Dicas de Roteiro

08/09/2010

A Hollywood Chavista

Filed under: Produção,Roteiro — valeriaolivetti @ 19:12
Tags: ,

Olá, hoje teremos mais uma transcrição, desta vez de um quadro da matéria “Uma Oposição Para Chávez”, escrita por Duda Teixeira para a revista Veja (edição 2182 – ano 43 – nº 37 – de 12 de setembro de 2010, página 103). O título do quadro é o mesmo do post, e ele fala da situação atual do cinema venezuelano. É bom saber como são as coisas neste ramo sob um governo ditatorial.

miranda_regresa

PROPAGANDA – Cartaz de Miranda Regressa, produzido pela estatal do cinema para atender ao fetiche de Chávez por heróis históricos

Eva é uma costureira cubana cuja vida vai de mal a pior. O bonitão venezuelano que dirigia um Audi em Havana a abandona e ela é demitida da fábrica onde trabalhava. Uma noite, tristonha, enxerga um cartaz iluminado na rua com o rosto do ditador cubano Fidel Castro e a frase: “Porque nada no mundo nos deve subjugar”. De súbito, sua existência começa a melhorar. Com a ajuda de um fantasma, Eva abre uma casa de chá que passa a ser disputada por cubanos felizes e endinheirados. Havana, não há dúvida, é a terra do empreendedorismo.

Ficção, claro. O roteiro de Havana Eva, em cartaz nos shoppings de Caracas, está recheado de clichês e falácias ideológicas. O filme é um dos catorze realizados pela estatal chavista do cinema, a Villa del Cine, criada há quatro anos para, segundo Hugo Chávez, defender a cultura venezuelana da influência de Hollywood. As produções são pagas com recursos do petróleo. Para construir o estúdio e comprar equipamentos, foi gasto o equivalente a 30 milhões de reais. A companhia padece dos mesmos problemas das demais estatais venezuelanas, como corrupção e ineficiência. Uma de suas presidentes roubou tanto que os chavistas não conseguiram mais acobertar os desvios e sua permanência no cargo se tornou insustentável. Durante a produção de Havana Eva, depois que todos os atores já haviam retornado à Venezuela, foi preciso levá-los novamente para a capital cubana para refilmar 60% das cenas. Motivo: estavam fora de foco. Entre os roteiros da Villa del Cine, predominam comédias e filmes históricos. O primeiro a ser lançado foi Miranda Regressa, sobre o militar libertador Simón Bolívar, ídolo de Chávez. “’É natural que a Villa apoie filmes com um viés favorável ao governo. Há uma linha política que deve ser seguida”, explica o cineasta Carlos Malavé, que teve filmes patrocinados pela estatal.

Aqui está o PDF do texto original. Como eu não consegui a mesma imagem da matéria, eu coloquei o pôster do filme.

Nada como liberdade política para expressarmos nossa arte, não? Boa escrita para todos hoje.

Anúncios

13 Comentários

  1. Sou novo no seu site e nem sou roteirista, mas tenho muita vontade de aprender sobre estrutura, construção de personagem, aprender mais sobre a narratologia da coisa, e sou louco por cinema 😀
    e acho muito importante que tu, que é do deste meio falar sobre isso, já que muito cineasta e crítico já despreza a arte que não tenha esse viés mais “político”.
    Peguei teu site pra ler do início e to gostando bastante… espero que saceie minhas curiosidades hehehe.
    Um grande abraço de um novo admirador.
    Boa escrita.

    Comentário por Caio — 29/09/2010 @ 22:24

    • Olá, Caio, seja bem-vindo! 😀

      Obrigada pela força! É muito bom ter sua companhia aqui, todos nós somos amantes de cinema e fico feliz por você ter se juntado à “tchurma”! 😆 😉

      Eu sempre gosto de indicar dois livros para quem está começando, são livros clássicos, bíblias de roteirismo, leituras obrigatórias para quem quer entrar no ramo: Roteiro – Os Fundamentos Do Roteirismo, de Syd Field, e Story – Substância, Estrutura, Estilo e Os Princípios Da Escrita De Roteiro, de Robert McKee. Você terá uma visão geral de como se escreve um roteiro, e aqui no blog teremos a complementação, algumas respostas às dúvidas que surgirão quando você for botar a mão na massa.

      Obrigadão pela mensagem e por suas palavras de incentivo, Caio, eu agradeço de coração!
      Um beijo grande, e volte sempre! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 30/09/2010 @ 09:26

      • Muito obrigado pela dica, Valéria.
        Um beijo.

        Comentário por Caio — 01/10/2010 @ 16:55

  2. Nossa… Sentar na ilha de edição e descobrir que 60% do que foi feito estava fora de foco, deve ser bem desanimador, pra não dizer outra palavra. rsrs

    E Valéria, o blog com estes posts além de roteiros, está ainda mais bacana. Parabéns!
    Ah… Segui a sua dica e procurei o Fernando uns meses atrás, para analisar aquele roteiro, mas ele acabou nem respondendo. Tudo bem, imagino que ele esteja numa correria danada! =)

    Obrigado mais uma vez, fique bem.
    Diego Z.
    (@omaestroemsi)

    Comentário por Diego Z. — 30/09/2010 @ 19:19

    • Olá, Diego, que bom vê-lo aqui de volta! 😀

      Isso aí deve ser muito comum, aconteceu a mesmíssima coisa com uma turma que estava fazendo o filme de curta-metragem de final de curso da faculdade de Cinema. Depois de revelado descobriram que teriam que refazer a maior parte, porque estava tudo desfocado. Com um longa, então, deve ser triste a ponto de chorar!! Cruzes!

      Eu indiquei o Fernando, mas tem também o Hugo Moss, ele também faz análise de roteiros. Você pode mandar um e-mail para ele ou telefonar. Os dados são os seguintes:

      http://www.moss.com.br/br/servicos.html

      Pessoa Moss Ltda.
      Rua Almirante Saddock de Sá 40 / 401
      22411-040 Rio de Janeiro – RJ
      t 21.3988.8114

      pessoa@moss.com.br

      Talvez o Moss esteja mais disponível no momento, e ele também já tem bastante experiência no ramo.

      Diego, você escreveu e dirigiu esse documentário, O Maestro em Si? Puxa, isso é super bacana!!! Eu assisti os teasers, muito legal! Ele vai estrear em novembro no Rio também? Quando ele estrear, dá uma passada aqui pra divulgar, pra galera toda ir!

      Engraçado, a minha mãe nasceu e passou a primeira infância em Alegre, antes de ir para Vitória. Legal ver um conterrâneo dela. =D

      Fico super feliz que você tenha gostado dos posts, Diego, eu vou caçar outros para deixar-nos mais bem informados do que anda acontecendo neste ramo, no Brasil e no mundo. Obrigadão pela força! 😀

      Um beijão, Diego, boa sorte com o Moss, e não esquece de passar aqui pra avisar da estréia de seu filme! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 30/09/2010 @ 22:41

  3. Pois é Valéria,
    eu participei do “O Maestro em Si” como roteirista e diretor. Foi e está sendo uma experiência maravilhosa. Este doc, por ser um primeiro trabalho cinematográfico de quase toda equipe, foi todo realizado na raça.

    Quem nos dera uma exibição no Rio, seria maravilhoso. Infelizmente o filme terá uma vida bem curta de só 3 exibições, é uma pena, a nossa vontade é de que todo mundo veja. rsrs

    Agora, sua mãe é Alegrense então? Que mundo surpreendente é este, não?! Minha noiva mora em Alegre, já eu, em Cachoeiro do Itapemirim.
    Valéria, de qualquer maneira, mais a frente eu posso te enviar um DVD, será um prazer que vocês assistem.
    E qualquer novidade eu te conto aqui, tudo bem?

    Beijos,
    Diego Zon.

    (obrigado pela dica do Moss, vou procurá-lo) =)

    Comentário por Diego Z. — 01/10/2010 @ 10:11

    • Oi, Diego!

      Que lindo isso, me dá um orgulho danado conhecer gente de garra assim como você! Fico super feliz que você tenha conseguido ir até o final na produção de seu documentário, isso é demais!!

      Mas fiquei triste que ele não vai passar por aqui!! Você já pensou em mandá-lo para o programa Curta Brasil? Ou para o Canal Brasil? (Eu não sei se nos outros estados esse canal tem o mesmo nome, é o canal público e ele costuma passar muitos documentários brasileiros). Como seu filme tem 20 minutos (não é isso?), ele ainda pode ser classificado como curta-metragem, e esse programa, Curta Brasil, além de passar o curta, ainda entrevista o diretor, que neste caso seria você! Daí todos nós poderíamos assistir o seu filme em rede nacional, não é o máximo?!

      Vou ficar torcendo para que seu filme tenha uma excelente divulgação, e vou ficar esperando novidades! =D
      Um beijão, Diego, e boa sorte!!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/10/2010 @ 17:06

  4. Valéria, sinceramente, você acha que uma pessoa pode aprender fazer roteiro sem o curso, só com a leitura ?

    Comentário por Igor — 01/10/2010 @ 12:12

    • Olá, Igor!

      Sinceramente, sim, eu acredito firmemente nisso. Se fazer um curso transformasse qualquer aluno num profissional, a esta altura o Brasil (e o mundo) já estaria superlotado de roteiristas! Tem tanta gente fazendo uma pá de cursos por aí, não é? E existem limites para o que uma pessoa aprende num curso. Eu acho que o que mais atrapalha as pessoas a se tornarem roteiristas profissionais é a séria falta do hábito de leitura do povo brasileiro. A maioria das pessoas que quer se tornar roteirista ama cinema, mas muitas vezes odeia ler. Acontece que a ferramenta principal de um roteirista, como todo escritor, é a língua escrita, e quando nós falhamos em dominar esta ferramenta básica, mesmo estudando muito roteirismo, não somos capazes de comunicar bem nossas ideias no papel (nem oralmente, pra falar a verdade). É necessário anos de muita leitura, algum estudo de gramática (de nível secundário mesmo, não é necessário todo roteirista cursar Letras, mas isso ajuda bastante!), e muito estudo do ofício, tanto de livros de roteirismo quanto de leitura de roteiros de filmes de prestígio. É uma ralação danada, não tô dizendo que é moleza não, mas nenhum curso fará nada disso por ninguém, no máximo pode tirar a insegurança inicial, o resto é por conta de cada um, não tem jeito. Existem pessoas que não conseguem sentir auto-confiança sem a chancela de um diploma, sem a benção de um professor, então nesse caso, elas têm mais mesmo é que fazer o máximo de cursos que puderem, até sentirem que podem caminhar com segurança por conta própria. Tudo vai depender também da personalidade de cada um.

      Bom, Igor, eu levei quase duas décadas para tirar essa insegurança que a maioria tem ao começar. Talvez fazendo um curso depois do outro você quebre este sentimento de forma mais rápida do que eu. A beleza da vida é que não existe um caminho único, cada um pode escolher o seu, aquele que se encaixa melhor ao seu gosto e ao seu modo de pensar e agir. E está certo fazer isso! Mesmo que não dê o resultado esperado, foi uma experiência, um aprendizado, é desse jeito que a vida é. Tente, arrisque, ouse, faça aquilo que tem vontade e no que acredita de coração. Sempre que eu fiz isso as coisas acabaram bem, mesmo que não fosse o que eu inicialmente esperava. E sempre que eu fui contra a minha intuição e o meu coração, paguei um preço bem caro por isso. Espero que você não precise quebrar tanto a cara quanto eu para aprender (é que eu sou meio cabeça-dura e teimosa, eu demoro mesmo para entender!). :mrgreen:

      É isso, Igor, espero ter sido clara, eu vou torcer para que você encontre seu caminho e o trilhe com alegria e confiança. Se precisar de algo, estaremos sempre aqui! 😀

      Um beijão!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/10/2010 @ 16:23

  5. Além de que muitas pessoas não tem acesso a cursos de roteiro. Pelo menos a minha cidade não oferece nenhum…
    E como observamos o autodidatismo no cinema, vide autores atuais como Paul Thomas Anderson ou Quentin Tarantino.
    Então é isso… não preciso de curso, esse site aqui já vai me colocar no caminho pra realizar meu Pulp Fiction, meu Boogie Nights 😀 hahaha
    Um abraço.

    Comentário por Caio — 01/10/2010 @ 16:54

    • Olá, Caio! 😀

      Rsrs! Obrigada pela força! 😀 É verdade, muita gente nem tem opção, os cursos são caros ou longe, ou nem existem na cidade. Por isso que cada um precisa mesmo fazer seu caminho. Foi bom você lembrar do Anderson e do Tarantino, isso dá uma esperança danada pra gente, né?

      Valeu, Caio, e vou me esforçar bastante para estar à altura de tanta confiança depositada em mim! :mrgreen: Um beijão! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/10/2010 @ 17:13

  6. Valeu, muito obrigado pela resposta, exclareceu bastante….

    Um abração e um beijão !!!!

    Ps: Estou ancioso esperando o resto do texto sobre TV.

    Comentário por Igor — 01/10/2010 @ 17:32

    • De nada, Igor! Já estou traduzindo o resto, é que machuquei a mão esquerda esta semana e acabei ficando de molho! Mas já estou voltando!!
      Beijos! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/10/2010 @ 17:37


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: