Dicas de Roteiro

16/08/2011

Cinema Documentário

Filed under: Direção,Documentário — valeriaolivetti @ 10:00
Tags: ,

Esta é a terceira aula gratuita do site Film School Online, também sobre direção de cinema:

filme2

Cinema documentário

Os documentários tornaram-se muito populares nos últimos anos. Isso começou na década de 1990, quando a televisão a cabo procurou ativamente propostas de filmes documentários para a sua programação.

Desde então, os documentários têm continuado a encontrar um público crescente na rede aberta e na televisão a cabo. Eles são feitos em vários formatos, desde as temporadas de programas de meia hora, como Dog Whisperer, às épicas mini-séries, como A Guerra Civil.

Uma década depois da TV a cabo descobrir os documentários, documentários de longa-metragem chegaram às telas de cinema em grande estilo. Fahrenheit 11 de Setembro, Super Size Me e Uma Verdade Inconveniente estabeleceram os documentários como um gênero viável para o aspirante a cineasta.

fahrenheit-11-de-setembro-poster04

Há duas razões para isso. Primeiro, os documentários são muito mais baratos de fazer do que os filmes narrativos. Segundo, há uma chance melhor de que um distribuidor ou festival vá reconhecer um bom documentário mais que o típico filme de gênero. Nas próximas aulas, iremos desmistificar o cinema documentário e fornecer-lhe as chaves para fazer um ótimo.

Existem três escolas de pensamento no cinema documentário. É importante que você entenda as diferenças, pois isso irá determinar a sua abordagem ao projeto, particularmente quanto ao que você filma e como você o edita. As escolas de pensamento se distinguem pelo nível de objetividade do cineasta:

Cinema direto

Cinema Direto é a abordagem mais imparcial. O cineasta não interfere no assunto e não incute a sua opinião na escolha das tomadas e da edição. O documentário é apresentado de tal forma que o público pode tirar as suas próprias conclusões.

Se uma questão está sendo debatida, os vários pontos de vista são apresentados o mais objetivamente possível.

O Cinema Direto é às vezes apresentado como a abordagem da "mosca na parede", porque o cineasta é um observador objetivo, como uma mosca na parede. Alguns puristas do Cinema Direto acreditam que até entrevistar a pessoa já é intromissão demais.

Cinema Verdade

Cinema Vérité, ou Cinema Verdade, é semelhante ao Cinema Direto e muitas vezes é confundido com ele. A diferença é que o cineasta ocupa um papel mais ativo. Ele pode provocar uma reação na pessoa ou pode expressar uma opinião através de sua escolha de tomadas e de edição. O cineasta pode até mesmo afetar o desenlace dos eventos que estão sendo documentados.

Harlan_county_usa

Harlan County U.S.A. é um clássico documentário do Cinema Verdade. O filme é sobre a greve dos mineiros de carvão de Kentucky durante os meados dos anos 1970. No começo parece Cinema Direto, mas num exame mais detalhado pode-se ver que os cineastas estão ativamente envolvidos no que está se desenrolando na tela.

Por exemplo, em uma cena a equipe se aproxima do capataz da empresa, que está carregando uma arma e é claramente perigoso; mais tarde, os cineastas são fisicamente atacados pelos homens do capataz. Apesar disso, a presença da câmera manteve o nível geral de violência baixo. Muitos acreditam que se o documentário não tivesse sido feito, os mineiros de carvão não teriam negociado um contrato. Em última instância, os cineastas causaram um impacto sobre o assunto em questão.

Harlan County U.S.A. é um marco do cinema e ganhou um Oscar de melhor documentário de longa-metragem. Não só é um trabalho fascinante, mas também demonstra a diferença principal entre o Cinema Direto e o Cinema Verdade.

Filme-ensaio

O oposto extremo do Cinema Direto e do Cinema Verdade é o que é conhecido como o filme-ensaio. Como um ensaio escrito, o filme-ensaio é relativo à opinião do cineasta sobre um determinado assunto. Especificamente, o cineasta afirma uma tese logo no início, e então passa a fornecer evidências corroborantes ao longo do filme.

Todos os lados de uma questão não são necessariamente mostrados. Se eles são, isso geralmente é projetado para expor o lado oposto, ou fazê-lo errar.

A maior crítica desta abordagem é que ela não é equilibrada. Os proponentes dizem que não há necessidade de "equilíbrio", porque esses filmes são, em essência, ensaios – a opinião do cineasta baseada no modo como ele interpreta a evidência.

Michael Moore usa esta abordagem em seus filmes. Na verdade, a maioria dos documentários de sucesso dos últimos anos são filmes tipo ensaio.

Se você está interessado em aprender mais sobre os filmes utilizados nesta lição, clique no título ou na imagem (cortesia 20th Century Fox, MCA/Universal, Paramount, TCM, and Warner Brothers).

Bom documentário pra você hoje! =)

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: