Dicas de Roteiro

03/01/2011

Quando Criar Novos Personagens

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 11:36
Tags: , , ,

O artigo de hoje foi tirado do site Write For Hollywood, e escrito por Yolanda Beasley:

Yolanda Beasley

Os personagens estão lá para servir a sua história. Eles devem sempre servir a um propósito. Às vezes, eles servem a uma dupla finalidade. O herói pode ser simultaneamente o vilão. O ajudante pode ser o patrão, o melhor amigo e o contraste. Tudo depende da história que você está contando, mas o ponto principal é: menos é mais.

É realmente comum os escritores apresentarem novos personagens quando confrontados com problemas de enredo, e às vezes esta é a decisão certa. Como saber a diferença? Aqui estão algumas situações você pode usar para determinar se o seu personagem é um “remendador” de enredo.

  • A personagem acrescenta humor ao que de outra forma seria um drama pesado, ou serve como um interesse amoroso, o que é necessário, mas quando você vai escrever histórias para ela, ela simplesmente fica apagada no fundo.
  • Você precisa de uma cena para sair de alguma exposição ou historia do passado e cria um personagem do passado do herói, despeja informações sobre ele, mas nunca tem a intenção de usá-lo novamente.
  • Você precisa construir uma contagem de corpos para um filme de terror, mas não há tempo suficiente para desenvolver esses personagens de modo que o público se importe com eles quando eles morrerem.
  • Você tem cenas em que apresenta um monte de personagens que falam todos da mesma maneira e se fundem uns aos outros.
  • Você tem personagens que servem ao mesmo propósito. Você tem três detetives quando realmente só precisa de um. Você tem um interesse amoroso e uma ex-namorada ciumenta quando isso é apenas uma subtrama.
  • Personagens aparentemente diferentes – um vilão e um ajudante, por exemplo – que parecem ter propósitos independentes, mas que, se combinados, fazem uma história mais forte, mais simples.
  • Histórias de jornadas ou viagens pela estrada por natureza têm de apresentar novos personagens, mas corte-os fora a machadadas se o único propósito deles é apontar a direção certa para o herói.
  • Extras que têm discursos longos ou diálogos demais sem nenhum motivo.

A maneira mais simples de testar se o seu personagem é um desperdício de espaço:

Mate-o.

Se a sua história não mudar, ele precisa sair.

Não há nada de errado em apresentar novos personagens ou colocar algumas palavras nas bocas dos ‘extras’, contanto que isso avance com a história e essas falas não possam ser dadas a nenhum dos personagens principais.

Você pode apresentar personagens no primeiro episódio com a intenção de trazê-los de volta no episódio dez, mas essa intenção deve estar presente no roteiro-piloto (ou seja lá quando você vai apresentá-lo). Em roteiros de especulação de séries existentes, você pode apresentar novos personagens, desde que eles partam até o final do episódio.

Você também pode usar os seus extras para criar personagens mais importantes em episódios posteriores. Joss Whedon fez isso efetivamente em Buffy: A Caça-Vampiros. Ele escalou Jonathan como um estudante a serviço de Cordélia (um extra com propósito). Depois ele o trouxe de volta como o garoto na torre com a arma e, ainda mais tarde, como parte do trio de gênios do mal tentando matar a Buffy.

O público sabe que no cinema e na TV nada acontece por acaso. Tudo o que aparece em sua história está lá por uma razão específica. Então, se você introduz um novo personagem e ele parece ter alguma história ou relação com qualquer um dos seus personagens principais, eles naturalmente vão se perguntar: "Quem é esse cara e qual é a dele?". Você não pode iniciar algo sem concluí-lo até o final da história.

A coisa mais importante a lembrar é que os seus personagens principais devem ter as melhores falas, e a maior parte delas. É por isso que eles recebem uma grana preta. Você quer colocar seu dinheiro onde estão os poderosos – as estrelas.

estrela-de-vidro

Boa escrita pra você hoje! 😀

Anúncios

2 Comentários

  1. Oi Valéria.
    Então, li este post e fiquei muito feliz por agora por ver que cada personagem meu tem uma função, e que são coisas que levarão meu roteiro além. São arcos que levam o leitor a virar uma página. Fico mais seguro agora.

    Eu tenho uma pergunta meio tecnica que não vi em livros sobre roteiros. Se um personagem, exemplo: Um nerd na primeira temporada que vira um bonito na segunda temporada, eu teria que fazer uma nova descrição ? Sinto-me meio inseguro em relação a isto e queria perguntar alguém que já entende muita coisa no ramo de roteiro, eu apenas estou neste ramo uns seis meses.

    Um abração e uma ótima semana e mais uma vez tenho que parabenizar por este post.
    Igor!

    Comentário por Igor — 06/01/2011 @ 22:20

    • Oi, Igor, como vai? 😀

      Que bom que você gostou do post, essa autora tem vários textos interessantes, eu vou traduzir outros, mas preciso dar uma variada, senão ela vai achar que eu tô copiando o site dela! Rsrs!

      Olha, se você já está na segunda temporada, acho que só precisa fazer uma breve descrição de um parágrafo no começo do primeiro episódio (ou melhor, no momento em que o personagem for aparecer pela primeira vez depois da transformação), isso caso a mudança tenha sido brusca e não tenha aparecido nada nos episódios anteriores. Acho que um novo perfil do personagem só seria necessário caso tivesse mudado mais do que apenas a aparência, se toda a personalidade dele ficasse diferente, mas mesmo assim isso talvez possa ser introduzido no roteiro do episódio em si, mostrando a reação de estranhamento dos outros personagens ante à personalidade diferente do cara que eles conheciam, e seus comentários sobre o assunto. É um jeito melhor de apresentar a situação, tanto para os atores e equipe técnica, quanto para o público.

      Então é isso, Igor, quando for escrever o episódio, acho você vai sentir que pode criar situações muito interessantes (dramáticas ou cômicas) com essa premissa, situações que, por si só, já apresentam a mudança (verdadeira ou apenas de fachada) do personagem. Boa sorte, um beijo grande, e um ótimo fim de semana pra você! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 07/01/2011 @ 15:06


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: