Dicas de Roteiro

10/07/2011

As 12 Perguntas Essenciais Que Todo Escritor Deve Responder – Parte 4

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 11:14
Tags: , , ,

Aqui está a quarta parte de nossa série tirada do site Storymind e de autoria de Melanie Anne Phillips:

pergunta3

3. A Abordagem do Personagem Principal – Fazer ou Ser

Alguns dos personagens que você cria como autor escolherão Fazer, eles tentam realizar seus objetivos através de atividades (fazendo as coisas). Outros personagens escolhem Ser, eles tentam realizar seus objetivos trabalhando-os internamente (sendo de certo jeito). Quando se trata do Personagem Principal, esta escolha de Fazer ou Ser terá um grande impacto sobre a forma como ele aborda o problema da história. Se você quiser que o seu Personagem Principal prefira resolver os problemas externamente, escolha o tipo Fazer. Se você quiser que o seu Personagem Principal prefira resolver os problemas através do trabalho interno, escolha o tipo Ser.

Abordagem: o tipo de técnicas que um personagem usa para resolver problemas, os quais favorecem ou o esforço mental ou o físico.

Por temperamento, os Personagens Principais (como cada um de nós) têm um método preferencial de abordar Problemas. Alguns preferem adaptar o seu ambiente a si mesmos através da ação, outros preferem adaptar o seu ambiente a si mesmos através da força de caráter, do carisma e da influência. Não há nada intrinsecamente certo ou errado com cada Abordagem, no entanto, isso afeta o modo como alguém irá responder aos Problemas. Escolher "Fazer" ou "Ser" não impede um Personagem Principal de usar a outra Abordagem, mas apenas define o modo provável de ele Abordar primeiro um Problema, usando o outro método somente se o primeiro falhar.

Exemplos de personagens do tipo Fazer são John McClane (interpretado por Bruce Willis) em Duro de Matar, ou Harry Callahan (Clint Eastwood) em Perseguidor Implacável. A novata agente do FBI, Clarice Starling (Jodie Foster), em O Silêncio dos Inocentes também responde instintivamente aos eventos através da ação, razão pela qual seu supervisor acredita que ela vai se tornar uma boa agente do FBI quando se formar do treinamento.

Um exemplo de um personagem do tipo Ser com uma abordagem intrínseca à resolução de problemas através da deliberação é Frank Horrigan (interpretado por Clint Eastwood) no filme Na Linha de Fogo.

Advogado Ned Racine (interpretado por William Hurt) em Corpos Ardentes também é do tipo Ser. Ele parece impulsivo em matéria de amor, mas delibera sobre as suas opções antes de concordar em ajudar a sexy Matty Walker (Kathleen Turner) a herdar a fortuna de seu marido.

O tipo Ser pode parecer uma vítima em uma história onde as ações precedem as decisões. Em uma história influenciada pelas decisões, entretanto, o de tipo Ser é frequentemente o mentor ou o supervisor nos bastidores, colocando freios nos personagens que são do tipo Fazer. Em uma série policial de TV como Lei & Ordem, um tipo Ser pode ser o Chefe de Polícia ou o Promotor, em vez de um Detetive sob disfarce ou um Promotor Público Assistente, cujo trabalho é processar criminosos no tribunal.

Muitas duplas famosas de filmes contêm tanto um tipo Ser e um Fazer, como Butch e Sundance (interpretados por Paul Newman e Robert Redford) em Butch Cassidy, os personagens-título de Thelma & Louise (Geena Davis e Susan Sarandon) ou Billy Ray Valentine e Louis Winthorpe III (Eddie Murphy e Dan Ackroyd) em Trocando as Bolas.

Exemplos de personagens tipo Fazer e Ser:

FAZER SER
John McClane, Duro de Matar Ned Racine, Corpos Ardentes
Harry Callahan, Perseguidor Implacável Frank Horrigan, Na Linha de Fogo
Clarice Starling, O Silêncio dos Inocentes Laura, À Margem da Vida
Frank Galvin, O Veredicto Francine Hughes, Cama Ardente
Dr. Richard Kimble, O Fugitivo William Munny, Os Imperdoáveis
Luke Skywalker, Guerra Nas Estrelas  
James Bond, todos os filmes de James Bond  

Boa escrita pra você hoje!

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: