Dicas de Roteiro

23/11/2010

O Seu Herói: As Dez Regras Principais

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 11:35
Tags: , ,

O artigo a seguir é do site The Script Lab:

Hulk levando seu cãozinho para passear 

O personagem mais importante no seu roteiro é o seu protagonista (a): o seu herói. É a história dele. Temos esperança (b) e medo (c) por ele. Ele é alguém interessante que quer muito alguma coisa e está tendo problemas para consegui-la.

(a) O protagonista é o personagem principal no seu roteiro. Ele ou ela geralmente é retratado como o herói, mas ocasionalmente o protagonista é um anti-herói.

(b) Esperança é uma emoção que o público deve ter pelo protagonista. Se o público se importa com o personagem, ele deve temer que o personagem vá escolher o curso de ação errado numa situação difícil, mas também esperar que o personagem escolha sabiamente.

(c) Medo é uma emoção que o público deve ter pelo protagonista. Se o público se importa com o personagem, ele deve esperar que o personagem escolha o curso de ação certo numa situação difícil, mas também temer que o personagem escolha mal.

Sem o seu herói, não há história. Mas ao criar aquele protagonista inesquecível, você deve conhecer todo o pacote – o iceberg inteiro – o que não é uma tarefa fácil, mas siga estas dez regras principais e você irá esculpir um herói que quebra o molde.

1. Você deve criar um protagonista interessante, um que o seu público queira assistir, e sentir esperança e medo por ele.

2. Nós não temos que sentir simpatia por ele/ela (embora isso seja de grande ajuda), mas devemos, no mínimo, sentir empatia (d).

(d) Empatia é a habilidade de compreender e compartilhar os sentimentos de outrem. Se o público não sente empatia pelo protagonista principal, ele não irá torcer e temer por aquele personagem, e, consequentemente, não se importará com os objetivos dele.

3. Adoramos ver personagens agindo com coragem, por isso não é só o que o personagem está tentando realizar que nos faz torcer por ele ou ela, mas é a distância que ele/ela está disposto a ir para consegui-lo. Certifique-se que a distância seja muito grande. Queremos uma viagem.

4. Conheça o seu personagem principal. Seus sonhos, vontades e desejos devem estar lá na página um. Pergunte-se como podemos nos identificar, nos relacionarmos, ou nos fascinarmos por ele/ela.

5. Um personagem central não pode existir sem conflito (e). Certifique-se de que você tenha bastante obstáculos (f) (internos e externos) que o seu personagem precise enfrentar.

(e) O conflito ocorre quando um personagem encontra-se numa enrascada, enfrentando obstáculos – físicos, psicológicos, sociais – que requerem que ele/ela tome uma ação decisiva.

(f) Obstáculos ocorrem do começo ao fim do roteiro inteiro, mas são considerados como blocos de construção do segundo ato. Cada sequência tem os seus próprios conflitos, os seus próprios obstáculos, e os obstáculos continuam a aumentar em dificuldade conforme avançamos com a história.

6. O seu personagem principal deve ter um ponto fraco (de preferência, muitos). Eles frequentemente estão alheios a estes pontos fracos, ou em negação, ou constantemente tentando escondê-los de si mesmos.

7. Ataque o seu personagem principal em seu ponto mais fraco, e ele/ela vai mostrar coisas sobre si mesmo(a) que não quer revelar.

8. O seu personagem principal não deve estar ciente de todas as dimensões do tema (g) no começo da história, mas ele/ela vai aprender.

(g) Tema é o significado da experiência que acabamos de ter.

9. Pense desfavoravelmente em seu personagem principal. Isto o tornará plausível e mais humano.

10. Mude. Certifique-se de seus personagens aprendam conforme avançam. Como ele muda? O que ela aprende? Como ele/ela se torna alguém diferente.

 Mulher Maravilha com seu chicote em ação

Bons heróis na sua escrita hoje! superhero

Anúncios

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: