas tivesse uma hora extra por dia."

Era uma vez quando os autores eram forçados a compor tudo em máquinas de escrever; eles eram incumbidos de forçar sua inteligência a algum tipo de ordem e de gerar um ritmo de staccato nas teclas. Caso contrário, o silêncio os denunciaria a qualquer um ao alcance do ouvido que eles não estavam realmente fazendo nada. O advento dos computadores, todavia, permite-nos desperdiçar inúmeras horas em nada, e ainda assim fixa tanto o nosso foco na tela que observadores casuais assumem que devemos estar fazendo alguma coisa que proíba a interrupção.

Pela próxima semana, mantenha uma contabilidade de registro de tempo de quantas vezes você abre/lê/escreve e-mails, joga, vasculha salas de bate-papo, surfa atrás de fofocas de celebridades, e/ou faz compras online. Este registro não só irá revelar padrões de quando você está mais vulnerável a distrações, mas também lhe desafia a juntar 60 minutos "livres" através da diminuição do percentual de tempo que você tem gasto a cada dia em buscas não relacionadas ao projeto. Você ainda tem, é claro, as mesmas 24 horas que o resto do mundo, mas este tipo de descoberta é tão legal quanto encontrar moedas perdidas entre as almofadas do sofá.

Resolução nº 2: Arranje um Parceiro de Exercícios

Motivar-se a ir para uma academia de ginástica é mais fácil se alguém for lhe encontrar lá e estiver esperando que você apareça. O mesmo acontece com começar uma nova história ou manter o seu ímpeto em uma já existente. Como a escrita é um ofício solitário, de modo geral é fácil demais permitir o seu progresso diminuir num roteiro que – ao contrário das tarefas escolares – você não está sob nenhuma pressão para terminar até uma data determinada.

A solução para derrotar o seu hábito de procrastinação é dizer a um punhado de amigos que você está escrevendo algo e instruí-los a lhe pedir a cada 1 a 3 dias para lhes mostrar o que você já fez. Eu descobri esta estratégia na época em que estava escrevendo livros de suspense romântico para a HarperCollins. Eu estava trabalhando em tempo integral em um escritório jurídico e escolhi como meus leitores de teste um par de colegas de trabalho que eu via todos os dias. Como o meu estilo sempre foi o de terminar cada capítulo com um gancho, eu não me atrevia a aparecer de mãos vazias numa manhã de segunda-feira após tê-los mantido em tensa antecipação desde a sexta-feira.

Se o seu projeto é direcionado a jovens adultos, recrute um adolescente ou dois para lhe encorajar. Eles não só são brutalmente honestos ao criticar o seu trabalho, mas –quando colocados no papel de professor – também são muito mais persistentes do que os adultos. O meu livro Screenwriting for Teens [Roteirismo para Adolescentes], por exemplo, não teria sido concluído em menos de um verão sem o impulso implacável de um jovem chamado Nick; Movie Girl [Garota de Filme] foi escrito na metade desse tempo com muita impaciência por parte de uma pré-adolescente chamada Emily.

Resolução nº 3: Reinvente o Rinoceronte

Minha amiga Kari coleciona rinocerontes, um passatempo para o qual eu tenho contribuído todo aniversário e Natal por anos. Isto obviamente faz com que seja um pouco mais difícil comprar para ela do que para os amigos que colecionam criaturas mais pedestres como vacas, corujas, gatos ou porquinhos cor-de-rosa. O meu marido pode atestar o deleite com que eu ataco praticamente qualquer item relacionado a rinocerontes que consigo encontrar, não importa o tamanho, o preço ou a inconveniência de transportá-lo para casa. O rinoceronte, afinal de contas, é uma espécie muito sub-representada quando se trata de madeira, cerâmica e brinquedos de pelúcia.

Eu sempre me perguntei se ela vai começar a colecionar algo diferente no momento em que o abastecimento de rinocerontes d’arte estiver esgotado, ou se eu terei que começar a duplicar o que já dei a ela. Esta é a dúvida cruel dos escritores que têm se concentrado em apenas uma saída para seu talento. Eles perguntam: "Eu já não fiz isto antes? Será que não existem novas ideias sobrando para agarrar? Foi esta, talvez, a última restante?" Se eles propositadamente têm restringido o seu foco para apenas uma espécie, eles têm apenas a si mesmos para culpar se/quando ela eventualmente se juntar à lista de ameaçadas de extinção. A solução é, ou começar a ver os rinocerontes de uma perspectiva diferente, ou considerar colocá-los contra o pano de fundo de uma savana mais extensa.

Pegue aquele roteiro de comédia romântica que você tem sido incapaz de vender e experimente outro veículo, adaptando-o para um conto, um romance ou algo para o teatro. Você ficou preso na rotina de escrever apenas um gênero? Faça deste o ano para tentar algo totalmente diferente. Procurando por inspiração para empurrar os seus limites mentais? Grave uma novela por cinco dias consecutivos, e em seguida desenvolva uma sinopse que transforme todos os seus personagens e histórias em um faroeste à moda antiga ou em um suspense de ficção científica.

Resolução nº 4: Exercite Poesia em Movimento

Uma dificuldade comum que os aspirantes a roteirista enfrentam é a de destilar o seu enredo numa sinopse de uma página (ou melhor, de um parágrafo). Grandes como eles possam ser na elaboração de diálogos e cenas, quando se trata de explicar sobre o que o seu filme é, há uma tendência a divagar ad nauseum. Devanear assim é o beijo da morte quando há apenas uma pequena janela de oportunidade para apresentar um conceito em papel ou em pessoa.

Aqui está uma reviravolta que reforça a importância de fazer valer cada palavra; este ano, especificamente, resolva esboçar inicialmente toda sinopse como um poema de 12 linhas ou menos. Pode ser bobo, sentimental, sério ou ao estilo Thurber [N.T.: James Grover (1894-1961), escritor, caricaturista, humorista e ilustrador norte-americano. Fazia desenhos e histórias para a revista The New Yorker.] A ideia é se esforçar para que o ritmo e a rima incorporem a brevidade.

Exemplo:

Sua vida em Kansas era sonífera,
Sua nêmesis: uma cadela.
E então uma tempestade sacudiu do teto ao chão,
E matou uma bruxa malvada.
Uma estrada de tijolos amarelos, e curvas
E perigos ao máximo
Vai ensinar à menina e seus novos amigos
O preço daquilo que a cada um falta.
Um coração, um cérebro, e coragem, também –
O quão longe eles tiveram de vagar
Para aprender a lição, pura e verdadeira:
Simplesmente não há lugar como o lar.

[N.T.: No original todos os versos rimam, mas devo confessar que meu talento para traduzir poemas é limitado.]

Exercite a sua licença poética recém-descoberta com filmes que você já conhece. Isso lhe ajudará a desenvolver uma abordagem de ir-direto-ao-ponto ao resumir pontos de virada importantes. Aqui vão alguns com os quais brincar: Em Algum Lugar do Passado, Duro de Matar, Matrix, Dança com Lobos, Casablanca.

Resolução nº 5: Entre na Cabeça Deles

Na época em que eu dirigia uma companhia de teatro que estava em turnê, eu sempre fazia com que cada ator/atriz preenchesse um questionário a partir do ponto de vista do personagem que ele/ela estava representando. Esta forma de estudar um papel era para ilustrar que atuar não era apenas memorizar falas e dizê-las no momento certo, mas realmente entender as emoções e as motivações do personagem. Em conjunto com exercícios de improvisação para aquecer no início de cada ensaio (ou seja, "Finja que a sua personagem está argumentando para fugir de uma multa por excesso de velocidade"), a capacidade de canalizar a persona ficcional de dentro para fora diminuía a probabilidade de um ator alguma vez travar-se no palco e sair fora do personagem.

Este exercício também funciona bem para os roteiristas que gastam mais tempo tentando colocar o diálogo certo na boca de seus personagens do que em compreender as camadas de experiência que os trouxe para o enredo. Isso deriva do segredo que todo jornalista bem sucedido conhece sobre preparar-se para entrevistas: Vá além dos 90 por cento de informações com as quais todo mundo já está familiarizado e incentive os seus entrevistados a divulgar os 10 por cento "desconhecidos". Para os seus heróis e vilões, são esses 10 por cento que em última análise influenciaram as escolhas que você está fazendo com que eles façam em seu roteiro.

Como os seus personagens principais reagiriam a cenários hipotéticos? A melhor maneira de descobrir é desenvolver perfis dos personagens "entrevistando" eles. Livros indispensáveis para fazer este processo fluir são o 4,000 Questions for Getting to Know Anyone and Everyone [4.000 Perguntas Para Conhecer Toda e Qualquer Pessoa] de Barbara Ann Kipfer, Who Are You? 101 Ways of Seeing Yourself [Quem é Você? 101 Maneiras de Ver a Si Mesmo], de Malcolm Godwin, e If: Questions for the Game of Life [Se: Perguntas Para o Jogo da Vida], de James Saywell e Evelyn McFarlane.

Resolução nº 6: Mantenha o Código

Psicólogos determinaram que, a fim de quebrar um hábito irritante ou incorporar um novo, você precisa fazê-lo por 21 dias seguidos (incluindo fins de semana e feriados). Se você perder um dia, o ciclo de 21 dias tem que começar de novo. Assim como sabotar uma dieta surrupiando um biscoito, a promessa de que você vai compensar os danos comendo menos no dia seguinte raramente funciona. Como seres humanos, estamos mais sintonizados em nos gratificar do que em impor punições vagamente baseadas no sistema de honra.

Eu uso isto em oficinas, quando os alunos me dizem que não começaram a escrever seus roteiros ou romances ainda porque estão esperando até (1) seus filhos saírem de casa, (2) se aposentarem de seus empregos, (3) pagarem as suas hipotecas, (4) pegarem a roupa da lavanderia etc. Uma ladainha de desculpas semelhante é lançada quando se trata de por que outros não terminaram os projetos com os quais estavam tão entusiasmados antes.

Esta última resolução para 2012 é em duas partes. Primeiro de tudo, você precisa tornar a escrita uma atividade regular em sua rotina diária. Idealmente, deve ser à mesma hora e lugar todos os dias, e deve ser tratada como um curso ou compromisso para o qual você não pode nem se atrasar nem faltar. Se você puder fazer isso por 21 dias seguidos, ela será uma parte totalmente enraizada de sua psique no Dia 22.

Em segundo lugar, você precisa comprometer-se a escrever um mínimo de uma nova página por dia (edições e reescritas não contam para esta cota). Considerando que o tamanho médio de um roteiro é de 110 páginas (o tamanho médio de um romance é de 320), começar – e terminar – a sua história em menos de um ano já não parece tão assustador. Uma palavra de alerta, no entanto. Nos dias em que você produzir rapidamente 7 páginas, em vez de uma, isto não significa que você pode, então, vadiar na semana seguinte. Venha amanhã, vamos esperá-lo de volta ao teclado, como sempre.

E agora, se vocês me dão licença, eu preciso acabar com as minhas últimas trufas Godiva de 2011 para que elas não atrapalhem as minhas resoluções de dieta para 2012.

Escreverei Por Chocolate (de Debbie Ridpath Ohi)

new-years-resolution-blog-2011

1. *Resmungo – *Suspiro – *Argh

2. – O que está acontecendo, Eliza? 

– Eu sou totalmente péssima com revisões. Revisar esta ÚNICA PÁGINA está levando uma eternidade!

3. Uau, parece um trabalho duro. No que você está trabalhando? Um artigo? Conto?

4. Minhas resoluções de Ano Novo.

Boas resoluções de Ano Novo pra você! =D

Anúncios

14 Comentários

  1. É fácil, bem fácil mesmo, uma das resoluções para o ano que se inicia.
    Ler Valéria Olivetti, todos os dias (de acordo com a decisão dela, será precisa na hora também)

    Em contrapartida, vou fazer o teste dos vinte e um dias… a gente pensa que está sendo desmotivado pelo texto ou pela própria preguiça e o que falta é incentivo mesmo. Vou tentar achar (outra resolução) um (a) puxador (a) de orelhas para fazer o meu trabalho todo dia.

    E, finalizando, a máxima de todo ano é enviar ou responder e retornar os desejos de Feliz Ano Novo. Quer saber, vou antecipar para todos os anos vindouros esse desejo para a nossa desafiadora Valéria. E concluir que ele é verdadeiro e sempre somando a cada dia. Quando terminar o volume será o suficiente para cobrir a eternidade para onde iremos, com vontade ou não de retornar. Eu volto, se a tiver puxando a minha orelha (não doe, é feita com carinho).

    Abraços, querida amiga. Força no braço e seja uma professora paciente. Os alunos agradecem.

    PS. O primeiro artigo já começou sensacional. Escritores, atenção, esse ano vai ser de arrasar.

    Comentário por Cilas Medi — 01/01/2012 @ 12:25

    • Oi, Cilas! 😀

      Linda a sua mensagem! Obrigada pelo volume imenso de votos de felicidade, tenho certeza de que não mereço nem uma página dele, que dirá o volume inteiro! Mas agradeço imensamente o carinho, isso eu aceito e guardo comigo! =)

      Pode deixar que tenho paciência e alegria de sobra de estar aqui com vocês, ainda tenho gás pra mais de década! Com essas companhias maravilhosas, isso está longe de ser um sacrifício, é um prazer imenso!! 😀

      E pode deixar que serei pontual feito um relógio suíço, todos os dias haverá um post novinho pra inspirar todo mundo a escrever todo dia!

      Uma excelente semana pra você, Cilas! E um 2012 cheinho de todas aquelas coisas boas que estão no volume que você me presenteou!
      Um abração!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 02/01/2012 @ 13:57

  2. Feliz Ano Novo!!

    Eu realmente preciso trabalhar essa minha procrastinação. Ela consegue acabar com qualquer coisa que me proponho a fazer. Eu não sou de fazer metas para o novo ano, mas nesse eu vou me arriscar e dizer: Procrastinar apenas na hora certa! Se conseguir cumprir com essa promessa estaria acabando com a procrastinação, não? Afinal para procrastinar você tem que adiar algo, e se você faz isso na hora certa, supõe que você não está adiando nada então estaria apenas curtindo meu tempo livre, certo?

    Enfim, o “scriptapalooza tv” tem inscrições abertas para até abril desse ano. Acho que é um bom prazo para finalmente escrever meu episódio piloto e concorrer.

    Vamos ver no que isso vai dar e esperar pelo melhor em 2012!

    Feliz ano novo a todos!

    Comentário por Fernando — 01/01/2012 @ 12:58

    • Feliz Ano Novo, Fernando! 😀

      Adorei a sua teoria da procrastinação! Me lembrou de alguns quadrinhos da mesma cartunista que eu coloquei neste post, dá uma olhada pra ver se você não se identifica também (ela sabe bem como a gente se sente!):




      http://inkygirl.com/storage/comics/comics-will-write-for-chocolate/2010wwfc/wwfc-Twittercount.jpg?__SQUARESPACE_CACHEVERSION=1276698916214

      Foi bom lembrar do Scriptapalooza TV, é uma boa dica pro pessoal! (Mas eu estou torcendo por você!!)

      Tomara que você goste das novidades que estão pra surgir aqui no blog, e que elas lhe ajudem a superar todo e qualquer bloqueio de escritor que surja.

      Obrigada pela visita, Fernando, e pelos votos de felicidade! E obrigadão pela companhia! =D
      Um abração!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 02/01/2012 @ 14:20

  3. Fica aqui então a promessa de todos os dias escrever! Estimulante o texto!

    Comentário por Valquíria Montemór — 01/01/2012 @ 17:26

    • Que bom que você gostou, Valquíria! 😀

      E torço para que você tenha motivação pra escrever o ano inteirinho, para que no final tenha como recompensa um excelente roteiro/livro prontinho! Você pode contar comigo pra estar aqui diariamente com novidades quentinhas pra incentivar e ajudar sempre nesse objetivo.

      Um abraço grande, e Feliz 2012 pra você!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 02/01/2012 @ 14:24

  4. Eu queria fazer um comentário aqui, mas eu estava procrastinando. (risos)
    A maioria das vezes a gente só faz o que quer e se não escrevemos hoje e deixamos para outro dia, dia que às vezes nunca chega, é porque assim queremos. E outra coisa enquanto a história que queremos escrever é só memória, é apenas uma idealização, ela é perfeita. A hora que começamos a escrever é que vemos que faltam muitas peças para ela fazer sentido que tem um monte de buracos na trama e aí a porca torce o rabo. E que o negócio é bem mais difícil que imaginávamos, mas se fosse fácil que graça teria? Ao escrever um roteiro encontramos tantos obstáculos quanto os nossos personagens devem encontrar e só superando um a um vamos chegar ao pote de ouro no final do arco-íris. Não tem fórmula mágica, só com trabalho duro é que vamos alcançar os nossos objetivos. Não dá para ficar esperando inspiração ou uma musa inspiradora. Se nós queremos realmente fazer algo, temos que arregaçar as mangas e trabalhar duro, porque é só assim que conseguimos construir alguma coisa. Sei que isso é o maior clichê, mas também é a mais pura verdade.

    Comentário por Antunes — 01/01/2012 @ 20:09

    • Oi, Antunes! 😀

      Ai, ai, essa procrastinação… E eu nem posso falar nada, sou uma das que sofrem com isso!

      Mas você está certíssimo, nós temos é que botar a mão na massa sem pensar duas vezes. E já que, como você bem observou, superaremos tantos obstáculos quanto nossos personagens, acho que poderemos nos considerar heróis também, não é verdade? Esta perspectiva não deixa de ser emocionante e estimulante!

      Gostei, isso me animou, vou agora correndo me encontrar com meus personagens corajosos, e talvez assim me sentir um pouco mais corajosa também! Mãos à obra: escrever!

      Obrigadão pela visita e pelo incentivo, Antunes, funcionou mesmo!
      Um abração e uma semana cheia de boas ideias e muita escrita pra você! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 02/01/2012 @ 14:34

  5. Uooooawww! A sensei voltou :3
    Feliz Ano Novo! Tenha um ótimo ano, sensei!

    Comentário por Amanda — 02/01/2012 @ 12:20

    • Domo arigatô, Amanda-chan! Estou muito feliz por estar de volta! Feliz Ano Novo e um ótimo 2012 pra você também! 😀

      Comentário por valeriaolivetti — 02/01/2012 @ 15:27

  6. Feliz ano novo, Valéria!
    Já estou fazendo esse teste dos 21 dias. É uma dica sensacional. E olhar o seu blog todos os dias eu também continuarei fazendo, esperando sempre pelos seus belos posts.
    Que tenhamos um belo ano, Valéria.
    Beijos.

    Comentário por Paulo Henrique — 09/01/2012 @ 13:25

    • Feliz Ano Novo, Paulo Henrique! 😀

      Que bom que você já está começando o ano com essa disciplina toda, isso até me anima também! Rsrs! :mrgreen:

      A única disciplina que eu comecei é a de não deixar o blog ficar nenhum dia sem post. E olha que tem textos beeem grandinhos que estão já estão traduzidos e agendados pra serem publicados. É uma ralação dupla pra não faltar posts nos dias em que não tenho tempo! Mas está sendo divertido e educativo, sem contar que fico super feliz por vocês estarem gostando, isso me dá ainda mais pique pra continuar. 😀

      Obrigadão pela visita e pelos votos de felicidade, Paulo Henrique, eu também torço para que este seja um ano de muita alegria e realizações para todos nós. =)
      Um abração!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 11/01/2012 @ 11:53

  7. Um artigo melhor que o outro! Gosto de todos!!

    O que eu mais gostei desse, foi a dica para conhecer melhor os personagens: “[…] A melhor maneira de descobrir é desenvolver perfis dos personagens “entrevistando” eles.” Adorei! Deu vontade de “entrevistar” todos agora msm! rssrs

    Abração!
    Ah!, e FELIZ ANO NOVO VALÉRIA!!! TUDO DE BOM! VC MERECE! =D

    Comentário por Alexandre — 10/01/2012 @ 23:50

    • Oi, Alexandre! 😀

      Puxa, obrigadão! Que bom que você está gostando! E manda ver na entrevista, tem muita gente que encontra informações surpreendentes da história através de perguntas para seus personagens, inclusive tem gente que só tem o personagem, e acaba descobrindo uma história “conversando” com ele! Então isso funciona mesmo, pode tentar!

      Um abração, Alexandre, obrigada mesmo pelos votos de felicidade e pelo carinho, eu desejo um Ano de 2012 repleto de felicidade e muito sucesso pra você!
      Obrigadão pela visita, gostei muito! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 11/01/2012 @ 12:02


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: