Dicas de Roteiro

04/09/2010

Escrita Astuta Para a TV – Parte 4

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 20:19
Tags: , ,

Aqui vai mais um trecho do livro Crafty TV Writing do roteirista Alex Epstein, tirado do site dele, Crafty Screenwriting:

lackadaisy

Capítulo 3: Escrevendo o Roteiro

Ação

Na escrita de filmes existe uma regra em que você deveria escrever somente o que pode ver ou ouvir. Não dirija a câmera. Não fale sobre como cheira a sala, ou qual é o passado do personagem. Se não for um diálogo, nós não o ouviremos; se não está na ação, não o veremos. Então, por que escrever?

Escritores de TV quebram essa regra de dois modos significativos.

Um, frequentemente os roteiristas de TV colocam mesmo a direção de câmera no roteiro. Em parte, porque eles podem. Se o diretor quer ser contratado para dirigir outro episódio deste programa, é melhor ele prestar atenção à forma como o showrunner quer a cena filmada.

Mesmo se você não for o showrunner, ocasionalmente pode inserir uma direção de câmera para deixar claro como a cena deve ser filmada. Se você estiver à procura de uma tomada com um grande afastamento de grua, você precisa avisar, pois o gerente de produção precisa ter uma grua disponível no set naquele dia. Se você vai fechar no rosto de alguém na sombra, o cenógrafo não precisa decorar o cenário inteiro. O ator pode nem mesmo precisar de calças. Os escritores colocam mais direção em roteiros de TV porque o processo de pré-produção é muito mais apressado do que nos filmes. Muitas vezes os departamentos não terão mais do que uma semana de uma sólida pré-produção. Isso é muito pouco tempo para refletir e conferir e fazer o storyboard de um roteiro de cinqüenta e cinco páginas. Se a produção precisa saber de alguma coisa, é uma boa idéia ESCREVÊ-LA TODA EM MAIÚSCULAS no roteiro, assim é menos provável que a equipe a deixe passar. Isto inclui movimentos de câmera, onde eles são importantes para contar a história: ELE ESTÁ EM SILHUETA, NÓS NÃO VEMOS O SEU ROSTO.

Dois, os roteiristas de TV muitas vezes escrevem o que os personagens estão pensando. Isto funciona como uma espécie de taquigrafia:

Jack

Se o ator sabe o que o personagem está pensando, ele pode representá-lo. A alternativa seria você entrar em muito mais profundidade de detalhes em relação àquilo que vemos:

Jack2

E mesmo assim, o leitor pode não captar isso, o diretor pode perder o detalhe, e o ator pode apenas ficar confuso.

Além de tornar a escrita mais viva, dizer o que o personagem está pensando também coloca o leitor mais dentro do ponto de vista dele. O episódio dará uma leitura melhor.

Todavia, você tem que ter cuidado com esta ferramenta, e só usá-la para o bem, não para o mal. Alguém pode interpretar: "Oh meu Deus, ele sabe!". Outro pode interpretar: "Ah, ótimo. Eu taquei o meu pé nele, não foi?". Um outro pode até mesmo interpretar: "Isso não é típico de homem?". Estes todos são atalhos para reações emocionais distintas – sabores específicos de alarme, embaraço e desprezo. Mas ninguém pode interpretar um pensamento:

O hematologista disse exatamente a mesma coisa!

Claro, os atores não irão reclamar. Atores frequentemente têm uma percepção exagerada de quanta informação a sua interpretação pode comunicar. Alguns realmente parecem transmitir o que eles estão pensando, mas a maioria só pode transmitir o que está sentindo. Cabe a você se certificar de que está escrevendo algo que seja interpretável. Se não, você tem que colocar o pensamento em um legítimo diálogo:

Jill

Escritores contratados às vezes até mesmo colocam comentários editoriais em roteiros, pendurando um sinal sobre o tema do episódio ou outra nuance que possa passar despercebida em uma rápida leitura. A justificativa para isso é a mesma que antes. As pessoas nem sempre lêem roteiros de TV tão cuidadosamente como deveriam. Não há tempo. Se você não quer receber um telefonema de um confuso executivo de rede de TV, ocasionalmente você insere:

Sim, esta é uma coincidência extraordinária; esta que é a questão.

Legendas para os com deficiência em nuances são legítimas quando o episódio, se devidamente filmado e editado, irá facilmente comunicar alguma coisa que o roteiro pode não deixar claro. Produtores e executivos estão acostumados a ler o diálogo, mas a edição, por exemplo, não lêem bem. Se você quiser uma montagem para provar um certo ponto, vai ter que nos dizer que ponto é esse:

MONTAGEM

de cada momento em que Cordelia passou vergonha por sua própria culpa.

Seja cuidadoso ao escrever diretamente para o leitor dessa maneira. É um pouquinho impróprio. Isso pode ser justificado quando você está numa equipe, mas é arriscado em um roteiro freelance, e muito arriscado em um roteiro de especulação. Use isso apenas quando você tiver certeza do que está fazendo.

TV_Lamp 

Boa escrita pra você hoje!

Anúncios

42 Comentários

  1. Olá Valéria!!!.

    Então, eu queria muito que você me ajudasse em uma pequena coisa, se sim para você é claro…

    Queria que você lesse o primeiro episodio que acabei de escrever da minha série.

    É que você é profissional neste assunto de roteiro e queria saber se você pudesse ler, o Piloto da série, só para ver como está o roteiro, se está tudo certo.

    Abração !

    Comentário por Igor — 19/09/2010 @ 10:12

    • Oi, de novo, Igor! 😀

      Eu tenho de pedir mil desculpas, mas, além de atualmente eu não ter tido condições de fazer muita coisa (desde a morte de meu pai, há vinte dias, tenho tido de resolver muitos problemas pessoais e familiares), eu não leio roteiros de outras pessoas, eu já li muitos, mas atualmente estou terminando meus próprios roteiros e tentando vendê-los, então, por uma questão de ética, prefiro não fazer mais isso. Mas, recomendo sempre o trabalho de análise de roteiro do nosso colega Fernando Marés de Souza, que faz este serviço profissionalmente, então é muito mais sério e garantido. No começo a gente fica inseguro mesmo, fica querendo a opinião e o parecer dos outros, e a opinião dele é muito mais balizada do que a minha, já que ele trabalha como roteirista profissional há anos.

      Me perdoe novamente, Igor, espero poder lhe ajudar com outras coisas, para que você mesmo seja capaz de ser o crítico e analista profissional de seu próprio trabalho, que no fundo é o objetivo e a obrigação de todos nós como roteiristas profissionais.

      Um beijo grande,
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 19/09/2010 @ 11:33

  2. Não tem problema, sei como é perder uma pessoa. Então, boa sorte com seus roteiros, desejo toda sorte do mundo. E boa sorte com tudo. E lembre-se:

    “Não se importe com o que o futuro estar por vir, não se aflita pelo passado, torne o presente tão bonito que valerá apena ser lembrado.”

    Um Beijão Valeria, espero ver um de seus filmes em breve, ou melhor, concerteza vou ver

    Comentário por Igor — 19/09/2010 @ 11:38

    • Oi, Igor, muitíssimo obrigada pela compreensão e por suas lindas palavras de força e apoio.

      Estou torcendo também para ver os seus filmes e séries em breve! Continue com esse ânimo e essa coragem inspiradores, que com certeza você será recompensado em dobro!

      Um beijão, Igor! Sucesso!!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 19/09/2010 @ 16:49

  3. Olá Valéria!
    Tenho 16 anos e estou começando a entrar neste mundo audiovisual. Me interesso muito pela criação de roteiros. Gostaria de saber onde é possível encontrar modelos de roteiros escritos para séries de Tv, por que tenho algumas dúvidas.
    O estilo de formatação é o mesmo que se usa nos filme de longa-metragem? Existe algum padrão que as empreas televisivas brasileiras criaram ou adotaram para para produção de scripts?

    Parabéns pelo site! Obrigado

    Henrique

    Comentário por Henrique — 19/09/2010 @ 15:25

    • Olá, Henrique, seja bem-vindo!

      Que legal, você tem 16 anos e se interessa por roteiros. Isso é ótimo. A maioria do pessoal que quer entrar nesse ramo pensa apenas em dirigir (ah, eu também era assim… foi só com o tempo que eu me apaixonei por roteirismo! :mrgreen: ).

      Existem poucos roteiros de séries e novelas brasileiras disponíveis, eu sempre recomendo o site do nosso amigo Fernando Marés de Souza, Roteiro de Cinema, onde você pode acessar alguns exemplos. Ali você verá algumas diferenças de formatação, principalmente em relação às novelas, mas eu acho que para escrever um roteiro de especulação você pode utilizar a formatação de roteiros cinematográficos mesmo.

      Obrigada pela força, Henrique, volte sempre!
      Um beijo grande,
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 19/09/2010 @ 16:57

  4. Olá Valéria!

    Tudo bem?

    Dei uma sumidinha… mas voltei! 😉

    Nossa, adorei a sua postagem sobre as séries e percebi que é muito mais difícil escrever para a TV do que para o cinema.

    Eu sou uma APAIXONADA por séries, em especial por aquelas que me fazem pensar como a franquia “CSI” (vou confessar: tenho uma quedinha pelo CSI:New York, por causa do Gary Sinise, adoro este ator! :D), “Criminal Minds”, “Lei e Ordem SVU” e “Lei e Ordem Criminal Intent” (que agora ficou melhor ainda com o Jeff Goldblum). “Fringe” que na verdade é uma sucessora do “Arquivo X” e eu como uma eXcer não poderia deixar de assistir…rsrs. Só não curto “comédias”, prefiro ver algo que me faça pensar, até porque para me fazer rir este gênero realmente precisa ser muito engraçado e ultimamente nada na TV, aberta ou fechada, me chama atenção quanto a isso, a não ser o maravilhoso sitcom nacional “Toma Lá Da Cá” que infelizmente já saiu do ar, mas quando quero matar a saudade posso revê-lo no dvd, porém creio que a TV aberta perdeu um dos maiores sucessos e que de fato me fazia rir com Copélia, seu Ladir e cia…:)

    Eu também sou apaixonada por temas medievais e uma série que se passava nessa época era “Xena – A Princesa Guerreira”. Eu sempre assisti a série e na minha opinião a melhor temporada foi a primeira. Depois eu não sei por que os produtores decidiram mudar o rumo e usar muitos subtextos nas histórias seguintes. Não estou dizendo que não ficou bom, só estou dizendo que não entendi, porém, continuei a assistir até o inacreditável final, que claro, ninguém gostou.

    Muitas pessoas não gostavam da série “Xena” por acharem brega, tem gente que nunca assistiu e diz que não gostava… concordo que os efeitos especiais eram ruins, primitivos, mas foi tudo muito divertido. As histórias eram vividas na Grécia antiga, falava sobre a mitologia grega e eu me realizava assistindo porque simplesmente adoro histórias antigas e medievais. Eram fantásticas, com muita luta, muita imaginação dos roteiristas e talento da protagonista que dispensou dublês na maioria das cenas, além dela ser uma simpatia de pessoa.

    Enfim, o que quero dizer é que assisti a um making-of da série e vi como tudo é muito difícil. Depois das filmagens eles se reuniam até a madrugada para fazer a leitura do próximo episódio e na mesa estavam as atrizes principais, os produtores, o diretor e o roteirista responsável pelo episódio seguinte. Eles liam e discutiam sobre as cenas, o que poderia mudar ou não. O incrível é que já era muito tarde e às 5h00 da madruga já estavam todos de pé, no trailer da maquiagem se preparando para gravar as cenas. Olha, realmente é um trabalho árduo tanto para os atores quanto para os roteiristas.

    Apesar disso tudo, achei o ambiente muito bacana, estar ali discutindo sobre a série o que é melhor ou não, pelo menos na série “Xena” todos pareciam amar o que estavam fazendo, pareciam uma família reunida, adorei!

    Não sei se isso acontece em todas as séries porque só consegui achar e ver um making-of “completo” da série “Xena”. Já assisti de “Fringe”, mas não foi completo, foi só no dia das filmagens.

    E as séries dos anos 80? Wow…essas são as melhores!

    Bom Valéria, seu site como sempre, maravilhoso!

    Parabéns pela atenção que você dedica aos seus leitores.

    Estou aprendendo muito com você!

    Beijão!

    Eve.

    Comentário por Eve — 21/09/2010 @ 18:48

    • Olá, Eve, que bom vê-la de volta por aqui!

      Legal a sua análise pessoal das séries que você gosta. Eu costumo fazer isso para ver de que modo cada filme e/ou série me toca, e então tentar aprender como eles conseguiram despertar aquela(s) determinada(s) emoções em mim. É bem interessante! Ah, e não ligue para o que os outros pensam ou dizem sobre suas séries favoritas. Não são os efeitos especiais que salvam um seriado, mas uma boa história, personagens (e elenco) carismáticos, e uma boa direção. Se tiver bons efeitos, ótimo, será a cereja no topo do sundae! :mrgreen:

      E tem muitas séries ótimas das décadas de 60, 70 e 80 que, mantêm seu charme e sua qualidade apesar do passar do tempo e têm seguidores fiéis até hoje! Esse é um dos meus sonhos, escrever algo que seja atemporal. Mas, ai, ai! Tenho que ralar muito ainda!

      Eu queria muito assistir mais making-ofs, eu adoro ver os bastidores dos filmes e seriados, pena que eles não mostrem muito disso, parece que não querem dar o “pulo do gato” para o resto de nós, mortais. Ficam escondendo o jogo, é fogo isso! XS

      Ah, e de nada, Eve, é um prazer imenso ter essa troca, eu fico super feliz de estar ajudando e contribuindo um tantinho para enriquecer o nosso meio televisivo/cinematográfico! 😀

      Um beijão, Eve, e até loguinho (“loguinho” mesmo, vou responder agora o seu próximo comentário, tá vendo como eu ando atrasada?! 😆 )
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 22/09/2010 @ 15:12

  5. Oi Valéria!

    Concordo com você! Creio que há excelentes séries dos anos 70 e 80, principalmente.

    “Duro na Queda”, “Mulher Maravilha”, “As Panteras”, “Casal 20”, “Dama de Ouro”,”Tiro Certo”, “MacGyver” (que será a próxima que escreverei no meu blog). Wow, são tantas que se eu for numerá-las aqui não irá caber neste espaço. 😀

    Sobre as minhas séries favoritas, eu não ligo não para os que os outros pensam, só acho insensato alguém formar uma opinião de um programa que não conhece ou que nunca viu, e pior ainda, baseado na opinião de outras pessoas, já ouvi muito disso, é estranho, não é?

    E a série “Xena” também terá espaço no meu blog, só estou seguindo a ordem, então vou deixá-la um pouquinho para o final.

    Bom Valéria, não irei ficar te agradecendo em todos comentários porque acabo sendo redundante, afinal, você já sabe e percebeu a importância do seu trabalho e o quanto ele é especial para mim e acredito que seja para muitos leitores.

    Quero deixar registrado aqui, que se algum dia precisar de alguma coisa, estou as ordens, claro que não tenho a sua experiência, mas o pouquinho que sei, eu posso dividir. 😀

    Um beijo grande!

    Eve.

    Comentário por Eve — 23/09/2010 @ 20:26

    • Oi, Eve!

      Noooossa, acabei de voltar do túnel do tempo! 😆 Voltei mesmo ao passado, tem séries na sua lista que eu nem me lembrava mais! Você vai falar sobre todas elas no seu blog? Eu vou acompanhar! Muito legal!

      Ah, eu concordo contigo plenamente. Muita gente torce o nariz sem saber do que está falando. E mesmo quando viram as séries, e não gostaram, isso não significa nada, não tem mesmo jeito de um escritor agradar a todos os públicos. Tem gente que só gosta de filme-pipoca e gente que só gosta de filme-cabeça. Se a gente tentar agradar a gregos e troianos, vai acabar não agradando ninguém, não acha?

      Falando da Xena, você viu a série Spartacus: Blood and Sand? Eu não tenho TV a cabo no momento, então não sei se tá passando no Brasil, mas eu li numa revista que a protagonista de Xena, Lucy Lawless, faz um papel importante (e picante!) nessa série. Se você viu, me conta o que achou! 😉 😀

      Obrigada mesmo, Eve, pelo apoio, pela força, pelo carinho e, principalmente, pelo bate-papo bacana e gostoso! Fico muito feliz de conversar contigo, eu já estou aprendendo muito! E, pode deixar, que se precisar eu não hesitarei em lhe perturbar! 😆 (Só um tantinho!) :mrgreen:

      Um beijão, um ótimo fim de semana pra você, e até a próxima!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 24/09/2010 @ 09:40

  6. Oi Valéria!

    É bom recordar momentos bons, não é mesmo? Como passava coisa boa no finalzinho dos anos 70 e nos anos 80 e por aí vai… Que saudade! Bom que hoje podemos matar a saudade com os lançamentos em DVD das séries.

    Vou comentar no meu blog sim, sobre todas elas, mas como ando um pouquinho ocupada, não estou atualizando meu blog como gostaria, por enquanto estou escrevendo uma matéria por semana inclusive na última postei um texto de meu “buddy” 😀 mas isso vai mudar, já está mudando…:D.

    Quanto a série “Spartacus:Blood and Sand” eu cheguei a ver alguns episódios, mas quero ver todos. Os poucos que assisti eu percebi que a Lucy Lawless, que interpreta a “Lucrecia”, foi um pouco preservada nas cenas, enquanto outras atrizes mostravam tudo, ela aparecia com um lençol aqui outro ali, entendeu né?! 😀

    Não sei se você sabe, mas a Lucy é casada com o criador e produtor da série, o Robert Tapert, que também foi o idealizador de “Xena”, os dois se conheceram durante as filmagens, se casaram, têm dois filhos e a união já dura há 12 anos, enfim, acredito que o maridão deve ter procurado não expor muito a esposa, se é que isso existe em Hollywood, o fato é que nos episódios que eu vi, percebi isso, pode ser que nos outros tenha mostrado as cenas (picantes) :D. rsrs…

    Embora a Lucy negue, pois ela disse que o marido não teve nenhuma influência no papel dela, eu acho que teve sim. Imagina que ele iria deixar a esposa se sujeitar a isso…sei não. Olha, eu adoro a Lucy, acho a atriz uma pessoa legal pra caramba, um ser humano espetacular, uma simpatia, mas ela não me convenceu, acho sim que o Mr. Tapert teve voz ali, conta outra, pra cima de mim! 😀

    Você acredita?? Nem eu!! 😀 😀

    Acabei de chegar do cinema, fui assistir “Resident Evil:Afterlife” em 3D.

    Olha Valéria, que maravilha de filme, adorei, principalmente com a tecnologia 3D!

    Vou começar a escrever uma pequena matéria para meu blog sobre o filme, agora que assisti posso falar, por isso, não irei comentar muita coisa aqui, quero que você leia lá! Rsrsrs 😉

    Por hoje é só, já escrevi demais! Rsrs…

    Um ótimo fim de semana, querida!!

    Nos falamos!

    Beijão!

    Comentário por Eve — 24/09/2010 @ 22:37

    • Oi, Eve!

      Estou gostando muito desse seu trabalho de registro histórico, você está fazendo um trabalho lindo! E um post original por semana, longo e bem pesquisado como são os seus, é uma ralação imensa! Já está mais do que excelente, ninguém tem o direito de reclamar não!

      Quanto ao Spartacus 2010, estranho, a notinha que eu li disse que já no segundo episódio a Lucy traçava duas mulheres, e que tinha um monte de pegação nos outros episódios! Mas, vai ver que, comparando com o resto do elenco, as cenas dela eram tão pudicas que nem contam! 😆 E maridão na direção, sei não… Concordo contigo, conta outra! 😀

      Ah, você viu Resident Evil, tô com inveja! Sabia que eu ainda não assisti nenhum filme com o novo 3D? Incrível, não? É que quando eu era jovem eu sofri tanto com aqueles oclinhos coloridos que isso me desanimou. E como eu sou míope e tenho astigmatismo (portanto uso óculos) e li que para pessoas que usam óculos ou lentes de contato essa tecnologia ainda não é ideal, pois causa desconforto e dores de cabeça (igualzinho à anterior!), já que os olhos têm de se adaptar a dois tipos de correção ao mesmo tempo, então eu nem quis testar! Mas talvez o bicho não seja tão feio quanto pintam, e eu esteja perdendo um negócio super legal. Ai, ai, ainda tô na dúvida.

      Mas 3D ou 2D, eu tenho que correr para assistir logo o filme, pois quero ler o seu post! 😀

      Um beijão grande, Eve!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 25/09/2010 @ 09:42

  7. Oi amiga!!

    Que chique, estou te chamado de amiga! Adorei!

    Acho importante relembrar coisas boas, é gratificante para mim e essas séries antigas marcaram a minha infância e adolescência, por isso quero escrever sobre elas.

    Quanto a “Spartacus”, eu não vi esse episódio, é no segundo? Que coisa, não é? Fico triste! Sabe por quê? Acho que a Lucy não precisava se expor desse jeito, pra quê? Caramba, ela já tem fama, tem seus fãs, acho que ela poderia ter passado esse trabalho.

    Mas vai entender, não é? Esse povo quanto mais tem mais quer!

    Em janeiro deste ano, ela foi num programa americano divulgar a série, e a jornalista, lógico, perguntou sobre a personagem mais famosa dela, a Xena. A Lucy tem muito orgulho da personagem, porém, disse com todas as letras que não gosta que ela seja confundida com a Xena, deixou bem claro que ela é Lucy e Xena é uma personagem. Mas muitas vezes isso não entra na cabeça de um fã e ela ainda complica mais a situação interpretando “Lucrecia”. Longe de mim qualquer tipo de preconceito, é bom deixar isso bem registrado, aliás, respeito muito as escolhas das pessoas, mas como ela mesma não gosta de comparações não deveria dar linha para a pipa, concorda?

    Confesso que fiquei incomodada quando soube que ela iria fazer cenas de nudez, caramba, isso não combina com a Lucy, enfim…

    Sobre o 3D, não tem nada disso amiga, eu também sou míope e o óculos 3D encaixou direitinho por cima do meu..ahahaha…

    Não vale a pena assistir “Resident Evil” em 2D, assista em 3D, você vai ver que coisa maravilhosa!

    E dor de cabeça? Que nada, isso é lenda!

    Foi ótimo! Você vai adorar!

    Comentário por Eve — 25/09/2010 @ 15:04

  8. Esqueci de dizer que quanto os posts do blog, estou escrevendo apenas um por semana por causa do tempo mesmo. Meu “Buddy” que é um cinéfilo inveterado como eu, escreve também e envia para eu postar no blog, então ele me ajuda a não deixar o blog desatualizado, mas ele escreve poucos artigos, portanto, a maioria dos textos são meus.

    Irei tentar atualizar com mais frequência.

    Bjs!

    Comentário por Eve — 25/09/2010 @ 15:08

  9. Ah…esqueci de novo…

    Quanto aos óculos 3D, agora eles são diferentes, é como um óculos de sol, não são mais aqueles coloridos.

    Então dá para encaixar por cima do outro de grau direitinho…:D

    Bjs.

    Comentário por Eve — 25/09/2010 @ 15:10

    • OOOOOiiii, amiga!!! (Aaah, eu também tô super feliz – e chique! – de te chamar de amiga!!)

      Em primeiro lugar, agora eu tô fissuradona pra assistir Resident Evil em 3D! Até o meio da semana eu devo ter arrumado tempo pra ir assistir, não dá mais pra segurar! (Você devia trabalhar em divulgação e marketing, ia ganhar um dinheirão, você é boa nisso! 😆 ) Tô quicando de tanta animação! 😆

      Quanto à Lucy Lawless, uma característica que a maioria dos atores têm em comum é o amor ao desafio de fazer personagens diferentes. Muitos acabam desagradando em cheio seus fãs por fazerem vilões ou personagens antipáticos, anti-heróis, quando estão no auge de sua fama como mocinhos de comédias românticas, por exemplo. Para não ficarem “rotulados” (eles ralam e ralam pra fazer sucesso, quando conseguem, ficam revoltados!), eles procuram personagens radicalmente opostos aos que já fizeram. Às vezes têm sorte, mas na maioria das tentativas eles fracassam e voltam correndo aos seus personagens habituais. Nem 8 nem 80, né? Não precisa ser tão radical e chocar o público assim, vai devagarinho que acaba dando certo! Rsrs!

      Ei, não liga não pra frequência de seus posts, como eu disse, um por semana com a qualidade que você faz, e ainda por cima originais, cheios de vídeos e links (sinal de que você fez uma excelente pesquisa), é mais do que qualquer um pode pedir, está super ultra maravilhoso! Se você puder escrever mais, ótimo, a gente é que sai ganhando, mas se não der, eu mordo quem falar mal de você por causa disso! Rrrrrrr… AU,AU,AU!! 😆 Eu fico raivosa! 😀

      Uma ótima semana pra você, amiga, eu conto depois como foi minha experiência em 3D! Um beijão!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 27/09/2010 @ 11:11

  10. Oi amiga! 🙂

    Pois é, eu também acho que certos atores têm medo deste rótulo que você muito bem comentou. Quanto a Lucy Lawless os fãs estão acompanhando e adorando a personagem Lucrecia em Spartacus, “isto é incrível!”.

    Sabe, eu estava preparando uma matéria para o blog sobre o MacGyver para postar hoje ou amanhã, mas acho que vou adiantar o da Xena, até porque sendo mais recente é mais fácil escrever sobre ela. O que vc acha? Esta nossa conversa sobre este assunto me deixou ansiosa para falar sobre a Lucy e suas personagens. Me diga aí, o que você decidir eu darei prioridade. Qual escrevo primeiro: “MacGyver” ou “Xena”?

    Você acha que eu deveria trabalhar com divulgação? Sério mesmo ou você está de brincadeira? 😉 🙂

    Vou te confessar: eu sou professora de Inglês, estou quase terminando a faculdade de Letras, mas de verdade, eu não gosto de ser professora. Meus alunos me adoram, meus diretores dizem que sou uma ótima profissional, mas sabe quando algo não te completa? Eu adoro a língua inglesa, quero trabalhar nesta área de línguas também, mas não ensinando. O que quero mesmo é ser escritora, aliás, uma de minhas professoras, que inclusive faz parte da Academia de Letras do ES, adora meus textos e me incentiva a publicá-los, mas sabe eu mesma não acredito em mim, isto é triste, não é? As pessoas acreditam, mas eu não, sabe o que é isso? Medo de me tornar uma pessoa frustrada. Sei lá! Estou sempre empurrando com a barriga. Este meu amigo que te falei, meu “buddy”, ele é um camarada maravilhoso, meu amigo de muitos anos, meu melhor amigo, meu irmão, ele até já escreveu um livro, mas sobre gramática, ele me apoia 100%, me faz levantar a cabeça, me faz acreditar em mim, mas eu tenho medo…medo…

    Sabe amiga, eu adoro William Shakespeare, já apresentei três seminários sobre ele, sobre suas obras e existe uma frase deste autor maravilhoso que sempre está martelando na minha cabeça. É a seguinte: “Morrer ignorante sabendo que tinha capacidade de ter sido sábio, isto sim, é uma tragédia humana”.

    Na verdade, penso em pedir transferência para outro curso, não quero fazer Letras, não gosto de dar aulas, apesar de todos diretores, colegas, alunos, dizerem que sou uma excelente educadora, pena é que eu não me completo nesta profissão e às vezes vivo triste pelos cantos e se bobear caio em depressão.

    Foi bom você me dar esse dica, quem sabe eu não me transfiro para Comunicação Social, sei lá, preciso pensar, só que o tempo passa e ele é cruel.

    O que me faz feliz e realizada é escrever no meu blog. Eu não ganha nada com isso, nem marketing eu coloquei lá para ganhar algum trocado, apenas quero me dedicar ao que amo e escrevo com tanto prazer, tanta satisfação que por si só me completa e fiquei ainda mais feliz em saber que você gosta dos meus textos, poxa, nem tenho mais o que dizer, somente agradecer o seu carinho e sua amizade a qual desejo que seja para sempre.

    Amiga, obrigada mesmo!

    Bom, vou ficar aguardando a sua escolha: “MacGyver” ou “Xena”. Independente, irei escrever sobre os dois, mas qual devo postar primeiro? Hmm..pensando bem, o assunto da Lucy está muito interessante…rsrsrs… opa, vou deixar para você decidir.

    Estou no aguardo.

    Beijão, miga!

    Eve.

    Comentário por Eve — 27/09/2010 @ 15:22

    • Oi, Eve!

      Xena. Pronto. Você mandou eu decidir, tá decido, pode botar na minha conta! Rsrs! O MacGyver é super legal também, mas, como você disse, essa conversa toda sobre a Lucy deixou o assunto mais interessante, e a curiosidade, maior! Manda ver, que já estou aguardando ansiosamente! :mrgreen:

      Eu não tava exagerando quando disse que você tem muito talento como divulgadora e marqueteira! Você consegue passar a paixão que sente através de seus textos, e a gente não consegue evitar de sentir o mesmo. Isso é um talento e tanto! Como eu disse, você pode ganhar uma grana preta com isso!

      Quanto à faculdade de Letras, bem, eu acho que no final das contas é só você mesma que precisa tomar esta decisão tão importante, mas tenho algumas coisas para comentar que talvez lhe sirvam de combustível para meditar um pouco sobre o assunto. Em primeiro lugar, você está terminando o curso, não é? Tem algumas coisas a favor de você ir até o fim do curso:

      – Infelizmente, aqui no Brasil, muitas vezes um diploma é bem mais valorizado do que o conhecimento propriamente dito. Então, se você tiver esse diploma, numa situação de necessidade, ele pode vir a calhar.
      – Entrar em qualquer outra faculdade fica bem mais fácil se você já tiver um diploma.
      – Você pode muito bem se formar em Letras e NÃO ser professora, uma coisa não leva obrigatoriamente a outra. Eu tinha uma colega na faculdade que cursava Letras a fim de se tornar intérprete. Ela dizia que era uma carreira bem difícil, mas super bem remunerada. Traduções de todos os tipos, revisões, livros de ensino, existem tantas coisas a se fazer com esse diploma, sem contar escrever, é claro. A faculdade de Letras dá ferramentas imprescindíveis a quem quer escrever, eu mesma estava estudando para entrar em uma, quando meu pai adoeceu e eu tive que mudar temporariamente meus planos.
      – O tempo passa rápido, mas você vai ter perdido muito mais se deixar a faculdade agora. Aguente mais um tantinho e tenha a compensação de tanto esforço.
      – Eu tinha duas colegas na faculdade de Cinema que pediram ao diretor para cursar Jornalismo e Cinema juntos (uma delas cursou Jornalismo, Cinema e Publicidade, ao mesmo tempo!). Ao invés de quatro, levaram 5 e 6 anos para terminarem, mas foi uma boa. Neste caso, como todos os cursos eram de Comunicação Social, eles tinham a mesma base, o que facilitou esta manobra. No entanto, eu soube que, enquanto você está fazendo um curso, se você tem muito interesse em outro, pode pedir ao diretor para cursar algumas matérias obrigatórias daquele curso como se fossem eletivas do seu (não importa o quão diferente seja este curso!). Se a sua faculdade tem o curso de Comunicação Social, ou outro em que você esteja interessada, você já pode ter um gostinho de como ela é cursando algumas matérias avulsas.

      O único problema aqui seria a sua depressão, mas eu não acho que ela esteja sendo causada por você estar dando aulas, mas por você não estar acreditando em seu talento!! Esse sentimento é um mecanismo de alarme interno que nos mostra que não estamos fazendo o que deveríamos fazer. E a vantagem de escrever é que você não precisa deixar o seu emprego atual para isso. J.R.R. Tolkien era professor de Letras numa faculdade; ele escrevia muito em seu tempo livre! E só deixou seu emprego ao se aposentar. É claro que você não precisa continuar a trabalhar em algo que não gosta, mas se estiver se realizando como escritora, talvez até venha a mudar de opinião quanto a isso.

      Uma última observação: Paulo Coelho vive mandando tweets em inglês, escreve posts em seu blog nesta língua, e precisa se comunicar com pessoas do mundo todo, das mais variadas línguas nativas, baseando-se neste idioma que atualmente é “universal”. Como uma (em breve) futura autora de sucesso, esta ferramenta vai lhe ser imprescindível. Eis mais coisa a favor de você terminar o curso.

      Espero ter lhe dado alguns subsídios para você pensar sobre o assunto. Qualquer coisa que você decida, estarei do seu lado. Espero que tudo se encaminhe bem pra você, quanto a isso.

      E nada de medo! Eu sei o que você está passando, essa porcaria dessa paúra paralisa a gente, mas a gente tem uma alegria e uma sensação indescritível de realização quando enfrentamos esse medo. E o diabo não é tão feio quanto parece, nós só perdemos quando nos acorvadamos. Eu sei disso na pele, já perdi muito tempo por causa disso.

      Eu também fico super feliz de escrever no blog, isso vai fazendo a gente ir se soltando, aprendendo a colocar nossa paixão nas palavras, exercitando nossa escrita. Eu acho que seu blog é um excelente ponto de partida, mas você deve perseguir seus sonhos, senão a vida pode acabar perdendo sua cor e sua graça de ser. Não existe melhor remédio neste mundo. A auto-realização cura as piores depressões!

      Ih, falei demais, né amiga? Desculpa, eu me empolguei! Eu estou torcendo para que tudo dê certo, e que você encontre logo logo o caminho de sua felicidade!

      E eu também quero muito que nossa amizade seja pra sempre! Mas isso vai ser muito fácil de acontecer, é sempre o maior prazer conversar contigo! 😀 😀

      Um beijão, miga (dorei! 😆 )!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 27/09/2010 @ 23:38

  11. Oi Valéria!

    Tá certo, amiga, você falou, tá falado! Ainda hoje escreverei uma matéria sobre a Xena (Lucy Lawless) e logo que postar eu lhe aviso, ok?

    Quanto aos seus conselhos, eu adorei! Poxa, foram tantas palavras encorajadoras que cheguei a me emocionar. Nem tenho o que falar, você me deixou muda! rsrsrs…

    Percebi nas entrelinhas, que você fez Faculdade de Cinema ou estou errada? Esse sempre foi o meu sonho, amiga, cursar um ensino superior de cinema, mas infelizmente, na minha cidade não existe este curso até porque aqui em Vitória não tem mercado para isso. Eu estava tentando ir para São Paulo esse ano exatamente para estudar, mas enfim, deixa pra lá, é melhor nem comentar…

    Quanto a Letras, falta 15 meses para eu terminar, mas sabe o que me mata? É fazer o tal do estágio supervisionado. Em Inglês eu não preciso porque já dou aula faz tempo, mas em Português, ahh não dá, ainda para piorar tenho que dar aula no Ensino Médio, só de pensar nisso eu já fico arrepiada. Tenho amigos que são professores nestas séries e eles me contam cada coisa que eu fico muito assustada, pra mim não dá!

    Não sei ainda o que vou fazer, só não posso demorar muito para decidir. Vou terminar este ano e verei o que fazer ano que vem.

    Comunicação Social acho um curso interessante e só serviria para mim porque gosto de escrever, agora o curso, depois de cinema, claro, que quero um dia fazer é História, não licenciatura, mas bacharelado, só que de novo o mesmo problema quanto a isso, aqui em Vitória também não há campo para “historiador”…rsrsrs…que situação, hein!!!

    Aiii….é melhor até mudar de assunto.

    Mas, amiga, então vamos ficar assim, à tarde escreverei o post e te aviso, ok?

    Está sendo legal demais o nosso papo, você não imagina o quanto estou aprendendo com você!

    Nossa amizade vai estar em meu coração para sempre, pode acreditar!

    Bjs!

    Eve

    Comentário por Eve — 28/09/2010 @ 12:03

  12. Errata:

    “faltam 15 meses para eu terminar…”

    Preciso consertar…rsrsrs…desculpe, eu odeio quando eu como algumas letrinhas…

    Bjs.

    Comentário por Eve — 28/09/2010 @ 12:06

  13. Pronto, amiga, já escrevi sobre a “Xena”.

    Creio que faltou algumas coisas para falar ainda, mas acho que já deu para um gostinho.

    Quando puder, dê uma passadinha por lá.

    Bjão!

    Eve

    Comentário por Eve — 28/09/2010 @ 23:33

    • Oi, amiga!

      Em primeiro lugar, mil perdões pelo atraso na resposta, estou num corre-corre danado! Mas adorei seu post sobre a Xena (já comentei lá), e curti muitos os vídeos que você escolheu, valeu mesmo!! 😀

      Eu cursei 5 períodos da Faculdade de Cinema, mas saí faltando um ano e meio para terminar. Eu tive vários motivos na época, mas um deles é que eu… estava com pressa! Pois é, eu queria ganhar tempo, achava que conseguiria fazer mais por conta própria do que na faculdade. Na verdade, a faculdade não vai te formar uma cineasta. Você precisa correr muito atrás e fazer seus próprios curtas. Você aprende alguma coisa da parte técnica, mas isso está longe de te dar a auto-confiança de um profissional. A vantagem da faculdade é que você vai conhecer gente que poderá lhe dar uma mão no seu curta. Mas, é claro, você pode fazer tudo isso sem ir para a faculdade. Basta ter tempo e dinheiro para estudar por conta própria e investir em seus curtas. Que eu saiba, só um colega da minha turma se tornou profissional do ramo. Ele gostava da área de som, e acabou tornando-se assistente de som em longa-metragens. Se continuou, hoje já deve até ocupar o posto principal. Os outros, ou foram dar aulas, ou foram fazer outras faculdades, ou entraram no serviço público (com salário de curso superior; parece que não importa no quê a pessoa se formou, se tiver diploma, pode concorrer a um cargo com salário melhor). Bem, isso é o que eu fiquei sabendo, a maioria dos alunos que se forma em Cinema acaba não trabalhando no ramo. Tem alguns que até continuam nessa área, mas como críticos de cinema. De qualquer forma, eu perdi muitas ilusões na faculdade. Eu aprendi que tudo o que vale mesmo a pena não cai de mão beijada no nosso colo, a gente tem que ralar feio pra conseguir, seja conhecimento, uma carreira, até mesmo auto-confiança no que fazemos, tudo exige muito esforço de nossa parte, e os professores não nos formarão cineastas, no máximo vão dar um pequeno pontapé e apontar o caminho, a gente que se vire!! Não é como as outras faculdades, você se formou, pronto, já é profissional, só precisa arranjar um estágio ou emprego. Na área artística é totalmente diferente, não importa se você tem diploma, o mais importante é ter talento, conhecimento, garra e persistência, por isso tão poucos vencem.

      Ah, mas o importante é não desistir, não é mesmo? Devemos continuar perseguindo nossos sonhos, que isso é o que vale! 😀

      Ih, eu também adoro História! A gente tem o mesmo gosto, hein! E esse negócio de estágio, é tão terrivel assim? Os alunos são violentos, é isso?

      Poxa, esse negócio é muito complicado. E a falta de mercado é geral, não é só em Vitória. Apesar de que você não precisa ficar presa aí – por exemplo, se quiser cursar História e se tornar Arqueóloga, você pode muito bem viajar o Brasil – e por que não, o mundo, para exercer essa profissão, não é mesmo?

      (Obs.: Eu aaaaamooooo Arqueologia, depois de Cinema, é a minha maior paixão!!). :mrgreen:

      Rsrs, não liga não, eu também odeio engolir letrinhas, mas isso é mais do que compreensível para uma professora de Letras, né? 😀

      Um beijão, Eve, me desculpe novamente pelo atraso na resposta, eu estou adorando a nossa conversa!
      Valéria Olivetti.

      Comentário por valeriaolivetti — 30/09/2010 @ 10:04

  14. Oi amiga!

    Você sumiu mesmo, mas que bom que apareceu! Estou feliz!

    Você gostou do post da Xena? Ao mesmo tempo que achei que escrevi demais creio que deixei de colocar alguns vídeos interessantíssimos, mas imaginei que o povo não iria querer ver aquilo tudo, enfim…

    No seu comentário, você me perguntou sobre os filmes que a atriz fez, eu já respondi lá, inclusive, coloquei os trailers de “Locusts” e “Vampire Bats”.

    Outra coisa que acrescentei num post foi um vídeo com uma entrevista que a Milla Jovovich concedeu para um jornalista brasileiro. Ele bate um papo legal com ela, conta um pouco da vida, e está dublado. Está no post de “Resident Evil:Afterlife”.

    Se você puder, dê uma passadinha e veja os trailers dos filmes da Lucy e a entrevista da Milla. Bom, isso se você desejar, viu? Fique à vontade!

    Impressionante, amiga, sempre que converso com você eu aprendo alguma coisa para a minha vida, você não imagina como estou crescendo como pessoa. É verdade! Não tem porque eu inventar, aliás, odeio mentiras.

    Eu tinha uma outra concepção da faculdade de cinema, achava que era primordial cursar para ser uma cineasta. Então, você me diz que não, que independente disso podemos fazer nossos filmes. Poxa, estou contente em saber.

    Nossa, realmente somos muito parecidas! Eu amo história e adoro arqueologia. Sou fascinada pelo Egito Antigo. No canal “The History Channel” sempre passa documentários sobre este assunto, eu não perco um!

    Quanto ao estágio, é meio complicado porque é necessário ter tantas horas cumpridas. Ontem entreguei na faculdade minha declaração de docência e fiquei sabendo que já irá abater 50% das horas que eu precisaria cumprir e o melhor, vai valer tanto para o Inglês quanto para o Português, porque minha licenciatura é dupla, ou seja, para as duas matérias.

    Na verdade, eu nunca estagiei, só trabalhei, nunca dei aula para ensino fundamental e médio, sempre dei aulas em cursos de Inglês, mas cansei…e já há três anos estou dando aulas para o 1º ao 5º ano em escola particular. É bem melhor, não existe desrespeito, os alunos são educados. Tenho colegas que deram aulas para o ensino fundamental, médio e desistiram de ser professores, um está trabalhando no shopping, outro é consultor de plano de saúde, porque hoje em dia está muito complicado, os adolescentes tratam os professores mal, respondem, claro, que não são todos, mas a maioria age assim e acaba desanimando qualquer um que quer fazer um trabalho legal.

    Como te disse, só estou dando aula porque é uma exigência do Mec para eu ter meu diploma, mas terminando, e, digo, E se eu terminar farei pós-graduação em outra área ou farei um novo curso. Agora, se a Universidade Federal abrir vestibular para transferência nas vagas remanescentes, amiga, não sei, acho que jogo o curso de Letras para o alto e vou encarar história, até comentei isso ontem com a secretária da faculdade.

    O importante na vida não é ser feliz? Então preciso ir em busca da felicidade!

    Escrevi muito de novo, não é? rsrsrs…

    É… não tem jeito…rsrsrs

    Amiga, estou com saudades dos seus posts, não some não!

    Ah…já escrevi outro post no blog, essa semana está mais tranquilo, então estou podendo escrever com tempo.

    Amanhã postarei outro…hmm…estou animadíssima!

    Beijo grande!

    Eve.

    OBS. Se escrevi alguma letrinha errada ou faltando, vou deixar pra lá, nem conferi o texto, faz de conta que vc não viu, tá bom? 😉

    Bjão!

    Comentário por Eve — 30/09/2010 @ 22:55

  15. Esqueci de explicar:

    Onde eu disse que é bem melhor dar aulas para o 1º ao 5º ano em escola particular (ou em pública), até porque já trabalhei no ensino público também, o que realmente quis dizer é que dou aulas agora para crianças, estou no ensino infantil, por isso não há desrespeito com professores, somos tratados com educação e carinho, porque as crianças são muito sinceras; se gostam de você, realmente gostam.

    Só estou explicando porque no meu comentário ficou meio confuso quando citei sobre escola particular, ficou parecendo que puxei para esse lado, quando na verdade é indiferente, o que quis dizer é que dar aulas para o ensino infantil tanto no ensino particular quanto no público é gratificante, simplesmente porque as crianças têm um interesse enorme pela língua inglesa, eles ficam encantados e esta atitude faz qualquer educador ficar feliz em ensinar para quem realmente quer aprender.

    Comentário por Eve — 30/09/2010 @ 23:14

  16. Não sei se consegui explicar o que queria, mas vc entendeu, não é?

    Bjão!

    Comentário por Eve — 30/09/2010 @ 23:15

    • Oi, amiga! Tô de volta depois de uma visita mandando um catatau de mensagens pra você, em seu blog! Espero não ter lhe soterrado com tanto texto!

      Ah, eu amo os documentários do History Channel também, pena que atualmente não estou podendo assinar a TV a cabo… E adoro pirâmides e Egito, e os Maias, Incas e Astecas, adoro todas essas civilizações antigas! Eita, a gente tem a mesma sintonia!

      Pôxa vida, os alunos adolescentes estão tão brabos assim, é? Quando falta educação em casa, acontece isso. Já vi professores dizendo que os pais de seus alunos acham realmente que não precisam educar os filhos em casa, basta mandá-los para a escola, vê se pode!! Na escola se aprende muita coisa, mas convivência social, respeito, moral, ética, isso são coisas que os pais têm obrigação de orientar. O povo sabe botar filho no mundo facilzinho, mas cuidar direito que é bom, nada! Mas saber que as crianças ainda não estão “contaminadas” com este tipo de comportamento dá uma esperança, pelo menos nem tudo está perdido.

      Ah, não se preocupe, eu não vi nenhum erro, juro, e você escreve muito bem, dá gosto de ler seus textos. Por isso, pode relaxar, tá tudo tranquilão!! 😆 😀

      Como eu comentei num de seus posts, eu machuquei a mão esquerda esta semana, ficou com uma luxação e eu tive de imobillizá-la por alguns dias, por isso só pude catamilhografar com a direita. Somando a isso o fato de que estou saindo o dia inteiro e voltando pra casa cansadona, ficou difícil traduzir novos posts, mas agora a mão já está um pouco melhor e acho que vou conseguir voltar à ativa.

      Um beijão, Eve, obrigada pela força e pela mensagem, e estou torcendo para que tudo dê certo pra você em relação à sua faculdade. Que tudo saia muito bem!! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/10/2010 @ 08:14

  17. Oi amiga!

    Que nada! Adorei seus comentários, já te disse que eles enriquecem o meu blog!

    Quero mais e mais, viu? 🙂

    Ihhh, você está me acostumando mal! >)

    Que pena que você machucou a mão, mas a melhor notícia é que vc está voltando á ativa e quem ganha somos nós que estamos sedentos por suas postagens! 🙂

    Hoje devo colocar mais um post lá, mas só à noite, é que hoje é meu aniversário, apesar de eu ser chata e odiar ficar divulgando isso. Sabe que eu nem me lembrava? Minha sobrinha que me ligou ontem e me falou…credo! ahaha…

    Como você já está fazendo parte do meu rol de amigos, que não é grande, achei que você tinha o direito de saber e compartilhar comigo, como todos meus amigos, mais esse ano de vida que Deus me proporcionou.

    Então, como hoje é meu aniversário vou sair com minha família à noite para jantar e quando voltar irei escrever mais alguns posts no meu blog…aiii, não vivo sem escrever, que vício danado, não é? 😉

    Ah…já respondi a todos os seus comentários em meu blog! Se puder ler, dê uma passadinha por lá! ;):)

    Amiga, obrigada por sua amizade e apoio. Estou curtindo muito tudo isso!

    Um beijo grande!

    Eve

    Comentário por Eve — 01/10/2010 @ 14:27

    • Oi, aniversariante esquecida!! 😆 Vê se pode!! :mrgreen:

      Estou super feliz por você ter me contado, eu ia ficar muito triste se soubesse depois! Snif, snif!
      Ah, mas hoje não é dia de chororô não, é dia de alegria, alegria!!

      E estou aguardando ansiosamente o seu novo post!! Enquanto isso eu vou ralando aqui no meu! 😆

      Já re-respondi (se é que se pode dizer assim) os seus comentários no seu blog! Estou enchendo você de coisa pra ler, né, mas foi você quem pediu!! :mrgreen:

      Um beijão, Eve, e um excelente, um maravilhoso, um fantástico aniversário, e que todos os seus sonhos se realizem de forma espetacular, nesse e nos próximos anos!! Felicidades mil, amiga!! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 01/10/2010 @ 17:45

  18. Oi amiga!

    Estou toda boba de tantos PARABÉNS, ou melhor, estou exultante! \o/ \o/ \o/

    Obrigadaaaaaaaaaaaaaa!

    Já re-re-respondi os seus comentários! Hihihi… 😉

    Você acredita que fui assistir “Resident Evil: Afterlife” de novo hoje?

    Vou deixar você ler lá no comentário do meu blog, senão fica muito chato para vc, né? Eu escrevo aqui, depois lá… fica repetitivo.

    Acho que você vai se cansar de falar comigo de tanto que escrevo, sabe que já cheguei a pensar nisso?

    Não quero ser irritante não…

    Enfim, miga, deixa eu te perguntar: você já assistiu ao filme “A Maldição do Anel”?

    Faz uns 20 dias que vi. Olha, que filmão! Fala sobre a mitologia nórdica e como você sabe, eu adoro esse tipo de história. Ele foi baseado no livro “O Anel dos Nibelungos”, quando soube, tratei logo de comprar o livro. Chegou ontem (porque compro pela internet), mas ainda não comecei a ler. Farei assim: Lerei, depois vou ver o filme novamente e após terminar escreverei no blog. Primeiro, quero ver a história no livro para fazer a comparação. Claro que, o livro é muito melhor, já que o filme se trata de uma adaptação, mas mesmo assim quero saber o que foi que os produtores aproveitaram.

    Ah…já comprei o livro “Manual da CIA”, mas ainda não chegou, eu que amo espionagem estou louca para ler! 🙂

    Hoje o dia foi proveitoso, só por ter assistido “Resident Evil:Afterlife” novamente já valeu! Rsrs…

    Hoje não deu para eu postar no blog, mas espero que amanhã eu consiga.

    Miga, muito obrigada mesmo por todo o seu apoio e pela sua maravilhosa amizade que considero um dos melhores presentes que recebi ultimamente.

    Beijinhos, da sua amiga:

    Eve.

    Comentário por Eve — 02/10/2010 @ 00:39

    • Oi, amiga! 😀

      Em primeiro lugar, de nada, lhe dar os parabéns é o mínimo que posso fazer, já que estamos longe e não posso lhe comprar um bolinho de aniversário! 😀

      E, não, de jeito nenhum vou cansar de conversar com você! Eu também sou uma tagarela, se for assim acho que é você quem vai cansar primeiro! 😆 Eu só estou chateada por não ter podido respoder as mensagens com mais prontidão, tenho tido dias cheíssimos (esta noite eu dormi apenas quatro horas e meia) e mal consigo parar para escrever no computador. E essa semana parece que vai ser igual, mas espero que mais para a frente as coisas amainem um pouco. Ufa!

      Eu não assisti esse filme, nem conhecia, foi feito para a TV, não é? (acabei de pesquisar! Rsrs!) Vou procurar pra ver, eu gosto muito das suas indicações! Eu aprecio esse estilo de história, baseada em lendas nórdicas. Você já assistiu A Lenda de Grendel (Beowulf & Grendel – 2005), com o Gerard Butler? Parece ser do mesmo estilo, eu gostei bastante, apesar de ter sido uma produção meio baratinha.

      Agora tô querendo comprar esse livro também!! Já está na minha lista de compras. 😀

      Já comentei no seu blog de novo, e estou aguardando ansiosamente novos posts!! :mrgreen:

      Obrigadão você, amiga, pela amizade, pelo apoio, pelas dicas, pela conversa divertida!! Estou amando muito tudo isso! (Epa, isso não é slogan do McDonalds?) 😆

      Sério, Eve, estou super feliz e orgulhosa de ser sua amiga!
      Um beijão e uma ótima semana pra você!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 03/10/2010 @ 10:55

  19. Oi amiga!

    Sim, eu já vi o filme “A Lenda de Grendel”. Estas histórias me fascinam!

    Pronto! Chega de ansiedade! 🙂 Já escrevi novos posts no meu blog. 😉

    Amiga, a alegria em ter a sua amizade é recíproca!

    Uma ótima semana para você!

    E vamos nos falando! 🙂

    Beijão!

    Comentário por Eve — 03/10/2010 @ 20:14

  20. Ah…esqueci de lhe dizer: eu adoro as suas indicações de livro.

    Não tem aquele do Sidney Sheldon, “O Outro Lado de Mim”, que você disse que gostou? Então, comprei! Só não chegou ainda!

    Amiga, sou uma leitora compulsiva, sempre que tiver uma boa dica de livros me diga, tá bom? 😉

    Beijinhos!

    Eve.

    Comentário por Eve — 04/10/2010 @ 01:10

    • Oi, Eve! 😀

      Estou indo correndo pro seu blog ver as novidades!

      Nossa, você é rápida, heim? Já comprou todos os livros que eu indiquei! Vamos fazer o seguinte: se você ler e gostar desses, eu indico mais! Não quero que você gaste uma grana preta e se decepcione depois! Se todos forem de seu gosto, aí terei muitos outros pra sua lista! :mrgreen:

      Um beijão, amiga, me dá licença que agora eu vou dar uma lidas em seus novos posts! (Eeeebaaaa!) Inté! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 04/10/2010 @ 11:11

  21. Oi amiga!

    Não fique preocupada, eu só compro livros em sebos via internet e eles saem por menos da metade do preço. Todos que comprei até hoje, são como novos, incrível!

    Claro que, faço uma pesquisa minuciosa nos sebos para escolher o melhor preço, afinal, não sou rica e sempre que posso gasto meu suado dinheirinho (que é muito pouco) naquilo que me ensinará algo de bom, afinal, como disse nosso poeta Carlos Drummond de Andrade: “A leitura é uma fonte inesgotável de prazer…” assim, uno o útil ao agradável e invisto na cultura.

    Sem problemas, vamos combinar desse jeito: Vou ler esses que me indicou e depois te peço mais, ok? 😉 🙂

    Já respondi seus comentários lá no blog.

    Amiga, sinceramente, acho que você vai cansar de ficar pra lá e pra cá, indo e voltando do meu blog, não sei…não quero ser chata, viu? 😦

    Beijinhos mil!

    Eve.

    Comentário por Eve — 04/10/2010 @ 17:06

    • Oi, Eve! 😀

      Ah, legal, você é esperta!! Eu também compro muitos livros no sebo, é uma economia danada! E eu também já comprei vários novinhos. Eu costumava ficar exultante com isso, alguns pareciam nunca terem nem sido abertos, de tão estalando de novos que eram. Só que hoje em dia eu fico meio com peso na consciência quando eles chegam novos demais assim. É que eu vi numa reportagem na TV que tem muitas “gangues” especializadas em roubar livros de livrarias para vender para os sebos. Os donos dos sebos até dão uma lista dos livros que eles querem, eles fazem encomendas para os ladrões! E os ladrões (e ladras) são tão malandros que um deles finge enfiar um livro na bolsa para que o segurança peça para revistá-lo, enquanto o outro rouba de fato o livro. E a pessoa revistada finge estar indignada e ameaça a livraria com um processo! Para não perder dinheiro com processos, as livrarias até aceitam perder dinheiro com o roubo dos livros, evitando ao máximo a revista dos suspeitos, vê se pode! A solução que algumas livrarias tiveram foi separar os livros mais roubados numa estante, atrás de um balcão, assim a pessoa precisa pedir para um atendente pegar o livro para ela. Eu nunca imaginei que existia a máfia dos sebos! E eu me sinto meio que fazendo parte dela, toda vez que recebo um livro novinho. Ah, mas isso não é culpa nossa, né? Se esse povo tá na ilegalidade, eles precisam pagar por isso, a gente compra sabendo que é usado, se ele vem novo, a responsabilidade é do dono do sebo, ele é que deve responder pelo modo que ele arranjou aquilo, oras!

      Mas eu tenho uns outros títulos que acho que você vai gostar. Me diz uma coisa: você gosta da série House? Ou de qualquer outra série médica?

      Ei, não se preocupe, a gente vai se falando um pouco por aqui, um pouco por lá, você já viu alguém que não está gostando da conversa falar tanto feito eu? Pois é, eu adoro conversar contigo, amiga! Pode ficar tranquila!! 😀

      Beijins, miga! =D
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 04/10/2010 @ 21:45

  22. Oi, Valéria!

    Já estou te respondendo rapidinho 😉

    Eu estou por aqui navegando, lendo alguns artigos sobre filmes, séries, enfim, você me perguntou se eu gosto da série House.

    Eu costumava assistir logo no início, depois da terceira temporada eu parei, ficou maçante, sempre a mesma coisa e ele ficou mais chato ainda. Claro que este é o lance da série, mas na verdade, o Dr. House me encheu…rsrsrs…:D

    Gostava de assistir ao Plantão Médico, mas também parei pelo mesmo motivo de House e depois ficou trocando o elenco toda temporada, enjoei de ver.

    As séries que gosto são as franquias CSI, Lei e Ordem SVU, Castle, Fringe, adoro séries que se passam em tribunais também. O que não curto são séries de comédias, ah… não suporto! Sitcom não é minha praia!

    A única que gostava era o “Toma Lá Da Cá”, série nacional exibida pela Globo. Adorava aquela turma, pena que acabou. Mas eu tenho os dvd’s e sempre estou assistindo e me divirto à beça com a Copélia, Mário Jorge, Celinha e cia… que saudade!

    Eu já te disse que sou fã da Marilyn Monroe, não é? Inclusive, eu e um amigo estávamos escrevendo um documentário sobre ela, não chegamos a terminar, demos uma pausa por causa da falta de tempo, mas pretendemos voltar a escrever.

    Você já postou algo que nos ajude a respeito de como escrever um documentário?

    Bom, voltando a Marilyn…acabei de ler que será lançado em outubro um livro inédito com escritos íntimos que a própria atriz escreveu. Olha, que barato! Este não quero perder! \o/

    Dê uma olhadinha:

    http://br.noticias.yahoo.com/s/04102010/40/entretenimento-vidas-secretas-escritos-intimos-marilyn.html

    É isso, miga, agora vou lhe responder lá no meu blog…:) 😉

    Beijinhos!

    Eve.

    Comentário por Eve — 04/10/2010 @ 22:10

    • Oi, miga, estou te re-respondendo rapidinho também!! 😆

      Puxa, super super legal o livro da Marilyn, quando será que sai aqui, hein? Tô aguardando (eu já te disse que adoro biografias, né?)

      Eu já postei alguma coisa sobre documentários (para encontrá-los é só ir no Índice de Posts lá em cima, na coluna à direita), mas estou devendo algo mais completo. Está na fila! 😆

      Mas achei bem legal a sua iniciativa de fazer esse documentário, muito bacana mesmo!

      Eu perguntei se você gostava do House (na verdade eu também assisti alguns episódios e achei o personagem principal muito irritante!) porque eu tô começando a ler um livro que tá bem legal. Chama-se Todo paciente tem uma história para contar – Mistérios médicos e a arte do diagnóstico, da Dra. Lisa Sanders, consultora da série House. A leitura é bem leve, não é cheia de termos médicos que a gente não entende, é para leigos mesmo, tem uma linguagem muito gostosa e histórias médicas reais bem curiosas. Como você disse que gosta de leituras que lhe ensinem algo de bom, achei que você talvez pudesse gostar dessa aqui (ah, eu ia me segurar, mas não consegui, viu o que você fez comigo?!) :mrgreen:

      Eu adoro ler sobre os mais variados assuntos, eu acredito que isso nos enriquece mais do que ficar apenas lendo os romances clássicos (sem desmerecer os clássicos, mas é muito bom ler de tudo um pouco, né?).

      Daqui a pouco tô dando um pulo lá no seu blog pra ler sua resposta! :mrgreen:
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 04/10/2010 @ 22:55

  23. Oi, Valéria! 🙂

    Estou de volta!

    Dei uma olhadinha no livro que você me indicou. Achei bem interessante, já está na minha lista também! 😉

    Estou passando por aqui, porque coloquei mais três vídeos no post da “Xena”. Sabe o que acontece? Eu já vi muitos e quando escrevi não me lembrei de todos, aos poucos vem na memória, então estou fazendo assim, postando na medida que me lembro. Só acrescentei estes, porque acho relevante para a matéria e sei que enriquecerá o post.

    Como informei a você, quando coloquei algo novo no post do “Resident Evil:Afterlife”, estou lhe avisando deste também.

    Um beijão!

    Eve 🙂

    Comentário por Eve — 05/10/2010 @ 22:18

    • Obrigada pelo aviso, Eve!

      Já assisti os novos vídeos, e gostei bastante! Ela canta muito, né não?

      Um beijão, amiga!
      Valéria Olivetti 😀

      Comentário por valeriaolivetti — 06/10/2010 @ 12:09

  24. Oi Valéria!

    Como está?

    Sim, ela canta bem, mas eu prefiro a Lucy como atriz! 🙂 Rsrsrs…

    Um ótimo fim de semana, amiga!

    Bjs!

    Comentário por Eve — 09/10/2010 @ 02:06

  25. Oi Valéria!

    Os livros “Manual da Cia” e “O Outro Lado de Mim” chegaram hoje, em pleno domingo, acredita?

    Nossa, só de dar uma olhadinha nas páginas do livro da Cia já me aguçou! 🙂

    Beijinhos, amiga!

    Comentário por Eve — 10/10/2010 @ 20:33

    • Oi, Eve!

      Que bom que chegaram! Espero que você curta muito eles! 😀

      Um beijão, miga!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 10/10/2010 @ 21:55


RSS feed for comments on this post.

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: