Dicas de Roteiro

27/06/2010

Um Dia de um Escritor Freelancer

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 10:24
Tags: , , ,

Olá! O texto de hoje foi gentilmente indicado pelo nosso querido colega Antunes. É um texto humorístico muito divertido (e, muitas vezes real) escrito por Connor O’Brien, um estudante de Escrita Criativa de uma universidade australiana, para o site The Bygone Bureau. O texto original tem várias gírias e palavrões, e tentei ser fiel ao máximo a ele, pois grande parte da graça reside no estilo de escrita desbocado do autor, mas algumas vezes o palavrão teve de ser trocado para que o sentido da frase não mudasse:

tirinha_escritor

Seu Dia Como Um Escritor Freelancer

Parabéns! Você é um escritor. Você é o seu próprio patrão agora. E Connor O’Brien sabe exatamente como correrá o seu dia de trabalho.

7:00h

Acorde. Você colocou o alarme do seu iPhone para despertar cedo porque vai ser um dia bem foda. Você vai escrever uma porrada de palavras. Uma porrada. Tipo, dezenas de milhares de palavras. Centenas de milhares? Quantas palavras o Kerouac escreveu entorpecido com Benzedrine? [N.T.: Um tipo de anfetamina.] Você vai, tipo, dobrar essa porra. Uma vez você fez um teste de digitação online e conseguiu 82 palavras por minuto. Se você ralar muito por cinco horas, são 25 mil palavras de um sopetão. Caralho, beleza! Isso é metade de um romance! Teoricamente, você poderia escrever uma centena de livros por ano.

8:00h

Acorde novamente. Nota para si mesmo: você estava autorizado a dormir aquela hora extra. Você apenas irá trabalhar uma hora mais tarde, isso é tudo. É por isso que isso é chamado de escrita freelance: você é livre para fazer esse tipo de merda sem se sentir culpado por isso. Não é como se você tivesse que bater ponto ou coisa assim. Você conseguiu escapar com sucesso da labuta do mundo de trabalho diário. Conclusão: você é o máximo. O que significa, por sua vez, que você mereceu essa hora extra.

9:00h

O seu telefone está tocando. “Sim, mãe, eu estou acordado. Não, mãe, você não me acordou.” Tá certo, agora você está fora da cama. Você vai trabalhar duas horas mais tarde para compensar pelo tempo perdido. Ou talvez você só vá trabalhar com um pouco mais de afinco durante o dia. Sim, é isso. Não trabalhe mais, trabalhe com mais intensidade. Você leu isso em algum lugar. Talvez no Lifehacker [N.T.: Lifehacks são truques criados por programadores para aumentar a produtividade e superar a sobrecarga de informação.]. Aqueles caras devem ser produtivos como o inferno por lá. É sério.

10:00h

Merda, 185 novas entradas em seu leitor de RSS. Provavelmente eu deveria clicar nelas bem rápido. “A única maneira de tornar-se um grande escritor é primeiro tornar-se um grande leitor”, o seu professor da faculdade lhe disse uma vez. Aquele cujo romance está fora de catálogo. Ele sabia o que ele estava falando.

11:00h

Mije, ligue a chaleira, coma uma maçã, lave os pratos, faça uma xícara de café, faça xixi de novo, dê uma volta no quarteirão e verifique a caixa de correio. Merda. Duas contas. Pense naquela obra de $500 que um editor acabou de lhe incumbir de escrever. Claro, você não começou ainda, mas em um certo sentido, você já tem o dinheiro, porque você irá escrevê-la, então qual é a grande diferença? Pague as suas contas a crédito. Não se preocupe: todo mundo está endividado hoje em dia. E, além disso, você está nos estágios iniciais de sua carreira. “Você tem que gastar dinheiro para ganhar dinheiro”, o seu professor da faculdade lhe disse isso também. Lembra-se? O professor que dirigia um Nissan Pulsar de 1978 e estava sempre falando para as garotas de sua turma de Literatura do primeiro ano sobre o romance fora de catálogo dele? Ele era um bom sujeito.

12:00h

Compre o sanduíche de 15 centímetros do Subway, ao invés do de 30 centímetros. Você ainda não escreveu nada hoje. É sério, você não merece a porra do de 30 centímetros.

13:00h

Escreva um parágrafo dessa obra, e então masturbe-se. Não se sinta estranho em se masturbar no meio do dia, enquanto o resto do mundo está trabalhando. Um cara mediano masturba-se uma vez por dia. Você sabia disso? Só porque você está se masturbando em uma hora diferente do que o resto do mundo, isso não significa que você não esteja tecnicamente “trabalhando”. A masturbação libera endorfinas. É meio tipo você ter acabado de beber um Red Bull gigante. Pense nisso.

14:00h

Porra, legal! 300 palavras! Se você simplesmente escrever direto de agora até as 17 horas, você ainda vai conseguir botar pra fora vários milhares de palavras. Você é obviamente um daqueles escritores que precisam de um empurrão, mas ninguém o detém uma vez que você atinja a velocidade crítica. 

15:00h

Visite um daqueles blogues tipo “Ganhe $10.000 por Dia Como Freelancer” e ria internamente dos numerosos erros de ortografia e gramática do site. Pense, “Merda, por que eu não estou ganhando dez vezes o que eles estão ganhando?” Amaldiçoe o mundo por recompensar idiotas e punir os verdadeiramente talentosos.

16:00h

Quatrocentas palavras! Não são dez mil, claro, mas todo escritor tem seus dias “livres”. (Observe que, embora seus últimos cinquenta dias “trabalhando” poderiam igualmente serem classificados como dias “livres”, isso apenas significa que você está pronto para uma enorme temporada de dias de “ralação”, porque é assim que as coisas funcionam.)

17:00h

Reconheça que o motivo de você não estar conseguindo fazer as coisas é porque você não aperfeiçoou um adequado “sistema de gestão de tempo”. Pesquise na App Store por uma lista de aplicativos de tarefas, faça o download de um, e gaste vinte minutos tentando sincronizá-lo pelo wifi com o seu aplicativo associado do Mac. Entenda que, embora você já tenha “desperdiçado” agora mais de meia hora instalando o aplicativo e digitando um enorme número de itens a fazer, em outro sentido você essencialmente economizou tempo, em termos de ganhos substanciais de produtividade no futuro. Dê a si mesmo um tapinha nas costas. Você agora tem um “sistema”, porra!

18:00h

Ligue a televisão. Lembre-se daquilo que você ouviu em algum lugar sobre a necessidade de um “equilíbrio entre trabalho/vida”. Leve em consideração que, se você fosse continuar trabalhando até tarde, acabaria excessivamente estressado e ansioso, o que, sem dúvida, resultaria numa má qualidade da produção escrita. Relaxe, reconhecendo que amanhã, ao acordar às 7 e bem descansado, você vai realmente arrebentar.

O Escritor Preguiçoso

1- (MEMO – PARA TODOS OS DEP ) Desde a aurora da Humanidade, as pessoas têm lutado para escrever…

2- Fazendo isso com apenas as mais rudes ferramentas…

3- (CUIDADO COM O DRAGÃO) Às vezes em face de grande perigo pessoal…

4- Para produzir obras de beleza atemporal…

5- Quanto a mim: Eu definitivamente vou começar a escrever logo que este filme terminar e esta cerveja estiver vazia e eu tirar uma soneca de seis horas e

Ah, quem eu estou enganando? Afinal de contas, eu sou O Escritor Preguiçoso.

Boa escrita pra você hoje! (Ah, bateu um soninho, acho que vou relaxar só um pouquinho! Ei, isso também é trabalho!) :mrgreen:

Escritora sonhando

– Este é um sonho muito chato, Francine. Vem, vamos lá encontrar o Johnny Depp.

– Se manda. Esta é a minha única chance de escrever sem interrupção por mais de 10 minutos por vez!

Anúncios

6 Comentários

  1. A preguiça é um bicho ruim de vencer mesmo.

    Comentário por Felipe Moreno — 16/07/2010 @ 11:03

    • Olá, Felipe, seja bem-vindo!

      Pode crer que é dureza, ainda mais com esse friozinho, ai, quero me enfiar debaixo do cobertor!! Brrrrrr… :mrgreen: 😉

      Um abração, Felipe, volte sempre!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 16/07/2010 @ 13:41

  2. Haha.. É bem por ai mesmo. Se trabalhamos na pressão reclamamos e sonhamos com um trabalho mais liberal. Se o temos, acabamos arrumando mil desculpas para começar o trabalho, dai vem a preguiça e nada de produção. Eis a vida de um freelancer.rs.
    Bjo e muito obrigada pelo blog (sempre vou agradecer!! rs)

    Comentário por ana catrin — 16/07/2010 @ 12:23

    • Olá, Ana, que bom vê-la aqui de volta!!

      Vida de escritor é a maior dureza, né não? Só de ter que arranjar motivação para acordar cedinho mesmo quando tá o maior frio e o maior bloqueio de escritor, isso é coisa só para os mais fortes!! 😆 Ai, ai, a gente chega lá! :mrgreen:

      Um beijo grande, e eu agradeço muito por você agradecer!! 😆 Na verdade, eu é que sempre serei grata pela força!! Obrigadão e até a próxima, Ana! 😀 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 16/07/2010 @ 13:46

  3. Obrigado por ter traduzido o texto.
    Tenho um amigo que diz, que se você quer alguém para fazer um trabalho procure um cara muito ocupado, pois este vai arrumar um tempinho. Já um cara com tempo livre, não consegue arrumar tempo para fazer nada.
    Este é um dois maiores problemas de escrever é se disciplinar e delegar tarefas para você mesmmo. A gente sempre fica esperando o dia de amanhã e quando este dia chegar nós vamos arrebentar. Mas o dia de amanhã é hoje e demoramos a perceber isso.
    Por isso é legal participar de uma oficina de roteiro, não um workshop de fim de semana. Mas uma oficina com aulas semanais onde você tenha de cumprir prazos, fazer exercícios e etc.
    O pepino é realmente se disciplinar. A gente tem medo disso porque o projeto na cabeça é perfeito, mas só quando colocamos no papel é que vemos os problemas.
    E mudando de saco para mala. Não sei onde você arranja as ilustrações, mas sempre consegue cartoons que parece que foram feitos sob medidas para o tema do post.
    Mais uma vez obrigado e parabéns pelo seu trabalho.

    Comentário por Antunes — 16/07/2010 @ 15:13

    • Olá, Antunes, não há de quê! O prazer é todo meu! Fico super, super feliz que você tenha gostado! E o texto é muito legal, eu tenho certeza de que um montão de gente adorou! Fique à vontade pra mandar mais sugestões (*implorando*: por favoooor…! :mrgreen: 😆 ).

      O seu amigo está certíssimo! Eu já falo por experiência própria de ambas as agendas: a cheia e a vazia. Quando a gente faz um montão de coisas, vai na inércia do movimento, quanto mais faz, mais consegue fazer. Quando a gente está de férias, de papo pro ar, sair da inércia da imobilidade é difícil até pra lavar um copo! Dá uma preguiça… e vai ficando tudo pra daqui a pouquinho, pra amanhã, pro mês que vem, pra sabe-se lá quando. Meu pai trabalhou em estrada de ferro logo que se formou em engenharia, e sempre diz que para sair da imobilidade é necessário quebrar a inércia com a “demarragem”. Sabe quando o trem acelera bastante as rodas, ainda parado? Ele faz aquele tchick-tchick-tchick bem rápido para pegar “no tranco” e seguir com as rodas girando em velocidade normal, uma vez iniciado o movimento. Isso aí seria a demarragem. Meu pai compara isso com a vida. A gente tem de fazer um esforço grande no começo, dar um impulso forte, para conseguir sair da inércia da imobilidade, e em seguida passar a fazer as coisas normalmente, agora sem precisar de tanto esforço. A própria inércia do movimento cuida de manter a gente agindo. A gente também tem de fazer um certo esforço para “frear”.

      E concordo plenamente com relação aos workshops e oficinas. O problema também é encontrar um bom orientador de oficina, tem muitos que meio que estão lá só pra ganhar dinheiro, nem ensinam, nem cobram, nem corrigem, nem orientam os alunos. Infelizmente tá cheio de curso assim, e não só sobre roteiro! Acho muito sortudo quem encontra alguém que realmente o coloque nos trilhos certos e seguindo em frente! Um orientador desses merece o título de mestre!

      Ah, e quanto às figuras, aconteceu o seguinte: quando eu comecei este blog, eu procurava (como ainda procuro) no Google por imagens que tivessem algo a ver sobre o tema que eu estava escrevendo. Só que eu acabava encontrando mais do que conseguia usar, ou outras imagens interessantes que não se encaixavam no tema daquele dia. Para não perdê-las, eu as salvava e guardava em pastas separadas por assunto, para, talvez, algum dia utilizá-las. Só que, com o passar dos meses, o meu banco de imagens foi crescendo muito, agora a pasta de imagens já usadas conta com mais de 1300 imagens, e as pastas de imagens para usar têm mais ou menos o mesmo número de fotos, cartoons e gifs animados! É coisa à beça, e todo dia aumenta! Tem imagens que são tão legais e/ou engraçadas, que fico torcendo pra encontrar logo um texto que fale sobre aquele assunto, só pra botar a imagem no ar (onde já se viu isso, né?). Mas é a verdade! 😀

      Muito obrigada novamente pela imensa força e apoio, Antunes, é sempre um prazer enorme falar com você! Um abração forte e até a próxima! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 17/07/2010 @ 10:51


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: