Dicas de Roteiro

12/03/2010

Perguntas e Respostas

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 07:39
Tags: ,

O artigo de hoje se chama O Que é Necessário? e foi escrito por Brad Mirman para o site The Screenwriters Homepage. Este não é bem um artigo, mas algumas poucas perguntas de internautas que ele respondeu.

O que é necessário para ser um escritor na ativa? Primeiro de tudo, você tem de ser um pouco maluco para querer entrar neste negócio. Você tem de acreditar em si mesmo e ter confiança em sua habilidade como escritor.

Você acha que escrever roteiros é a parte mais difícil de se fazer um filme? Com certeza! Sob vários aspectos, o trabalho dos roteiristas é o mais difícil dentre todos os outros relacionados a um filme. Bem, eu sei que haverá diretores, atores e produtores lendo isto que não irão concordar — para aqueles que não concordam, eu apenas gostaria de dizer isto: O escritor é o único que começa sem nada. Diretores, atores, produtores, editores, compositores, diretores de arte, cenógrafos, cameramen, TODO MUNDO começa com um roteiro! O escritor tem de criar o conceito inteiro — o mundo, os personagens — e ele tem de fazer isto SOZINHO.

Eu tenho de viver em Los Angeles? Se você for um escritor na ativa com um histórico, e você queira apenas escrever roteiros de especulação, não. Se você estiver tentando entrar no negócio, sim. Os estúdios estão aqui. Os agentes estão aqui. Os produtores estão aqui. As pessoas que podem fazer a sua carreira estão aqui.

Se você quisesse uma carreira na indústria automobilística, você iria para Dallas ou Detroit? Se quisesse uma carreira no mundo da moda, você provavelmente teria melhor sorte em Paris, Roma ou em Nova York do que em Cleveland, Teerã ou Bogotá. Se você está levando a escrita a sério, você tem de ir onde existem pessoas que podem ajudá-lo.

[N.T.: Isto não se aplica a estrangeiros. Para se trabalhar como escritor contratado em Hollywood é necessário ter o inglês como primeira língua, pois o roteirista precisará escrever e reescrever maciçamente por encomenda, ou seja, ele terá de transformar em roteiro as ideias e as histórias dos outros — dos produtores e diretores que o contratarem — e sob uma agenda apertada. Não é um trabalho fácil nem para os nativos, muito menos para estrangeiros. E mudar-se para Los Angeles é o que a maioria faz. A cidade já está abarrotada de tantos aspirantes a ator, atriz, escritor, diretor, editor e por aí vai. A maioria passa a vida limpando mesas em bares, não vão além disso. A Califórnia é um dos estados mais caros dos Estados Unidos para se viver. Tudo lá tem impostos altíssimos em relação ao resto do país, pelo fato deste ser o estado mais rico da nação — culpa da indústria cinematográfica e da agropecuária, mas na verdade pouquíssimas pessoas desfrutam dos lucros. Muitos profissionais da indústria desaconselham até mesmo os seus compatriotas a mudarem-se para lá. Eles aconselham que a pessoa faça algo em sua cidade natal — escreva roteiros, produza e dirija curtas, atue em teatros etc. — para só depois que conseguir entrar no ramo, mudar-se para Los Angeles.]

Eu preciso de um agente? Bem, com certeza ajuda, mas a resposta é não. Por quê? Porque todos os escritores bem-sucedidos começaram sem um agente. Encontrar um bom agente (se é que tal coisa existe) é uma missão impossível. A maioria dos agentes não estão interessados em moldar a carreira de jovens escritores — ao invés disso, eles prefeririam muito mais gastar o seu tempo tentando roubar escritores estabelecidos de outros agentes. Sim, isto é uma piada — mas há verdade nela. Um agente ganha dinheiro vendendo roteiros ou arranjando contratos para seus clientes. Isto é muito mais fácil de se fazer quando você tem um cliente que os estúdios conhecem. Quando você está começando, você precisa bater em todas as portas que puder encontrar — você precisa de contatos (que acontece de estarem em Los Angeles) para conseguir entrar no ramo.

Uma ótima escrita para você hoje!

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: