Dicas de Roteiro

29/08/2011

As 13 Regras de Ouro de Mike Newell

Filed under: Direção — valeriaolivetti @ 11:55
Tags:

O texto de hoje foi tirado do site da revista Movie Maker e seu título original é: Bicado Por Pombos Até a Morte: As Regras de Ouro de Mike Newell (publicado em maio de 2010).

Mike Newell

O diretor de Príncipe da Pérsia compartilha suas dicas para manter-se motivado

Diretores são animais solitários. Eles nunca veem outros de sua espécie no trabalho, eles detestam intromissão e são dominadores, gorilas machos adultos de temperamentos incertos. Fazer um filme é uma briga de faca, e como é dito logo antes de Butch Cassidy chutar seu oponente nas bolas: "Regras? Em uma briga de faca? Não há regras!". No entanto, aqui estão alguns guias para navegação – alguns rituais privados que eu não gosto de ficar sem quando trabalho.

1. Ao ler pela primeira vez um roteiro, livro, ou tratamento, eu terei um pequeno choque imediato de emoção, se a coisa tiver algo a dizer para mim.
Eu tenho que fixar essa ideia antes de qualquer outra coisa. Se você tem uma ideia grande e clara do que deseja que o seu público sinta e pense – e, acima de tudo, do que você quer – então, mesmo nos tempos do mais sombrio caos (o que quase certamente cairá sobre você), você tem uma rocha para se segurar.

2. Tente conhecer os roteiros quase de cor.
Eu penso nas cenas com antecedência várias e várias vezes, com tantos detalhes quanto possível. Daí, no dia em que filmamos, eu estou preparado para abandonar tudo aquilo se ideias melhores surgirem. Espontaneidade é a qualidade que só os atores podem trazer e é uma qualidade vale seu peso em ouro. Esteja preparado para o fato de que nenhum plano sobrevive ao primeiro contato com o inimigo e ouça muito atentamente os atores. Não imponha-lhes. Em vez disso, tente incentivá-los a ficarem confortáveis em suas peles.

3. Todo mundo na equipe vai ter ideias sobre como as cenas devem ser feitas; eles terão ideias, ângulos e movimentos que você nunca tinha imaginado.
Um dos melhores operadores de câmera com quem eu já trabalhei ouvia as minhas opiniões sobre onde a câmera deveria ser colocada e então marchava para a posição completamente oposta.

4. Eu tenho um mantra que tento desesperadamente lembrar durante o trabalho de cada dia: Por favor, que eu não seja um babaca hoje.
Esperança vã, mas é bom ter uma ambição!

5. Muita gente puxa o saco de um diretor.
Vale a pena não acreditar em nada do que dizem. Eu tento sobreviver sem querer saber o que todo mundo pensa de mim. Alguns pensam que você é ótimo, alguns pensam que você é uma porcaria. A realidade vai estar em algum lugar no meio e, de qualquer maneira, não deveria importar. Um monte de coisas rudes são ditas para você, então é bom ter uma pele grossa o suficiente para absorver o dano e fina o suficiente para entender por que estas coisas estão sendo ditas.

Mike_Newel

6. Converse calmamente.

7. Tenha boas maneiras.

8. Se você for perder a sua paciência (realmente tente não perdê-la), deve ser irresistivelmente para valer.
Não há nada pior do que raiva falsa.

9. Não coma o bufê na hora do almoço.

10. Durma sempre que puder.

11. Use um par de sapatos confortáveis.

12. O processo de fazer um filme parece com ser bicado por pombos até a morte.
Mil pequenas mordidas lentamente irão remover os seus motivos para começar em primeiro lugar. Você vai esquecer por que está lá. É aí que você deve retornar àquela centelha inicial de animação (veja o nº 1) para atravessar isso.

13. Acima de tudo, "Nunca foda com o talento."
(Veja Charlton Heston, cerca de 1979.)

Mike_Newell_at_The_Goblet_of_Fire_set

O cara é bem humorado, né? Ri muito com o nº 3! Já o número 13, eu não consegui descobrir se a frase é figurativa ou literal, nem o que Charlton Heston fez em 1979 que tem a ver com o que ele disse. Se alguém souber, por favor, me conte!

E boa escrita pra você hoje! =)

Anúncios

4 Comentários

  1. Pelo que entendi, acho que é porque nesse período ele passou a aceitar ser coadjuvante. Será que é isso? rs

    Comentário por Daniela Piva (@danielapiva) — 29/08/2011 @ 14:17

  2. Eu gostei da regra 4. A 13 é propositadamente de duplo sentido.

    Comentário por Rynaldo Papoy — 29/08/2011 @ 15:12

  3. Talvez ele esteja fazendo um mea culpa e se referindo ao filme The Awakening (1980), aqui ou Portugal se chamou “Reencarnação” em que Mike Newell dirigiu Charlton Heston.

    Comentário por Antunes — 29/08/2011 @ 19:04

    • Oi, pessoal! 😀

      Adorei os comentários, realmente essa frase dá o que pensar, e eu achei todas as opções sugeridas interessantes e válidas. Mas talvez ele estivesse mesmo com sentimento de culpa pelo filme em que ele dirigiu o Charlton Heston. Eu realmente desconhecia esse fato! Eu não assisti esse filme, mas ele está com uma pontuação baixa (4.7) no IMDB, e deve ser uma bomba, para o cara estar até hoje, mais de 30 anos depois, com remorso.

      Se estiverem curiosos, aqui vai o link do trailer: http://www.youtube.com/watch?v=Tt7NtveAMm4

      Curiosamente, no YouTube também tem o filme inteirinho para assistir. Não está legendado e a qualidade da imagem não é lá essas coisas, mas aqui vai o link: http://www.youtube.com/watch?v=rGggZllk4kI

      Muitíssimo obrigada, Daniela, Rynaldo e Antunes, adorei mesmo os comentários! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 30/08/2011 @ 08:53


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: