Dicas de Roteiro

10/03/2010

A Duração de Uma Cena

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 07:43
Tags: , ,

Olá de novo! Sabe, eu acabei decidindo traduzir o site do Brad Mirman todo, o The Screenwriters Homepage. É um site curtinho e, apesar dele ter escrito poucos artigos, foram todos interessantes. Por isto hoje eu vou traduzir o primeiro artigo deste finado site, chamado “Introdução” (porque se trata da apresentação do site, é claro). Vamos a ele:

Por um longo tempo eu queria me dedicar a ajudar novos escritores com dúvidas referentes à escrita de roteiros. Fazer algo assim é novo para mim, então isto será uma aventura para todos nós enquanto caminhamos juntos.

Eu me lembro de quando eu comecei na profissão dez anos atrás, eu tinha tantas dúvidas e ninguém para me ajudar a respondê-las. E tinha comprado uma cópia do livro do Syd Field e olhava para ele como se fosse a Bíblia Sagrada da escrita de roteiros. Antes de cada cena eu voltava ao livro e checava… Este cabeçalho está certo? Como eu coloco este ângulo? Esta cena tem mais de 3 páginas e Syd disse que não deveria ter.

Bem, deixe-me dizer que eu acho o livro do Syd Field uma boa obra para ser lida por aqueles que nunca tentaram escrever um roteiro antes. Ele dá um monte de informações sobre assuntos variados. Entretanto, esta é a visão do Syd Field sobre a escrita de roteiros. Pode ser que funcione para você… pode ser que não… e está tudo bem, porque não existe um jeito único de se escrever um roteiro.

E esta é uma boa coisa. De outro modo, todos os filmes teriam o mesmo sabor. Quando eu fui progredindo como escritor e me tornei mais confiante em minha capacidade, eu comecei a me desviar do formato que eu aprendi com a leitura de livros de roteiro. Um dia eu estava assistindo a um de meus filmes preferidos, o 12 Homens e Uma Sentença (12 Angry Men, 1957). Enquanto o assistia, eu pensei comigo, “Nossa, este FILME se passa em uma sala. UMA HORA E MEIA EM UMA SALA. Eu imaginei o que o Syd diria sobre isso… mas o mais importante é que eu percebi que apesar deste filme ter quebrado uma das regras principais que aprendi sobre escrever roteiros, ELE FUNCIONAVA!

Sim, eu sei que foi uma peça adaptada para o cinema… mas funcionava tão bem nas telas quanto no teatro. O que eu estou tentando dizer é que nós aprendemos e crescemos com a experiência… e ao assumir riscos. Eu não ligo sobre o quão longa é uma cena. Eu só ligo para o fato dela ser boa. Se for, e prender a minha atenção, então eu quero mais dela… não menos.

Uma das coisas que os escritores que estão começando na carreira mais me perguntam é: O que faz um bom roteiro? Esta é uma questão difícil de responder — porque escrever é um processo criativo, e qualquer empreitada criativa é interpretada de forma diferente por toda e qualquer pessoa. Ao invés de tentar responder esta questão nesta introdução, eu irei reservá-la para futuros segmentos.

A partir deste ponto o autor dá uma lista dos assuntos que seriam discutidos no site dele, o que não é necessário incluir aqui. Bem, por hoje é só isso. Amanhã eu continuo com o segundo artigo do site. Boa escrita e inté!

Anúncios

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: