Dicas de Roteiro

24/05/2010

Usando a linguagem corporal na escrita

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 09:14
Tags: , ,

O artigo de hoje foi tirado do site Archetype Writing, e escrito por J.J. Cooper:

Palestras

De cima para baixo: Steve Cisler, Soenke Zehle, Monica Narula, Geert Lovink and Jan Nederveen Pieterse.

Quando eu estava no Exército, passei algum tempo ensinando Análise de Linguagem Corporal em entrevistas e interrogatórios. Isto envolveu a leitura da linguagem corporal do indivíduo, bem como a utilização da própria linguagem corporal do entrevistador/interrogador para conseguir melhores resultados.

A pesquisa sugere que a informação é transmitida através de três elementos:

  • Verbal – 7% (o que é dito)
  • Vocal – 38% (como é dito)
  • Não verbal – 55% (expressão facial, postura, gestos)
  • Em uma conversa normal, o elemento verbal é usado principalmente para a comunicação dos fatos ou opiniões que um falante quer transmitir ao ouvinte. O elemento vocal é utilizado para apoiar as palavras; em outras palavras, isto inclui coisas como entonação e a ênfase em determinadas palavras.

    Como você pode ver, o componente não-verbal, que é mais comumente referido como linguagem corporal, é o maior componente individual da comunicação de pessoa para pessoa. Cada gesto é como uma palavra, e uma palavra pode ter significados diferentes. É só quando a palavra é usada em uma frase com outras palavras que o seu significado é totalmente compreendido. Gestos vêm em frases/grupos, e podem indicar a verdade sobre os sentimentos e as atitudes de uma pessoa.

    Nós geralmente não percebemos que postura, gestos e movimentos do corpo podem dizer uma história, enquanto a voz pode estar dizendo outra.

    Então, como podem os escritores transferir essa informação para a sua escrita? Em primeiro lugar, usar indicadores de linguagem corporal é uma ótima maneira de "mostrar" a informação em vez de "contar" ao leitor o que está acontecendo. Ao fazer o diálogo, acompanhe-o com alguns tipos de movimentos físicos. Vamos encarar, você apenas se senta ou fica parado quando fala com alguém? Você se aproxima mais de alguém com quem se sente mais confortável? Você toca o braço de alguém de quem gosta, um pouco antes de falar com ele?

    Uma palavra de aviso, todavia. Não tenha um movimento físico no final de cada fala de diálogo. Lembre-se, tudo o que escrevemos deve agregar valor para a história de alguma maneira.

    =============

    Sobre o autor:

    J.J. Cooper passou dezessete anos no Exército australiano, desdobrado em duas excursões oficiais ao Timor Leste e uma visita ao Oriente Médio em 2003. Ele especializou-se em Inteligência Humana, inclusive interrogatório (como praticante e instrutor). Desde que deixou o exército, ele passa cada momento livre na sua paixão pela escrita. O suspense de estréia de J.J., Interrogated [Interrogado], foi publicado pela Random House, na Austrália, em 2009. Visite o blog dele em http://jjcooperaus.blogspot.com.

    Abaixo está um texto em português tirado do site Marketing na Cozinha, mas que foi originalmente postado em inglês no site da BBC News:

    O JEITO DE SEGURAR O COPO DIZ MUITO SOBRE VOCÊ

    O jeito de segurar o copo diz muito sobre você

    Dr. Glenn Wilson, psicólogo, diz que a maneira de segurar o copo pode dizer muito sobre você. Ele observou a linguagem corporal de quinhentas pessoas e as dividiu entre oito tipos de personalidade. Em qual você se encaixa?

    A paqueradora
    Geralmente a mulher, segura o copo de maneira delicada, dedos espalhados e usados de uma maneira provocativa. Ela pode o posicionar sobre o seu decote para chamar atenção para os seus atributos, ou faz contato visual enquanto toma um gole. Ela pode passar o dedo na borda do copo, para provocar, ou molhar o dedo na bebida e secar com a boca.

    A fofoqueira
    Normalmente uma mulher, junto com suas amigas. Ela pode estar falando de outras pessoas e ser muito crítica. Ela segura o copo de vinho pela base e o utiliza para gesticular e participar da conversa. Ela pode parecer quase derrubar a sua bebida em outras pessoas quando vai conversar de perto. Ela já tem um grupo social formado e fechado e está pouco inclinada a estendê-lo.

    O amante-divertido
    Este pode ser homem ou mulher e tende a ser sociável e alegre. Tomam goles curtos de bebidas engarrafadas para que não percam a oportunidade de contribuir com a conversa. Seguram uma garrafa perto. Esse tipo de pessoa está sempre feliz em aumentar seu círculo de amizades. Conversas bem-humoradas os fazem rir.

    O tímido
    Uma pessoa submissa que segura o copo de maneira protetora, como se tivesse com medo que alguém fosse pegá-lo. As palmas da mão são mantidas escondidas e o copo é usado como uma muleta social – a bebida nunca está terminada – com um gole restante no copo, em caso de uma emergência. Podem usar um canudo para mexer a bebida entre os goles. Deve-se aproximar destes indivíduos suavemente, de maneira sensível com, talvez, alguns elogios para aumentar a auto-confiança.

    A rainha do gelo
    Este é um tipo costuma ser mais feminino, é naturalmente frio e defensivo. Bebe de um copo de vinho, ou um copo pequeno, que é segurando firmemente numa posição de barreira através do corpo para deter aproximações íntimas. A aproximação geralmente é perda de tempo.

    O playboy
    Homem ativo, com auto-confiança; um Don Juan do tipo sedutor. Ele usa seu copo, na maioria das vezes longo, ou garrafa como uma propaganda fálica, brincando com ele sugestivamente. Ele pode ser possessivo e tátil com as companhias femininas.

    O pavão
    Ele é consciente de sua imagem e vai beber uma garrafa de cerveja, ou refrigerante. Ele pode ser confiante, arrogante e territorial nos seus gestos, se espalhando o máximo possível, por exemplo, empurrando o copo longe de si mesmo e se inclinando na cadeira. Se ele estiver bebendo com amigos, pode não estar aberto a aproximações de fora do grupo.

    O briguento
    Geralmente masculino, ele prefere copos grandes, ou garrafas, que ele usa como armas simbólicas, segurando firme e gesticulando de maneira ameaçadora. Tem uma atitude “sabe-tudo”, pode ser um pouco hostil, mesmo apenas em um argumento verbal, ou piadas com outras pessoas como alvo.

    linguagem-corporal

    Amanhã teremos mais sobre linguagem corporal. Boa escrita pra você hoje, e até!

    Anúncios

    3 Comentários

    1. Olha, agora você tocou no meu calcanhar de Aquiles!… É muito difíci colocar em palavras o comportamento corporal de um ser!… Acho que só com um devido conhecimento técnico e por isso que eu preciso entrar num bom curso de roteirismo, urgente!… Mas são caros esses cursos Valéria!… Sugiro até, que se for do seu alcance, colocar informações de cursos para roteiro com preços acessíveis, mas pelo que eu já pesquisei um curso com uma média de um mês, não fica por menos de mil Reais…

      Comentário por januária — 04/06/2010 @ 15:17

      • Olá, Januária!!

        Mas que caro!! Já estão tão caros assim, é? Que eu saiba, o site Roteiro de Cinema já faz esse serviço, eles estão sempre atualizando as notícias sobre cursos de roteiro no Brasil inteiro, com os preços e todos os detalhes. Vou te contar, não quero desmerecer o trabalho e o ganha-pão de ninguém, mas estão tirando o couro. Principalmente porque nesses cursos não se ensina nada além do básico, até porque o tempo não permite! Lendo livros de roteiro e pesquisando na internet a gente sai pós-graduada depois de um ano de estudos!! Sério! O resto é prática, prática, prática, sem nunca parar de ler e estudar, para se aprimorar e tirar nossas dúvidas.

        Nos cursos de roteirismo que eu fiz, nunca aprendi esse negócio de linguagem corporal, não. Talvez até ensinem isso em cursos mais avançados, mas ainda tenho as minhas dúvidas. Acho que vou continuar com meus livros e sites de pesquisa, ‘num’ tenho essa grana sobrando, não! (E se eu tivesse, eu faria? Talvez. Mas compraria o meu iPad primeiro!! :lol:)

        Bom, vou postar mais alguns textos sobre linguagem corporal, e aproveito para indicar um livro em português:

        Desvendando Os Segredos Da Linguagem Corporal, de Allan e Barbara Pease, Editora Sextante.

        Espero que ele lhe ajude em sua escrita! (E sai beeeem mais barato que o curso!!) 😉

        Beijos, amiga! Até a próxima! 😀
        Valéria Olivetti

        Comentário por valeriaolivetti — 06/06/2010 @ 09:54

    2. Ótimo, Valéria!…

      Vou comprar esse livro, com certeza… Agora, estava a pesquisar neste site, Roteiro de Cinema, muito interessante, com um amplo leque quanto a opções de cursos sérios ligado a roteiro, mas como te falei, cursos sérios e com respeitável referência, são cursos caros. Mas não estou aqui para criticar ou abrir discussão, apenas comentar… Lógico que um curso desses é de vital importância, pois conhecimento é uma poderosíssimas chave do sucesso, aliás, uma das, as outra já escrevi aqui, paciência, teimosia, nervos de aço, cara de pau…(rsrsrsrs…)E o mais importante, escrever, escrever, escrever, como você mesma costuma dizer aqui… 🙂 Beijos e sem mais delongas Valéria, tchau!

      Comentário por januária — 09/06/2010 @ 21:39


    RSS feed for comments on this post.

    %d blogueiros gostam disto: