Dicas de Roteiro

13/06/2010

Seis Erros Fatais Em Roteirismo

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:59
Tags: ,

O texto de hoje é bem interessante, e confesso que já cometi todos esses erros, principalmente o primeiro da lista (fiz isso mais de uma vez, até me tocar, ou melhor, até me criticarem por isso! :-(). Para evitar que vocês tenham de aprender da maneira mais difícil, como eu, aí vão as dicas escritas por Paula Brancato, professora da USC University of Southern California, tiradas do site Screenwriter Showcase:

errar

Em minha carreira como produtora e desenvolvedora de roteiros, eu li mais de 500 roteiros. Assim, muitos conceitos promissores caem no esquecimento por causa dos erros que um roteirista bem informado pode facilmente evitar. Os erros que os roteiristas cometem são sempre os mesmos, seja o escritor um novato ou um profissional.

Os seis erros fatais em roteirismo são:

1) Trocar os protagonistas no meio do caminho. Se o(a) seu/sua personagem principal tem poucas falas depois da página 20, aparece em menos e menos páginas, e talvez até desapareça por completo por dez ou mais páginas de uma vez, você trocou de protagonista e o seu roteiro irá fracassar. Outro personagem assumiu o controle do roteiro. O reaparecimento do(a) seu/sua personagem principal na página 80 ou 90 ou 100 não fará nenhum bem, de modo algum. Regra nº 1: Permaneça com o cavalo no qual você montou.

2) Ter um(a) protagonista fraco(a) e passivo(a). Talvez o seu protagonista esteja lá em todas as páginas, mas apenas fica sentado e assiste, ou diz coisas vazias, como: “Oh, nossa. Isso não é bom.”, enquanto calmamente beberica a sua cerveja. Nada bom. Um protagonista, mesmo aquele cuja personalidade inata seja passiva e iconoclasta, deve agir. As pequenas ações são importantes: esmagar uma flor com o salto de uma bota, embriagar-se, beijar um espelho, roubar uma nota de 20 dólares. Na tela, o público pode ver apenas a ação, não o que está na cabeça de um personagem. Se o seu personagem principal está pensando e sentindo um turbilhão de coisas mas o público não tem nenhum modo de ver isso, o seu roteiro irá fracassar.

3) Ter um antagonista passivo ou inexistente, ou um que chega tarde demais no jogo. Um protagonista pode apenas ser tão forte e interessante quanto o antagonista dele(a), a pessoa que o empurra, a pessoa que ele combate. Por exemplo, o Coringa em Batman – O Cavaleiro das Trevas, que literalmente fez esse filme. Um antagonista deve ser um personagem muito forte, não uma instituição, não um sentimento, e não uma ideia, mas uma personificação em carne e osso do antagonismo, que aparece cedo e faz o protagonista passar um sufoco extremo.

4) Sem conflito suficiente. Cada cena, mesmo em uma comédia, deve ter conflito. Duas pessoas têm de lutar por alguma coisa, cada uma aos custos da outra, para uma cena tornar-se viva. Pelo quê eles estão brigando? Como eles ficam no caminho um do outro para tentar obtê-lo? Personagens simpáticos e agradáveis geram roteiros muito ruins. Dê problemas para todos e não pare.

5) Explicação demais. Cabeças falantes são, na maior parte, chatas na tela. Mostre, não conte. Use a ação, movimente os personagens através de várias mudanças incomuns de cenário, se não tiver nada mais, qualquer coisa que você necessite para manter a história avançando. Filmes são imagens em movimento, então mantenha as suas cenas e os seus personagens se movendo.

6) Sem ação suficiente, nem mesmo pequenas ações. O público só pode descobrir sobre a natureza de um personagem em uma peça ou roteiro pelo modo como o personagem age, as escolhas que ele ou ela faz ou não faz. O escritor precisa dramatizar o que está na cabeça do personagem com ações, porque no palco ou na tela o público não pode estar dentro da cabeça do personagem, do jeito que se pode, por exemplo, através das palavras de um romance. Um personagem toma uma decisão importante. Como nós vemos esse momento de tomada de decisão? Essa ação pode ser tão pequena quanto um piscar de olhos, ou tão grande quanto a detonação de um dispositivo explosivo. Torne as suas cenas mais intensas com ação.

Acima de tudo, continue escrevendo!

herrar é umano

Boa escrita para todos hoje!

Anúncios

1 Comentário

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Letícia B. Padilha, Valeria Olivetti. Valeria Olivetti said: Seis Erros Fatais Em Roteirismo: http://wp.me/pJ8ar-Qx […]

    Pingback por Tweets that mention Seis Erros Fatais Em Roteirismo « Dicas de Roteiro -- Topsy.com — 29/06/2010 @ 14:04


RSS feed for comments on this post.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: