Dicas de Roteiro

08/05/2010

Videoclipe – Argumento de Sweet Child O’ Mine – Guns N’ Roses

Filed under: Roteiro,Som — valeriaolivetti @ 08:38
Tags: , ,

Como prometido, aqui vai a tradução do argumento do videoclipe da música dos Guns N’ Roses, Sweet Child O’ Mine, escrito e dirigido por Nigel Dick. Você pode assistir ao vídeo antes ou depois de ler o argumento, como achar melhor para o seu aprendizado e aproveitamento. Pode-se também variar na ordem, já que este é o primeiro ‘roteiro’ de videoclipe, ainda postarei outros.

Nigel Dick é, antes de tudo, diretor, portanto a linguagem narrativa dele inclui muitos termos técnicos de direção. Como este foi o site mais profissional que encontrei, não sei como roteiristas escrevem videoclipes sem a influência do diretor. Talvez seja mais comum o diretor escrever o argumento, sem o auxílio de nenhum roteirista. Mesmo não sendo ‘roteirista’, não custa nada ver o ponto de vista de quem já é tarimbado no assunto (o cara escreveu mais de 400 videoclipes!!).

Antes do argumento, estou incluindo a introdução de Nigel Dick:

Um argumento é:

a) Um instrumento de venda para o artista e a gravadora, e…

b) (Se for aceito) um roteiro para o vídeo que você está prestes a fazer.

Eu propositalmente não editei os argumentos, para que você possa ver a minha técnica de vendas sem vergonha em ação, algumas gafes interessantes, e também tentar encontrar a diferença entre o argumento e o vídeo final!

GUNS N’ ROSES – Sweet Child O’ Mine
Filme do Dick nº 185
Escrito em: 7/4/88

O GUNS N’ ROSES será filmado na locação do Salão de Baile em Huntington Park. O equipamento da banda será montado no centro do salão, como se estivessem em um ensaio. Eles estarão rodeados por seu equipamento, armários, caixas para transporte etc. Eles serão iluminados dramaticamente com Xenons, mas a luz ambiente desta iluminação extravasará em outras partes do ambiente.

A banda apresenta a canção, e nós iremos filmá-los de todos os ângulos imagináveis, usando duas câmeras. Vamos adotar uma abordagem semi-documental, em que não faremos qualquer tentativa de esconder a equipe da câmera. Com frequência uma câmera verá a outra, os membros da equipe e outros frequentadores serão vistos no fundo. Entretanto, o nosso foco estará definitivamente na banda, e cada tomada será usada para mostrar a banda em sua melhor performance. Apesar da abordagem documental, ainda vamos ter muito cuidado com a iluminação em todos os momentos.

Além das duas câmeras montadas, teremos duas câmeras Bolex de plantão, e grande quantidade de filme virgem disponível para que possamos captar momentos informais e despreocupados durante as filmagens com a banda. Esta filmagem com a Bolex será transformada em fita em preto-e-branco. Será granulado! Vai ser divertido!

Nós vamos acrescentar alguns adereços ao Salão de Baile para aumentar seu atual aspecto de gasto e degradado. Vamos colocar muitas cadeiras velhas em volta, e aumentar a atmosfera já existente lá. Vamos criar um par de áreas de camarins com as luzes, para que possamos filmar algumas cenas com a Bolex lá também.

O resultado final será, que teremos um monte de imagens do GUNS N ‘ROSES, tanto se apresentando quanto relaxando, de modo que podemos cortá-las juntas, para criar um vídeo excitante que irá capturar a essência e o caráter do que seja o GUNS N ‘ROSES.

© Roses Guns N ‘/ Alan Niven / Nigel Dick 1988

Aquela época que era boa – 5 parágrafos curtos. Quem me dera fosse tão fácil hoje em dia.

MTV - Guns N' Roses

“EU QUERO O MEU GUNS AND ROSES

Eu escolhi este vídeo por ser um dos mais antigos. Assim a gente vai vendo a diferença e a evolução em relação aos mais recentes.

Espero que tenham gostado. Boa escrita musical, e até amanhã, com a continuação da matéria principal!

Anúncios

2 Comentários

  1. É, realmente pelo que li, era bem simples fazer um argumento. Hoje, muitas vezes além de todo o argumento, pedem um “monstro” do vídeo, ou seja, semelhante a como é feito em publicidade, deve-se fazer vídeo composto do recortes de outros (propagandas, filmes, outros clipes.), no qual vai ser ter uma idéia geral de como ficará o material final. Inclusive um professor meu utilizou o método para fazer com que nos atenhamos ao conceito visual do clipe à ser realizado.

    Aloysio Roberto Letra

    Comentário por Aloysio Letra — 12/05/2010 @ 12:56

    • Puxa, Aloysio, dessa eu não sabia. Eu sabia que podia-se fazer esse vídeo-montagem de outros trabalhos para servir de demonstração, mas não sabia que hoje em dia se exigia isso em publicidade (e videoclipes, que no fundo são veículos publicitários das bandas). É bem interessante (e trabalhoso, não?). Gostei da dica!! 😀

      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 12/05/2010 @ 14:22


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: