Dicas de Roteiro

11/11/2010

Recompense a Si Mesmo – Parte 1

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 20:37
Tags: ,

Como eu avisei no último post, aqui vai a continuação da série de artigos sobre recompensas. O texto original é de Rosanna Bane, tirado de seu maravilhoso blog, The Bane of Your Resistance.

Cupcakes-de-Chocolate

Escrever é a sua própria recompensa?

Quando eu escrevi no blog sobre usar chocolate para subornar-nos a escrever (Quando Tudo Mais Falhar, Use Chocolate), o post teve três vezes mais visitas do que qualquer outro post. Mas quando eu pergunto aos escritores sobre constantemente recompensar a si mesmos por seus esforços na escrita, muitos reagem como se eu tivesse sugerido que eles fizessem algo imoral ou indecente.

"Escrever é a sua própria recompensa!", eles dizem, ou indignados ou escandalizados.

Naturalmente, quando você está no fluxo, quando as palavras fluem sem esforço, você sabe exatamente o que escrever e perde a noção do tempo, a escrita é a sua própria recompensa.

Mas e quanto aos momentos em que você não está nem perto do estado de fluxo, quando apenas comparecer em sua mesa de trabalho é um desafio e as palavras te desafiam, os minutos se arrastam, e escrever se alterna entre frustração e agonia?

E quanto à maior parte do tempo, quando escrever é algo entre a felicidade e a agonia?

Se você esperar por uma experiência de fluxo garantida, você não vai escrever com muita freqüência. Se você se forçar a escrever sem dar a si mesmo algum tipo de recompensa, você não vai escrever por muito tempo. E não escrever regularmente torna muito menos provável que você jamais vá atingir o fluxo.

Por mais chocante que isso seja para alguns escritores, nós precisamos nos recompensar.

Como as Recompensas Funcionam

Quando você recebe uma recompensa, o seu cérebro libera acetilcolina e dopamina, o neurotransmissor que o faz sentir-se bem. Estes dois neurotransmissores ajudam o seu cérebro a focar a atenção e a consolidar o que você acabou de aprender. Recompensas ativam o cingulado anterior, a parte do seu córtex pré-frontal que lhe diz: "Isto é importante. Preste atenção nisso."

Em outras palavras, porque as recompensas nos fazem sentir bem, queremos repetir o comportamento que gerou a recompensa; e porque as recompensas aguçam a nossa atenção e memória, elas melhoram a nossa capacidade de fazer isso.

Alguns comportamentos são auto-gratificantes, isto é, realizar o comportamento libera dopamina, o que nos faz querer continuar fazendo o que estamos fazendo. Quando escrever não é auto-gratificante, nós podemos, e devemos, recompensar-nos para comparecermos de qualquer jeito.

Na Parte 2 desta série sobre Recompensar a Si Mesmo, nós damos uma olhada na epítome do comportamento auto-gratificante e vemos como isso se aplica a escritores.

Docinhos decorados

Boa escrita! Nham, nham! :mrgreen:

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: