Dicas de Roteiro

22/05/2011

12 Regras Para Ter o Seu Roteiro Rejeitado Imediatamente

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 14:10
Tags: , ,

O artigo de hoje é de autoria de Ugur Akinci e foi tirado do site Screenwriting Basics:

conto

Existe uma arte de ter os seus roteiros rejeitados imediatamente. Faça o seguinte se você gostaria de ver os seus meses e talvez anos de esforços irem para o lixo em 15 segundos ou menos.

1) Escreva um roteiro de "longa-metragem" que tenha 30 páginas.

2) Escreva um roteiro de "longa-metragem" que tenha 300 páginas.

3) Use uma grande capa laranja fluorescente para ser notado.

4) Cole fotos generosamente para ilustrar suas cenas. A foto de você sorrindo ao lado do seu animal de estimação preferido e teclando em seu laptop realmente realçaria o valor estético da capa.

5) Forneça frequentes e detalhadas instruções de câmera e de direção, como: "TOMADA DE ÂNGULO ABERTO"; os atores devem imaginar que estão em um "FUNERAL" etc.

6) Use uma fonte maluca na capa e dentro do roteiro, a fim de chamar a atenção do Leitor do estúdio. Nunca use Courier.

7) Inclua notas para o Leitor na faixa lateral, tipo: "Caro Leitor, por favor preste atenção na inversão na trama nesta cena!"

8 ) Use nomes de personagens que comecem todos com a mesma letra e sejam muito semelhantes entre si, como Jane, Joe, Jim, Jake, Jimmy, June, Jess, Jessie, Jesse, Jo, Jon, e Jil.

9) Certifique-se de que nada esteja acontecendo nas primeiras 5 páginas. Por exemplo, você pode descrever o lindo cenário conforme o seu protagonista faz uma viagem de trem de Nova Iorque a Boston.

10) Não use o estilo de parágrafo universalmente aceito de formatação de roteiros. Seja original. Coloque todo o texto alinhado À DIREITA.

11) Só existem pouquíssimos temas sob o sol e é inteligente imitar o sucesso. Pegue CASABLANCA. Mude os nomes para Bob e Shamita. Mude a cidade para Austin, Texas, e bingo! Você conseguiu um roteiro 100% inaceitável.

12) "Estrutura Dramática" é para os idiotas. Crie um protagonista sem vontade para nada no mundo. Afinal de contas, ele não é um monge budista?

MongeMeditando

Boa escrita pra você hoje! =D

Anúncios

5 Comentários

  1. Oi Valéria, boa tarde!

    Você sabe onde eu posso encontrar a capa laranja fluorescente?!

    Por favor, me ajude, o restante já está tudo prontinho.

    Abraços!

    Comentário por Cilas Medi — 22/05/2011 @ 16:47

  2. Grandes dicas.

    Já cometi alguns erros desses.

    Agora, só uma coisinha, que CAPA LARANJA FLUORESCENTE é cinema puro, isso é!!!

    Comentário por Jean Franco — 23/05/2011 @ 04:14

  3. Olá, Cilas e Jean! =)

    Ei, eu não conto onde achar a capa laranja fluorescente nem sob tortura!! Tão pensando que vou entregar o ouro ao bandido?! O grande pulo do gato?! E não vão pensando também que é fácil assim dominar a arte de ser rejeitado em 5 segundos, essa é uma arte que precisa ser aprimorada com muita (falta de) conscência e esforço! Pode levar anos! Por exemplo, botar a sua foto sorridente escrevendo ao lado de seu animal de estimação preferido: isso tem variações infinitas. Coloque uma foto sua ao lado de seu cachorro e/ou gato, e tem gente que vai até gostar! Inadmissível!! Mas se for o seu jabuti deprimido ou a sua coleção de minhocas de estimação, a reação muda bastante. Mas já falei demais! Vocês precisarão ralar muito pra chegar ao meu nível, viu? (Rsrs!) :mrgreen:

    Um beijo grande pra vocês, Cilas e Jean! Adorei a visita! =D
    Valéria Olivetti

    Comentário por valeriaolivetti — 23/05/2011 @ 09:54

  4. Oi, Valeria!!!
    Eu já cometi erros assim…

    Enfim, aqui vai algo que eu nã posso errar, e estou pedindo um “conselho”. É sobre a Tradução do roteiro. Eu, que faço curso de inglês, e já estou em um nivel intermediário estou pretendendo traduzir sozinho, será de daria para eu mesmo traduzi-lo ?

    Comentário por Igor — 25/05/2011 @ 18:25

    • Oi, Igor!

      Olha, pessoalmente eu não recomendaria, se for pra mandá-lo pra Hollywood, pra agentes ou produtores. Nem se você estivesse no nível avançado e terminado a faculdade de Letras aqui. Quando lemos algo em nossa língua nativa, percebemos com muita rapidez e facilidade quaisquer erros na gramática e estranhezas nas expressões mais comuns. Isso vale para nós e para eles. Em minha opinião, só quem é de lá mesmo é capaz de traduzir, ou melhor, adaptar nosso texto da forma mais natural para a língua inglesa. Ou quem morou lá fora muitos anos (e estudou muito) e acabou conquistando essa naturalidade.

      Por exemplo, se você for traduzir um texto do inglês para o português, você saberá adaptar a frase de forma que fique parecida com o jeito que falamos aqui, mesmo que para isso precise mudar um pouco a formação da frase e a escolha das palavras, porque você entendeu o que o autor quis dizer e escolheu a maneira mais fácil daquilo ser compreendido por nós, com expressões comuns a nós. Mas fazer o caminho contrário, só conhecendo profundamente todas as expressões idiomáticas, os maneirismos linguísticos, as gírias, toda uma cultura que se expressa no modo de falar de um povo. Sinceramente, eu estudo inglês há 20 anos, e não me sinto nem perto de conseguir isso. Talvez só mesmo morando um tempo lá fora eu me sentiria segura de ousar traduzir um roteiro meu para enviar para os produtores.

      É dureza, eu sei. Uma tradução especializada é bem cara, mas já são tantas chances contra nós de que não leiam nosso roteiro, que seria muito chato se eles de fato o pegassem para ler e o jogassem de lado no mesmo instante por haver erros e estranhezas logo nas primeiras frases. Nem vai importar se a história é boa, eles não vão terminar de ler nem a primeira cena. E isso vale pra todo mundo, tem muito americano escrevendo errado que sofre o mesmo destino.

      Bom, Igor, como você mesmo disse, este é apenas um conselho. A decisão final será apenas sua. Você, mais do que ninguém, conhece a sua fluência e a sua segurança no idioma para realizar isso. Além do que, hoje em dia há vários fóruns de tradução em que as pessoas pedem conselhos e tiram dúvidas com outras com conhecimento da língua – talvez com isso e com alguma sorte, você encontre nativos da língua inglesa de boa-vontade dispostos a corrigir e aprimorar a sua tradução sem cobrar nada. O único problema é que você precisa registrá-lo no WGA antes (já em inglês), senão, sabe como é! Todo cuidado é pouco!

      Um abração, Igor e boa sorte, seja qual for sua decisão!
      Valéria Olivetti =)

      Comentário por valeriaolivetti — 27/05/2011 @ 12:32


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: