Dicas de Roteiro

04/07/2010

Como Não Entrar Num Concurso de Roteiro

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 10:35
Tags: , ,

Continuando com o assunto dos últimos dias, o artigo de hoje é de autoria de Brad Schreiber, roteirista, autor e consultor literário, para o site Filmmaker IQ:

Erro2

Quando eu fundei o Prêmio de Ficção e Não-Ficção Humorística Mona Schreiber em 2000, eu o fiz para homenagear a minha mãe, que escrevia artigos para revistas e jornais e ensinava escrita no Condado de San Mateo, no norte da Califórnia.

Quando eu formulei as regras para entrar no concurso, pensei que nunca teria problema com nenhuma inscrição. Os escritores simplesmente leriam as regras, no Mercado dos Escritores, no site ou em outros lugares, e seria só isso.

Em que planeta eu estava vivendo?

Baseado em minha experiência administrando o Prêmio Mona Schreiber (PMS) e como juiz de outros concursos de prosa, roteiro e peças de teatro, aqui está uma lista de como NÃO ganhar um concurso de escrita (independente de seu talento para escrever).

1. Não fornecer informações de contato

Imagine que alguém quer lhe dar um prêmio e não tem o seu endereço, e-mail ou número de telefone. Eu peço os endereços de e-mail aos participantes do PMS, porque é mais rápido e você não tem que incluir um envelope auto-endereçado e selado. Mas se um concurso pede por uma forma específica de contatá-lo, forneça-a.

2. Não incluir a taxa de entrada adequada

Você realmente pode esperar ouvir os resultados de sua inscrição no concurso de escrita, sem saber que foi jogada no lixo porque você se esqueceu de incluir a taxa de inscrição. Ou escreveu o seu cheque em pesos mexicanos ou ienes japoneses. O PMS é internacional e eu de fato recebo inscrições de pessoas que, infelizmente, enviam cheques e dinheiro estrangeiros. De vez em quando, eu recebo um cheque americano sem fundos, apesar da minha taxa de inscrição ser de meros cinco dólares. O quão triste é isso, ter um cheque de cinco dólares devolvido? Eu telefono ou mando um e-mail para o participante, porque imagino que se ele não tem cinco dólares em sua conta bancária, ele está muito pior do que eu. Mas nem todos os administradores de concurso irão gastar tempo com isso.

3. Escrever em um estilo ou gênero diferente do da ênfase do concurso

Eu sei que humor é subjetivo. Mas eu posso seguramente dizer isto: a maioria das pessoas não soltará uma risada sequer com uma obra séria sobre um parente morrendo de uma doença. Ainda assim, o meu concurso de humor tem recebido inscrições que parecem não ter nada a ver com humor. Eu permito todos os formatos, então este não é o problema. Eu aceitarei uma lista de supermercado bem-humorada. Mas se um concurso pede por poesia, não mande um monólogo ou ensaio supondo que o concurso irá reconsiderar a definição de sua forma literária. E se você estiver entrando em um concurso de humor e escrever sobre alguém morrendo, faça com que seja uma doença engraçada, tá bem?

4. Ignorar solicitações de formatação

Eu concordo, só um administrador de concurso mal-humorado e miserável excluiria o seu trabalho porque você colocou o seu nome e endereço no manuscrito quando lhe foi pedido para não fazê-lo. Mas você deve lembrar o seguinte: Nós, que conduzimos concursos literários, examinamos centenas de inscrições.  Nos economiza muito tempo (e eu não sou pago para dirigir o meu concurso) se você usar grampos ao invés de clipes de papel, ou usar as fontes Courier nº 12 ou Times New Roman ao invés do Eyestrain American nº 8 [N.T.: Olho americano fatigado].

5. Não se incomodar em revisar

O talento fala por si só, dizem eles. Mas erros idiotas, como não corrigir o seu trabalho, podem chamar muita atenção e abafar o seu talento. Se você escreveu uma obra de que um concurso gostou, e eles também gostaram de uma outra obra inscrita, mas o seu trabalho tem erros de ortografia, pontuação e gramática, qual deles você acha que tem uma chance melhor de ganhar? É ao que me refiro como o Fator de Aborrecimento. Ele pode inclinar o leitor, mesmo inconscientemente, a não escolher o seu trabalho, independentemente do seu belo trabalho como escritor. E, falando em revisões, tente também colocar o nome correto da pessoa ou do concurso. Eu posso sobreviver se for chamado de Barry, Bret ou Brian. Já fui chamado de coisas piores. Mas outros podem se ofender por terem sido chamados pelo nome errado. Especialmente se você inicia a sua carta de apresentação com “Querido Bob” e a administradora do concurso se chama Bonnie.

6. Continuar amolando-os várias e várias vezes até eles responderem

Em minha experiência, alguns concursos de escrita não são muito bons em comunicar aos participantes que a inscrição foi recebida. Por mais frustrante que isso seja, não lhe dá a permissão de telefonar ou enviar freqüentes e-mails com hostilidade crescente, solicitando confirmação de recebimento. Você pode pensar em incluir um cartão postal selado para a notificação de recebimento. Tente sempre apurar como e quando os resultados do julgamento serão anunciados, antes de enviar.

7. Enviar para qualquer concurso obsoleto, em qualquer lugar

Observe há quanto tempo um concurso tem estado atuante, quanto dinheiro é premiado, quem faz o julgamento e como você acha que ele vai parecer em seu currículo, se você ganhar. As taxas tendem a ser maiores para os concursos de roteiro, em comparação aos concursos de prosa, mas os prêmios em dinheiro costumam ser maiores também. O concurso inclui mais do que apenas prêmio em dinheiro? Acesso a pessoas influentes? Publicação em versão impressa ou online? Ou eles estão apenas lhe pagando 25 dólares e dando-lhe um peso de papel?

peso de papel

Boa escrita pra você hoje! 😀

Anúncios

3 Comentários

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Marcia Piiii. and Laura S, Valeria Olivetti. Valeria Olivetti said: Como Não Entrar Num Concurso de Roteiro: http://wp.me/pJ8ar-SK […]

    Pingback por Tweets that mention Como Não Entrar Num Concurso de Roteiro « Dicas de Roteiro -- Topsy.com — 24/07/2010 @ 14:16

  2. é por isso que as vezes da vontade de jogar tudo para o alto e esquecer esse negocio de escrever!

    Comentário por laila santos — 08/08/2010 @ 20:16

    • Olá, Laila!

      A vida de escritor é dureza mesmo, mas quando a gente faz o que gosta, não tem jeito, não dá para abandonar, senão a gente acaba sufocado, deprimido e desesperado. Precisamos continuar escrevendo, mesmo se o nosso trabalho nunca for lido; é essa a sina de quem ama este ofício. Mas, com sorte, todo a nossa ralação será recompensada, numa hora ou outra.

      Força na caneta (ou nas teclas), Laila, que essa vontade de largar tudo dá e passa! 😆
      Obrigada, e volte sempre! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 09/08/2010 @ 14:40


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: