Dicas de Roteiro

18/09/2011

Guia de Comédia Britânico (Parte 3) – Comédia Masculina/Feminina

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , ,

Voltamos hoje com a nossa série tirada do site The British Comedy Guide. Este artigo foi escrito por Jenny Roche, autora do livro Comedy Writing:

Comedy Writing - Jenny Roche

Não há dúvida de que a comédia seja uma área dominada pelos homens. Os homens excedem enormemente em número as mulheres no circuito de comédia e predominam entre os escritores, o elenco, os programas cômicos de jogos de perguntas, os apresentadores e os produtores de comédia televisiva; na comédia de rádio, só um pouco menos.

O assunto merece um longo tratado, mas, por enquanto, vamos nos preocupar com a questão mais importante de como ambos os escritores do sexo masculino e feminino podem dar ao seu trabalho as melhores chances.

Se é discutível que os homens e as mulheres têm um sentido diferente de humor, é certo, porém, que qualquer comédia que usar velhas visões tradicionais e estereotipadas de qualquer um dos sexos não terá a única coisa que os produtores demandam – algo novo e original.

Também é certo que, por exemplo, se um produtor de programas de esquetes solicitar mais roteiros que incluam mulheres, feminizar o nome de um personagem ou enfiar uma mulher ali para este fim simplesmente não vai funcionar. A melhor comédia vem do personagem e tem que haver alguma verdade nesse personagem.

No mundo da escrita existe a máxima de "escrever sobre o que você sabe". Na comédia, contudo, você terá que ir além disso, escrever para personagens com um ponto de vista do qual você não tem nenhuma experiência (a menos que você tenha sido operado) e desenvolver comédia a partir da perspectiva do seu sexo oposto.

Numa reunião de escritores de um programa de variedades sobre assuntos atuais, quando a metade feminina do elenco reclamou de ser subutilizada, um escritor perguntou como se esperava que ele escrevesse para as mulheres quando ele era um homem.

Acho que a maioria reconhece que isto não requer coragem, nem um doutorado. De minha própria experiência, talvez seja mais o caso de que os escritores de comédia do sexo masculino podem "esquecer" de incluir as mulheres em esquetes e, por vezes, podem não pensar além dos papéis tradicionais das mulheres. Com frequência, também é fácil as mulheres serem involuntariamente culpadas das mesmas coisas.

Ir contra os estereótipos pode lhe permitir minerar novos ricos veios de comédia, e deve ser incentivado. Além disso, dar fortes papéis positivos para as mulheres, fazê-las agir em vez de reagir, sempre vai satisfazer o produtor de um programa de esquetes ou editor de licenciamento. Lembre-se, advogados, ciclistas e maridos de aluguel nem sempre têm que ser do sexo masculino; e enfermagem, trabalhar em supermercados e fazer faxina em casas nem sempre têm de ser "trabalho de mulher".

As restrições de componentes do elenco masculino/feminino terão de ser lembradas, no entanto. Embora haja exceções, geralmente em um programa liderado por uma estrela, ela interpreta o papel principal e recebe todas as falas finais das piadas. Em outros programas, você terá de considerar a proporção entre homens e mulheres no elenco.

Refletir duas vezes para imaginar personagens femininas é bom, mas e se você não sabe como torná-las convincentes? Pesquisa é a resposta.

Comédia sobre assuntos atuais exige, obviamente, pesquisar as notícias do dia; outras comédias, no entanto, podem ser "pesquisadas" ouvindo e observando as idiossincrasias do mundo e de suas pessoas. Pense nas pessoas nas situações que você está observando e proponha-se a ver e a entender o como e o porquê de seus pontos de vista. Faça perguntas, se precisar. Se nada mais, isso pode levar a uma melhor comunicação entre os sexos.

Ser objetivo e não-julgador vai ajudar a obter uma visão completa do que está acontecendo. Mais tarde você será capaz de ajustar a abordagem particular sobre um tema ou assunto ao estilo particular de um programa, às diferentes formas de comédia – por exemplo, sátira, material de comédia em pé agressiva, humor leve etc. A principal coisa é incluir tudo, usando todos os cinco sentidos, e manter um caderno com as suas observações visto que, acredite, você vai esquecer. Os seus cadernos certamente irão proporcionar ideias e inspiração durante todos os momentos de seca criativa.

Uma vez que você tenha as suas ideias, não há substituição para ser um competente artesão de comédia. Saber como moldar e estruturar não apenas gags, mas anedotas, observações e roteiros de sitcoms e de comédias dramáticas mais longas, vai colocá-lo nos escalões superiores.

Conseguir risos com frequência, e nos lugares certos, é algo que pode ser aprendido, assim como a arte do timing cômico, que vem da manipulação eficaz das pausas, das ênfases e das frases finais das piadas. Você pode melhorar o seu ofício lendo livros, unindo-se a um grupo de escritores para obter feedback, ou fazendo um curso.

No final, qualquer comédia se resume a escrever dentro das diretrizes particulares para, por exemplo, um programa de esquetes ou a persona específica de um comediante de comédia em pé, e com toda a devida atenção para as exigências do veículo para o qual você está escrevendo. Há muito mais espaço para a auto-expressão ao escrever comédia de situação ou comédia dramática, e o único conselho que há é: "vá nessa", não julgue e antecipe o que você acha que os licenciadores querem, e enfrente a incontestável escassez de comédia feminina. É uma lacuna definitiva no mercado, então por que não tentar preenchê-lo.

Em resumo, não se esqueça de incluir personagens femininas ao escrever comédia e, tendo em mente o elenco de um programa, evite ter as mulheres como acessórios ou sempre em papéis menores. Pense além dos papéis estereotipados e tradicionais tanto dos homens quanto das mulheres, e esforce-se para melhorar o seu ofício.

As mulheres têm uma vantagem óbvia quando se trata de produzir comédia centrada no feminino, e, como encorajamento, eu diria: façam uma tentativa, não tentem copiar os homens, e tenham fé no que vocês escrevem, mesmo que não pareça se encaixar bem no que vocês já viram antes; nada novo e original nunca o faz. Enquanto há pelo menos um homem que pensa que não pode escrever para as mulheres, soaria muito estranho ouvir uma mulher dizer: "Eu sou uma mulher, não posso escrever para os homens."

Elenco de Absolutely Fabulous

Elenco da famosa série britânica Absolutely Fabulous, também conhecida como AbFab

Boa escrita pra você hoje! =)

Anúncios

2 Comentários

  1. Acho o tema do post interessantíssimo, mas pelas mesmas razões que a autora expõe no texto eu não consigo me identificar com essa questão do jeito que ela coloca. Acho que homens e mulheres criam comédia de maneira diferente sim, mas acho também que os gêneros (como expectadores) reagem à comédia de forma também diferente. Diacho… de repente é melhor eu fazer um post sobre isso pra tentar me explicar. heheh. Grande abraço e keep the good work!

    Comentário por Alexandre Nix — 18/09/2011 @ 10:55

    • Oi, Alexandre! =)

      É verdade, também concordo que os gêneros vejam e façam comédia de um modo um tanto diferente, mas, assim como eu caio na gargalhada com o humor de bons humoristas homens, eu espero que também existam alguns homens que riam das minhas (tentativas de) piadas! :mrgreen:

      E acho excelente você escrever um post sobre o assunto, isso é que é legal, um texto inspira outro e todos nós enriquecemos com eles! 😀

      Obrigadão pela visita e pela força, Alexandre. Um abração!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 19/09/2011 @ 10:24


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: