Dicas de Roteiro

29/09/2011

Conheça a Sua História

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , ,

O artigo de hoje é do site Script Frenzy, e foi escrito pelo cineasta Greg Marcks (que estreou em 2003, escrevendo e dirigindo o interessante longa 11:14, que tornou-se um cult):

Greg Marcks

O cineasta Greg Marcks rodando o seu segundo filme, A Chamada

Eu não tenho dez dicas, ou cinco, nem mesmo três. Só posso lhe dar uma dica: Por favor, pelo amor de tudo o que é sagrado, conheça a sua história antes de começar a escrever.

Isso é muito mais difícil do que parece. Eu sempre achei que a escrita fosse exploratória, uma tentativa de exorcizar um tema subconsciente com o qual eu estivesse lutando. Embora essa abordagem possa funcionar com contos ou roteiros de curta-metragens, torna-se complicada e demorada ao lidar com roteiros de longas ou romances.

ANTES de digitar FADE IN:, planeje o início, o meio e o fim.

Se você pular etapas na fase de planejamento, dizendo que vai resolver tudo "durante a escrita", você vai ser como o Pernalonga, cavando cegamente um túnel subterrâneo para chegar à praia de Pismo. Quando você botar novamente a cabeça para fora, acima do solo, e der uma olhada no seu roteiro terminado, muito provavelmente irá encontrar-se desejando que tivesse virado à esquerda em Albuquerque. Faça a si mesmo um favor: Planeje o seu itinerário e consulte o seu mapa no caminho.

História ≠ Roteiro.

Pense na história como o plano, e no roteiro como a execução. Um roteiro é uma história contada em cenas, cada cena necessária para contar a história. Nesta fase você está apenas testando se cada cena é necessária. Ao planejar um roteiro, eu tento escrever a história em prosa primeiro, sem diálogo, com cada cena representada por uma frase ou um parágrafo. Então eu leio e reviso a história condensada, omitindo o que é desnecessário.

Seja específico.

Este plano, o "tratamento" [argumento] do seu roteiro, pode variar de uma a quarenta páginas. Quanto mais detalhado o seu trabalho nesta fase, menor a chance de que o seu roteiro vá descarrilar durante a escrita. Portanto, não basta dizer que é uma história de um garoto que conhece uma garota. Descubra quem são os personagens, e então se pergunte: O que acontece? Daí, o que acontece? E então, o que acontece?

Como você sabe quando está pronto para começar a escrever roteiros?

Tente contar a sua história a um amigo. (Se você não consegue contá-la, como vai escrevê-la?) Não narre um roteiro. Apenas conte-a como se você estivesse contando sobre o que aconteceu ontem à noite. Se eles estiverem interessados ​​e acompanharem sem perguntas, provavelmente você está pronto. Se não, pegue o que você aprendeu e aperfeiçoe mais o seu tratamento. É mais fácil obter feedback sobre um resumo de uma página do que conseguir que um amigo leia um roteiro de 120 páginas.

Agora ADAPTE a sua história em formato de roteiro.

Agora que você já testou a estrutura da história, pode concentrar as suas energias no que é realmente importante: cenas emocionantes, momentos memoráveis, e diálogos inteligentes. Agora só depende de você como vai organizar cada cena. Deixe a sua individualidade brilhar: Diferentes escritores irão fazer a mesma história de formas totalmente diferentes.

Seja paciente consigo mesmo.

Eu estou sempre com muita pressa de terminar. Mas se você abrevia a fase de planejamento da sua história, e a fase de distinguir os pontos fracos com antecedência, vai gastar dez vezes o trabalho em revisão. Pior ainda, você vai ter em mãos algo que se parece com um roteiro mas não é o que você imaginou, e pode até perder o entusiasmo pela história.

Uma abordagem estrutural à escrita de roteiro exige paciência e disciplina, mas as recompensas são grandes. Você pode descobrir que, se passar três semanas trabalhando na sua história, a escrita do roteiro em si levará apenas uma semana. Então, por favor, nem sequer instale o Final Draft até conhecer a história que você está contando. Use o Microsoft Word, fichas de anotações, listas, o que quiser, mas reserve a Courier tamanho 12 para quando você tiver um mapa na mão.

bugs bunny map

– EU SABIA QUE DEVIA TER VIRADO À ESQUERDA EM ALBUQUERQUE

Boa escrita pra você hoje! =D

Anúncios

5 Comentários

  1. Oi Valéria!!!!!

    Com certeza esse post mostra um pouquinho da importância do planejamento. Não adianta só sair escrevendo. Isso é bom, serve como meio de inspiração. Mas, num contexto geral é necessário que o roteirista se planeje para que o roteiro saia o melhor possível. Assim, as chances de sucesso são muito maiores.

    Beijos Valéria!!!!!

    Comentário por Paulo Henrique — 29/09/2011 @ 10:03

  2. Nossa Muito bom mesmo.
    Eu vi algo parecido com isso esses dias..
    Mas para criação de sinopse.

    Parabens Valérias.

    Comentário por Douglas Cavalcante — 29/09/2011 @ 14:03

  3. Meu Deus, quantos roteiros terei perdido por escrever fade in ?
    Salvou o meu dia.

    Valeu mesmo!

    Comentário por Fábio — 29/09/2011 @ 16:45

  4. Amei…Amei…Amei…
    Não consigo mais ficar nem um dia sem visitar e ler…
    Minha visita diaria ja tem xD

    Comentário por Carol Salvato — 29/09/2011 @ 17:20

  5. Oi, Paulo Henrique, Douglas, Fábio e Carol! 😀 😀 😀 😀

    Que bom que vocês gostaram!

    Desde que comecei a escrever roteiros (me baseando nos livros do Syd Field) eu aprendi que deveria planejar a história antes, e já tinha reparado que o tempo que gastava com planejamento era proporcionalmente sempre muito maior, e que depois escrever o roteiro em si ficava facinho-facinho. Mas eu achava que isso era só comigo, que eu era lerda demais pra planejar, é bom descobrir que sou normal (pelo menos neste caso)! Rsrs! :mrgreen:

    Um beijo grande, pessoal, obrigada de coração pela força e pela companhia! Adoro vocês!! :mrgreen: 😀
    Valéria Olivetti

    Comentário por valeriaolivetti — 30/09/2011 @ 11:18


RSS feed for comments on this post.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: