Dicas de Roteiro

24/01/2011

Como Receber Críticas Com Graça, Elegância e Gratidão

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 17:27
Tags: ,

O artigo de hoje também é da roteirista tlperl, e também foi tirado do site eHow (é o segundo de um total de três artigos dessa autora):

Roteiro corrigido

Digamos que você queira ser escritor e de fato já escreveu algo. Parabéns! Você até já deu o corajoso passo de dá-lo aos amigos e/ou colegas e pediu-lhes para ler o seu material e lhe dar feedback. Agora, se você deseja manter essas pessoas como amigos e/ou colegas, aqui vai como aceitar as críticas deles com graça, elegância e gratidão.

Instruções

1. Seja paciente. Dê ao seu crítico tempo para ler e absorver o material. Se for menos de cinco páginas, alguns dias. Um livro ou roteiro pode levar até um mês ou mais para ler. Não perturbe a pessoa todos os dias para ver se ela leu. Verifique a cada duas semanas. Se a pessoa ainda não o leu, deixe para lá e passe para outros leitores.

2. Quando e se você ouvir que o leitor está pronto para dar suas observações, agradeça-lhe muito e ofereça para levá-lo para comer fora, ou pelo menos, tomar um café. Esta pessoa investiu uma quantidade significativa de tempo no seu material. O mínimo que você pode fazer é pagar um cafezinho.

3. Quando vocês se encontrarem, traga uma caneta, papel e a sua própria cópia do seu material. Isso demonstra que você está levando a sério este processo. [N.T.: Um internauta sugeriu o uso de um gravador para esta entrevista. Bem mais prático.]

4. Depois de uma quantidade limitada de conversa fiada, diga ao seu leitor o quanto você aprecia o tempo que ele gastou para ajudá-lo, e então pergunte-lhe quais são suas considerações e comentários sobre o material. Não pergunte a ele logo de cara se gostou ou não. Você pode ficar decepcionado com a resposta dele e menos aberto a ouvir suas críticas.

5. Mais importante ainda, OUÇA. Sorria e acene com a cabeça. Respire fundo. Faça anotações do que a pessoa está dizendo. NÃO discuta. NÃO fique na defensiva. NÃO tente explicar o que você estava tentando fazer naquela cena. NÃO dê desculpas tipo: "Eu não tive tempo de inserir isso" ou "Eu pensei que isso estava óbvio." FAÇA perguntas adicionais, pedindo à pessoa para ser mais específica. Pergunte quais partes funcionaram melhor para ela e porquê, e que partes não funcionaram. Não pergunte a ela como corrigir o problema, esse é o seu trabalho como escritor.

6. Após a sessão de críticas, agradeça-lhe novamente e envie a seguir uma nota de agradecimento ou um e-mail. Lembre-se, você não tem que incorporar os comentários dele, isso é com você. Mas se você decidir desconsiderar o que o leitor disse, não lhe peça para ler o mesmo material novamente. Adivinha só, ele ainda não vai gostar!

7. Repita os passos de 1 a 6 com tantos leitores quanto possível. Escritores profissionais devem receber observações de editores, diretores e produtores o tempo todo – isto irá ajudá-lo a desenvolver a pele de rinoceronte que você deve ter para ser bem-sucedido.

Dicas e Avisos

Se você apenas quer alguém para lhe dizer que você e o seu material são ótimos, não mude nadinha, dê ele para a sua mãe. Escrever é reescrever.

rino

sweatJá tô me sentindo no Saara…

Boa escrita pra você hoje! =)

Anúncios

10 Comentários

  1. Oi valéria! Tenho alguns amigos bastante sinceros pra me dar opiniões quanto às minhas ideias, mas só verbalmente… São todos ou preguiçosos ou tem medo que eu continue escrevendo da mesma forma que em 2007, quando comecei a aprender a colocar minhas idéias no papel.
    Estou num grupo que esta criando uma historia em quadrinhos, estou com o trabalho de revisão e adaptação para romance. Seu blog tem me ajudado demais, ele caiu do céu (e… ufa…dessa vez não foi caca de pombo como ultimamente)
    Muito obrigado pelo seu ótimo trabalho valéria!

    Comentário por vinicius — 30/01/2011 @ 23:03

    • Oi, Vinicius! 😀

      Você tem amigos sinceros que te dão opinião, de graça, e ainda chama eles de preguiçosos?! 😆 :mrgreen: Você tem é que tratar eles a pão de ló! Mime-os e ponha-os no pedestal, porque eles são teu tesouro! Sério! Para ter comentários anotados, só pagando profissionais, isso é algo que eu mesma nunca tive! E não acho que eles estejam temendo que você esteja parado no tempo, só de você estar estudando e continuando a escrever, já está se aprimorando e evoluindo a cada dia, isso é algo irreprimível, uma consequência natural do caminho que você está trilhando.

      Acredito que quem esteja com medo de não ter melhorado nada é você mesmo, pois esse é um dos medos secretos que a maioria dos escritores têm. Eu o tenho, e conheço um montão de gente que também tem. A gente só combate isso trabalhando muito, sem desistir. Quando eu volto atrás e leio as coisas que escrevi há 5, 10 anos, eu vejo o quanto melhorei e me animo, mas você precisa dar um tempo de maturação, para ter o distanciamento necessário para poder enxergar isso.

      Por isso, continue em frente que você está muito bem! E eu agradeço imensamente a força, esses dias estão sendo brabos aqui pra mim, mas o carinho que vocês me mandam fazem tudo tudo valer a pena! 😀 (E que bom que o blog não é caca de pombo! Isso me tranquiliza muito! 😆 :mrgreen: )

      Um beijão, Vinicius, e não esqueça de dar um abração de agradecimento nos seus amigos hoje! :mrgreen:
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/02/2011 @ 16:54

  2. Olá Valéria, bom dia!

    Aqui estou eu discordando, novamente. Aja paciência. Nem eu tenho, muito mesmo, comigo. E ainda fico perturbando a vida dos outros.
    Mas é assim que o escritor faz acontecer. Aborrecer, intimidar, posicionar os personagens e dizer, para todo mundo, que ele nasceu com esse defeito, congenito e não pode ser diferente. Tem quem goste, de todo o tipo de literatura. Então, porque não vão gostar dos personagens? Não são meus, nunca foram. Eles chegam e se apresentam.

    É o mesmo que vocês, mulheres maravilhosas, conhecem a nós, homens horrorosos, com opinião e sem educação, e dizem que vão nos modificar depois que casar. Você já ouviu, viu, ou aconteceu com você?! Não, nenhum namoradinho, defeituoso (diferente, quero dizer) não recebeu esse trato (quero dizer, carinho) de sua parte?

    Valéria, Valéria! Por falar nisso, tenho uma personagem Valéria, estou terminando um romance, que é terrível. Mulherzinha (no bom sentido) violenta. Eu não posso com ela. Vou mandar visitá-la.

    Um grande abraço e um beijo carinhoso. Continue, adoro os artigos e provoco para você dizer a sua opinião.

    Ainda mais que diz se divertir com o que eu escrevo. Quer coisa melhor nessa vida?

    Tchau……. até logo….. bem, chega de escrever. Fui……

    Comentário por Cilas Medi — 31/01/2011 @ 08:34

    • Oi, Cilas! 😀

      Em primeiro lugar, quem disse que você me perturba?! De jeito nenhum, é sempre um prazer conversar contigo!

      Ah, sim, eu confesso, quando eu era mais nova já tentei mudar os outros, mas hoje eu me restrinjo apenas aos pitacos aqui no blog! 😆 :mrgreen: Não dá pra mudar ninguém, realmente. Tentar mudar um homem, um companheiro, é a maior furada do mundo. Ou a gente aceita os defeitos, tentando negociar diplomaticamente apenas aqueles dois ou três que achamos mais insuportáveis, e abraçamos as qualidades dele, ou separamos logo, que é muito melhor do que viver brigando. A meu ver, a vida a dois não deveria nunca ser um inferno de desentendimentos, mas um companheirismo cúmplice. Bem, talvez eu seja ingênua e idealista, mas sou da paz, não conseguiria viver assim. Por este mesmo motivo, eu tô fugindo de gente violenta! Principalmente mulher! Eu tenho pavor de mulher violenta, acho que as mulheres, quando estão de pá virada, são mil vezes mais cruéis do que os homens, eu morro de medo! E você ainda quer mandar a minha xará me visitar?! Me inclua fora dessa, pleaaaseeee!! (Som da voz se distanciando enquanto eu corro apavorada…)

      Ah, acho que eu vou poder trabalhar em paz nesta semana, neste exato instante tá caindo o céu aqui no Rio, uma chuva cerrada e cheia de vento que só vendo! Eu queria uma frescata, mas não tem jeito, depois de uma semana escaldante, quando a chuva vem, vem com tudo. Rezo pela segurança do pessoal dos morros e da Serra, a violência das águas aqui tá impressionante, cheia de raios e trovões! 😯 😯 Ei, a minha área de serviço tá ficando encharcada, tá entrando água mesmo com as janelas fechadas!, deixa eu correr!!

      Um beijo grande, Cilas, e até a próxim(glub, glub…)!

      P.S. (Pós-minifaxina na área de serviço): Se você continuar me dando corda, vai acabar se enforcando, Cilas, não tá vendo que eu escrevo demais quando me dão chance? :mrgreen: Depois não reclama! 😆 😉
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/02/2011 @ 17:37

  3. é sempre bom aprender a levar criticas… mas tem muita gente que acha que critica é acabar com a pessoa… tem que mostrar oq gostou e não gostou, por que gostou ou não gostou, dar, sugestões, opniões… essas coisas são criticas
    quer dizer… eu acho
    Mas Valéria! tem algum texto sobre romance policial? investigação, essas coisas???
    Atenciosamente Lucas Luciano

    Comentário por Lucas Luciano — 31/01/2011 @ 12:17

    • Oi, Lucas! 😀

      Eu acho isso de dar e receber críticas uma das coisas mais difíceis em roteirismo. Na verdade, pouquíssimas pessoas estão capacitadas a criticarem bem um trabalho escrito, tanto que bons editores literários são preciosíssimos, e valem o quanto pesam. Se você achar uma única pessoa que seja que consiga fazer isso da forma certa pra você, agarre-a com unhas e dentes, não a deixe escapulir! :mrgreen: E compre uns mimos para ela de vez em quando (suborno é aceitável e recomendável nesses casos!). 😀

      Eu tenho um texto, não muito grande, de uma autora (E criminalista(!)) falando sobre como escrever um suspense policial. Vai ser um dos próximos que vou postar, bem tranquilo de traduzir, pode aguardar!

      Um beijo grande, Lucas, e uma ótima semana pra você!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/02/2011 @ 17:53

  4. Olha, essa história de mostrar para a mãe só para falar que está lindo e maravilho é mentira. Pelo menos pra mim.

    Ou eu sou realmente um péssimo escritor, ou ela sente o prazer em me criticar negativamente. Já resolvi parar de mostrar o que escrevo para ela, pois tudo começa a dar errado até o projeto se auto destruir. Uma amiga (que possui o mesmo problema) ja me disse para parar de mostrar, não só minhas escritas, mas qualquer coisa, porque para elas tudo o que fazemos está errado e tudo acaba dando errado depois de tantas criticas negativas.

    Até hoje o fantasma dessas criticas me assombram, e vivo me perguntando se não estou apenas perdendo tempo e me iludindo com algo que não sou e que não levo jeito algum.

    Ultimamente essas criticas negativas dela estão em xeque, já que ela simplesmente A-DO-ROU Crepúsculo e Percy Jackson (não li nem um dos dois, mas as criticas que já encontrei foram tão pesadas contra as duas “sagas” que duvido ser apenas intriga da oposição), mas ainda assim essas criticas negativas que não tinham nada de construtivas me assustam e fazem colocar minha vida em questionamento todos os dias.

    Comentário por Fernando — 31/01/2011 @ 19:22

    • Oi, Fernando! 😀

      Eu entendo perfeitamente o que você está passando. Eu nunca mostrei nenhum dos meus trabalhos para meus pais, pelo menos os que eu escrevi a sério, estes dos meus últimos 15, 17 anos, depois que notei que não daria certo fazer isso. Eu acredito que todos os pais deveriam ajudar, apoiar, acreditar, incentivar e alimentar o potencial de seus filhos, mas infelizmente não é isso o que acontece na maioria das vezes. Não tenha raiva de sua mãe, perdoe-a por não ter sabido fazer isso tudo por você, perdoe-a por ela ter esse tipo de competitividade (isso também é mais comum nos pais do que se imagina), ela talvez nem perceba o quanto está te botando pra baixo. Do mesmo modo que você deve perdoá-la, também deve IMEDIATAMENTE parar de mostrar seus trabalhos para ela, e seguir em frente, escrevendo. Isso é fundamental, por mais tentado que você esteja de saber a opinião dela, por mais apoio que você esteja querendo dela, a admiração dela, o reconhecimento dela, NÃO mostre nada agora, deixe que ela lhe admire pelo sucesso que você fará, pelo reconhecimento que você terá do SEU público.

      Tudo bem ela gostar de Crepúsculo e Percy Jackson, mas aparentemente você não está escrevendo para o público que gosta dessas obras, então continue escrevendo o que você gosta, do seu jeito, que você encontrará as pessoas certas que irão adorar o que você faz. Pense no seguinte: o pior de todos foi o pai do Paulo Coelho, que quando o filho disse que queria ser escritor, ainda adolescente, o cara botou o garoto no manicômio!! Não conheço ninguém que tenha feito coisa pior com um filho com talento para a escrita, e o Paulo Coelho está hoje aí, um escritor “imortal” de super sucesso, não importa se a gente gosta ou não do estilo dele, ele foi em frente e encontrou seu público fiel.

      A sua amiga está certa, Fernando, encontre pessoas que saibam analisar e criticar bem o seu trabalho (que não é sinônimo de “arrasar”) e ignore todas as críticas não-construtivas que surgirem em sua vida, venham elas de onde for. Você inegavelmente escreve bem e tem prazer nisso, tanto que está sempre estudando (você sempre partilha informações e observações interessantes com a gente aqui), portanto, tem talento e vocação pra coisa. Isso é algo raro e precioso, Fernando. Não deixe que ninguém, repito, NINGUÉM lhe tire isso.

      Ame a sua mãe do jeito que ela é, tente esquecer o que lhe magoou e perdoe-a, tenho certeza que você conseguirá fazer isso se pensar nas coisas boas que ela já fez e faz por você (ninguém é totalmente bom ou totalmente mau nesta vida), e corte o cordão umbilical o mais rápido possível. Esta fase de se tornar adulto e independente apavora a maior parte dos pais, e o que ela está fazendo pode ser algo inconsciente pra prender o filhão com ela por mais tempo. O amor se expressa de muitas maneiras diferentes, algumas vezes meio doentias, mas o ser humano é esse bicho estranho mesmo.

      Então, Fernando, nem pense em parar de escrever, se você fizer isso eu vou ficar super super super super super super super super super triste!!!! Vê se continua em frente, viu, porque eu não quero perder um dos meus grandes companheiros de jornada, pois eu sei que seu futuro brilhante está aí na esquina, e não quero vê-lo perdendo-o por voltar atrás ou por parar no meio do caminho! Arf!! (Som incoercível de indignação). Oras bolas! :/

      Um beijo grande e boa escrita pra você HOJE! =)
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/02/2011 @ 18:56

  5. Eu acho fundamental você repassar os seus escritos para amigos, se tiver entre eles algum roteirista com alguma experiência melhor ainda. Mas mesmo amigos que não entendem muito do métier, muitas vezes podem dar conselhos valiosos. E principalmente ajudar a deixar mais claros cenas ou subplots que nós achamos que estavam perfeitamente subentendidos e assim podemos escrever aquela cena que faltava para deixar mais claro ou colocar um plano a mais para explicitar a ação. Às vezes eles nos ajudam com perguntas óbvias de coisas que nos nem perceberiámos se não nós chamassem a atenção.

    Comentário por Antunes — 13/02/2011 @ 16:22

    • Oi, Antunes! Como vai? =D

      Concordo contigo, isso é de fato fundamental, mas, infelizmente, pela minha experiência pessoal, esses amigos são raríssimos. Ou não têm paciência para ler o roteiro, ou reclamam de tudo e querem reescrever toda a história (o que sempre me deixa abismada, como eles conseguem mudar tanto a coisa que vira outra completamente diferente?! Um filme de terror acaba virando uma comédia romântica de época com absolutamente nada em comum com o primeiro! Acho que todo mundo tem um pouco de escritor frustrado dentro de si, cada pessoa querendo contar a sua história, nem que seja através da “caneta” dos outros!). Por isso valorizo aquelas boas almas que se prontificam a ler e criticar seriamente o nosso trabalho, mesmo que, como você disse, elas não entendam nada do ofício. Essas valem ouro!

      Um beijo grande, Antunes, e obrigadão pela visita! 😀 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 15/02/2011 @ 08:23


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: