Dicas de Roteiro

21/08/2011

Vídeo de Alta Definição

Filed under: Fotografia — valeriaolivetti @ 08:00
Tags:

Esta é mais uma amostra de aula do site Film School Online:

camera de video

Os conceitos associados aos vídeos de alta definição (HD) podem ser confusos para quem não está familiarizado com as funções da câmera de vídeo. Se você é um cineasta principiante, termos como linhas de varredura, SD, HD, e tecnologia 4k, certamente vão fazer a sua cabeça girar!

Não tema, porque os conceitos são surpreendentemente simples. Nesta lição, vamos abordar os conceitos básicos do vídeo de alta definição e lhe fornecer uma compreensão prática da terminologia. Além disso, vamos dar uma olhada na tecnologia 4k, também conhecida como ultra HD. Esta tecnologia é usada pela inovadora câmera Red One, lançada pela Red Digital Cinema Company, em 2007.

Para entender o vídeo de alta definição, devemos começar pelo começo e examinar como as imagens são gravadas por uma câmera de vídeo.

Gravação

Como mencionado na lição anterior, existem três meios usados ​​para gravar imagens de vídeo:

    • fita magnética
    • cartão de memória removível
    • disco rígido

A mídia preferível para câmeras (e gravadores de áudio) é o cartão de memória removível. Inicialmente, esperava-se que fosse o disco rígido, mas os cartões removíveis provaram ser mais simples e mais portáteis. Hoje, os discos rígidos são utilizados principalmente para edição, enquanto a fita magnética é preferível para arquivamento.

Embora o hardware tenha passado da tecnologia analógica para a digital desde o começo da gravação em vídeo, os princípios são essencialmente os mesmos. Eles estão baseados no eletromagnetismo.

A maneira mais fácil de ilustrar os princípios do eletromagnetismo é com a fita magnética. O cabeçote de gravação é essencialmente um eletroímã, que é ativado por um sinal elétrico a partir do processador de imagem. Conforme o videotape passa sobre o cabeçote, as partículas de ferro na fita são magnetizadas. Isto é, em essência, a imagem gravada.

Cabeçote de gravação

vid_drm

Fita de vídeo

Linhas de Varredura

A imagem de vídeo é gravada uma linha horizontal de cada vez. Estas linhas são chamadas de linhas de varredura (scan lines), e o processo é conhecido como digitalização (scanning). Se você olhar atentamente para uma tela de TV, verá as linhas de varredura. Você provavelmente não consegue vê-las no monitor do seu computador, porque as linhas são mais estreitas do que em uma TV.

sc_lns

Definição Padrão/Standard Definition (SD)

O termo "definição" denota, basicamente, os detalhes visíveis na imagem de vídeo. Ela é medida pelo número de linhas de varredura horizontais em um único quadro. Nos Estados Unidos e no Japão, a definição de vídeo padrão é de 525 linhas. Na maioria dos países europeus, a definição padrão é de 625 linhas. (O primeiro é conhecido como NTSC; o último é PAL).

Alta Definição/High Definition (HD)

Apesar de muita publicidade exagerada ter sido feita sobre o HD, o conceito em si é simples de entender. Tecnicamente, qualquer coisa que rompa a barreira do PAL de 625 linhas pode ser chamada de alta definição. Os formatos mais comuns de HD exibem 720 e 1.080 linhas de varredura.

Ultra Alta Definição/Ultra High Definition

A ultra alta definição apresenta incríveis 4.520 linhas de resolução horizontal. Conhecida como tecnologia "4k" porque as linhas de varredura excedem 4.000, ela será, sem dúvida, o padrão da indústria no futuro. [N.T.: Quilo (símbolo k, do grego kilo) é um prefixo do Sistema Internacional de Unidades que indica que a unidade de medida padrão foi multiplicada por mil.]

As fotos a seguir mostram o tamanho relativo dos diferentes formatos. A primeira representa o típico quadro de vídeo digital (DV e DVCAM). Observe como os detalhes melhoram à medida que aumenta o número de linhas de varredura. A foto final ilustra o enorme salto nos detalhes de imagem que a tecnologia 4k oferece.

for_comp

Como um ponto de referência, o típico monitor de tela plana tem 2.000 linhas de resolução. O filme de 35mm – como percebido pelo olho humano – cai na faixa do HD médio. Para mais comparações com o 35mm, consulte a nossa lição-amostra: HD x 35 milímetros.

A tecnologia 4k ​​é baseada no patenteado chip de 12 megapixels desenvolvido pela empresa Red Digital Cinema. Sua acessível câmera Red One pode gravar em todas as taxas populares de varredura, inclusive as mostradas acima. A tecnologia 4k ​​pode vir a ser a sentença de morte para o filme de 35mm.

Uma ótima filmagem pra você hoje! =)

Anúncios

4 Comentários

  1. Legal este post com estas explicações. Mas não concordo que “A tecnologia 4k ​​pode vir a ser a sentença de morte para o filme de 35mm”.
    Uma que o filme físico de 35mm é ainda a única forma de conservação dos filmes, uma película resiste compravadamente a mais de 100 anos se bem conservada e alguns estudos apontam que pode chegar a 1000 anos ou mais.
    Não podemos dizer o mesmo das outras formas de conservação.
    E outra que o digital, principalmente estas câmeras da Red One não imprimem bem o vermelho e dão pau em dias quentes demais ou frio demais.
    Isso para não falar no altissímo custo da dos equipamentos em 4k e sua manutenção que fazem dos exibidores reféns dos distribuidores.
    A película vai, acredito, ainda resistir muito tempo na captação onde tem uma qualidade de perspectiva muito maior que os sistemas digitais. (Hoje não existe câmera digital capaz de reproduzir cenas de Lawrence da Arábia, por exemplo, com a mesma qualidade). Mas talvez menos tempo na exibição onde o equipamento e sua manutenção é ainda bem mais em conta.

    Comentário por Antunes — 21/08/2011 @ 15:34

    • Oi, Antunes, como vai? 😀

      A sua observação é muito pertinente e interessante. Só por causa dela eu vou traduzir muito em breve um artigo que fala por quê os 10 maiores diretores de fotografia ainda não se renderam ao formato digital. Bem interessante, e confirma muito do que você falou. A única coisa que me incomoda profundamente em relação às películas é a poluição ambiental que ela causa. Os produtos químicos utilizados na revelação de um filme são quase todos cancerígenos, e, pelo menos aqui no Brasil, não existe um modo seguro de descartar esses resíduos. E o pior é que muitos estudantes de fotografia e fotógrafos manipulam esse material sem luvas sem saber que esses químicos causam câncer só de serem absorvidos pela pele! Eu somente fui descobrir isso quando li livros especializados, os professores não informaram nada!

      É claro que os cineastas não manipulam produtos químicos, pois existem laboratórios especializados nisso, mas ainda me incomoda saber que dependemos de uma mídia tão arcaica que necessite de poluir o ambiente para ser utilizada. Se não fosse por isso (e pelo precinho! :mrgreen: ), eu ficaria só no filme mesmo.

      Um abração, Antunes, logo logo postarei o artigo do qual falei, espero que goste!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 22/08/2011 @ 17:31

  2. Olá, acho seu blog muito bom. Tenho 16 e escrevo roteiros desde os 13, vou fazer faculdade de cinema e gostaria de saber se quando você se forma em cinema consegue arrumar trabalho na área.

    Comentário por Matheus — 21/08/2011 @ 19:26

    • Oi, Matheus, seja bem-vindo! 😀

      Olha, eu realmente não sei como anda o mercado de trabalho atual para os formandos em Cinema, mas na época em que eu estudei (meados da década de 90, comecinho da Retomada do Cinema Nacional), as coisas eram assim: alguns colegas meus conseguiram estágio logo no começo da faculdade, indicados por um ou outro professor. Os que engrenaram no trabalho acabaram largando a faculdade. Outros, se especializaram durante a faculdade numa área como: som, produção, fotografia, e conseguiram trabalhos como assistentes depois de formados, pois a maioria dos alunos quer ser diretor e esses outros profissionais especializados acabam sendo muito disputados. E, por fim, os que queriam ser diretores só conseguiram ir para a frente quando investiram o dinheiro do próprio bolso para produzir seus curtas. Quanto mais curtas (e premiados) eles faziam, mais chances de entrar no mercado (como assistentes de direção). Hoje em dia existem muito mais filmes sendo produzidos, portanto eu acredito que as chances de se conseguir um estágio sejam muito maiores. Na minha época era apenas uma minoria que conseguia. Por isso, eu aconselho você a fazer a faculdade, mas estudar muito por fora, com livros, cursinhos etc., pois isso vai te dar um bom diferencial que pesará bastante na hora de arrumar um estágio.

      Também, muita da sua “sorte” de arranjar um emprego dependerá do seu empenho, do seu interesse, da sua paixão, qualidades que os professores conseguem sentir de longe, e por causa delas, eles podem acabar te indicando para colegas do ramo que precisam de novos assistentes. Só aconselho a não depender apenas da faculdade para aprender. Lá, mais do que qualquer outra coisa, você vai é conhecer pessoas que poderão te ajudar a trabalhar na área, sejam os professores te indicando para um estágio, ou os alunos, te ajudando a fazer seus filmes. Na verdade, me falaram isso quando eu entrei na faculdade, e não só não acreditei, como odiei ouvir isso, eu queria só aprender e botar a mão na massa. Mas Cinema é uma carreira que exige muito estudo e dedicação, e não seria possível aprender tudo o que é necessário numa faculdade, por melhor que ela fosse (por tudo o que li, isso inclui as famosas faculdades americanas, como NYU e UCLA). Eu acho que as faculdades brasileiras ainda precisam melhorar bastante também, mas mesmo assim eu acredito que você pode se divertir e aprender muito cursando uma.

      Boa sorte no vestibular, Matheus, eu espero que tudo dê certo e que a faculdade seja uma experiência maravilhosa para você! Depois você passa aqui pra contar um pouco da sua experiência! 😀
      Um beijo grande! =)
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 22/08/2011 @ 17:55


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: