Dicas de Roteiro

04/12/2010

A Bíblia do Roteirista – Parte 11

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 11:14
Tags: ,

Aqui vai mais uma parte desta série tirada do livro de David Trottier, The Screenwriter’s Bible:

De olho no cinema

Não espere encontrar trabalho baseado somente num argumento, até você estar estabelecido. Você precisa ter um roteiro terminado. Se um produtor amar o seu argumento, a sua história, mas você não tiver nenhum roteiro, ele irá comprar a história por 1.000 dólares (se você tiver sorte) e então contratará um escritor experimentado para escrever o roteiro. Hollywood tem muitas ideias, mas poucos grandes roteiristas. Ótimas ideias não valem muito sem um roteiro.

Tanto o argumento quanto a sinopse podem ser registrados no Writers Guild. Siga o mesmo processo de registrar um roteiro.

6. Uma carta de consulta entusiasmada de uma página, para toda as ocasiões

Nunca envie um roteiro a ninguém logo de cara. Sempre consulte primeiro. Mesmo se você estiver respondendo a um anúncio pedindo por um roteiro, você deve consultar primeiro.

A sua carta de consulta enérgica e profissional apresentará criativamente o seu conceito, junto com o título e o gênero, o que deve ser insinuado ao invés de diretamente declarado. Ela também irá comunicar a sua história completa em um parágrafo ou dois, ou simplesmente irá referir-se à sinopse em anexo.

A sua carta de consulta irá então listar as suas qualificações e pedir permissão para enviar o seu roteiro em especulação. Aborde não mais do que cinco a dez produtores por vez.

Se você souber antecipadamente como um produtor ou ator em particular gosta de ser consultado, então essas instruções suplantam as minhas.

7. Um roteiro de telefone

Você precisa disto perto do seu telefone quando for ligar para alguém sobre o seu roteiro de cinema ou de TV, ou para quando eles ligarem para você. Não seja como uma aluna minha que recebeu um telefonema depois de enviar uma carta de consulta e teve um branco ao telefone. Após seis segundos de silêncio, o agente desligou. Rapidamente, ela me ligou e eu falei para ela ligar para o agente imediatamente e explicar que ela estava com gripe e tinha entrado num acesso de tosse. Felizmente, a explicação dela foi satisfatória.

O elemento-chave para o seu roteiro de telefone é a sua apresentação de ideia de dois minutos (veja os itens 2 e 3 da parte 9 desta série). Você carregará uma cópia consigo para onde quer que você vá. É melhor improvisar a partir de anotações do que ler. Também prepare apresentações das ideias de outros roteiros que você tenha escrito ou queira escrever, e tenha-as à mão. Isto é para caso lhe seja perguntada a questão de ouro: “O que mais você já fez?”

Um roteiro de telefone é o que todos os profissionais de telemarketing usam. Ele lhe diz o que falar se a pessoa do outro lado da linha disser sim, não, ou der uma desculpa, ou objeção, em particular. Aqui está apenas um possível exemplo:

“Eu sou [nome]. Eu sou um roteirista com um [nome do gênero, tal como ação / comédia romântica] que acho que poderia ser perfeito para você. Eu poderia enviá-lo para você?

(Sobre o que se trata?) [Aqui você irá apresentar a sua ideia, prosseguindo com o título, a logline ou sinopse curta, a premissa, ou conceito; daí, se você se sentir encorajado, passe para o resumo da história.]

(Eu sinto muito, nós estamos desenvolvendo nossos próprios projetos.) “Ótimo. Você gostaria de ler este de olho em uma possível atribuição de escrita? Eu adoraria ouvir o que vocês estão fazendo [ou] Eu adorei o NAZISTAS NO ESPAÇO [ou qualquer que tenha sido a última produção dele(a)]. [Aqui você está identificando o seu roteiro como mera amostra de seu trabalho. Você espera que isso leve a uma reunião e a uma atribuição de escrita. Você não está procurando vender o roteiro em si.]

(Você tem um agente?) “Na verdade, eu estou decidindo entre vários agentes, então estou vendendo o roteiro agora, ao invés de deixar ele pegar poeira.” [Ou] “Eu estou procurando um no momento. Se você tiver alguma sugestão, eu ficaria contente em ouvi-la.”

(Não podemos aceitar um roteiro sem um agente.) “Por que eu não lhe envio ele com uma liberação?” [O formulário de liberação é um documento legal que será discutido mais à frente.]

(Eu sinto muito, nós não estamos interessados.) “Tudo bem. Diga-me, há alguém que você conheça que poderia estar interessado neste material?” [Você poderia conseguir uma referência aqui.]

Tenha em mente que você pode precisar “vender” para o assistente primeiro antes de chegar às pessoas que você quer. Seja profissional com todas as pessoas com quem você lidar. Não se envolva em “conversa fiada” ao telefone. Vá direto ao ponto imediatamente.

8. Uma lista de recursos

Você tem isso, seu sortudo! Cheque o Livro VI. Reveja-os cuidadosamente e pense em como você pode utilizar estes recursos. Assine publicações e inscreva-se em redes. [N.T.: O autor está referindo-se à parte final do livro. Para ter tais recursos, é necessário comprar este livro (até porque a edição do meu exemplar já está desatualizada). Uma outra sugestão é o Hollywood Creative Directory, com o endereço do pessoal que trabalha em Hollywood.]

9. Um inventário com os seus pontos fortes e os do seu roteiro

Baseie-se nos seus pontos fortes quando for apresentar a si mesmo e o seu trabalho.

10. Um plano de vendas estratégico

Leve um tempo para criar isto, e entre no hábito de utilizar o Plano de Ação Semanal.

ABORDANDO O SEU MERCADO

Agora que você tem estas dez ferramentas em sua caixa de ferramentas, você pode dirigir e implementar a sua campanha.

Mais importante, certifique-se de que o seu roteiro seja original, e não escreva um roteiro que custe 100 milhões de dólares para produzir se você estiver abordando os independentes que fazem filmes de baixo orçamento no âmbito dos 500 mil aos 2 milhões de dólares.

Não fique excessivamente preocupado com as tendências de Hollywood. Tenha em mente que o seu primeiro roteiro geralmente torna-se um roteiro-amostra que você usa como cartão de visita. É por isso que meu conselho é escrever aquilo pelo que você tem paixão. Você precisa dessa energia para passar por esse primeiro roteiro.

Existem cinco grupos de pessoas que você pode abordar para vender o seu roteiro sem um agente:

  1. Produtores signatários do Writers Guild
  2. Produtores independentes
  3. Atores e diretores
  4. Produtores de redes de televisão aberta
  5. TV a cabo, televisão independente, mercados regionais, e novas tecnologias – a porta dos fundos de Hollywood.

Antes de discutir cada um desses, vamos dar uma olhada no papel crucial de um analista de histórias.

Leitores

Analistas de histórias, comumente chamados de leitores, lêem roteiros para todos da indústria. De fato, algumas pessoas acreditam que eles são as únicas pessoas na cidade que ainda lêem roteiros. Apenas caso você não saiba, você vive ou morre por causa da opinião deles. Se eles dizem não a um roteiro, é não. A pessoa que está pagando-os não irá lê-lo – nunca.

Leitores lêem cinco roteiros ou mais durante o fim de semana, mais o que eles lêem nos dias de semana. Quando um leitor lê o seu roteiro, ele quer uma narrativa corretamente formatada que flua como um rio através de sua mente. Ele quer uma boa leitura; e, se não for uma boa leitura, ele se vinga na análise crítica.

A análise crítica é o que ele escreve quando termina de ler o seu roteiro. Uma análise crítica é uma breve sinopse e uma análise que critica a história. E ela contém a recomendação dele para o agente ou produtor que o contratou. Uma amostra de análise crítica segue mais adiante.

Muitos escritores entram no ramo tornando-se leitores. Por que você não torna-se um? Você irá conhecer pessoas e aprenderá rapidamente o que torna um roteiro vendável. O salário é baixo, de zero a 80 dólares por roteiro, e você precisará viver perto do escritório do seu emprego – eles frequentemente querem que roteiros sejam lidos durante a noite. Você consegue ser contratado apresentando uma amostra de análise crítica e quaisquer credenciais que tiver para as agências e companhias produtoras de sua área. Ofereça-se para escrever uma análise crítica grátis para um de seus roteiros.

Do mesmo modo, alguns escritores tiram vantagem de estágios oferecidos por algumas companhias produtoras e estúdios. Outros são contratados como assistentes de produção, coordenadores de roteiro etc., para conseguirem começar.

O leitor e sua montanha de roteiros para ler

Boa escrita pra você hoje! :mrgreen:

Anúncios

10 Comentários

  1. Oi, tudo bom? Nossa, adoreiiiiiiiiii esse blog, ele é perfeito!!! Conheci recentemente por pesquisas que andei fazendo no google. Está de parabéns! Aproveitando, eu gostaria de tirar uma dúvida. Eu AMO escrever, e um dia pretendo escrever uma novela, aquelas de 200 capitulos que vemos diariamente haha e minha dúvida é sobre a sinopse desse tipo de novela. Eu já li algumas coisas sobre sinopse aqui no blog, mas minha duvida não foi esclarecida a respeito de novelas. Eu gostaria de saber como eu faço a sinopse de uma novela. Eu já li em algum lugar que tem mais de 30 páginas. Nesa sinopse eu tenho que falar sobre todos os personagens? (que são mais de 40) O que tenho que contar nessa sinopse?
    Aguardo resposta. ADOREI o blog.
    Beijos!

    Comentário por Maycon — 20/12/2010 @ 19:37

    • Olá, Maycon, seja bem-vindo! 😀 😀

      Puxa, que bom que você tenha gostado do blog, isso me deixa super feliz, e com mais vontade ainda de continuar! Valeu!

      Olha, infelizmente, eu nunca tive acesso a uma sinopse de novela, o que é incrível dada a quantidade de novelas produzidas anualmente no Brasil. Os autores simplesmente não divulgam seu trabalho, há pouquíssimos roteiros de capítulos disponíveis, e só. É dificílimo entrar neste ramo específico, e basicamente todos os noveleiros atuais começaram como assistentes ou co-autores de noveleiros já estabelecidos e famosos. Escrever novela é uma tarefa hercúlea que poucos têm condições de cumprir, mesmo roteiristas acostumados a co-escrever novelas. Por este motivo, as emissoras costumam só contratar pessoas que já provaram serem capazes disso. O Aguinaldo Silva volta e meia reclama de que os noveleiros da Globo estão envelhecendo, e não há uma nova geração para substitui-los, por isso que ele fez seus Workshops.

      Infelizmente não posso lhe ajudar com sua dúvida, Maycon, mas talvez você consiga um exemplar de uma sinopse se pedir diretamente aos noveleiros, pelo twitter, por exemplo. Nunca se sabe quando uma boa alma responderá; não custa tentar, não é mesmo?

      Um beijo grande, Maycon, espero ser mais útil da próxima vez! Até lá!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 22/12/2010 @ 16:50

  2. Oi Valéria.
    Como está ? Quero te agradecer pelas dicas que me deu, estou as seguindo. De pouco a pouco vou fazer um capitulo completo.
    Você me indicaria a assistir pilotos de séries, pois nunca assistir nenhum. Isto melhora algo ? Eu tenho muita insegurança na primeira cena. Será que sou só eu ? (Meu deus). Tenso.

    Um abração e uma otima semana!.
    Igor.

    Comentário por Igor — 21/12/2010 @ 17:38

    • Oi, Igor, como vai? 😀

      Eu tô mais ou menos, peguei uma gripe danada e ando cheia de febre, mas se Deus quiser, vai passar logo! 🙂

      De nada, não há de quê! Fico super feliz que as dicas estejam ajudando!

      Não, não é só você que fica tenso com a primeira cena, ela é o nosso cartão de visita, se não gostarem dela, provavelmente virarão o canal antes de termos a chance de contar o resto da nossa história – isso é que é pressão!! Eu também fico tensa com a última cena, porque vai depender dela se os espectadores irão assistir ou não na semana seguinte. É ou não é pressão também?

      Quanto a assistir pilotos, na verdade é importante que você assista muitas séries, desde o piloto, claro, mas que assista a séries de gêneros variados de modo a ter muitos modelos na cabeça para se inspirar, e não tentar reinventar a roda. O que acontece com muitos roteiristas principiantes é que quando eles assistem poucos filmes e seriados, eles “criam” cenas “geniais” que acham que nunca foram exibidas, mas que já estão mais do que batidas, só eles que não viram. Então, para você saber o que andam fazendo no mercado atual e ir além disso, é necessário assistir uma boa quantidade de filmes e séries. Não digo para você assistir TODAS as que estiverem ao seu alcance, porque você não faria mais nada na vida, nem escrever (acredite em mim, eu já tentei isso e comecei a criar raízes no sofá da sala e a fazer fotossíntese. Não é uma visão nada agradável! :mrgreen: ). Assistir o trabalho dos outros também lhe dá, com o tempo, aquela sensação: “Ah, então é assim que eles fazem! Não é tão difícil, eu também consigo fazer isso, talvez até melhor!” E é aí que você consegue a auto-estima e a segurança suficientes para fazer algo que tenha qualidade suficiente para ser exibida em qualquer emissora. Vale a pena investir uma parte de seu tempo nisso.

      Um abração, Igor, obrigada pela força e pelo carinho, e uma semana maravilhosa pra você também! 😀 Até a próxima!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 22/12/2010 @ 17:14

  3. Olá, Valéria! Tudo bom? MUITO obrigado pela sua resposta! E realmente não tem muita coisa sobre novelas por aí, é uma pena. Mas vou continuar visitando seu blog sempre, até pq eu me interesso tbm por séries e cinema. Mais uma vez lhe digo: seu blog é simplesmente PERFEITO! Até já salvei nos meus favoritos! hahaha parabéns pelo ótimo trabalho e continue assim!
    Beijos!!! Até mais!!!

    Comentário por Maycon — 23/12/2010 @ 14:39

    • Oi, Maycon, como vai? 😀

      DE NADA! Não há de quê, o prazer é todinho meu! :mrgreen: E fico super super feliz que você esteja apreciando o blog, ele ainda está longe de ser perfeito, mas se ele estiver inspirando e ajudando em algo, já faz todo o esforço valer a pena! 😀 😀

      Um beijo grande, Maycon, e feliz ANO NOVO!! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 25/12/2010 @ 23:41

  4. Oi!
    Valéria, estou passando aqui para te dar um Feliz Natal, e que o papai Noel lhe traga tudo de bom que você pediu e mais alguma coisa boa que você esqueceu.

    Um otimo fim de Semana!
    Beijão!

    Comentário por Igor — 25/12/2010 @ 11:55

    • Oi, Igor! 😀 😀

      Obrigadão pela lembrança, um ótimo Natal pra você também (atrasadíssimo, mas é que só agora a febre baixou um pouquinho e pude sair da cama!) e um excelente ANO NOVO!! Que 2011 seja um ano repleto de realizações (e maravilhosos roteiros!!), e muita alegria e saúde pra você e sua família!

      Um beijão, Igor, e muito obrigada mesmo pelo carinho, isso não tem preço! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 25/12/2010 @ 23:45

  5. Parabéns pelo Blog! Muito útil pra quem quer ser roteirista. E justamente sobre isso que tenho uma dúvida. Sou estudante de Rádio e TV e tive durante os 2 primeiros anos de faculdade, disciplina de roteiro. Me apaixonei e minha meta é me tornar uma roteirista profissional. Tenho alguns poucos roteiros de curta e alguns argumentos que inclusive participei de concursos. Como se apresentar para o mercado sem ainda ter realizado um trabalho profissional, ou seja, não posso chegar e dizer: Meu nome é Lilian e sou roteirista. Não posso ter um cartão de visita por exemplo como roteirista. Como se apresentar neste caso?
    Grata
    Lilian Lima

    Comentário por Lilian Lima — 28/12/2010 @ 21:06

    • Olá, Lilian, seja bem-vinda! 😀

      Em primeiro lugar, muito obrigada, eu sempre fico muito contente quando vejo que o blog realmente está cumprindo o seu papel, de ajudar e inspirar novos roteiristas, isso me dá uma grande motivação de continuar! Valeu!

      Quanto a se apresentar como roteirista, você já leu o post Já Contou Para Alguém Que Você É Um Escritor? Eu acredito que se você escreve e tem roteiros prontos e registrados, mesmo que não os tenha vendido, você pode fazer o seu cartão de roteirista sem problema. Se alguém perguntar, você diz que ainda não tem nenhum roteiro produzido, ou comprado por uma produtora profissional, mas que está à procura de oportunidades.
      Você já viu entrevistas de atores desempregados que jamais dizem que não estão fazendo nada, sempre respondem que estão com um “projeto à vista”, mas que não podem comentar sobre o assunto ainda? Pois é, acho que a gente precisa de um pouco desse tipo de cara de pau, e não dar bola para o que os outros pensam. Você é roteirista, sim, e ponto final! E se alguém criar caso com isso, pode mandar ele vir falar comigo que eu encaro!! 😆 Oras! :mrgreen:

      Um beijo grande, Lilian, continue escrevendo e lutando, que você está indo muito bem em seu caminho! Muito sucesso em 2011!! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 29/12/2010 @ 11:36


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: