Dicas de Roteiro

17/11/2010

A Bíblia do Roteirista – Parte 7

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 13:55
Tags: ,

Este é outro trecho de um capítulo do livro The Screenwriter’s Bible, de David Trottier:

tempo2 

A APRESENTAÇÃO DE IDÉIAS LONGA

Quando a sua apresentação tiver terminado, os produtores podem compartilhar uma ou duas de suas próprias ideias. Por exemplo, um produtor pode dizer: “Nós estamos procurando por uma comédia faustiana para o Jimmy Megaestrela. O que você acha?”

Se você responder positiva e inteligentemente, o executivo pode dizer: ”Bem, se você criar uma história para nós, então nos avise. Nós adoraríamos ouvi-la.” Explicando, isto significa: Parabéns, agora você é um finalista em seu lance para assegurar um acordo de desenvolvimento. Peça para o seu agente nos ligar quando você tiver uma apresentação de dez a vinte minutos pronta.

Aqui vai o que está realmente acontecendo: Você e uma dúzia de outros finalistas irão criar e apresentar uma ideia de uma Comédia Faustiana para o Jimmy Megaestrela. Deste modo, o produtor pode desenvolver suas ideias sem investir um centavo de seu próprio dinheiro. O produtor irá escolher a ideia que ele gostar mais, e você conseguirá o acordo de desenvolvimento para escrever o roteiro.

Obviamente, você irá querer preparar-se para esta apresentação maior, ou para qualquer apresentação de ideias. Eis como.

Expondo a sua ideia

Não leia a sua apresentação, mas está tudo bem em ter fichas de 3×5 polegadas ou anotações para servirem de cola. Seja tão claro e animado quanto a sua personalidade permitir. Você começará com o seu gancho, seguido do enredo. Você também pode desejar apresentar os seus personagens-chave bem no começo, antes de entrar na história.

No corpo da apresentação, foque no personagem, no objetivo, no que está em jogo, os pontos altos emocionais, como o personagem irá crescer, as maiores reviravoltas dramáticas e, é claro, como termina. Duas armadilhas comuns para evitar:

Em primeiro lugar, não tente enfiar a sua história inteira e todos os personagens em sua apresentação. Ela não deve soar complicada demais.

Segundo, não apresente um resumo das cenas: Isto acontece e então isto acontece e então isto acontece… A sua história irá afundar na lama e você ficará paralisado. Vá direto ao coração. Converse com eles através da história. As pessoas não conseguem seguir todos os detalhes mesmo, então toque nos pontos altos.

Aqui está o começo de uma apresentação de sucesso em que eu expus O SEGREDO DA CAVERNA DO PONTO DE INTERROGAÇÃO. Eu tinha acabado de expor o gancho.

A minha história é sobre um garoto, Seebee, que sente que seu pai o odeia. Ele faz tudo o que pode para agradar o seu pai, mas Frankie o repreende, o critica, o machuca. Não é que Frankie odeie o seu filho – ele não o odeia. Ele apenas gostaria de saber como mostrar seu afeto.

Bem, uma noite, Seebee entra escondido no sótão contra as ordens de Frankie e descobre o velho diário de seu tataravô. O diário conta ao garoto sobre uma caverna secreta e uma espada mágica. Uau – com uma espada como aquela, Seebee poderia resolver todos os seus problemas! Ele promete fugir para as montanhas, mas então ele ouve um barulho! Frankie está no andar de baixo, e cara, ele está bravo.

É claro, a sua apresentação continuará direto até o final da história. Por favor, note que ao conduzi-lo para o Catalizador da história, eu enfatizei as emoções dos personagens. A apresentação precisa tocar o coração frio do executivo.

Não refira-se diretamente a atores. Refira-se a eles de uma maneira casual. Por exemplo, você pode falar: um-tipo-de-cara-como-Harrison Ford. E dirá isso de um jeito que comunique que você não está supondo que o Harrison Ford estará em seu filme. Você não quer parecer ingênuo. Diga, por exemplo: “Eu acho que este cara é meio tipo um Steve Martin.”

Por que fazer isto? Para tornar fácil para o ouvinte instantaneamente visualizar o personagem. Você pode utilizar o mesmo truque quando for vender o seu conceito. Diga algo como: “no estilo de CORAGEM SOB FOGO.” Ou: “lembra o INDEPENDENCE DAY.” Ou: “de certo modo, é uma versão corporativa de SEGREDOS DO PODER.”

Não diga a eles o que eles estão procurando. Não diga: “Eu sei que vocês gostarão porque é repleto de sexo.”

Como eu mencionei antes, está tudo bem em trazer anotações para servirem de cola, mas nunca leia uma apresentação. Também está tudo bem em tomar notas quando você estiver ouvindo, apesar de que eu pediria permissão. “Tudo bem se eu anotar isso?”

Não minta. Não diga que Ron Howard está examinando o projeto se ele não estiver. O produtor simplesmente irá ligar para o Ron Howard para descobrir. Eles fazem um acompanhamento. Não pense que eles não fazem. Não diga que ninguém ainda viu o roteiro se, na verdade, dezenas de executivos já têm uma cópia. Por outro lado, se a DreamWorks estiver interessada nele, não tenha medo de dizer.

Em algumas apresentações, você pode ser interrompido com perguntas, pedidos para esclarecimentos e sugestões. Siga a corrente e seja flexível, mas não permita que a apresentação perca o impulso. Esteja aberto a sugestões e esteja preparado para apresentar um ângulo diferente da história. Não tenha medo de se expressar. Eles querem que você o faça. Se for apropriado, deixe-os contribuírem com a história, de modo que eles sejam donos dela também.

Não exagere na venda. Uma vez que eles digam não, PARE. Uma vez que eles digam sim, PARE. Não continue tagarelando.

Quando tiverem terminado com você, eles irão lhe dispensar sem lhe contar sua decisão. A verdade é que eles podem não ser os tomadores-de-decisão. Quando uma decisão for tomada, essa decisão será transmitida para o seu agente. Independentemente do resultado, mande uma nota de agradecimento.

obrigado

Boa escrita pra você hoje, e até!

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: