Dicas de Roteiro

18/02/2010

Escrevendo Sci-Fi – Parte 3

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 15:12

A tradução livre de hoje é a de um artigo de um autor anônimo para o site Film Scriptwriting, chamado Escrevendo Gêneros Específicos: Sci-Fi:


A ficção científica responde por alguns dos mais memoráveis filmes de todos os tempos. Por que isso? É porque este gênero permite transportar o público para um mundo maravilhoso e estranho, com um variado grupo de personagens, tipos que você não vê em nenhum outro lugar.

A ficção científica tem um forte culto de seguidores, e quando uma franquia (como Guerra Nas Estrelas) entra no imaginário do público, ela pode literalmente fazer bilhões de dólares. É por isso que roteiros de sci-fi estão sempre em pauta para um arrasa-quarteirão de verão.

Como todos os gêneros, há alguns conselhos específicos que você precisa seguir, e coisas que você precisa pesquisar. Antes de planejar escrever um roteiro de sci-fi, leia todas as informações a seguir e você terá uma boa ideia do trabalho à sua frente.

1- Bem Versus Mal

Nenhum outro gênero permite tal visão em preto-e-branco da batalha entre o Bem e o Mal. No centro da maioria dos roteiros de sci-fi está o conceito de bem versus mal, onde o bem sempre triunfará. Isto é frequentemente focado em um governo do mal, um império ou organização que é liderada por um tirano maligno que quer moldar o mundo à sua própria imagem. Para combater esta força sempre há um grupo de rebeldes, com um líder que é honesto e verdadeiro.

Entre esses últimos, há os “opostos completos”, que geralmente se unem por causa de uma característica ou crença que eles compartilham. Poderia ser que ambos queiram salvar o mundo, apenas têm ideias diferentes de como fazê-lo.

2- Um Admirável Mundo Novo

Para escrever um bom roteiro de sci-fi, você precisa ter uma forte habilidade de “construir um mundo”. É muito provável que o mundo no qual a sua história se passe seja bem diferente do mundo em que vivemos hoje. Poderia haver viagens espaciais, seres alienígenas, teletransportes de matéria e unidade mundial. Por outro lado, poderia se passar num sombrio futuro pós-holocausto nuclear com pouca comida, pessoas mutantes, e um governo corrupto.

Há muitos rumos que você pode seguir, e detalhes a se pensar. Quem está no comando? Qual é o sistema político? Como são mantidas a lei e a ordem? Como é a economia e a moeda? Onde nós estamos, na Terra, num planeta alienígena ou numa nave estelar?

3- Alienígenas também são gente!

Se você tiver várias raças de alienígenas no mundo de sua história, então lembre-se de que eles não apenas possuem certas características intrínsecas às suas raças, como têm personalidades individuais também. Você pode ter uma raça de alienígenas ignorantes, violentos e não-confiáveis, mas pode ser uma guinada interessante ter um membro desta raça sendo um pensador inteligente, que seja extremamente leal e amigo de seu personagem principal. Isto pode levar a um conflito entre os líderes da raça alienígena que vejam este estranho como uma abominação da espécie que eles precisem dar um jeito, enquanto o protagonista pode perder a confiança na lealdade dele após uma missão fracassada.

4- Estranhos Aliados

Um dos meus aspectos favoritos da Ficção Científica é a habilidade de fazer amizades e companhias entre tipos de pessoas ou seres que você não veria normalmente juntos. Pegue Data e Worf do universo de Jornada Nas Estrelas, como exemplo. Data é um robô que deseja desenvolver a habilidade de ter emoções e se tornar mais humano. Worf é um Klingon, uma raça agressiva e emocional, o que significa que ele frequentemente tem de dominar o seu temperamento para ser um membro aceitável da tripulação.

Worf e Data são muitas vezes colocados juntos como parte do “time externo” que explora planetas e naves estranhas. É divertido assistir aos dois opostos interagindo, as diferenças de opinião, e o tipo de conflito que isto pode criar.

5- Até Mesmo Uma Sci-Fi Tem Um Orçamento Limitado

Muito do apelo da sci-fi são as explosões e os cenários selvagens e excêntricos, mas leve em consideração que se você não for produzir o seu próprio filme, então alguém terá de pagar por essas coisas. Você pode ajudar a diminuir o orçamento em potencial usando locações mais de uma vez, mantendo um pequeno número de personagens principais, e não atulhando cena após cena com computação gráfica cara.

——

É claro que você ainda precisa seguir as testadas e aprovadas diretrizes de estrutura de roteiro. Com sorte, estas ideias e conceitos lhe ajudarão a escrever o seu roteiro de sci-fi, e talvez, quem sabe, você invente a próxima franquia de arrasa-quarteirões. Lembre-se de mim quando isto acontecer, heim?

O artigo termina aqui. Amanhã tem mais dicas. Boa escrita para você hoje e até lá!

Anúncios

2 Comentários

  1. Adorei esse blog! Muita coisa interessante! Já li uma boa parte dos artigos mas não posso ler tudo pois não estou no meu computador (que está com problemas técnicos no momento). Assim que eu puder voltarei para ler o restante! Continue com o ótimo trabalho! Nós, amadores, agradecemos!

    Obrigado pela citação do meu blog e pelos votos de boa sorte também! Muito gentil!

    Até logo!

    Comentário por Marco — 19/02/2010 @ 17:34

  2. Obrigada a você, Marco, pelo elogio! Eu citei o seu blog apenas porque realmente gosto muito dele (senão ele não estaria nos meus favoritos!). 🙂 Fico sempre muito feliz se estou sendo de alguma valia, e espero que você aprecie os próximos posts, ainda tenho alguns bons textos para traduzir sobre escrever sci-fi. Por isso, por favor, volte sempre! Você é muito benvindo! (Ah, e desejo uma rápida recuperação para o seu computador! 😉 ).

    Um super abraço,
    Valéria Olivetti

    Comentário por valeriaolivetti — 19/02/2010 @ 17:45


RSS feed for comments on this post.

%d blogueiros gostam disto: