Dicas de Roteiro

05/05/2010

Como Começar Uma Carreira de Roteirista no Brasil

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 13:01
Tags: ,

Escolha

Oi, pessoal! O post de hoje é uma resposta a uma pergunta de nosso colega Ewerton, e de muitas pessoas que frequentam este blog com a mesma questão: Como é possível começar a carreira de roteirista no Brasil, para quem não tem contatos ou familiares e amigos na área? Bem, já li muito sobre o assunto, conheci alguns profissionais, mas acho que esta resposta não se encontra em lugar nenhum. Cada um faz um caminho diferente, não existe um manual para isto. Na verdade, não existe um manual nem para Hollywood, ou qualquer outro mercado de trabalho para roteiristas. Não existe concursos públicos para isso. Cada profissional lhe dirá como ele começou, as pessoas que encontrou, as chances que surgiram de repente, os trabalhos que usou para deslanchar sua carreira. No entanto, essas são coisas pessoais, não se aplicam à maioria, e algumas dessas circunstâncias jamais se repetirão.

Mas deve existir algum modo de começar uma carreira, não é mesmo? Impossível, não é. Então, vou colocar aqui a resposta que eu dei para a nossa colega Januária no post Como Registrar e Vender o Seu Roteiro Para Hollywood. Neste post eu havia descrito a dica que William C. Martell deu para roteiristas principiantes enviarem seus trabalhos para profissionais nos Estados Unidos. O mesmo método pode ser aplicado com produtores/diretores brasileiros, só que, ao invés de procurar seus endereços num livro, procurem na internet. Eu encontrei vários endereços de contato através de uma pesquisa no Google. A internet é uma excelente ferramenta, que facilita muito as coisas para nós, roteiristas. Use e abuse dela. Escolha seu diretor/produtor ou estúdio preferido (caso queira trabalhar em TV) e mande seu trabalho para eles. Eis alguns endereços:

 Escrevendo muito

PROJAC – Rede Globo de Televisão
Endereço: Estrada dos Bandeirantes, 6900, Rio de Janeiro – RJ, Brasil.
CEP: 22.780-086
Telefone: (0xx21) 2444 4000
http://redeglobo.globo.com/

Este é o endereço dos estúdios onde as novelas são gravadas na REDE RECORD:
RecNov – Record Novelas
Endereço: Estradas dos Bandeirantes 23.505, Vargem Grande, Rio de Janeiro/RJ.
CEP: 22785-091
http://rederecord.r7.com/

Um cineasta muito ativo atualmente é o Daniel Filho. Você pode contactá-lo através de sua produtora, Lereby Produções, no site:
http://www.lereby.com.br/site/frmFrameMaster.aspx

Outra produtora muita ativa é a do clã dos Barreto. Entre em contato através da produtora de Luis Carlos Barreto:
http://www.lcbarreto.com.br/

Mais uma é a produtora cultural Paula Lavigne. Eis seu endereço:
Natasha Filmes
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 99 / 4º Andar Gávea
CEP 22451-041 – Rio de Janeiro – RJ
Tel: (21) 2529-0700

Produtora: Paula Lavigne (recentemente co-produziu o filme O Bem Amado, que será lançado este ano)
Telefone: (5521) 2529-0716
Fax: (5521) 2529-0722
E-mail:
natasha@natasha.com.br
Site: http://www.natasha.com.br

Ponto Filmes – produtora e estúdio de Cacá Diniz e Yurika Yamasaki (irmã da cineasta Tizuka Yamasaki):

Site: http://www.pontofilmes.com/

Ponto Filmes / RJ

Av. Rodrigues Alves, 827 – Santo Cristo – Rio de Janeiro/RJ

• (21) 2253-2877 • (21) 3972-8413

Responsável: Pedro Diniz

• (21) 8812-8595 • (21) 7896-9086 – ID 24*40785

pedrodiniz@pontofilmes.com

Ponto Filmes / SP

Rua Guimarães Passos, 377 – Vila Mariana – São Paulo/SP

• (11) 5083-7854 • (11) 5083-7858 • (11) 5083-7859

Responsável: Carlos Alberto "Cacá" Diniz

cacadiniz@pontofilmes.com

Ponto Filmes (equipe)

Yurika Yamasaki (Direção de Arte) •yurika@pontofilmes.com

Projetos e Captação (SP) • projetos@pontofilmes.com

Diretoria • contato@pontofilmes.com

Melhor ainda: vá neste site, que tem uma lista enorme de produtoras brasileiras: Filme B

Ou no site da Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais, a APRO

Ou no site da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão: a ABPITV

Se preferir, tem ainda o site Cinema no Brasil.

sucesso_segredo

De qualquer forma, eu faria o que foi sugerido por Martell: pegaria filmes brasileiros de que tivesse gostado, ou que tivessem a ver com o roteiro que eu escrevi, descobriria o endereço dos produtores desses filmes, e enviaria o meu trabalho para eles. Como a Januária recentemente expressou bem, para se ter sucesso é necessário talento, mas também sorte, paciência e persistência. Ou seja, muito trabalho e estudo, e alguma estrela. Como saber se temos ou não essa tal estrela? Só tentando, creio eu. Já vi casos de escritores que levaram décadas ralando e persistindo até ver sua estrela brilhar. Outros têm a sorte de brilhar logo de cara.  Cada um tem seu caminho, isso não tem como garantir, ou prever.

Eu só chamaria a atenção para uma coisa: tente mandar um trabalho de que você se orgulhe, de verdade. Não mande o primeiro roteiro que você escrever, só para ver se descola rápido uma grana (eu sei que a tentação é grande!). Mandar algo que você sabe que não tem um padrão de qualidade aceitável, pode fazer o seu nome ficar sujo na praça antes mesmo de começar. Quem teve boa vontade de ler o seu primeiro trabalho, pode não querer nem abrir o envelope do segundo. Escrever é difícil, exige bastante treino e prática. Dê a si mesmo esse tempo maturação (até você ficar satisfeito com seu trabalho), uma compensação maior virá mais tarde.

 oscar

Espero ter sido útil. Desejo uma excelente sorte a todos! Que venham excelentes novos filmes por aí, e brilhantes carreiras decolando!! 😀

Anúncios

10 Comentários

  1. Muito obrigado pelo post Valéria.

    Como desejo não só escrever um roteiro, mas também dirigir eu estava acreditando que a melhor maneiro de me lançar seria fazendo um bom curta para algum dos vários festivais que tem por aí e chamar atenção (o que não é fácil). Acredito que mandar um roteiro para as produtoras vai tornar difícil minha chance de dirigir certo?

    Você falou sobre mandar o melhor trabalho de primeira e de fato é o certo. Porém eu fico com receio, tenho poucos projetos que eu acredito firmemente e outros que eu escrevo como treino, mas nem por isso são ruins, só não são “revolucionários”. Sei que não deve ter perigo com plágio em mandar o roteiro para a produtora, mas eu temo não poder ser o diretor da minha obra favorita.

    Por isso planejo tentar a sorte assim como Quentin Tarantino fez, antes de dirigir Cães de Aluguel (que ele já tinha em mente e apostava na sua história e não aceitava ninguém mais no comando) ele escreveu outros dois filmes que não foram dirigidos por ele e serviram para torná-lo conhecido no meio.

    Problema é eu ter uma história que eu não faço questão de dirigir!

    Comentário por Ewerton — 06/05/2010 @ 17:35

    • Olá, Ewerton!!

      Em primeiro lugar, disponha!! Estamos aqui para servir, não é mesmo? 😀 Adoooro quando me fazem perguntas! Catando textos e livros aqui e ali, eu mesma costumo aprender muito! Por isso, eu é que tenho de agradecer!! VALEUUU!! :mrgreen:

      Quanto a escrever e dirigir, tenho algumas histórias para contar. Conheço pessoalmente alguém que teve, há muitas décadas, a chance de vender o seu primeiro (e único) roteiro para um produtor de cinema que gostou do trabalho. Porém, o autor exigiu que ele mesmo fosse o diretor do filme. O produtor negou na hora. Sem abrir mão de seu sonho de dirigir seu roteiro, o autor fez outras tentativas, bateu em outras portas, mas nada deu certo. Com isso, ele nem continuou a escrever, nem conseguiu dirigir aquele roteiro. Os anos, as décadas passaram, e ele se arrependeu amargamente de ter ficado tão preso àquela história. Se a tivesse vendido, ele teria continuado no ramo, e a chance de dirigir poderia ter surgido mais à frente. Acabou desistindo de cinema totalmente.

      Existem boas razões para os produtores dizerem não a roteiristas que querem dirigir suas histórias. Um bom roteirista não significa um bom diretor. E, assim como a escrita, dirigir é difícil, e também exige treino e prática. A Tizuka disse, numa de suas aulas, que, quando já era famosa, foi contratada para dirigir um comercial. O comercial consistia numa tomada panorâmica de uma longa mesa com atendentes (se não me falha a memória), e, ao usar duas câmeras, ela cometeu o erro básico de quebra de eixo. Teve de refilmar tudo. Refilmar significa $$$$ saindo do bolso do produtor. Se profissionais cometem erros, imagine amadores! E como o dinheiro é o foco principal dos produtores, senão eles não têm lucro e ainda vão à falência, então é mais do que normal que eles tentem se precaver o máximo possível.

      O que estou dizendo, não é que você deva abrir mão de dirigir aquela história especial. Mas abra mão de outras que sejam boas, e que podem ser dirigidas por outros. Talvez você até se surpreenda. Talvez o diretor até melhore o seu trabalho, fazendo coisas, e explorando a história, de modos que você não tinha nem imaginado. E, enquanto isso, continue escrevendo e estudando, pois há muita coisa para aprender para se fazer bem um filme. E, o mais importante de tudo, você não precisa sempre ser “genial”, “revolucionário” ou completamente “original”. Boas histórias são eternas. Às vezes a simplicidade toca mais do que inovações da linguagem. E abre mais portas. Vi muitos curtas “geniais” quando estava na faculdade. Queriam ser tão originais na linguagem cinemática, que resultavam em curtas vazios, pois só tinham aparência, não tinham conteúdo. Vi muitos espectadores saindo das salas de cinema em festivais de curtas, quando eles passavam. Não acredito que era essa a intenção dos autores quando filmaram, muito ao contrário, eles queriam impressionar, e fazer sucesso, mas escolheram o caminho errado. Por isso que eu sempre bato na tecla, devemos escrever (e dirigir) algo que amamos, de que gostamos muito e com que nos identificamos, porque aí os outros também gostarão. Se fizermos por status, fama, dinheiro, dificilmente seremos bem sucedidos. É só ver a quantidade de gente, do mundo inteiro, cometendo o mesmo erro, para confirmar isso.

      Portanto, se você tem muitas histórias que gostaria de dirigir, ótimo!! Significa que elas são boas! Por isso, pegue uma de suas “filhas”, e a envie para o mundo. Deixe-a seguir seu caminho, e ajudá-lo em troca. Você não vai se arrepender de se desapegar. Outras histórias virão. E você vai continuar, firme e forte em seu sonho. É isso o que eu espero e torço.

      Muita força, e muito sucesso para você, Ewerton, continue sempre no bom caminho!! 😀
      Um super abraço,
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 07/05/2010 @ 09:19

  2. Bem, obrigado ao Ewerton por perguntar, e obrigado a Valéria como sempre por trazer mais um belo post,que inclusive foi bom para mim também…

    Assim como o Ewerton pretendo escrever e dirigir roteiros, porém tenho consciência plena que hoje ainda sou principiante nos dois campos de estudo…

    Realmente concordo que maturação, paciência e perseverança é o que fazem as coisas se definirem: as escolhas, temáticas, opções ou como diriam na música, o timbre do artista. É assim que hoje, eu que sou cantor (amador mais sou) posso dizer que conheço mais minha voz. Anos cantando e descobre o instrumento. Anos escrevendo e entende qual a sua mão para a coisa.

    Estou transcrevendo roteiros para amigos prequiçosos, estudando roteiros de filmes e lendo os roteiros e ajudando amigos que não tiveram tanto contato com oficinas, livros sobre o assunto, workshops e afins… Por conta própria e um pouco na faculdade, venho estudando roteiros desde 2007, mas não me sinto seguro ainda de enviar um trabalho meu a uma grande produtora.
    Teria que ser um trabalho com uma base bem sólida, no qual tivesse muita confiança.

    A hora agora é de aperfeiçoamento: na profundidade dos personagens, manejo com subtramas (enredos secundários), problemas de barriga (no 2ºato) e outras coisas que sei que ainda pelejo pra me policiar e fazer de forma que me agrade e seja de fácil entendimento e fluencia.

    Estou experimentando, errando, matutando, escrevendo geralmente curtas pequenos de 10 minutos e depois vou expandindo e “me conhecendo” como escritor e aprendendo técnicas e princípios. Estudando assistência de direção, fotografia e tudo o mais as coisas vão tomando formas. Pelo menos é assim o meu estado otimista de hoje (07/05) sussura ao meu ouvido.

    Quanto a concursos de roteiro, há alguns com premiações e remuneração às vezes, inclusive tem um para animação aqui em São Paulo, com premiação de R$10.000,00 (tema Mário de Andrade): http://escuta.estudiolivre.org/2010/03/19/edital-pauliceia-mario-de-andrade/ Já nesse fim de semana vou começar a fazer minha pesquisa e elaborar os esboços (HE HE!).

    Valéria, mais uma vez parabéns pela boa cuca, gosto pela escrita e ainda, pela solidariedade para com os hermanos escribas. Você é 10 !!!

    Abraço Ewerton, beijo Valéria !

    Aloysio Roberto Letra

    Comentário por Aloysio Letra — 07/05/2010 @ 00:24

    • Olá, Aloysio!!

      Você está fazendo um trabalho ótimo, ajudando seus amigos, isso é lindo!! =D E você canta, isso é o máximo!! Adoooro música!!

      Acho que você está fazendo muito bem, estudando fotografia, assistência de direção, e ser músico também ajuda bastante, pois a música é uma parte muito importante de um filme, isso é ótimo. E ainda mais, estar treinando e praticando a escrita vai lhe deixando com a auto-estima e a segurança cada vez mais afiadas, e, quando você reparar, já estará com uma obra-prima em mãos! Você vai ver!

      Gostei da dica do concurso! Desejo uma ótima sorte pra você! Já pensou?! É um ótimo prêmio! Se ganhar, avisa nóis!! Vou comemorar junto!! 😀 😀 😀

      E, muito obrigada pelos elogios, Aloysio, assim eu fico vermelhona!! 😳 Que coisa!! 😆

      Um beijo grande, Aloysio, adorei a visita!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 07/05/2010 @ 09:32

  3. ola mas uma vez e muito bom te possoas como vc que tenta ajuda quem esta iniciando no ramo de roterista como ja falei outras vezes tenhos muitas ideias muitas delas eu quero derigir eu mesmo outras não como vc falou não se deve ficar preso a uma roteiro que vc não quer;que outra pessoa dirija mas eu não se por onde começar pela minha historia mas importante ou pelas outras historias.a historia quer eu considero como a principal e uma historia na minha opinião pra hollywood mas eu ainda nem comesei aqui imagina em hollywood e uma historia que se passa em outro planeta bem loge da terra assim como em star wars,nesse planeta dois povos de planetas diferentis estão em guerra a varios anos pelo que eles cosederam se o poder mais desejado do univesor um pode quer qualquer pessoa seria capaz de lutar por esse poder.bem mas como valei antas tenho outras historias mas simpli so não sei por onde começar me ajude se pode obrigado descuper mas uma vez pelos erros

    Comentário por CHEENE — 21/10/2010 @ 00:29

    • Olá, Cheene!

      Esse ofício é muito difícil mesmo. É necessário muitos anos de estudo de roteirismo, leitura intensiva sobre assuntos variados, e muita, mas muita prática diária, ou seja, escrever TODOS OS DIAS, por, no mínimo, uns 10 a 15 minutos (o ideal é uma hora). E isso por anos a fio! Não dá pra conseguir a segurança que você procura em poucas semanas ou meses. É ralação braba mesmo!

      O que eu posso fazer é lhe indicar livros que lhe darão o básico do roteirismo, para que você pelo menos entenda como colocar melhor as suas ideias no papel. Os livros que eu sempre recomendo para os principiantes são: Roteiro – Os Fundamentos Do Roteirismo, de Syd Field, e Story – Substância, Estrutura, Estilo e Os Princípios Da Escrita De Roteiro, de Robert McKee.

      Vale lembrar que roteiros de Ficção Científica são muito mais difíceis de se vender do que os de outros gêneros (tanto aqui quanto no resto do mundo, em Hollywood inclusive). E para vender qualquer história para Hollywood é necessário investir alguns milhares de reais para mandar traduzir seu roteiro (caso você não seja bastante fluente em inglês) e pagar altas taxas de correio internacional, pois é preciso enviá-lo para muitos produtores até conseguir algo (isso, se conseguir!). Então, se você não tiver este tipo de grana e paciência, recomendo escrever algo mais fácil de ser produzido por aqui mesmo. As chances de conseguir um comprador serão maiores.

      É isso, Cheene, não há muito mais que eu ou qualquer outra pessoa possa fazer por você, essa ralação deve ser o seu investimento pessoal para conquistar o seu sucesso. O único atalho que você poderia tomar seria contratar um ghostwriter para escrever o roteiro para você, baseado na sua ideia, mas isso lhe consumiria uma boa grana sem nenhuma garantia de retorno.

      Um abraço, Cheene, bom trabalho e boa sorte!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 21/10/2010 @ 18:20

  4. muito obrigado pela ajuda suas dicas são muito importante pra mim gostaria de deixa um pequeno texto de um roteiro de um filme que eu estou escrevendo gostaria que vc analizase ele me diga o que esta errado o que eu deveria muda etc.vamos ao texto..um homem esta sentado em uma cama a camera mostra so o seu rosto ele esta chorando a camera começar a se afasta e mostra uma mulher deitada atras dele e uma mulher muito magra e muito feia a camera mostra o quarto inteiro tem uma faca melada de sangue no chão do lado da cama um celular toca o homem atende não se seber quem ligou nem se ouvir o que ele esta falando o homem que atendeu o celular ouvi tudo calado quando a ligação termina ele abre a porta do quarto e vai embora a imegem fecha e aparecer uma fraze dizendo tres anos antes agora o mesmo homem que estava no quarto esta na frente de um clube de festa.bem isso e tudo estarei esperando pela sua resposra um abraço e muito obrigado pela ajuda mas uma vez descupe pelos erros

    Comentário por cheene — 22/10/2010 @ 14:04

    • Olá, Cheene!

      Fico feliz que tenha gostado das minhas dicas!

      Cheene, por princípios, eu nunca leio nem critico ou analiso o roteiro dos outros. Desta vez não será diferente, mas vou lhe dar um pequeno toque: jamais use a palavra “câmera” num roteiro. Pelas convenções do roteirismo isso não deve ser usado. Deixe a direção para o diretor. Também não substitua a “câmera” por “vemos”. É necessário explicar a cena em termos narrativos (como um livro de ficção explicaria, por exemplo), sem utilizar termos de direção de cinema.

      Você não precisa se desculpar comigo pelos erros, Cheene, eu estou na boa, mas você deve se certificar de não deixar passar nem um mínimo errozinho quando for enviar seu roteiro para os produtores, porque eles vão julgá-lo por isso. Uma ou duas páginas com erros de português e os produtores jogarão seu roteiro no lixo. Eles irão pensar que você não leva o seu trabalho suficientemente a sério, que você não é um profissional sério se não se deu ao trabalho de polir e corrigir e reescrever seu roteiro até ele ficar tinindo. A concorrência aí fora tá braba, esse é um ramo fechadíssimo, a gente não pode dar bobeira!

      É isso, Cheene, eu não analiso roteiros, mas tem o Hugo Moss que faz esse trabalho profissionalmente. Você pode querer ligar ou mandar um e-mail para ele para saber o preço desse serviço. O site dele com todos os dados é:

      http://www.moss.com.br/br/servicos.html

      Um abraço, Cheene, e bom fim de semana pra você!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 23/10/2010 @ 09:00

  5. Olá tudo bem?, eu entrei nesse site e achei interessante pois é o rumo da carreira que eu pretendo seguir. Escrevo ótimos textos, e não falo por mim e sim porque diversas pessoas que lêem falam que é muito legal, e isso me estima muito. Gostaria de saber, se paga alguma coisa pra mandar um capituo pelo menos, só pra dizer o que falta e o que não falta…Obrigado..

    Comentário por Thomaz — 27/02/2011 @ 19:51

    • Olá, Thomaz!

      Pelo que eu entendi você deseja que eu faça uma análise de um roteiro de um capítulo, não é isso? Infelizmente não faço esse serviço de consultoria, e conheço apenas duas pessoas que o fazem profissionalmente aqui no Brasil: o Fernando Marés de Souza e o Hugo Moss. Dê uma olhada nos sites deles e, se interessar, mande um email ou telefone pra eles, para tirar suas dúvidas e contratá-los, se desejar.

      Desculpe não poder ajudá-lo mais, Thomaz. Um grande abraço e boa sorte!
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 28/02/2011 @ 10:40


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: