Dicas de Roteiro

08/03/2010

Os Erros Mais Comuns do Roteirista (1)

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 08:08
Tags: ,

O artigo de hoje também é de Brad Mirman, novamente do finado site The Screenwriters Homepage, e chama-se Maneiras Rápidas de Não Vender o Seu Roteiro. Eu coloquei parte (1) no título do post porque tenho vários outros artigos sobre este assunto, e os publicarei em breve. Esses erros são os mais comuns porque é muito fácil pensar que podem ser o modo correto de se fazer um roteiro. Nenhum roteirista escreve pensando, “Ah, hoje eu vou colocar este troço bem estrombólico aqui só para garantir que eles não vão comprar o meu roteiro!”. Ninguém faz isso! Quando erramos, é pensando que estamos fazendo algo melhor para o nosso trabalho. Por este motivo, se você já cometeu um ou mais dos erros apontados abaixo, não se deprima. É super normal! E é pensando em acertar que você está aqui estudando e tentando melhorar, não é mesmo? Afinal de contas, só não erra quem nada faz. E na verdade este é o maior erro de todos.

Então vamos lá:

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… encher o seu roteiro com um monte de MOVIMENTOS DE CÂMERA, tais como PANORÂMICAS, TILTS, GRUAS, CARRINHOS, PLANOS-SEQUÊNCIA, MUDANÇA DE PLANO etc. O diretor realmente gosta quando você faz o trabalho dele por ele.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… Fazer a sua capa tão ornamentada quanto possível. Use gráficos e fotografias. Escreva o título com cola e então salpique purpurina sobre ela. É um toque bem legal… e muito profissional.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… não prestar atenção ao formato de roteiro. Apenas escreva de qualquer modo sem nenhuma preocupação com os padrões da indústria. É a história que conta, não o modo como é apresentada, certo?

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… ficar ligando após enviar o seu roteiro. Os agentes, produtores e executivos de estúdio não são nem de longe tão ocupados quanto você pensa. Eles provavelmente irão amar voltar do almoço e encontrar seis ou sete mensagens suas.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… usar fontes estranhas e pouco usuais. Tente usar estilos de letra manuscrita em itálico. A maioria dos leitores e produtores gosta de ficar com dores de cabeça por causa de fadiga ocular. Isto permite que eles voltem cedo para casa. Então, faça um grande favor para si mesmo (e para o seu roteiro): use qualquer coisa, menos fonte Courier tamanho 12.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… escrever uma carta longa e divagante para acompanhar o seu roteiro. Conte a eles por quê eles deveriam comprar este roteiro… quem deveria estrelá-lo… quem deveria ser o diretor e onde ele deveria ser filmado. Eles acharão esta informação muito útil.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… numerar todas as cenas. Se você fizer o seu roteiro ficar o mais parecido possível com uma versão para filmagem, isto subconscientemente dará ao leitor a ânsia de colocá-lo em produção.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… encadernar o seu roteiro com espirais ou clipes. Por que usar algo tão chato quanto papel com três furos e ‘bailarinas’? Fazer as coisas de modo diferente irá fazer você ser notado.. e isto é o que importa, não é?

Papéis presos com ‘bailarinas’

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… escrever longos trechos de narração. Descreva cada detalhe na cena. Vá bem longe para nos informar cada coisa que o personagem estiver pensando. Exemplo: John entra em seu banheiro com o chão de mármore rajado e a banheira combinando. Ele anda até a sua privada 1.6 GPF de cor caramelo fabricada por American Standard, modelo #RF10724. Ele está triste porque sabe que será demitido, e não sabe como contar para a sua esposa que ele perdeu o seu salário apostando em corridas. A sua expressão triste se suaviza um pouco quando ele pensa em como estava gostosa a pizza que ele comeu a caminho de casa.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… não se incomodar em reescrever. Botar a ideia no papel é a coisa principal. Qualquer um com alguma inteligência será capaz de captar a ideia geral. Os produtores e os executivos de estúdio querem se sentir envolvidos no projeto. Se você fizer um trabalho bom demais, eles não comprarão o seu roteiro porque não terão nada para fazer.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… fazer as suas margens menos largas se o roteiro for longo demais. Não perca tempo valioso fazendo cortes e ajustando cenas… apenas diminua as margens. Isto os engana todas as vezes.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… usar qualquer coisa exceto papel branco tipo carta (11 x 8,5 polegadas). Use papéis de cores diferentes para mostrar a eles como o seu roteiro é diferente. Para dar um toque extra bacana, tente usar uma cor de papel diferente para cada página. O seu roteiro com certeza será o mais colorido da lata de lixo.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… se esforçar para escrever pelo menos um monólogo realmente longo em cada cena. Melhor ainda, tente escrever pelo menos duas ou três cenas em seu roteiro onde o personagem fala continuamente por três ou quatro páginas. Isto dará ao leitor o sabor e a sensação verdadeira de seu estilo de escrita.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… não se preocupar com a ortografia. Contanto que as palavras estejam parecidas com a grafia correta, você estará bem. Pur que voce deviria perdrer tenpo shekamdo a grafya?

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… usar um montão de instruções técnicas extravagantes, tais como: ROLAM OS CRÉDITOS. FINAL DOS CRÉDITOS. CLOSE UP EXTREMO. COMECE OS EFEITOS ESPECIAIS AQUI. As pessoas da indústria querem que você diga a elas se o filme terá créditos ou não… e onde estes créditos deveriam começar e terminar. Esta é uma parte muito importante da escrita de roteiros.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… atolar o seu roteiro com cortes de transição, tais como: CORTA PARA: DISSOLVA PARA: CORTE BRUSCO: CORTE COMBINADO: Novamente, quanto mais ajuda o estúdio e o diretor conseguir de você, melhor.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… fazer os cabeçalhos EM NEGRITO e sublinhados. Ter os cabeçalhos triplamente espaçados e em maiúsculas nem sempre é o suficiente para fazê-los se destacar.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… abarrotar as suas páginas com o máximo que você puder. Deixe os parágrafos de diálogo e ação fluirem direto até o final da página. Isto economiza papel e está muito na moda conservar os recursos naturais, então aqueles que lerem o seu roteiro terão você em alta conta.

UMA MANEIRA RÁPIDA DE NÃO VENDER O SEU ROTEIRO É… gastar muito tempo se preocupando se você deveria usar duas ou três ‘bailarinas’. Eu sei que este é um assunto de grande debate em muitos sites que falam sobre roteiro. Você não iria querer escrever um grande roteiro só para alguém rejeitá-lo por que você não usou o número padrão correto de ‘bailarinas’ usado em Hollywood. Meu conselho: mande o seu roteiro com duas bailarinas e anexe uma longa carta descrevendo os prós e contras envolvidos na controvérsia entre duas e três ‘bailarinas’. Também inclua uma ‘bailarina’ extra no caso do leitor seguir a filosofia das três ‘bailarinas’. Mesmo que ele não siga, ele irá apreciar a sua consideração.

==========================
Boa escrita para você!!

Anúncios

6 Comentários

  1. Este é um dos melhores sites, em português, que eu já vi sobre roteiro de cinema e olhe que eu já vi vários.

    Comentário por Antunes — 15/03/2010 @ 01:59

    • UAU!! UAU!! UAU!! UAU!! UAUUUU!!!

      (Espera só um instante, que eu preciso de um momento para me recuperar)…………………………..

      Olá, Antunes!!

      Uau!! Com um elogio desses eu quase bati a cabeça no teto de tanto pular de alegria!! É sério!! Comecei este singelo bloguinho há meros três meses e meio e ainda tem muuuuito chão pela frente! Ou seja, até o fim do ano serão pelo menos 400 posts e mal vou arranhar a superfície da quantidade de material que tenho para botar aqui. Ufa, está sendo um trabalhão, mas são elogios espontâneos e generosos como o seu que me fazem ter energia e alegria para trabalhar nisso todos os dias. Afinal de contas, é para ser útil a todos os meus colegas de ofício que estou aqui.

      Muitíssimo obrigada, Antunes. Pelo elogio e, principalmente, por estar me acompanhando nesta jornada.

      Um abração,
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 15/03/2010 @ 11:40

  2. O site realmente é um dos melhores sobre roteiro.

    Essa matéria me ensinou coisas bem interessantes, eu não via problema em lotar o roteiro com cortes de transição e nem encaderná-lo com espirais. Bom saber das dicas.

    Comentário por Ewerton — 20/03/2010 @ 00:59

  3. Oi, Ewerton!

    Obrigadão pelo elogio, eu fico super, super contente que meu esforço esteja dando resultados! Às vezes escrever é muito solitário, a gente acha que está sozinho, isolado do mundo, sabe como é? Por isso é bom demais ouvir as opiniões de vocês, bom além da conta!!

    Quanto aos cortes de transição, eu também tenho o mesmo vício! Tenho de me controlar para não colocá-los em todas as cenas, é terrível! Hoje em dia eu me esforço para usá-los apenas em ocasiões especiais, quando a cena realmente pede uma transição diferente e imprescindível. Neste caso eu nem ligo se o diretor vai gostar daquilo ou não, ele precisa saber o que eu estou visualizando, para compreender que a cena é especialmente diferente. Tem horas que o roteirista tem de se afirmar, se tem algo em que acredita firmemente. Não precisa exagerar na direção dentro do roteiro, mas quando for necessária, escrever mesmo, sem pudor.

    Já em relação à encaderná-lo com espirais, eu acredito que aqui no Brasil isto até seja comum, nos EUA é que são imperdoáveis. Na verdade eu acho a encadernação com espirais muito mais agradável para manusear e ler, mas as ‘bailarinas’ são mais práticas para a indústria, por que fica mais fácil inserir ou retirar páginas do roteiro, já que frequentemente cenas são adicionadas ou excluídas durante a produção de um filme.

    É isso aí. Logo, logo eu vou postar mais uns dois artigos com os erros mais comuns dos roteiristas. Espero que goste!

    Um abração, e muitíssimo obrigada novamente, Ewerton!! Adorei a visita!!
    Valéria Olivetti

    Comentário por valeriaolivetti — 20/03/2010 @ 08:27

  4. As dicas são bem vindas, mas estão um pouco confusas, isto é: não dá pra saber precisamente quando o autor está sendo irônico ou quando quer dizer realmente aquilo…

    Comentário por Tomás — 29/12/2010 @ 02:30

    • Olá, Tomás!

      Especificamente neste post o autor estava escrevendo de forma cômica. Quando a gente lê rápido pode não prestar atenção e perder um detalhe vital: O que ele disse foi “Uma maneira rápida de NÃO vender o seu roteiro é…”, ou seja, tudo o que ele fala depois desta frase é o que nós NÃO devemos fazer num roteiro! :mrgreen: Tudo bem, vou confessar: quando li este texto pela primeira vez eu também não percebi isso, só depois que li tudo de novo e vi o “NÃO” é que eu entendi! 😀

      Então é isso, pelo menos no caso deste post, siga todas as dicas AO CONTRÁRIO, que vai dar certo! :mrgreen:
      Um abração, Tomás, volte sempre! 😀
      Valéria Olivetti

      Comentário por valeriaolivetti — 29/12/2010 @ 11:20


RSS feed for comments on this post.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: