Dicas de Roteiro

06/09/2011

Dez Sugestões Para Escrever Uma História

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 17:00
Tags: ,

Hoje temos um representante brasileiro em nossas dicas! Smiley de boca aberta O autor, Rynaldo Papoy, é um escritor colega nosso (e também frequentador deste blog Gargalhando) que generosamente disponibilizou este texto bacana, pertinente e divertido que reproduzimos abaixo:

maquinas-de-escrever-14

1 – Toda história tem começo, meio e fim. Ou seja, a introdução (como a história começa), o desenrolar e o desfecho ou conclusão. Evite introdução da introdução, enchimentos de linguiça e conclusão da conclusão.

2 – Toda história ocorre num determinado local e numa determinada data.

3 – Todos os personagens devem ser basicamente descritos e deve-se estabelecer a importância deles na história.

4 – Deixe os diálogos para o cinema ou o teatro. Na literatura, a descrição da ação é mais funcional.

Por exemplo, no lugar de…

"- Oi. – eu disse, sorrindo.

– Oi. – ela respondeu, feliz."

Você pode dizer simplesmente "cumprimentamo-nos alegremente".

O diálogo, muitas vezes, como no texto acima, deixa o texto brega e cansativo, enquanto a descrição demonstra a habilidade do escritor e deixa para o leitor a possibilidade de imaginar a cena a seu bel-prazer.

5 – Evite cenas inúteis, como:

"Acordei, espreguicei-me, coloquei meus óculos, vesti a sandália, dirigi-me ao banheiro, fiz xixi, escovei os dentes, tomei um café, vesti a cueca, a calça, a camisa, o paletó, as meias e os sapatos, apaguei as luzes, fechei a porta, desci o elevador, entrei no meu carro, dei a partida e saí do prédio".

Muitos escritores descrevem minuciosamente o dia-a-dia dos personagens, mas isso é que chamo de "encher linguiça".

Mas também não seja tão lacônico:

"Manhã. Ponto de ônibus. Sol. Suor. Ônibus. Centro da cidade. Assalto. Tiros. Sangue. Pronto Socorro. B.O. Telefonema. Ônibus. Casa. Cama".

E deixe a filosofia de quinta categoria para os filmes alemães de quinta categoria…

"Olhando-na, no metrô, tive vontade de perguntar se ela sabia quem ela era. Para quê tinha vindo ao mundo. Qual seu lugar e seu papel na existência. Será que ela sabia que era um verdadeiro ser humano? Que sua vida não era só trabalhar e trabalhar e trabalhar mas sim, eu digo, sim, ela era uma pessoa importante para o planeta Terra! E afinal, o que aquela camiseta com a frase ‘100% Paraíba’ queria dizer?"

6 – Não repita termos…

"Eu disse a ela que eu gostava dela e ela me respondeu que ela também gostava de mim".

7 – Não abuse de termos difíceis, como "Intrujava como um aplacóforo dilatante". Ou metáforas banais, como "envelhecia no ponto de ônibus, esperando a rainha da beleza passar". Metáforas são para poetas (dos bons).

Termos estrangeiros são um pecado mortal…

"Chamei minha mother e pedi meu breakfast. Enquanto estivesse com minha leg esquerda broken, continuaria boring. – Merci. – falei a minha mãe, ainda una bela mujer, apesar da idade".

8 – Cuidado com clichês hollywoodianos.

"Nas minhas viagens entre Sertãozinho e Pirapora do Bom Jesus, nunca esquecia minha Glock 9mm".

Se o caminhoneiro tem uma Glock explique porquê.

9 – Surpreenda o leitor sempre. Não deixe que ele saiba o que vai acontecer na página seguinte ou no final.

10 – Não antecipe a emoção do leitor.

"O canalha do estuprador, absurdamente, fez outra vítima, coitada!  E todos no pobre bairro ficaram muito revoltados. Não era para menos! Mais um estupro! Brincadeira? Pena que no Brasil não exista pena de morte para acabar com esses miseráveis!"

Escreva simplesmente: "Na segunda-feira, à noite, ocorreu outro estupro". O leitor que forme sua própria emoção e avaliação moral.

Enfim, faça o feijão-com-arroz. Para fugir do feijão-com-arroz, só sendo gênio. Há poucos no mundo.

===========================================================

Visite os blogs do autor Rynaldo Papoy para conhecer mais de seu trabalho:

http://roteiroshq.blogspot.com
http://zumbisilva.blogspot.com [contos]

E boa escrita pra você hoje! =)

Anúncios

“Cinco Regras Para Escrever Ficção”: P.D. James

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:01
Tags: ,

Esta lista de dicas foi tirada do site do jornal britânico The Guardian:

teclas de máquina de escrever

1. Aumente o poder de suas palavras. As palavras são a matéria-prima do nosso ofício. Quanto maior o seu vocabulário, mais eficaz a sua escrita. Nós, que escrevemos em inglês, somos sortudos de termos a língua mais rica e mais versátil do mundo. Respeite isso.

2. Leia abundantemente e com discriminação. Escrita ruim é contagiosa.

3. Não apenas planeje escrever – escreva. É somente escrevendo, não sonhando com isso, que desenvolvemos o nosso próprio estilo.

4. Escreva o que você precisa escrever, não o que é atualmente popular ou o que você acha que vai vender.

5. Abra a sua mente para novas experiências, particularmente para o estudo de outras pessoas. Nada do que acontece com um autor – por mais feliz que seja, por mais trágico que seja – é jamais desperdiçado.

==============================

Eu me pergunto seriamente quantas línguas do mundo esta escritora já estudou a fundo para afirmar com tanta veemência que o inglês é a língua mais rica e mais versátil do mundo. Francamente. De resto, até que as dicas são boas.

E boa escrita pra você hoje!

“Sete Regras Para Escrever Ficção”: Joyce Carol Oates

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: ,

Aqui vai outra lista de dicas tiradas do site do jornal britânico The Guardian:

maquinas-de-escrever-16

1. Não tente antecipar um "leitor ideal" – pode haver um, mas ele/ela está lendo alguma outra pessoa.

2. Não tente antecipar um "leitor ideal" – exceto você mesmo, talvez, em algum momento no futuro.

3. Seja o seu próprio editor/crítico. Compassivo, mas implacável!

4. A menos que você esteja escrevendo algo muito avant-garde – todo retorcido, emaranhado e "obscuro" – esteja alerta para as possibilidades de paragrafação.

5. A menos que você esteja escrevendo algo muito pós-modernista – auto-consciente, auto-reflexivo e "provocador" – esteja alerta para as possibilidades do uso de palavras familiares comuns no lugar de palavras polissilábicas "grandes".

6. Lembre-se de Oscar Wilde: "Um pouco de sinceridade é uma coisa perigosa, e muita, é absolutamente fatal."

7. Mantenha um coração leve, cheio de esperança. Mas espere pelo pior.

===================

Boa escrita pra você hoje!

%d blogueiros gostam disto: