Dicas de Roteiro

05/08/2011

As 12 Perguntas Essenciais Que Todo Escritor Deve Responder – Parte 13

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:00
Tags: , , ,

Finalmente! A última parte desta série tirada do site Storymind e de autoria de Melanie Anne Phillips:

pergunta13

12. Problema da História Geral

Como autor, você vai querer saber o que motiva o seu Personagem Principal. Selecionar o problema do Personagem Principal determina a natureza deste impulso. Escolha o(s) item(s) que melhor descreve(m) esta questão. Problema do Personagem Principal: a fonte da motivação do Personagem Principal; a fonte dos problemas do Personagem Principal.

Sem motivação – sem um Problema – não há a desigualdade que estimula o Personagem Principal a melhorar a sua sorte. Às vezes, pode parecer que os Problemas existem em nosso ambiente. Outras vezes, podemos perceber um Problema em nós mesmos: na nossa forma de agir ou sentir. Na verdade, Problemas realmente existem entre nós mesmos e o nosso meio ambiente, como uma desigualdade entre os dois.

Como exemplo, nós podemos nos agarrar firmemente a nossos desejos, mesmo que isso cause problemas ao nosso redor. Inversamente, toda uma situação pode se enfraquecer por causa de um indivíduo teimoso. Estas são realmente duas maneiras de olhar para a mesma desigualdade. Uma lança o Problema no ambiente, a outra o coloca na pessoa. Assim, quando olhamos para o Problema do Personagem Principal, estamos realmente olhando para a desigualdade da história em geral, conforme isso se reflete no Personagem Principal.

A importância relativa de conhecer o Problema da História Geral subjacente varia de acordo com as escolhas que você fez acerca do Personagem Principal e do Enredo. Mais uma vez, essa é uma questão de ênfase, ao invés de eliminação. Em algumas histórias, o Problema vai ser a chave para determinar como você vai abordar as explicações da Narrativa, enquanto em outras, ele vai parecer menos relevante para a progressão temática da história.

No caso de Jurassic Park, o Problema é mais essencial do que o Alcance Temático para o enredo. Dentro do Assunto Destino, a história explora o desequilíbrio entre o Caos e a Ordem. Mas a sua mensagem é sentida como uma sensação subjacente, ao invés de um ponto de foco constante, conforme os personagens principais tentam se salvar confinando os enormes dinossauros dentro das cercas elétricas do parque.

Exemplos de Problemas da História Geral:

TÍTULO PROBLEMA
A Casa das Bonecas Consciência
Muito Além do Jardim Caos
Descalços no Parque Controle
Corpos Ardentes Procura
Chinatown Desejo
Quatro Casamentos e Um Funeral Descrença
O Fugitivo Ajuda
À Margem da Vida Procura
O Grande Gatsby
Hamlet Reflexão
Na Linha de Fogo Confiança
Jurassic Park Ordem
O Veredicto Descrença
Quem Tem Medo de Virginia Woolf? Ordem

Amanhã voltaremos com um novo assunto. Boa escrita pra você hoje!

Anúncios

9 Comentários

  1. Já sigo o blog há algum tempo. Se dúvida o acho formidável. Esta é a primeira vez que dou as caras por aqui (nos comentários), claro que deveria tê-lo feito antes…
    Posso dizer, simplesmente, muito obrigado por todos esses fabulosos posts que só têm a contribuir com o desenvolvimento dos roteiristas e cineastas.

    Comentário por kars — 05/08/2011 @ 16:49

    • Oi, Kars! =)

      Muito obrigada pelos elogios e pela força! Saber que estou cumprindo o meu objetivo de passar pra frente o pouco que sei me dá uma alegria imensa. Obrigada por estar sempre acompanhando o blog e por ter tido o trabalho e o carinho de comentar. Sinta-se muito bem-vindo para comentar, criticar, perguntar ou simplesmente dar um oi, sempre que quiser! :mrgreen:

      Um abração, Kars, e muito sucesso! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 06/08/2011 @ 20:10

  2. Olá, Valéria, tudo bem? Leio o seu blog já faz um tempo e ele me é muito útil, então parabéns pelo ótimo trabalho, antes de tudo!

    Mas gostaria de lhe perguntar sobre algo que não encontrei – talvez até por falta de atenção, desculpa aê se for esse o caso.

    Sabe quando um personagem narra alguma coisa em cena? Tipo, ele está na cena, não está dizendo nada, mas está narrando (como o que a Sarah Jessica Parker faz em Sex and the City).

    Pode me responder? Deculpa por não ser o post mais apropriado para fazer essa pergunta.

    Comentário por Elton Martins — 05/08/2011 @ 21:56

    • Oi, Elton! =)

      Muito obrigada, fico super feliz que você esteja gostando do blog! E não tem por que pedir desculpas, este blog está tão cheio (e, pra falar a verdade, mal organizado — é que me falta tempo!!) que até pra mim é difícil achar as coisas. Mas consegui encontrar um post (antigão, aliás. Eu tenho de reformatá-lo, na época eu mal sabia mexer no blog!) que pode te dar uma pequena introdução ao assunto: https://dicasderoteiro.com/2009/12/12/como-escrever-uma-cena-de-telefonema/

      Só que a sua pergunta é tão boa que eu vou fazer um post só para respondê-la por completo. Aguarde que ele sai ainda esta semana, é que tem outros pedidos na fila, mas não vai tardar!

      Um abraço grande, Elton, e obrigada pela visita! Sucesso para os seus roteiros!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 06/08/2011 @ 20:35

  3. Que bom que você conseguiu terminar esta série de 13 partes. Foi muito bom poder lê-la. Mais uma vez PARABÉNS!!!

    Eu já lhe perguntei sobre sites e blogs, e lhe agradeço pela resposta. Agora, aproveito para perguntar sobre quais livros você mais se utiliza para aprender, para proveito próprio. Quais julga serem melhores para o aprendizado, seja de iniciantes ou de quem já está nessa caminhada de roteirista.

    Ah! e sobre esse texto que você ‘linkou’ na resposta acima, eu realmente não lembrava e, foi de muita utilidade lê-lo.

    ABRAÇOS de um leitor assíduo deste blog.

    Comentário por Paulo Henrique — 09/08/2011 @ 14:44

    • Oi, Paulo Henrique! =)

      Ufa! Finalmente chegamos ao final dessa série, né? Depois de tantas semanas de dificuldades, agora estamos engrenando no ritmo de novo. Se tudo der certo, muito em breve teremos novamente um post por dia (de vez em quando, até mais de um — bem, eu posso ser um pouquinho ambiciosa, não posso?).

      E estou muito feliz por você ter feito esta pergunta. Por acaso, eu a respondi há poucos dias para um colega que a enviou por e-mail, mas eu fiquei meio triste porque achei que outras pessoas poderiam também se beneficiar dela (por isso que eu prefiro que façam perguntas pelo blog), e agora você me deu a oportunidade que eu estava querendo para passar esta informação para mais gente! Valeu! :mrgreen:

      Eu vou “copiar e colar” a resposta sobre livros aqui:

      Eu sempre indico os livros do Syd Field e o do Robert McKee para quem está iniciando no ramo. O Roteiro – Fundamentos do Roteirismo (em sua versão anterior, o Manual do Roteiro) e Os Exercícios do Roteirista me ajudaram muito quando comecei. Já o Story – Substância, Estrutura, Estilo é mais recente, mas já é considerado uma das bíblias do roteirismo.

      Para quem já escreve e precisa aprimorar seus roteiros, eu gosto de indicar os livros da Linda Seger: Como Criar Personagens Inesquecíveis, Como Aprimorar um Bom Roteiro, Do Roteiro Para a Tela e A Arte da Adaptação. Eu já os estudava no original e fiquei muito feliz quando saíram em português, assim mais gente têm acesso a eles.

      Em inglês existe um universo de livros de roteiro, mas eu indicaria o The Screenwriter’s Bible, de David Trottier; How Not To Write a Screenplay, de Denny Martin Flinn; Save The Cat!, de Blake Snyder; como alguns dos mais famosos e interessantes. Mas também existem vários mais especializados, que cobrem áreas específicas do ofício, como o Writing Short Films, de Linda J. Cowgill; o Comedy Writing Step by Step, de Gene Perret, entre outros, vai depender do que você está procurando. Existe um sobre cinema que eu achei muito legal, dá um incentivo danado pra gente começar a fazer nossos próprios filmes: What They Don’t Teach at Film School: 161 Strategies For Making Your Own Movies No Matter What [algo como: “O Que Eles Não Ensinam Na Faculdade de Cinema: 161 Estratégias Para Fazer os Seus Próprios Filmes, de Qualquer Maneira”].

      É isso, espero que esta pequena lista ajude um pouco. Na verdade, a bibliografia de roteirismo (em inglês, pelo menos) é imensa, às vezes a gente até fica meio perdido (eu mesma ainda tenho uma lista grande de livros pra comprar), mas esses aí já dão um bom empurrãozinho inicial.

      Um abração, Paulo Henrique, e obrigadíssimo por suas perguntas interessantes e pela força que você sempre me dá! :mrgreen: Uma ótima semana pra você! 😀 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 09/08/2011 @ 15:57

  4. Obrigadão pela resposta, Valéria.

    Não foi uma resposta e sim, um verdadeiro post dentro dos comentários. Fico feliz de ter ajudado você a tornar público este seu texto-resposta sobre os livros. Com certeza vai ajudar muita gente. Gostei bastante das dicas. Em geral me parecem bem interessantes. Alguns eu já li. Outros com certeza agora fazem parte da minha lista também.

    Um abração!!!

    Comentário por Paulo Henrique — 15/08/2011 @ 11:18

  5. Ah! já ia me esquecendo. Por que não faz um post só dessas dicas de livros? Seria bem interessante comentarmos sobre a importância de alguns desses livros.

    Beijão!!!!!

    Comentário por Paulo Henrique — 15/08/2011 @ 11:21

    • Oi de novo, Paulo! =D

      Você sabe que a sua ideia é simples e genial? Incrível, como eu não pensei nisso antes?! (o óbvio fica claro depois que alguém deu a resposta, né?)

      Já respondi essa pergunta tantas vezes nesses quase dois anos de blog, deveria ter feito isso há muito tempo! Vou seguir o seu conselho esta semana mesmo, adorei!! Puxa vida, obrigadão, Paulo, isso vai ser uma mão na roda pra mim, valeu mesmo!

      Tá vendo como eu preciso de vocês? Não só eu estou sempre aprendendo, mas também preciso de suas dicas e orientações!! Uma mão está lavando bem a outra, né? :mrgreen:
      Um beijão, Paulo, obrigadão novamente, e até loguinho que eu estou indo agora pro post de comédia pra continuar a conversar contigo! 😆 :mrgreen:
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 16/08/2011 @ 10:00


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: