Dicas de Roteiro

22/09/2011

Escrevendo Bons Diálogos de Ficção Científica

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , ,

Este texto foi tirado do site Film School suite 101, e é de autoria do roteirista e cineasta Waine C. Paris:

Matrix

Evitando os erros comuns de roteirismo que os escritores de ficção científica frequentemente cometem

Inventar um excitante mundo novo não dá ao escritor de ficção científica a licença de escapar do penoso diálogo expositivo.

Ao lidar com ficção científica, os escritores muitas vezes enfrentam o problema de como apresentar o mundo fantástico e incrivelmente exótico que eles criaram para um público confinado a um "mundo real" chato. No melhor dos casos, como o roteiro de Dan O’Bannon para Alien, O Oitavo Passageiro (1979), ou o de James Cameron e Gale Anne Hurd para O Exterminador do Futuro (1984), a explicação é sucinta e mantém a ação movendo-se constantemente para a frente. No entanto, quando um escritor sente a necessidade de interromper a jornada e explicar seu mundo através da boca de seus personagens, as coisas saem errado.

Filmes Complexos Ainda Precisam de Diálogos Simples e Eficazes

O filme-marco dos irmãos Wachowski, Matrix (1999), foi um dos mais revolucionários filmes de efeitos visuais que alguém já tinha experienciado desde que Guerra Nas Estrelas chegou às telas em 1977. Ele também teve alguns dos piores diálogos desde Guerra Nas Estrelas. Na extremidade mais cômica do gênero, o De Volta Para o Futuro (1985), de Robert Zemeckis e Bob Gale, tem alguns dos melhores, ou pelo menos mais eficazes diálogos a jamais agraciarem um filme de ficção científica.

Então, qual é a diferença? Muito simplesmente, o diálogo em De Volta Para o Futuro impulsiona a ação do filme, consistentemente empurrando seus personagens em direção às suas metas. As palavras informam, mas nunca pesam, nem subestimam a inteligência do público do filme. Seus personagens não param no meio do caminho para ter conversas inúteis sobre os pontos mais delicados do mundo da história. Eles descobrem o que eles, e nós, precisamos saber e então cortam e correm para a próxima cena, sem permanecer ali mais do que o aconselhável nem por um único momento.

Matrix, por outro lado, é carregado com exposição pesada e um protagonista que constantemente sente a necessidade de fazer perguntas que o público já deveria saber responder. Como resultado, o filme é repetidamente pontuado com conversas penosas e regressivas. No mundo da história, o déjà vu é explicado como "uma falha na Matrix". No nosso, ele se parece mais com uma falha no roteiro.

Será que Optimus Prime Realmente Usa Ebay?

Diálogo espirituoso e alegre é sempre uma ótima maneira de relaxar o público numa situação estranha, mas ele nunca deve ocorrer em detrimento da história ou de seus personagens. A tripulação da Nostromo conversando livremente sobre seus salários no início de Alien é um exemplo perfeito. Facilita a entrada da plateia em um cenário estrangeiro, enquanto também torna os personagens identificáveis. No Transformers de 2007, quando o Optimus Prime revela que ele sabia que a Terra era o lugar para vir graças à página do Ebay do protagonista, isso pode caber na apresentação da história perfeitamente, mas ainda parece tão estranho como introdução do personagem de Prime, que na verdade acaba com todo o senso de credibilidade do resto da cena. Esta é uma característica bastante comum no roteiro de Roberto Orci e Alex Kurtzman.

John Brancato e Michael Ferris sofreram problemas semelhantes quando escreveram O Exterminador do Futuro 3: A Rebelião das Máquinas (2003). A julgar pela história, o filme deveria funcionar. No entanto, quase toda vez que um personagem abre a boca, especialmente o Exterminador de Arnold Schwarzenegger, a história fica atolada com a falta de credibilidade. Embora possa ter sido um pouco brega, o "Hasta La Vista, Baby", de James Cameron e William Wisher Jr., tornou-se um slogan de O Exterminador do Futuro 2 – O Julgamento Final (1997). A fala contou com uma forte apresentação no início do roteiro, e também funcionou como um delicado equilíbrio à violência na tela, quando chegou a hora de Arnie deixar a coisa correr solta. Frases populares como "Fale com a mão", vindas da boca de um assassino cyborg pareciam ser apenas uma tentativa desesperada para risos baratos em O Exterminador do Futuro 3.

Existe um Guia do Roteirista das Galáxias?

Em última instância, escrever diálogos para ficção científica não deve ser diferente de para qualquer outro gênero. Se um escritor sente que o protagonista deve absolutamente explicar o mundo da história à enésima potência, então ele não criou esse mundo fora do diálogo. Como qualquer outro tipo de filme, o diálogo de ficção científica não é sobre dizer coisas legais apenas por dizer, é sobre mover a sua história para a frente enquanto mantém o público adequadamente informado e engajado. Perder o público por causa de diálogos desnecessariamente complexos ou de humor espantoso, e as centenas de horas gastas trabalhando neste lindo e excitante novo mundo da história vão despencar direto na velha e chata Terra.

=========================

Boa escrita pra você hoje! =)

Anúncios

4 Comentários

  1. Olá, Valéria.
    Você tem algum artigo de séries ai já traduzido não ? Estou com fome daqueles artigos de séries. HAHAHA. Esperando anciosamente pelo “How To Format a Tv Script” traduzido.
    Ah, e tenho uma pergunta: Como consigo endereços ou contatos com produtores de séries ?

    Um grande abraço.
    Igor.

    Comentário por Igor — 22/09/2011 @ 16:49

    • Oi, Igor! =D

      Por acaso, tem um artigo sobre seriados agendado para amanhã, mas ainda não é aquele! Eu tenho que pedir mil desculpas, esse texto já estava quase pronto quando o meu HD “deu pau” da última vez e eu salvei tudo, menos os rascunhos do Windows Live Writer, e todo o meu trabalho foi por água abaixo. Nestas últimas semanas eu tenho adiantado alguns textos menores para dar tempo de ir traduzindo aqueles maiores e mais complexos (com jargão cinematográfico, por exemplo), e este artigo está no topo das minhas prioridades, já (re)comecei a traduzi-lo e, se Deus quiser e tudo correr bem, ele sairá na próxima semana.

      Quanto a produtoras, a maioria que produz para a TV também produz para o cinema, então eu nunca fiz uma lista específica de produtoras para a TV. O mais recomendável é você pegar as séries que mais gosta e ver nos créditos quem co-produziu. Hoje em dia até a Globo não produz mais as séries sozinha. No comentário nº 8 do post (https://dicasderoteiro.com/2010/02/01/como-vender-o-seu-roteiro-para-hollywood/) um colega nosso deu uma lista grande de emails de produtoras. E no post (https://dicasderoteiro.com/2010/05/05/como-comecar-uma-carreira-de-roteirista-no-brasil/) tem mais contatos ainda. É só escolher qual produtora você quer contatar. Boa sorte! =)

      Um abração, Igor, gostei muito da sua visita! :mrgreen:
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 23/09/2011 @ 08:27

  2. Olá! Me ajude! Quero enviar um roteiro de série para a Disney,mais não sei como,me ajuda vai!

    Comentário por Lorena — 23/09/2011 @ 01:43

    • Oi, Lorena!

      A Disney é até uma das produtoras mais abertas a novos escritores, mas não do jeito convencional: Regularmente, desde 1990, eles têm promovido um concurso de roteiro que seleciona um grupo e o treina (por um ano, de janeiro a janeiro) e no final os escritores acabam fazendo parte do staff da Disney, com um salário de 50 mil dólares anuais (cerca de US$ 4 mil por mês). Para concorrer, é necessário um roteiro de especulação de um episódio de seriado de TV aberta ou a cabo americana que ainda esteja sendo exibida. O concorrente deve ter mais de 21 anos, ser capaz de morar e trabalhar legalmente nos EUA e, é claro, falar e escrever num inglês fluente. As inscrições abrem na primavera de lá (outono daqui), ou seja, devem abrir entre março e junho, todo ano.

      Aqui vai o link da página para você se informar das datas e de todos os requisitos quando for se inscrever:
      http://abctalentdevelopment.com/index.html

      e http://abctalentdevelopment.com/programs/programs_writings.html

      Tem um programa para latinos que dura dois meses, para orientar o escritor a desenvolver um roteiro de especulação de TV sob a supervisão de profissionais (o que acaba ajudando também a fazer contatos na indústria), mas não garante mais que isso. Este ano ele ocorrerá entre outubro e novembro. As inscrições foram de abril a agosto, então agora só ano que vem.

      Eis o link: http://nhmc.org/writersprogram

      Um grande abraço, Lorena, e boa sorte!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 23/09/2011 @ 08:10


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: