Dicas de Roteiro

28/02/2011

“Dez Regras Para Escrever Ficção”: Roddy Doyle

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 13:15
Tags: ,

Aqui vai mais uma parte de nossa série indicada pelo roteirista Scott Myers e publicada originalmente pelo jornal britânico The Guardian:

type-writer_2

1. Não coloque uma foto do seu autor favorito em sua mesa, especialmente se o autor for um daqueles famosos que cometeram suicídio.

2. Seja gentil consigo mesmo. Preencha as páginas o mais rapidamente possível; espaçamento duplo, ou escreva pulando sempre uma linha. Considere cada nova página como um pequeno triunfo —

3. Até você chegar à página 50. Então acalme-se e comece a se preocupar com a qualidade. Sinta ansiedade mesmo – esse é o trabalho.

4. Dê um nome ao trabalho o mais rápido possível. Reconheça-o, e observe-o. Dickens sabia que Bleak House ia ser chamado de Bleak House antes de começar a escrevê-lo. O resto deve ter sido fácil.

5. Restrinja a sua navegação a alguns poucos sites por dia. Nem chegue perto de apostas online – a menos que seja pesquisa.

6. Mantenha um dicionário de sinônimos e antônimos, mas no galpão no fundo do jardim ou atrás da geladeira, em algum lugar que exija deslocamento ou esforço. As chances são de que as palavras que surgem na sua cabeça servirão bem, por exemplo, "cavalo", "correu", "disse".

7. Ocasionalmente, ceda à tentação. Lave o chão da cozinha, pendure a roupa lavada. Isso é pesquisa.

8. Mude de ideia. Boas idéias são frequentemente assassinadas por outras melhores. Eu estava trabalhando num romance sobre uma banda chamada The Partitions. Então eu decidi chamá-la The Commitments.

9. Não procure na Amazon pelo livro que você ainda não escreveu.

10. Gaste alguns minutos por dia trabalhando na biografia da contracapa – "Ele divide seu tempo entre Cabul e Terra de Fogo". Mas, então, volte ao trabalho.

vintage_typewriter

Boa escrita pra você hoje!

Anúncios

7 Comentários

  1. Minhas dez regras de escrita. Se eles, os famosos fazem, porque eu não? E você Valéria?
    1. Não seja coerente. Escreva tudo o que lhe vier na cabeça.
    2. Primeiro, diga o título. Ele repercute o tempo todo e lhe dá confiança que o trabalho já está terminado antes de começar.
    3. Não se acanhe em escrever palavrões. Eles servem de desculpas pelo não início do que realmente deve e pode escrever. Como uma topada na parede, claro, na esquina (dela).
    4. Proponha a escrever a maior literatura da língua portuguesa. Vale o item 3.
    5. Seja firme. Não fuja enquanto escreve. Nem para lembrar-se das contas, dos filhos, da esposa (ou amante). Só escreva. As palavras saem que é uma beleza. O que elas significam, fica para depois.
    6. Encontre a paz enquanto escreve. Mesmo sobre crimes, assassinatos em série. Faz de contas que vai, depois que matar, amar. Assim é o enredo. Em primeiro – lutas – depois a calma. Dever cumprido (e a morte anunciada, afirmada e escrita).
    7. Saia do sério. Fique bravo. Brigue com os personagens. Eles são gente estranha e perturbada. Fique realmente violento caso eles queiram ocupar o seu lugar. Não se levante. Enfrente!
    8. Faça fogo no trabalho, ou melhor, ponha fogo no trabalho e reescreva. Verá que os personagens ficam melhores, mais sensatos e coerentes. E sua escrita vai melhorar, sobremaneira.
    9. Não copie. Não leia de outros enquanto estiver escrevendo. Concentre-se. Que seja assim, faça o espiritual suplantar o normal e o físico. Afinal está escrevendo sobre ficção. E o espírito sabe voar, você não. Faça o contrário e verá o estrago na calçada. Ploft.
    10. Finalmente. Não aceite nada de terceiros. Até desse (metido a) escritor. Afinal, quem escreve deve ter, primeiro, opinião. E a do próximo é muito longe do que pode (você) alcançar e fazer.

    Comentário por Cilas Medi — 01/03/2011 @ 14:27

    • Oi, Cilas! =)

      Adorei a sua iniciativa de escrever suas dez dicas, sensacional! Eu me diverti muito lendo a sua lista (nos número 7 e 9, eu não aguentei e gargalhei; ótimos!), mas, além de divertida, ela tem muita coisa importante. Eu sigo várias delas. A número 5 é sobremaneira muito difícil para nós, principiantes. É preciso encontrar essa firmeza antes de encontrar o sucesso, acho que uma coisa está intimamente ligada à outra. Mas que é duro, é.

      Eu nunca pensei numa lista assim, mas se eu tivesse que dar apenas um conselho para outros escritores, este seria:

      1. Divirta-se escrevendo. Divirta-se muito. Mesmo com os bloqueios de escritor e as reescritas difíceis, se você não se divertir na maior parte do tempo, desista. Ter talento para a escrita não é igual a ter vocação, e esta carreira já é difícil o suficiente para quem gosta do ofício, quem não gosta deveria tentar outros trabalhos mais promissores para obter fama e dinheiro. Caso contrário, os resultados não compensarão o sofrimento.

      É duro dizer para outra pessoa desistir, mas a última frase é verdadeira, e um aviso sério; escrever é virar a nossa alma ao avesso e expô-la para o mundo, é necessária uma forte estrutura mental e emocional para isso, não é todo mundo que é capaz de arcar com as consequências. Infelizmente.

      Um beijo grande, Cilas, adorei sua contribuição! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 03/03/2011 @ 09:56

      • APOIADO!

        Antes de qualquer coisa, o roteirista TEM que se divertir enquanto escreve! Isso é algo que faremos 24h por dia. Nao é um daqueles trabalhos administrativos que ao sair do serviço podemos esquecer tudo até o dia seguinte ao colocarmos os pés dentro da empresa.

        Escreveremos o tempo todo e a toda hora, se isso não for divertido, não teremos tempo também para procurar outra maneira para tal.

        Comentário por Fernando — 03/03/2011 @ 19:56

  2. Adorei! Principalmete o número sete:

    7. Ocasionalmente, ceda à tentação. Lave o chão da cozinha, pendure a roupa lavada. Isso é pesquisa.

    Estou fazendo bastante disso ultimamente! estou indo a cada lugares que até Deus duvida! e cada um, cada pessoa, cada caso contado, valem a pena! estou aprendendo tanto escutando! e isso tudo graças a você e as outras pessoas que me apoiam como escritor, roteirista e futuro cineasta!
    Sim, vou fazer faculdade de cinema na estácio! Se tudo der certo vou ganhar desconto por ser militar e vou começar a fazer o que eu amo!
    Eu tenho que compensar! estou num trabalho horrível! então que ele pague algo que eu ame! Fica um pouquinho balanceado até eu conseguir algum emprego público fora do militarismo!
    Militarismo é tudo o contrário do que eu pratico como escritor! Sou a favor da liberdade de expressão, e lá dentro, a cada segundo, sou lembrado que teho que ficar de bico calado para tudo o que vejo e que o único direito que tenho, é de não ter direitos!
    Mas mesmo assim, até esse trabalho desgastante me dá bases! Ele me dá situações, pessoas, piadas, gestos atitudes, histórias, paisagens, tudo que me enriquece a cada minuto e me impedem de ficar deprimido olhando o lado negativo da situação.

    Obrigado Val, e acho que eu falei demais!
    Amo muito o seu blog!!!!!!!

    Comentário por vinicius — 02/03/2011 @ 18:12

    • Oi, Vinicius! =)

      Fiquei super feliz de saber que você vai estudar Cinema, muito legal! E tem toda a razão de fazer do seu limão uma limonada, vendo tudo com olhos de escritor, isso é excelente!

      Já ouvi histórias cabeludas de amigos que serviram o exército, sei bem o que você está passando (e a parte de lavar o chão e capinar não são metáforas!), mas é bom ver que você tem planos e está pondo-os em prática, consciente do que quer.

      Um beijo grande, Vinicius, e obrigadão pela força e pelo carinho. Torço muito para que as portas dessa carreira se escancarem e que você tenha muito sucesso!
      Valéria Olivetti =)

      Comentário por valeriaolivetti — 03/03/2011 @ 10:06

    • Pense assim: Isso algum dia servirá (ao menos) para deixar os telespectadores extasiados com seu E! True Hollywood Story.

      Comentário por Fernando — 03/03/2011 @ 20:01


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: