Dicas de Roteiro

01/12/2010

O Segredo Mais Bem Guardado de Hollywood: A Divisão de Cenas Expandida

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 12:50
Tags: , , ,

cakeblow Olá, pessoal! Hoje comemoramos 300 posts, mais de 110 mil visualizações e um ano de blog! Ainda não chegamos à meta de 400 posts por ano, mas quem sabe daqui pra frente não conseguimos, né? Um abração forte e um beijo no coração de todos que têm me acompanhado nesta educativa e emocionante empreitada – vocês têm sido excelentes companheiros de jornada! Eu desejo sinceramente um super sucesso a todos, e muita inspiração e motivação para escrever todo dia! =D

===========================================================================================

por_do_sol

O artigo de hoje foi tirado do site Filmmaker IQ que, por sua vez, o tirou do site Writers Store (mas o texto original não se encontra mais lá). A autoria é do escritor de livros, roteirista e professor de roteiro, Christopher Keane:

Qual é o Segredo de Roteirismo Mais Bem Guardado de Hollywood? Resposta: A Divisão de Cenas Expandida. O que é a Divisão de Cenas Expandida? É a etapa intermediária entre a fase de desenvolvimento da história e o próprio roteiro.

Outro passo no processo de escrita de roteiros, você pergunta?

A Divisão de Cenas Expandida é um esboço de 20 a 40 páginas, ou mais, do roteiro inteiro, ponto por ponto, passo a passo, cena por cena, em forma de prosa, com diálogos, desenvolvimento dos personagens, ação etc. É um jeito essencial de ver o filme inteiro antes de chegar à fase de roteiro.

É também a parte mais difícil do processo, a mais necessária, a mais completa, a que mais faz o estômago revirar, e a mais satisfatória. Depois de botar a Divisão de Cenas Expandida no papel, escrever o roteiro em si é moleza. Profissionais gastam de quatro a seis meses na Divisão de Cenas Expandida, e duas semanas no roteiro.

É por isso que os roteiristas profissionais a usam. Por que então esse é o segredo de roteirismo mais bem guardado? Muitos professores de roteirismo não são roteiristas profissionais e, ou não sabem disso, ou sentem que não sabem o suficiente sobre isso para ensinar.
Esse é o passo fundamental que quase sempre é ignorado. Sem escrever a Divisão de Cenas Expandida, as chances de sucesso são imensamente limitadas.

Muitos roteiristas principiantes querem "escrever" o roteiro imediatamente, chegar à essência. Impaciência mata.

Aqui está o processo de 5 etapas de Escrita de Roteiro:

Passo Um – A Idéia
Passo Dois – O Mini-argumento
Passo Três – A Divisão de Cenas
Passo Quatro – A Divisão de Cenas Expandida
Passo Cinco – O Roteiro

Siga este processo e seu roteiro será exponencialmente melhor do que se você fosse direto escrevê-lo.

Como chegar à divisão de cenas expandida?

1. Escreva a idéia da história em uma página ou duas.

2. Estruture o mini-argumento em quatro páginas, em três atos, usando prosa. Concentre-se nos grandes eventos, como se estivesse falando com uma criança de cinco anos com pouca capacidade de manter a atenção.

3. Divida a história toda em cabeçalhos de cena de uma linha, mostrando onde ela acontece e a ação principal da cena, com a razão dela estar sempre alimentando o contexto da história. Para cada cena, fazer duas perguntas: Quem está na cena, e qual é a ação central?

Exemplo: Joan conta a Revi que seu marido sabe sobre o caso deles.

É isso aí. Uma linha por cena. Use a mesma divisão de quatro páginas que você usou com o mini-argumento: Ato I na Página 1; Ato II nas Páginas 2 e 3; Ato III na Página 4. Ao cumprir esta etapa, você verá um monte de buracos de lógica que precisam ser preenchidos, cenas de que você precisa, cenas de que você não precisa. Você está começando a avançar na história, de um ponto de vista mais preciso.

4. Depois que você escrever isso, comece a Divisão de Cenas Expandida. Inicie com a Divisão de Cenas desde o início do Ato I. Comece com o cabeçalho da primeira cena e expanda-a, em prosa, acrescentando detalhes, personagens, diálogos, atmosfera e localização, tudo o que você sentir que a cena precisa. Preencha-a. Quando você chegar à escrita da cena no roteiro de fato, você terá muito para escolher.

Pegando uma cena após a outra, siga caminho trabalhando o roteiro inteiro. Esta etapa é importante por outra razão. Se você pula muito rapidamente para a escrita do roteiro de fato, o trabalho na página torna-se mais permanente. O escritor está menos inclinado a mudar alguma coisa já escrita na pedra do roteiro. Com a Divisão de Cenas Expandida, você está a um passo do roteiro.

Como se parece uma cena na Divisão de Cenas Expandida?

Vamos voltar para aquela cena em que Joan conta a Revi que seu marido sabe sobre o caso dois dois. Poderia ser uma comédia romântica, um suspense ou um suspense sobrenatural.

Aqui está como isso poderia se parecer na página. Digamos que isso acontece no final do Ato I, nós pegamos no meio da cena.

INT. APARTAMENTO REQUINTADO EM SOUTH BEACH – DIA: Joan, fumando, nervosa, descalça, andando de lá para cá, em um sexy vestido bege. A luz de final de tarde entra inclinada através da clarabóia. A cama está desfeita; peças de arte de Revi – algumas em cavaletes, outras empilhadas. Revi está de jeans, sem camisa, sentado num banquinho, olhando para ela. Eles acabaram de fazer amor. R: Sim? J: Sim, o quê? R: Você queria me dizer algo desde o momento em que você entrou aqui. J: Você sabe tanto! R: Que tal vir aqui e me dar um beijo? J: Olha — R: Eu sabia que isso ia dar certo. Revi sai da banqueta e caminha para ela, pegando-a em seus braços. Acaba com a resistência dela. R: Você quer voltar para outra rodada. Eu não sei se consigo fazer muita coisa agora, mas — J (afastando-se dele): Ted sabe sobre nós. Isso o faz parar. J: Eu não sei como ele sabe, mas ele sabe. R: O que você fez, deixou escapar? J: É claro que não. R: Você gosta de magoá-lo. Isso iria funcionar. Ela cruza para onde havia deixado seus sapatos e bolsa. R: Aonde você vai? J (ela está enfiando seus sapatos, pegando suas chaves) Eu posso pressentir uma briga chegando. R: Não, por favor, eu prometo. Eu sou – eu não sei o que eu sou, mas não vá embora. Por favor? Eles olham um para o outro.

Você captou a ideia. Tudo vai se originar do que acontece a seguir. O que ela vai fazer, sair ou ficar? E quanto Revi? E quanto Ted? A essa altura, você vai saber muito bem o que acontece. Como eles fazem isso é a chave. Este é um dos principais motivos para a Divisão de Cenas Expandida ser tão valiosa. Você pode escrever tudo, todas as variações, jogar todas fora se você quiser, antes de escolher o que funciona melhor.

Eu já vi Divisões de Cenas Expandidas com 150 páginas e até mais. Algumas chegam a trinta. Isso depende das suas próprias necessidades e as da história.

A Divisão de Cenas Expandida o segredo de roteirismo mais bem guardado. É o passo que pode transformar mediocridade em ouro.

commeilfaut-premio-design-2009

Boa escrita pra você hoje! 😀

Anúncios

8 Comentários

  1. Oi Valéria, tudo bom ? PARABÉNS…………………………………………………….. o seu blog e incrivel, tem feito eu me aprimorar na incrivel arte de escrever roteiros.
    Muito Obrigada pelo Dicas de Roteiro, é muito bom, e concerteza espero ver muito mais posts.

    É muito bom ver que pessoas, como você gosta de ajudar as pessoas e motivar as pessoas.

    Um ENORME ABRAÇO e BEIJOS !!!!!!!!!!!!
    Igor !

    Comentário por Igor — 17/12/2010 @ 00:40

    • Oi, Igor!

      Muitíssimo obrigada pela força, pela companhia e inclusive pelas perguntas, que sempre me fazer ficar afiada e alerta! :mrgreen:

      Fico super feliz de estarmos caminhando juntos, rumo à nossa realização profissional como escritores!

      Um beijão, Igor, e obrigada mesmo! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 17/12/2010 @ 16:56

  2. A divisão de cenas expandida seria uma espécie de escaleta?

    Comentário por Alyson — 17/12/2010 @ 08:06

    • Oi, Alyson!

      Puxa, obrigada pela lembrança, eu tava precisando disso! Na verdade, eu traduzi ao pé da letra, mas a expressão melhor seria “Escaleta Expandida”. É isso o que dá ficar só lendo textos em inglês, a gente esquece os termos em português! Ai, ai! 😆

      No número 3 do texto acima, o que ele diz pra fazer seria a tal da escaleta (em inglês, step outline). Coloca-se o cabeçalho da cena e uma breve descrição da mesma, os personagens que estão nela, o que fazem e quais são seus objetivos. Na escaleta não se costuma colocar nenhum diálogo, muito menos diálogo misturado com ação, sem nenhuma organização, como é o caso da escaleta expandida. No caso desta, o escritor tem a liberdade de botar tudo o que for importante para a cena, diálogos, ação, detalhes fundamentais do cenário, sentimentos, o que for. Isso fornece mais matéria-prima para o escritor trabalhar melhor depois, quando for escrever o seu tratamento (primeira versão do roteiro).

      Alyson, muito obrigada, valeu mesmo, foi super a sua observação, eu tinha me esquecido completamente da bendita escaleta! 😆
      Um beijo grande, e volte sempre! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 17/12/2010 @ 17:13

  3. Oi Valéria!
    Quando você pretende traduzir o texto sobre “Como formatar um roteiro para TV” ?

    Abração !

    Comentário por Igor — 18/12/2010 @ 12:19

    • Oi, Igor!

      Eu já estou traduzindo ele (aos poucos, já que é bem grande), juntamente com outros textos que também já estava devendo, só que com o corre-corre das festas de fim de ano, acho que ele só vai ficar pronto depois do Natal, ou seja, daqui a uma semana. Mas vai sair, pode ficar tranquilo! :mrgreen:

      Um abração! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 19/12/2010 @ 07:51

  4. Antes de mais nada parabéns pelo seu 300º post. Você tem uma produção muito maior que muitos outros sites de profissionais, vale ressaltar que neste tempo de um ano, muito blogueiros/roteiristas ficaram pelo caminho e você continua aí firme e forte.

    Eu conheço este processo (divisão de cenas expandidas) por outros nomes, aí parece que você fez uma junção do argumento com a escaleta, mas independente do nome ele é fundamental, pois roteiro é engenharia, não é arquitetura.
    Ai que você vê se tem realmente uma história para desenvolver um longa, nesta hora é que a porca torce rabo. Mas se você passar por esta fase, o roteiro fica muito mais fácil de ser concluído. Nesta fase é que aparecem os grandes problemas a serem resolvidos, mas também surge um monte de idéias e soluções que aprimoraram o roteiro. Este é o processo mais difícil, mas também o mais recompensador.

    E mais uma vez obrigado pelo seu trabalho quem tem sido de grande valor a todos que pretendem ingressar neste mercado como aqueles que querem apenas “desmontar o brinquedo” para ver como ele funciona. Abraços

    Comentário por Antunes — 06/01/2011 @ 18:06

    • Oi, Antunes, como vai? 😀

      Muitíssimo obrigada pelo seu apoio, eu devo muito do blog a essa cumplicidade e carinho que recebo, não tenho nem palavras para agradecer, valeu mesmo!

      É verdade, esse negócio de divisão de cenas expandida pode ser considerada uma escaleta expandida ou um argumento/escaleta. Mas, realmente, não importa o nome, é nessa fase que a gente mais rala e que tem de espremer os miolos pra resolver os problemas e tapar os buracos que aparecem pra todo lado! Arf!! Mas depois disso, eu costumo fazer o roteiro rapidinho, é mamão com açúcar! Vai até de olhos fechados! Rsrs!

      Ah, e devo terminar dizendo que amei a sua última frase, saborosíssima, eu a li e reli e reli, a sua metáfora foi ótima, adorei, adorei!! =D

      Obrigada, Antunes, as suas palavras sempre me trazem um sorriso ao rosto, por isso espero que você tenha muitos motivos em 2011 (e nos anos vindouros) para sorrir muito, e sempre!! Um beijo grande,
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 07/01/2011 @ 14:29


RSS feed for comments on this post.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: