Dicas de Roteiro

01/02/2011

Como Cortar Custos de Produção Em Um Roteiro

Filed under: Produção,Roteiro — valeriaolivetti @ 19:02
Tags: , ,

O artigo de hoje foi escrito por um contribuidor anônimo para o site eHow:

Equipe de filmagem

Talvez você tenha escrito o próximo "…E O Vento Levou”. Mas tenha em mente que quando os produtores lêem roteiros, uma coisa importante que passa pela cabeça deles é o custo de produção. Muitos estúdios estão cortando os custos de produção, e se o seu roteiro reflete gastos demasiados que irão inflar o orçamento de produção, então é provável que o produtor vá gritar "Corta!", antes mesmo da filmagem começar!

INSTRUÇÕES

1. Evite personagens demais ou cenas de multidão em seu roteiro. Combine vários personagens em um. Em um cenário coletivo como um escritório ou uma festa, tenha apenas um ou dois personagens com falas.

2. Estabeleça o seu roteiro em locações não-exóticas. Despesas de viagem, autorizações e até mesmo a imprevisibilidade do clima, que pode levar a atrasos devido a problemas técnicos, tudo irá aumentar os custos de produção.

3. Reduza as cenas externas a um mínimo. Cenas ao ar livre dependem do bom tempo e do uso de extras, que devem todos ser pagos, alimentados e transportados.

4. Reduza o número de personagens principais a um mínimo. Quanto mais personagens importantes, mais potencial estelar, e maiores os salários dos atores.

5. Evite usar efeitos especiais demais. Animação computadorizada é uma ferramenta cara de criação de filmes. Efeitos especiais podem exigir maquiadores, construtores de modelos e artistas, todos os quais precisam ser pagos.

6. Evite botar cenas perigosas com dublês demais, tais como perseguições de carro, em seu roteiro. Esses detalhes precisam de coreógrafos e dublês, e podem levar os custos de produção às alturas.

7. Reduza as tomadas de movimento de câmera. Tomadas em movimento exigem carrinhos (dollies) e cameramen especiais.

DICAS E AVISOS

💡 Não use canções populares como música para o seu filme em potencial. O uso de canções já existentes exige a obtenção de direitos, que podem ser caros.

cortando custos Boa escrita pra você hoje!

Anúncios

3 Comentários

  1. Valéria!

    Eu vivo pensando nesses pontos. Como tudo pra mim é caro, e não faço idéia de média de valores (porque quem é do meio tem pelo menos uma noção de tudo isso) fico um pouco em dúvida se aquilo que eu acho que estaria barateando a produção está realmente trazendo algum benefício em termos financeiros.

    Bom, enquanto isso, procuro manter minha história centrada em um único cenário (ou um pequeno conjunto deles — que até uma amiga arquiteta já projetou a planta baixa) e acredito que um mockumentary estilo “Reno 911!” possa atrair os produtores nesse sentido.

    Comentário por Fernando — 19/02/2011 @ 23:14

    • Ah, e acredito estar no meio de um bloqueio criativo. Damn! Não tem nenhuma relação com o post, mas preciso desabafar isso!

      Comentário por Fernando — 19/02/2011 @ 23:20

      • Você está certíssimo, Fernando, saber os custos de um roteiro sem saber os valores, sem estar envolvido em produções atuais, é ficar chutando, e as coisas que este post indica são apenas as mais óbvias. Eu acho que você está indo muito bem, tem consciência do que está escrevendo e está se esforçando para não ultrapassar os limites de custos. Fazer planta baixa dos cenários é algo muito legal, acho que vou seguir seu exemplo, eu fico com as imagens na cabeça mas é bem melhor botá-las no papel, ajuda a descrever os cenários depois em palavras e aproveitar melhor todos os espaços disponíveis, gostei.

        Volta e meia eu passo por bloqueios criativos, é angustiante! Mas se a gente continua tentando escrever, ou passa temporariamente para outra história (um curta, por exemplo), quando volta para aquela empacada, costumamos vê-la com outros olhos e ter algo para melhorá-la ou mudá-la, a fim de pularmos a imensa pedra que estava no meio do nosso caminho.

        Boa sorte e bom trabalho, Fernando, não se preocupe que escrever é essa montanha-russa mesmo, a gente só tem de se “acostumar” com esses altos e baixos e sobreviver a eles! 😉
        Um beijo grande,
        Valéria Olivetti

        Comentário por valeriaolivetti — 20/02/2011 @ 08:48


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: