Dicas de Roteiro

18/01/2011

Quer Escrever Roteiros Interessantes? Saia da Sua Zona de Conforto

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 18:58
Tags: , ,

O artigo de hoje foi escrito por Rachel Miller para o blog Film Industry Bloggers:

Rachel_Miller

Muitas pessoas dizem: escreva o que você sabe. Mas escrever o que você sabe que seja também interessante – isso não é tão fácil. Porque no final das contas, as pessoas querem ser entretidas – e para fazer isso, a sua história precisa ser interessante e cativante.

Um obstáculo para escrever histórias interessantes é que é muito fácil, especialmente em Los Angeles, se acomodar em um estilo de vida onde você só fala com o seu pequeno círculo de amigos, vai aos mesmos três bares, e nunca deixa o seu bairro. No entanto, para ser realmente interessante, você tem que sair de sua zona de conforto e constantemente fazer coisas novas e interessantes.

comfortzone

Eu preciso sair da minha zona de conforto.

Por exemplo, todo final de semana eu tento fazer algo novo e diferente. E não precisa ser caro ou extravagante. Normalmente eu apenas digito no Google "eventos baratos/gratuitos em Los Angeles" e vejo o que aparece. Por exemplo, na semana passada eu escrevi "ótimas sobremesas baratas em Los Angeles" e encontrei uma fabulosa padaria tailandesa que fica aberta até as duas da madrugada. Ou eu vejo uma exposição de arte no centro, ou saio para uma caminhada em algum lugar que eu nunca estive antes. Ter curiosidade intelectual irá enriquecer a sua vida e a sua escrita – e você nunca sabe o que pode descobrir.

Além disso, eu tento ler o máximo que eu posso. Livros, jornais, blogs, revistas – quanto mais estranho, melhor. Uma das minhas revistas favoritas é a "Texas Monthly" [N.T.: Texas Mensal.] – e todo mundo tira sarro de mim porque, por que uma boa garota judaica, nascida e criada em Los Angeles, lê a Texas Monthly? Mas eu adoro as histórias da revista, que me revela informações que eu não conheceria vivendo em Los Angeles.

Você nunca sabe de onde uma grande idéia virá. Assim, quanto mais você lê, mais oportunidades você tem para descobrir histórias interessantes que possam ser a base para um ótimo roteiro.

De fato, uma das minhas histórias favoritas é aquela que fala da origem do filme Embriagado de Amor. Ela veio de um pequenino artigo que o Paul Thomas Anderson viu sobre um homem que negociou um monte de cupons Healthy Choice. Esta pequena pepita acabou sendo uma pequenina parte do filme, mas se ele nunca tivesse lido aquele pequenino artigo, ele poderia nunca ter se inspirado a escrever o filme.

Comece agora mesmo a ler, descobrir, viajar e experimentar a vida para que você possa escrever histórias interessantes.

comfort_zone

O maior inimigo do potencial humano é a sua zona de conforto.

Boa escrita pra você hoje!

Anúncios

4 Comentários

  1. Eu já conhecia essa história da inspiração que PTA teve para escrever ‘Embriagado de Amor’ e é realmente interessante quanta coisa ele criou só por causa desse artigo. Não é atoa que Paul Thomas Anderson é o meu diretor/roteirista favorito.

    Comentário por Tom — 20/01/2011 @ 20:14

    • Eu não conhecia essa história, e o pior de tudo, agora que eu percebi que ainda não assisti nenhum filme desse diretor! Nenhunzinho, nem Sangue Negro! Tô mals, né? Tenho que corrigir isso com urgência! 😯 😐 :mrgreen:

      Comentário por valeriaolivetti — 21/01/2011 @ 09:35

  2. sair da zona de conforto. Como eu, acostumado A escrever roteiros de tematicas não médicas e ter me aventurado a escrever algumas páginas de House M.D.

    Comentário por Rafael — 22/01/2011 @ 18:09

    • Oi, Rafael!

      Que bom que você já está botando isso em prática. Isso é muito bacana! E é sempre bom a gente aprender coisas diferentes. Você conhece o livro Todo paciente tem uma história para contar – Mistérios médicos e a arte do diagnóstico, da Dra. Lisa Sanders, consultora da série House? É claro que não dá pra tirar histórias de lá, porque a própria série House M.D. já faz isso, mas os “causos” são bem interessantes. Um outro livro, este mais para adolescentes, mas muito bacana também, é o Doenças Mortais, de Nick Arnold, da excelente coleção Saber Horrível. Divertidíssimo! Só mais um: Doenças e Curas – O Brasil Nos Primeiros Séculos, de Cristina Gurgel. Tem muitos outros livros super interessantes sobre o assunto, que valem a pena ser lidos. É importantíssimo que a gente escreva com conhecimento de causa, e para isso precisamos ralar fazendo pesquisa! 😀

      É dureza, mas também é divertido e super enriquecedor (em vários sentidos!).

      Um beijo grande, Rafael, eu espero que continue sempre assim, você está seguindo por um caminho muito legal! Uma ótima semana pra você! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 23/01/2011 @ 11:39


RSS feed for comments on this post.

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: