Dicas de Roteiro

04/12/2011

Cortando Cenas de um Roteiro

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 12:33
Tags: , ,

O artigo de hoje também foi tirado do site da Writers Store e é de autoria da consultora de enredos Martha Alderson:

martha-alderson_creator

A leitora Alexa Adams, de Milford (Connecticut), pergunta: A minha contagem de cenas está tornando o meu roteiro muito longo, mas eu não consigo cortar nenhuma das cenas que escrevi. O que devo fazer?

A especialista Martha Alderson responde:

O trabalho de um bom escritor é saber quais cenas cortar e quais manter. Você, como escritora, precisou escrever cada uma daquelas cenas para entender melhor os personagens. Um frequentador de cinema ou leitor precisa apenas de cenas que funcionem em uma multiplicidade de níveis de uma só vez.

Dicas:

1) Escreva o seu projeto do começo ao fim em cada versão. Se você sempre voltar ao começo, vai achar as primeiras cenas mais difíceis de cortar por causa de todo o tempo e trabalho que você dedicou a elas.

2) Rastreie as suas cenas usando o Scene Tracker Template [Gabarito Rastreador de Cenas] ou alguma outra técnica que mostre quais cenas fornecem todos os sete elementos essenciais de uma vez só (Veja o meu artigo Create Scenes that Sizzle – 7 Essential Elements). Quanto mais intensamente as suas cenas funcionarem, maior o peso que elas carregam e maior a probabilidade de elas pertencerem ao projeto.

3) Planeje as suas cenas em um Plot Planner [Planejador de Enredos] ou usando alguma outra técnica. Ser capaz de ver quais cenas são episódicas e quais fluem através de causa e efeito melhora a sua capacidade de saber quais cortar e quais manter. Uma cena que foi prenunciada numa cena anterior ou uma que se desenvolve a partir da cena precedente torna-se uma peça essencial do quadro geral que surge.

4) Enquanto você planeja as suas cenas, observe se os riscos em cada cena aumentam em intensidade, um passo de cada vez. As chances são de que as cenas que não possuem mais conflitos, tensão e suspense do que as que vieram antes precisem ser cortadas.

5) Um bom escritor sabe que para que uma certa passagem ou frase ou personagem ou virada de enredo esteja em uma história não é por causa da beleza da escrita ou da genialidade da trama ou da profundidade dos personagens, embora estas coisas sejam importantes para cativar o leitor. Um bom escritor sabe que cada frase e cada elemento em cada cena pertence àquele lugar porque tem um propósito definido no esquema geral das coisas.

Boa escrita pra você hoje!

Anúncios

5 Comentários

  1. Esse “Planejador de Enredos” e “Gabarito Rastreador de Cenas” são programas ou métodos alternativos criados pelo próprio roteirista para solucionar essa questão?

    Comentário por Marcia Fr. — 04/12/2011 @ 13:51

  2. Olá Valéria!
    Muito boa essa dica! Estou acompanhando todos os posts!!! Todos ótimos!
    Parabéns por fazer o que vc faz! Obrigado de novo! rsrsrs

    Mas quero fazer um pedido tbm ^^
    O link sobre os sete elementos essenciais está na lista de futuras traduções?

    Um abraço!
    Beijos! Tenha um ótimo dia! 😀

    Comentário por Alexandre — 04/12/2011 @ 13:55

  3. Oi, Marcia e Alexandre! 😀 😀

    Em primeiro lugar, obrigada Alexandre, fico muito feliz mesmo que esteja gostando! :mrgreen:

    O “Planejador de Enredos” e o “Gabarito Rastreador de Cenas” são dois métodos que esta autora criou. Ela vende um livro e dois DVDs explicando eles, como vocês podem ver aqui: http://www.blockbusterplots.com/tools/scenetrackerkit.html

    Mas ela explica um pouco neste artigo que ela indicou e num outro do blog dela: http://plotwhisperer.blogspot.com/2010/07/plot-planner.html

    Podem ficar tranquilos que estes dois estão na fila para tradução esta semana ainda, eu só tenho que postar antes outros dois artigos que me pediram por email.

    Obrigadão pela visita, Marcia e Alexandre, um abraço grande e uma ótima semana pra vocês! =D
    Valéria Olivetti

    Comentário por valeriaolivetti — 04/12/2011 @ 16:43

  4. Mas faz parte de nosso trabalho, pense como um produtor de cinema, que tem que segurar os devaneios criativos e caros de um diretor.

    Comentário por Joseph Ranukete — 19/12/2011 @ 03:59

    • É verdade, Joseph, temos de ser nossos próprios patrões exigentes e nossos próprios empregados diligentes. Escrever é uma auto-disciplina e tanto!

      Um abraço e boas festas!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 24/12/2011 @ 11:55


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: