Dicas de Roteiro

07/08/2011

Formatando Voice Overs em Seu Roteiro

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 20:51
Tags: , , ,

O artigo de hoje é o primeiro sobre narração em off que teremos esta semana e é só um aperitivo, teremos textos mais amplos e detalhados em seguida. Como o de ontem, este texto é de autoria de Shane Burley e também foi tirado do site Bright Hub:

voice_over2

Aqui está um guia rápido e fácil para usar Voice Overs em seu roteiro.

Vozes

Apesar de muitos cineastas considerarem-no uma construção de história desleixada, o Voice Over tem sido um padrão em roteiros desde os primórdios do cinema sonoro. Voice Over é um jeito fácil de um dos personagens, ou um narrador distante, explicar os pensamentos e as motivações de diferentes pessoas, e ajudar a explicar as coisas que acontecem.

Isso pode funcionar, desde que o Voice Over tenha um caráter único e não seja usado para preencher as lacunas onde o roteirista não pode descobrir como esclarecer as sutilezas para o público. Assim como para os diferentes tipos de descrição vocal no roteiro, há uma formatação específica que é exclusiva para o Voice Over.

O Uso Apropriado do Voice Over

A primeira coisa de que você deve certificar-se quando escreve Voice Over no seu roteiro é que não está usando–o para o diálogo falado real. Muitas pessoas pensam que alguém falando fora da tela quando está ainda audível é um Voice Over, mas não é.

Ocasionalmente, as pessoas usam a formatação de Voice Over para o diálogo de telefone que pode ser ouvido quando a pessoa não está na tela, e isso é certo, desde que esteja claro que é pelo telefone.

V.O.

Quando tiver uma situação de Voice Over, você simplesmente vai separar esta parte do diálogo do resto e indicar que é Voice Over. Você faz isto apenas adicionando um V.O. ao trecho de diálogo para que o leitor entenda imediatamente. Exemplo:

voice_over

Este trecho de diálogo só precisa ser separado de qualquer vai-e-vem ou diálogo de palavra falada que esteja acontecendo, para que as pessoas não se confundam. Isto não deve ser difícil quando o Voice Over está acompanhando montagens, segundas unidades, ou cenas sem voz, mas, quando o monólogo interior de um personagem falante entra em jogo, você pode ter dificuldades.

Certifique-se de colocar pelo menos uma a duas linhas entre o Voice Over e qualquer direção de tela ou diálogo que for falado em voz alta. Se o personagem estiver no meio da cena e for do Voice Over à fala em voz alta, você precisa indicar isto claramente. O ponto chave em todos os roteiros é que você só precisa deixar claro para o leitor o que você está comunicando, então quando você escrever as suas cenas com Voice Over, certifique-se de que outra pessoa o leia e possa indicar exatamente o que é Voice Over e o que não é.

voice_over
Boa escrita pra você hoje!  =)

Anúncios

8 Comentários

  1. Poxa Valéria, isso me ajudo bastante.
    Éra a duvida que tinha em mente!

    Att : Douglas Cavalcante

    Comentário por Douglas Cavalcante — 10/08/2011 @ 11:29

    • Oi, Douglas! 😀

      Que bom que você gostou! Esta semana ainda teremos mais posts interessantes sobre este assunto, é só ficar antenado! :mrgreen:

      Um abraço! =)
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 10/08/2011 @ 14:33

  2. Bom, Valéria eu tenho uma outra duvida!
    Se eu quiser fazer um roteiro narrativo..
    Onde o personagem principal fala sobre os acontecimentos de sua vida, até chegar no tempos atual!
    Eu uso o V.o mesmo? Exemplo.

    V.O
    Esse sou eu, com minha familia.. Aonde começa a minha história.

    Att : Douglas Cavalcante

    Comentário por Douglas Cavalcante — 11/08/2011 @ 22:10

    • Oi, Douglas!

      Bem, se ele estiver narrando em off, deve ser assim mesmo. A gente deve sempre escrever o que vai aparecer na tela. Se é apenas a voz do personagem que está narrando, sem ele aparecer, então use o voice over. Mas teremos ainda outros posts sobre este assunto em breve, eu acho que vão tirar todas as suas dúvidas sobre isso, é só aguardar! =)

      Um abraço grande!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 12/08/2011 @ 09:31

  3. Oi valéria, tudo bom?
    Eu gostaria de saber se ao invés de eu colocar V.O. eu poderia escrever OFF.
    Por exemplo:

    ANDRÉ (off)
    Quando acordei, tudo estava diferente.

    ANDRÉ (V.O.)
    Quando acordei, tudo estava diferente.

    Qual desses dois é o correto na narração? Eu não poderia colocar “off” no lugar de “v.o.”?
    Aguardo resposta!
    Obrigado!

    Comentário por Maycon Carneiro — 16/08/2011 @ 15:27

    • Oi, Maycon! =)

      Eu já vi roteiros de filmes brasileiros que tinham (OFF) no lugar de (V.O.). Porém, devemos considerar duas coisas: muitos roteiristas dirigem seus próprios filmes, então eles não se preocupam tanto com formatação; e muitos roteiristas brasileiros, os mais antigos principalmente, não se preocupam em seguir o padrão de formato americano. A questão seria: o que os produtores preferem? Isso eu não sei responder, mas eu prefiro usar V.O. e O.S. do que simplesmente Off, pois este último abarca todos os tipos de narração fora de quadro, não especifica se o personagem está em cena ou não. O formato americano é mais preciso e, portanto, ao meu ver, mais profissional. Mas a decisão final vai acabar sendo sua mesmo. Se você descobrir qual os produtores preferem, dê uma passada aqui no blog pra contar pra gente! 😀

      Um abração, Maycon, boa sorte e sucesso!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 17/08/2011 @ 09:00

  4. Oi Valéria!
    Isso que você acabou de dizer para o Maycon é verdade. Às vezes esse não preocupar é bem mais prático porque você já está com tudo “formado” na sua cabeça. O que acaba facilitando e muito o trabalho. Porém, em “termos” de mercado a coisa é outra, e ai, não tem jeito. Temos que nos moldar. rsrs

    Uma curiosidade: Existe diferença de formatação/escrita de um roteiro europeu para um roteiro norte-americano?

    Bjs!!

    Comentário por Marcia Fr. — 28/08/2011 @ 03:10

    • Oi, Marcia!

      É verdade, precisamos nos moldar, mas também acredito no que o roteirista Dave Cohen disse, que se escrevermos ótimos roteiros, com ótimas histórias, pequenos erros de formato com certeza serão perdoados. Mas isso não significa que devemos ser preguiçosos e deixar de fazer o nosso trabalho. Apenas acho que não podemos nos paralisar e ficarmos paranoicos demais com isso. O mais importante é contar bem uma boa história, esse deve ser o nosso foco principal, sempre.

      Quanto a roteiros europeus, eu realmente estou por fora. Não li (nem tenho) nenhum livro escrito por um europeu sobre formatação, e nem li nenhum roteiro de filme europeu, então não tenho base para te responder isso. Mas vou ficar alerta, se encontrar algum artigo ou livro sobre essa diferença, eu escreverei um post sobre o assunto. A única coisa que eu sei é que eles usam papel A4 ao invés de Carta, pois este é o mais comum lá (assim como aqui, mas eu acredito que os roteiristas brasileiros usem o Carta mesmo. No entanto, nunca tive um roteiro original em mãos para confirmar isso. 😦 ). Eu já li em algum lugar que os roteiros britânicos são iguais no formato aos americanos, exceto pelo papel A4. Se os britânicos usam o mesmo formato, é bem capaz do resto de Europa usar também.

      Um beijo! =)
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 28/08/2011 @ 13:51


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: