Dicas de Roteiro

14/01/2010

Escolhendo Nomes Para Seus Personagens

Filed under: Roteiro — valeriaolivetti @ 18:09

A partir do momento em que temos a ideia para um longa-metragem, é comum, e até normal, passar um ano até que ele esteja pronto. Passaremos muito tempo com aquela história e aqueles personagens. Se você não se sente confortável com o nome que escolheu para algum de seus personagens, não se preocupe, você terá bastante tempo para encontrar um melhor para ele, mas você deve continuar sempre procurando.
Eu tenho alguns livros de nomes de bebês e sei que existem muitos sites na Internet onde posso pesquisar (em inglês então, são incontáveis). A vantagem dos livros sobre os sites é que você pode pesquisar nomes do mundo inteiro neles (com a tradução para o português), não apenas os mais comuns do Brasil e dos EUA. Outra coisa que eu faço é, quando estou lendo jornais, revistas ou livros e topo com um nome diferente, interessante ou peculiar, anoto ele num caderninho que comprei especialmente para isto. Muitos nomes podem demorar anos ou até décadas para serem utilizados, até eu criar o personagem certo para ele. Ou mesmo jamais encontrarem seus “donos”, mas o importante é termos muitas opções à mão para a hora em que precisarmos.

Eu gosto destes nomes, são bem marcantes, não acha?

Li há muito tempo, em algum lugar, um texto interessante sobre nomes de personagens. Já procurei freneticamente nos meus alfarrábios, mas não consegui achar o texto nem lembrar o nome do autor – se alguém souber, por favor me mande uma mensagem! O autor era um leitor profissional de Hollywood, que é um profissional contratado pelos estúdios para ler milhares de roteiros por ano (tem uns que lêem um roteiro por hora!), depois preenchem uma ficha onde fazem um pequeno resumo da história e uma crítica, dizendo se gostaram ou não do roteiro, e por quê. Em inglês isto se chama ‘coverage’. A maioria dos profissionais de cinema odeia ler, e muitos executivos, produtores e donos de estúdio passam a vida lendo esses resumos críticos dos leitores profissionais. Bem, este leitor em particular de quem eu estava falando disse que quando começava a ler um roteiro em que um dos personagens principais se chamava Damien, Damian ou Damon, no final, com certeza ele revelaria ser o Demônio em pessoa. Era batata. E, se o personagem principal de um roteiro se chamasse Adam (Adão) ou Eve (Eva), isto significaria que a história seria apocalíptica e que só aquele personagem seria o sobrevivente de uma catástrofe planetária (ou ele e mais alguém do sexo oposto!). E o leitor disse que isto quase nunca falhava! Olha, gente, precisamos ter mais sutileza na escolha dos nomes de nossos personagens! Se o leitor de Hollywood já está cansado de ler isto, se já virou um clichê, algo super previsível, é porque todo mundo está tendo a mesma idéia óbvia! E a última coisa que nosso roteiro deve ser é óbvio.

Eu gosto de dar nomes que tenham a ver com a personalidade do meu personagem. Por exemplo, se eu tivesse um personagem masculino totalmente sem-noção, eu poderia chamá-lo de Acrísio (um nome de origem grega que significa “aquele que não discerne, que não distingue”). O público saberia o significado do nome? Dificilmente. Porém, eu acredito que lá no fundo, no subconsciente, as pessoas possam captar algo. Mesmo que nunca saibam conscientemente o por quê, elas talvez possam sentir que aquele nome foi perfeito para aquele personagem. Eu gosto de confiar no poder da mente das pessoas – em certos casos; para escrever a história eu não gosto de hermetismo, quero que todo mundo entenda e aproveite o filme. Mas posso jogar um ou outro elemento secundário de forma sutil, para dar um tempero (e ver se estão prestando atenção!).

Eu também gosto de dar nomes que sejam o oposto do que os personagens são. Mas não gosto de ser explícita. Jamais chamaria uma personagem nervosa e histérica de ‘Serena’. Já pensou?: “Fique serena, Serena!”. É muita forçação de barra. Isso talvez só funcione para comédias escrachadas, aí então seria perdoável. De todo modo, escolha os nomes de seus personagens com cuidado e carinho. Esta escolha é tão importante quanto escolher o nome certo para seus filhos.

“CUMÉ?!!!”

Ok, nem tão importante assim. Afinal, se você chamar seu filho de Acrísio, ele pode acabar não sendo tão sem-noção no final das contas e lhe jogar num asilo fedorento e decadente logo que você se aposentar. Portanto, é melhor pensar muito bem antes de escolher o nome do pivete!

É brincadeirinha, bebê!

Boa escrita pra você e boa sorte com os nomes (dos seus personagens e dos seus filhos!). Inté!

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: